1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Quando éramos a caça!!

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Almië, 27 Jan 2006.

  1. Almië

    Almië cute as a button

    Você já deve ter visto a cena pela TV: leões cercam em silêncio gazelas ou zebras que bebem água tranqüilamente num lago qualquer na África, de repente o grupo percebe a presença do predador e sai em disparada. Mas os leões avaçam em velocidade, até que uma patada certeira rasga a pele de um dos animais - em geral o filhote frágil e inexperiente. A seguir, uma mordida no pescoço tira a vida da presa, que em questão de minutos, está reduzida a uma carcaça que alimenta urubus.

    Agora imagine que, em vez de zebras ou gazelas, as vítimas fossem pessoas como nós. Então você estaria diante de uma história que relata a regra da vida de hominídeos e seus ancestrais por milhares e milhares de anos, a ponto de o terror de ser devorado por animais munidos de dentes afiados, ter moldado muito do que somos hoje - do facínio por leões e tigres à mania de viver em grupo. Quem afirma isso, é uma dupla de primatologistas americanos. Esqueça a velha imagem dos valentes homens das cavernas varando monstros com suas lanças e trazendo carne para casa. O ser humano , quase sempre, foi a caça!

    A tese está no livro Man, the Hunted (sem versão brasileira), lançado esse ano nos EUA. Nele, Donna Hart, da Universidade de Missouri, e Robert W. Sussman, da Universidade Washington, em Saint Louis, reuniram uma coleção de fatos saborosos (mais para os predadores do que para nós) sobre hominídeos ancestrais e nossos parentes mais próximos, os primatas. As conclusões não deixam muita margem para dúvida:na maior parte dos 7 milhões de anos que separam o homem de hoje do primeiro macaco que aprendeu a andar com duas pernas; nossa raça foi o prato principal.

    O debate, diga-se de passagem, não é exatamente novo. Até os anos 70, a visão dominante era de que, desde os primórdios, a humanidade aprendeu a virar o jogo contra os predadores. De lá para cá, alguns estudos reinterpretaram radicalmente fósseis que antigamente eram considerados a prova das atividades saguinolentas dos hominídeos. Dentro desses estudos, os dois pesquisadores começaram demostrando que os primatas são - e sempre foram - uma bela refeição no mundo animal. As pesquisas reuniram um calhamaço de dados sobre macacos e assemalhados - dos lêmures de Madagascar aos orangotangos - que foram parar no papo de predadores. O resultado dessa megacompilação é de deixar qualquer chimpanzé de pêlo em pé: nada menos do que 176 espécies de predadores apreciam um primata no espeto. A lista começa nos grandes felinos, como leões e leopardos, e passa por dezenas de aves, répteis e até tubarões do Sudeste Asiático que se alimentam de macacos que nadam no mangue. Hart afirma que nenhuma espécie de primata estudada, nem os musculosos gorilas, escapam de virar comida - aliás, uma das relíqueas mais arrepiantes desenterradas pela dupla, é um dedão inteiro de gorila achado entre as fezes de um leopardo. Na verdade, a taxa média de primatas predados gira em torno de 10% da população ao ano, a mesma que afeta o que poderíamos apelidar de espécies-almoço - aquelas presas típicas dos documentários no Discovery Channel, como antílopes, zabres e gazelas.

    Pior ainda, alguns grandes predadores pareciam ser especialistas em infernizar nossa família. Felinos e aves de rapina são os campeões dessa categoria. Tudo começou nos anos 20, quando o professor de anatomia Raymond Dart de pôs a estudar misteriosos fósseis pré-humanos na África do Sul, com idade entre 2 e 3 milhões de anos, batizados de Australopithecus africanus. Com base na infinidade de buracos, ranhuras, e traços de violência que encontrou nos ossos, Dart propôs que os Australopithecus se envolviam em muitos combates e banquetes canibais. Na mesma caverna, foram encontrados restos de babuínos e antílopes com as mesmas marcas - os especialistas achavam que essas ossadas provariam as habilidades de caçador dos hominídeos.

    Bastou uma pancadinha, no entanto, para pôr abaixo o castelo de cartas de Dart. Análises mais cuidadosas das caveiras esburacadas dos hominídeos, mostraram que os furos foram abertos pelos dentes afiados de leopardos pré-históricos. O encaixe é tão perfeito que dá para pegar a mandíbula de um bicho desses e juntá-la sem problemas aos crânios dos Australopithecus. Na verdade, tudo indica que o felino dava um jeito de se esgueirar para dentro das cavernas que os primatas usavam para passar a noite, e os devorava, como ainda acontece até hoje com os babuínos que moram lá. Ou seja, aqueles fósseis não eram restos de refeições humanas, eram as sobras do banquete de algum felino; dos quais nossos ancestrais não passavam da refeição.

    O perigo podia vir do ar também. Uma das coisa mais esquisistas encontradas num fóssil de bebê devorado, que foi localizado na África do Sul, é que sua mandíbula continuava no lugar original, coisa rara em animais que servem de alimentos para outros. Os ossos também apresentam renhuras por todo lado, como se a carne tivesse sido retirada com uma faca afiada. Uma boa olhada nos macacos regularmente devorados pelas águia-coroada, ave de rapina de grande porte na África, ajudou a elucidar o enigma. O bicho segue uma etiqueta cheia de frescuras na hora de se alimentar: com as garras, desbasta devargar a face da vítima para aproveitar ao máximo da carne.

    Quando se avança mais na história, até uns 400 mil anos atrás, chegamos à caverna chinesa de Zhoukoudian, habitada pelos Homo Erectus. Para os pesquisadores que costumavam classificar os humanos primitivos como caçadores e assassinos, a gruta era o paraíso: um conjunto de crânios horrivelmente mutilados, com a face toda detonada e a base arrancada - a imagem sugeria aos especialistas que os homens primitivos construíram ferramentas de pedras para extrair e comer o cérebro de seus inimigos assassinados. Novamente, a análise mais cuidadosa mostrou que esse cenário de pesadelo era bobagem: na verdade, as fraturas provavelmente foram obra de algum tipo gigantesco de hiena, capaz de colocar a cabeça inteira de um ser humano na boca, a fim de quebrar a base do crânio e chegar ao cérebro, gorduroso e nutritivo.

    E o que essa coleção de cenas humilhantes ensina sobre as nossas origens e nosso comportamento de hoje?? Os primatologistas Hart e Sussman acreditam que boa parte do comportamento e da fisiologia das pessoas de hoje nasceu da necessidade de não virar ração de leopardo. E isso vai de andar em grupos relativamente grandes e flexíveis até a facilidade em escalar árvores, que é permitida por nossa estrutura de braços e pernas.
    Seja como for, uma coisa é certa, toda vez que você sentir um friu na espinha ao ouvir o latido de um cachorro, ou passar pela jaula de tigres e leões no zoológico, lembre-se de que você pode estar diante de um trauma mal resolvido. Nosso reinado (quase) absoluto na Terra é bem recente.

    Essa reportagem faz parte da Revista Superinteressante, edição 218 - Outubro de 2005.
     
    Última edição: 27 Jan 2006
  2. Alucard

    Alucard Um completamente aleatório

    Nossa Almië, você escreveu tudo isso "na unha"? :eek:

    Isso é bem intrigante... :think:
    Faz com que a gente pense mais sobre tudo o que se fala sobre a "supremacia" do hominídeo. Aquelas coisas como o "Piteco" correndo atrás dos dinossauros (caçando-os! :lol: ) nos gibis do Maurício de Souza me fazem ver o quanto que nós pensamos ser superiores às outras espécies.

    A grande "question" é como a espécie começou a se fortalecer... Parece estranho, mais só assim começamos a ver(meio como psicólogos...) como que funciona a mente humana: desde os primórdios, o seu extinto de sobrevivência prevalecera. Por que nos parece estranho imaginarmos que ainda hoje, se te soltarem numa mata você vai fazer de tudo pra viver e, ao mesmo tempo, vai se borrar de medo ao topar com um animal selvagem. :tsc:

    Ah!!! Por que nunca me falaram isso antes! :dente:
    :mrgreen:
     
  3. Coiote

    Coiote Fallin´

    Hum..
    Será q isso tem a ver com o desenvolvimento da inteligência??? :think:
     
  4. Alucard

    Alucard Um completamente aleatório

    Então... é sobre isso que eu estava pensando... sobre a inteligência ter se baseado na necessidade de se manter vivo...

    Pode ser por isso que temos tantas pessoas que fazem QUALQUER coisa para se manterem onde estão... :think:
     
  5. Almië

    Almië cute as a button

    hUmm.. o que eu eu achei interessante é que na pesquisa não menciona o quanto o controle do fogo ajudou a diminuir esse banquete... :think: é claro que o fogo teve um papel determinante neste caso!!

    E de como essa divulgação do valente homem das cavernas está entranhada na nossa cultura... por exemplo, nos gibis como o Alucard falou!!
     
  6. .* Lady Arien *.

    .* Lady Arien *. Usuário

    Nesse caso há algum erro com meus antepassados,já que não consigo subir em árvores, não sinto medo de cachorros latindo,e nem tenho frios na espinha ao passar por jaulas com tigres,etc. Na verdade sinto pena dos tigres na jaula (não que eu esteja propondo que um deles venha morar na minha casa heheh).

    Mas o texto é bem interessante!
    Eu nunca pensei que os homens fossem os "que dominavam" naquela época. Os homens são e sempre foram fracos em relação aos animais,e essa diferença diminuiu por o homem ter inventado modos de domina-los,já que não possui presas e nem garras como as deles. mas possui inteligência,oq da uma grande vantagem lol
     
  7. Almië

    Almië cute as a button

    Eu também nunca pensei que fosse assim...

    Eu me referia a essa imagem de modo geral, do valente homem das cavernas que ainda persiste em livros, em filmes, e até de gibis :roll: Realmente o homem sempre foi mais fraco, e suas condições de subexistência eram bem precárias... é óbvio que ele teve de arrumar maneiras diversas de escapar do perigo, fabricando armas e talz...e assim seu instinto de sobrevivencia foi ficando mais desenvolvendo e ficando cada vez mais aguçado!!

    Mas muita gente ainda acredita nessa imagem errônea, que por alguns ainda é sustentada!!
     
  8. Coiote

    Coiote Fallin´

    Pensando bem,o fato do homem ser caça não pode ser uma das causas do desenvolvimento da inteligência por uma razão muito simples:a maioria dos animais também é caça e eles não desenvolveram inteligência.Mas deve ter afetado outros aspectos psicológicos..

    Acho q isso tem mais a ver com o fato de nós sermos animais,do q propriamente caça.

    Mas a gente tá atirando no escuro aqui.

    Quem tirou 10 em biologia ?:mrgreen:
     
  9. Almië

    Almië cute as a button

    Eu...quando eu estava no segundo grau!!! :joy:

    Eu não acho que tenha desenvolvido a inteligência por causa disso, mas essa condição de ser constantemente caçado ajudou a aprimorar suas defesas, sua percepção de animais, plantas, geografia,e até outros seres humanos semelhantes... e isso ajudou no seu desenvolvimento, andar em grupos, por exemplo...
     
  10. Alucard

    Alucard Um completamente aleatório

    Tem gente que se acha... :gotinha:
    :obiggraz:

    Mais deve-se, claro, considerar outros aspectos... como o desenvolvimento do cérebro humano ser maior do que os de outros animais. Sendo assim, unindo uma coisa com outra, pimba! Ttemos o fator desenvolvimento corporal + necessidade de existência = desenvolvimento da mente !

    :think:
    Então... a espécie realmente, dessa forma, passou por uns bocados nos primórdios... O pobre do Australopitecus... :tsc: :no:

    Sim... isso é que é o mais fantástico de tudo! A coisa está tão grudada na nossa civilização que parece impossível pensar de outra forma...
    Pode ser até que o próprio desenvolvimento da civilização humana excluiu esses fatos da história... a fim de mostar que o poderio mental é superior à força.

    O problema é a quebra do paradigma... :roll:
     
  11. .* Lady Arien *.

    .* Lady Arien *. Usuário

    Alguém aí citou que nos próprios gibis,como no caso do Piteco,os homens parecem ser valentes e caçar os animais,etc.
    Bom,é verdade que em muitas das histórias os homens iam caçar sim,mas eu,com minha própria experiência de leitora ávida de gibis da turma da mônica,posso dizer que na maioria das vezes o Piteco acabava se ferrando e tinha que fugir da suposta caça,e partia pra cima dos bichos menores,mas na hora de matar ficava com pena e adotava o animal :lol:
    Ou seja,ele não era tãão corajoso assim :roll:
     
  12. Alucard

    Alucard Um completamente aleatório

    Sim... mais não é essa a visão que eles querem que nós tenhamos? De que o homem antigo era valoroso, forte e destemido. Sendo ainda, ao memso tempo, bondoso com todos e respeitando os "animaizinhos"... :roll:

    Sei lá... acho que muita coisa é manipulada... de uma forma ou outra... :tsc:
     
  13. .* Lady Arien *.

    .* Lady Arien *. Usuário

    Pode ser. E até mesmo por causa do público a que a revista é voltada,que são as crianças no caso. Imagine piteco feio,curvado e com cara de poucos amigos,matando cruelmente bichos mais pequenos e em seguida comendo-os enquanto baba e se suja,etc Com certeza mtos pais iam "chiar" então acabam fazendo essas "adaptações" mesmo.
     
  14. Almië

    Almië cute as a button

    :yep:


    Mas não é só nos gibis, eu nunca vi um documentário mostrando os humanos primitivos sendo caçados e devorados... o único que eu vi até hoje, o qual mostra algo do gênero, é aquele filme "A Guerra do Fogo", acho que não é muito famoso, mas mostra dois indivíduos sendo comidos por um urso, eu acho...Mas é só esse, nunca vi um documentário a respeito disso... :think:
     
  15. Alucard

    Alucard Um completamente aleatório

    :clap:
    Que por sinal é um ÓTIMO filme!

    As pessoas deveriam fazer mais produções assim... :think: :tsc:
     
  16. Alialath

    Alialath Peter Griffin

    Uhmm acho que eu já vi esse filme também...é um que os homens tentam encontrar e produzir o fogo? Se for esse é realmente bom, tem uma ótima linguagem gestual.
     
  17. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Além do Fogo não bastava o homem ser valente, ele tinha que desenvolver o espírito de grupo, sua comunicação e trabalhar em equipe, pois pra caçar grandes animais era preciso o grupo se dispersar de forma organizada para encurralar a presa num determinado lugar e atacando em grupo os resultados eram mais eficazes.

    Se o ser humano fosse egoísta e individulista naquela época com certeza seria caça por muito tempo
     
  18. Almië

    Almië cute as a button


    E foi:yep:...mesmo desenvolvendo esse espírito de grupo!! O homem é, provavelmente, a criatura mais desprovida de "defesas"...não aguenta frio nem calor mt intenso, não possui garras afiadas, e quando nasce não sabe nem andar... não é de se admirar que servia, geralmente, de prato principal...:mrgreen:

    Ainda bem que nos resta a inteligência!!:issoaih:
     
  19. Verdade!
    A unica coisa que temos superior aos outros animais é a inteligencia :uhum:
     
  20. Alucard

    Alucard Um completamente aleatório

    Que analogia mais trágica essa não? :eek: :g:

    Isso é, quando sabemos utilizá-la...
    Porque não há nenhuma espécie na natureza que destrua o próprio meio ambiente e ecossistema em prol de motivos "fúteis"(que não impliquem em necessidade de existência).
    Desmatamento, poluição, etc etc...:tsc:
     

Compartilhar