1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Quem quer dizer o que sente...

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Lu Eire, 12 Ago 2010.

  1. Lu Eire

    Lu Eire Usuário

    Avistada a cadeira no meio da sala, sentou-se com urgência, atrapalhada. E acendida a lâmpada, pôs-se a ler com verocidade.

    "O amor, quando se revela,
    Não se sabe revelar.
    Sabe bem olhar p'ra ela,
    Mas não lhe sabe falar."


    Olhando para o papel, sentiu que finalmente respirava.

    Respirar. Talvez não o fizesse há anos. E lá estava ela, pequena, com os olhos escuros fitando o composto de celulose amarelo em suas mãos. Olhou, olhou. Roia as unhas de nervoso.

    "Quem quer dizer o que sente
    Não sabe o que há-de dizer.
    Fala: parece que mente...
    Cala: parece esquecer..."


    Quem é ela? Não sei o que dizer. Ela muda constantemente, disso, e apenas disso, tenho certeza. Isso mesmo, está sempre em mutação. Ela olha no espelho de manhã e enxerga seu rosto. E antes de dormir, faz o mesmo. Mas o dia é diferente da noite, amanhã já não será mais como hoje, então é natural que o rosto dela também se modifique.

    Desculpe-me se estou sendo prolixo, mas eu me intrigo muito com figuras que mudam.

    E aqui vai algo muito importante sobre esta leitora: ela sempre se expressou por cartas que nunca enviou. Gosta de sentar-se sozinha, e pensar. Pensar. Pensar. Ela pode ser extremamente lerda, você nem imagina como.

    Mas pode também ser ligeira. Às vezes ela tem um treco e fica se mexendo e sem falar coisa com coisa. E no fim, ela pára, pensa de novo. Abraça os joelhos e se arrepende de algumas coisas que fez.

    Ah, mas se ela adivinhasse,
    Se pudesse ouvir o olhar,
    E se um olhar lhe bastasse
    P'ra saber que a estão a amar!


    E como só se expressa por palavras escritas, quando lhe dá crises de criatividade, o mundo dela pode se desfazer com apenas um soprar. Lá se vão palavras dentro do rio que é sua mente. Ela rega seus pensamentos com palavras no papel.

    O que ela faz quando isso acontece? Bem, prossigamos um pouco.

    Mas quem sente muito, cala;
    Quem quer dizer quanto sente
    Fica sem alma nem fala,
    Fica só, inteiramente!


    Sim, é só, inteiramente, que ela fica.

    Sem palavras escritas, ela se perde do mundo e também de si.

    Mas ao contrário do que Pessoa disse, ela não tem muito a dizer em ocasiões assim.

    Mas se isto puder contar-lhe,
    O que não lhe ouso contar,


    Sabe, pensar é uma coisa maravilhosa. Ficar assim imóvel, só a perna mexendo incessantemente. É magia, é sim. Aproximar-se de si mesmo, como se aproximaria de outrém, é maravilhoso. Já pensou como seria se parássemos o tempo em uma frase, um verso?

    É. Ela queria, naquele momento, parar sua vida em um pequeno conjunto de palavras. Mas continuou a ler, já com depressão pelo fim do poema estar se aproximando.

    "Ah, mas se ela adivinhasse,
    Se pudesse ouvir o olhar"


    Sim, e se tudo fosse de se adivinhar? De súbito, pensou na Trigonometria, no Determinante, em Jorge Amado e em seus futuros filhos. A mente dela é assim, ora está aqui, ora está por lá. É assim, e sempre será.

    Os dedos calejados do piano largaram o papel em cima da mesa. Estava viva. Há muito tempo não pensava em si, uma epifania. É maravilhoso. Agora, voltaria de onde veio e continuaria sua vida escrevendo.

    Mas antes, terminou de ler o poema.

    "Já não terei que falar-lhe
    Porque lhe estou a falar..."


    Havia, finalmente, decidido se decidir.
     
  2. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

    Deveras bonito =)
     
  3. Lu Eire

    Lu Eire Usuário

    Muito obrigada. Eu gostaria de ter trabalhado mais nisso, mas saiu natural assim...
     
  4. StornMaker

    StornMaker Usuário

    Têm certas coisas que não precisam, ou podem, serem explicadas.
    Sentimentos têm uma definição, olhando no Aurélio está lá, e procuramos nos agarrar a essa impressão técnica.
    O que escreveu não sei se teria uma definição geral, talvez para pequenas partes tomadas de pouco em pouco de cada vez ( como as cores do arco-iris que se alternam mas não se pode dizer exatamente onde.
    E talvez seja uma boa comparação, pois como os artistas misturando cores e obtém outras novas cores e as vezes se embriagam nessas descobertas, seu conto? poema? poesia? nos faz deslizar para lá e para cá, entre uma cor e outra, entre um sentimento e outro.
    Meus parabéns, gostei muito...
     
  5. Tayana

    Tayana Usuário

    lindo...realmente lindo...:clap:
     

Compartilhar