1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Qual a melhor definiçao [literária] do que é o AMOR?

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Oakshield, 15 Fev 2004.

  1. Oakshield

    Oakshield Usuário

    "---- Me defina o que é o amor....
    ---- é... [interlocutor]
    ---- Não importa! a melhor definição não se compara ao beijo de moça enamorada!"
    (Machado de Assis)

     
  2. Eldarwen

    Eldarwen Usuário

    A definiçao do amor?

    Hum, talvez existam muitas respostas para essa pergunta... talvez seja algo muito forte que vc sinta por outra pessoa... talvez seja um simples sentimento que pode fazer com que pessoas façam coisas incriveis. Machado de Assis apresenta uma resposta bem simples, ele nao esta nem aí para a definiçao, ele nao se importa com isso e talvez a definião nao importe mesmo. Pra que saber a definiçao do amor? Talvez senti-lo seja suficiente e a única coisa importante. (A não ser q a pessoa seja um verdadeiro filosofo :mrgreen: ... mas isso nao vem ao caso) Muitos nao se importam, estao felizes com o que sentem, por que deveriam se preocupar em definir isso q estão sentindo ? Talvez aqueles que tenham esse sentimento frustrado pensem nisso, tentem definir isso e encontrar alguma explicaçao para sua falta de sucesso. Mas entao eu nao sei se é amor, acho q seria algo como uma obsessao.

    Deve ta meio enrolado, mas o q quero dizer é : Pra que o amor precisa ser definido? Não vejo necessidade nisso. O amor é um sentimento belo, existe para trazer felicidade e a partir do momento que se torna destrutivo nao é mais amor. Existe amor paternal, maternal, fraternal e etc, mas no final tudo é amor, a diferença só está na forma como demonstramos amor por uma pessoa. Vc ama seu irmao mas nao vai casar com ele.
     
  3. Oakshield

    Oakshield Usuário

    exato Eldarwen!

    mas muitos foram os poetas e filosofos e escritores que tentaram/tetam defini-lo...

    e cada um de nós gravou uma ou algumas definiçoes do amor com as quais concordamos... uma com a qual me identifico, foi akela que citei no primeiro post...

    qual será a dos demais membros? :o?:
     
  4. Hoviel

    Hoviel Usuário

    Amor é fogo que arde sem se ver;
    É ferida que dói e não se sente;
    É um contentamento descontente;
    É dor que desatina sem doer;

    É um não querer mais que bem querer;
    É solitário andar por entre a gente;
    É nunca contentar-se de contente;
    É cuidar que se ganha em se perder;


    É querer estar preso por vontade;
    É servir a quem vence, o vencedor;
    É ter com quem nos mata lealdade.


    Mas como causar pode seu favor
    Nos corações humanos amizade,
    Se tão contrário a si é o mesmo Amor?


    Luís de Camões (1524-1580)
     
  5. Níniel

    Níniel let's put a smile on that face

    Ui, roubou a minha ideia, Hoviel! :mrgreen:

    Bem, eu gosto muito desse poema da Camões, mas este penso que, apesar de não ser tão conhecido, também pode definr o Amor:

    Amor, que o gesto humano na alma escreve,
    Vivas faíscas me mostrou um dia,
    Donde um puro cristal se derretia
    Por entre vivas rosas e alva neve.

    A vista, que em si mesma não se atreve,
    Por se certificar do que ali via,
    Foi convertida em fonte, que fazia
    A dor ao sofrimento doce e leve.

    Jura Amor que brandura de vontade
    Causa o primeiro efeito; o pensamento
    Endoudece, se cuida que é verdade.

    Olhai como Amor gera, num momento
    De lágrimas de honesta piedade,
    Lágrimas de imortal contentamento.

    Luís de Camões

    Bonito, n? :grinlove: :grinlove:

    ------------
    Ih,ih! Lembrei de outro: :obiggraz:

    Quem diz que Amor é falso ou enganoso,
    Ligeiro, ingrato, vão desconhecido,
    Sem falta lhe terá bem merecido
    Que lhe seja cruel ou rigoroso.

    Amor é brando, é doce, e é piedoso.
    Quem o contrário diz não seja crido;
    Seja por cego e apaixonado tido,
    E aos homens, e inda aos Deuses, odioso.

    Se males faz Amor em mim se vêem;
    Em mim mostrando todo o seu rigor,
    Ao mundo quis mostrar quanto podia.

    Mas todas suas iras são de Amor;
    Todos os seus males são um bem,
    Que eu por todo outro bem não trocaria.

    Luís de Camões :grinlove:
     
  6. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    O Amor Bate na Aorta (Carlos Drummond de Andrade)

    Cantiga do amor sem eira nem beira,
    vira o mundo de cabeça para baixo,
    suspende a saia das mulheres,
    tira os óculos dos homens,
    o amor, seja como for,
    é o amor.

    Meu bem, não chores,
    Hoje tem filme de Carlito!

    O amor bate na porta
    O amor bate na aorta,
    fui abrir e me constipei.
    Cardíaco e melancólico,
    o amor ronca na horta
    entre pés de laranjeira
    entre uvas meio verdes
    e desejos já maduros.

    Entre uvas meio verdes,
    meu amor, não te atormentes.
    Certos ácidos adoçam
    a boca murcha dos velhos
    e quando os dentes não mordem
    e quando os braços não prendem
    o amor faz uma cócega
    o amor desenha uma curva
    propõe uma geometria.

    Amor é bicho instruído.

    Olha: o amor pulou o muro
    o amor subiu na árvore
    em tempo se estrepar.
    Pronto, o amor se estrepou.
    Daqui estou vendo o sangue
    que escorre do corpo andrógino.
    Essa ferida, meu bem,
    às vezes não sara nunca
    às vezes sara amanhã.

    Daqui estou vendo o amor
    irritado, desapontado,
    mas também vejo outras coisas:
    vejo corpos, vejo almas
    vejo beijos que se beijam
    ouço mãos que se conversam
    e que viajam sem mapa.
    Vejo muitas outras coisas
    que não ouso compreender...
     
  7. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Acho que se resume à primeira frase :grinlove:

    Balada do amor através das idades

    Eu te gosto, você me gosta
    desde tempos imemoriais
    Eu era grego, você troiana
    troiana, mas não Helena.
    Saí do cavalo de pau
    para matar seu irmão.
    Matei, brigamos, morremos.

    Virei soldado romano,
    perseguidor de cristãos.
    Na porta da catacumba
    encontrei-te novamente.
    Mas quando vi você nua
    caída na areia do circo
    e o leão que vinha vindo,
    dei um pulo desesperado,
    e o leão comeu nós dois.

    Depois fui pirata mouro,
    flagelo da Tripolitânia.
    Toquei fogo na fragata
    onde você se escondia
    da fúria do meu bergatim.
    Mas quando ia te pegar
    e te fazer minha escrava,
    você fez o sinal da cruz
    e rasgou o peito a punhal...
    Me suicidei também.

    Depois (tempos mais amenos)
    fui cortesão de Versalhes,
    espirituoso e devasso.
    Você cismou de ser freira...
    Pulei muro de convento
    mas complicações políticas
    nos levaram à guilhotina.

    Hoje sou moço moderno,
    remo, pulo, danço, boxo,
    tenho dinheiro no banco.
    Você é uma loura notável,
    boxa, dança, pula, rema.
    Seu pai é que não faz gosto.
    Mas depois de mil peripécias,
    eu, herói da Paramount,
    te abraço, beijo e casamos.
     
  8. Marillë

    Marillë Usuário

    só esse verso de Camões define tudo...
     
  9. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Para mim define melhor o metanol do que o amor :eh:
     
  10. Hoviel

    Hoviel Usuário

    ...então precisa rever o seu conceito de amor? Qual é a sua melhor definição?
     
  11. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    eu estava brincando... :doh:
     
  12. Hoviel

    Hoviel Usuário

    eu tb...desculpe se não pareceu! :oops:
     
  13. ::Cuca::

    ::Cuca:: Usuário

    Como muitos falaram, Camões definiu muito bem!

    "Que dias há que n'alma me tem posto
    um não sei quê, que nasce não sei onde,
    vem não sei como, e doi não sei porquê."
     
  14. Bem, faz TEMPOS que não posto aqui
    mas vi esse post e logo me lembrei do poema de Camões que a Hoviel citou
    Grande definição pra mim é este poema, mais o soneto da fidelidade de vinícius de moraes:

    De tudo ao meu amor serei atento
    antes, e com tal zelo e sempre e tanto
    que mesmo em face do maior encanto
    dele se encante mais meu pensamento

    quero vivê-lo em cada vão momento
    e em seu louvor hei de espalhar meu canto
    e rir meu riso e derramar meu pranto
    ao seu pesar ou seu contentamento

    e assim, quando mais tarde me procure
    quem sabe a morte, angústia de quem vive
    quem sabe a solidão
    fim de quem ama

    eu possa me dizer do amor (que tive) :
    que não seja imortal, posto que é chama
    mas que seja infinito enquanto dure

    (se eu errei alguma coisa podem me corrigir pq to escrevendo de cabeça)

    uma frase que eu sempre repito pra todas as pessoas que eu amo são os dois últimos versos desse soneto
    eles dizem tudo... :grinlove: (apesar de haverem várias definições para o amor)

    Até mais
    :kiss:
     
  15. Marillë

    Marillë Usuário

    é verdade mas a melhor mesmo é Camões, é o sentimento mais contrario a si proprio.
     
  16. Oakshield

    Oakshield Usuário

    se tu me amas
    ama-me baixinho
    nao grites de cima dos telhados, deixa em paz os passarinhos
    deixe em paz a mim
    se me queres enfim
    tem que ser bem devagarinho, amada
    pois a vida é breve
    e o amor mais breve ainda....

    (junqueira freire *se nao me engano*)
     
  17. As sem-razões do amor
    Carlos D. de Andrade

    Eu te amo porque te amo.
    Não precisas ser amante,
    e nem sempre sabes sê-lo.
    Eu te amo porque te amo.
    Amor é estado de graça
    e com amor não se paga.
    Amor é dado de graça,
    é semeado no vento,
    na cachoeira, no eclipse.
    Amor foge a dicionários
    e a regulamentos vários.
    Eu te amo porque não amo
    bastante ou demais a mim.
    Porque amor não se troca,
    não se conjuga, nem se ama.
    Porque amor é amor a nada,
    feliz e forte em si mesmo.
    Amor é primo da morte,
    e da morte vencedor,
    por mais que o matem (e matam)
    a cada instante de amor.


    ou então esse texto de um autor desconhecido:

    Contam que uma vez se reuniram todos os sentimentos e qualidades dos homens em um lugar da terra. Quando o ABORRECIMENTO havia reclamado pela terceira vez, a LOUCURA, como sempre tão louca, lhes propôs:
    - Vamos brincar de esconde-esconde?
    A INTRIGA levantou a sobrancelha intrigada e a CURIOSIDADE sem poder conter-se perguntou:
    - Esconde-esconde? Como é isso?
    - É um jogo, explicou a LOUCURA, em que eu fecho os olhos e começo a contar de um a um milhão enquanto vocês se escondem, e quando eu tiver terminado de contar, o primeiro de vocês que eu encontrar ocupará meu lugar para continuar o jogo.
    O ENTUSIASMO dançou seguido pela EUFORIA.
    A ALEGRIA deu tantos saltos que acabou por convencer a DUVIDA e até mesmo a APATIA, que nunca se interessava por nada. Mas nem todos quiseram participar:
    A VERDADE preferiu não esconder-se. Para que? Se no final todos a encontravam?
    A SOBERBA opinou que era um jogo muito tonto (no fundo o que a incomodava era que a idéia não tivesse sido dela) e a COVARDIA preferiu não arriscar-se.
    - Um, dois, três, quatro - Começou a contar a LOUCURA.
    A primeira a esconder-se foi a PRESSA, que como sempre caiu atrás da primeira pedra do caminho.
    A FÉ subiu ao céu e a INVEJA se escondeu atrás da sombra do TRIUNFO, que com seu próprio esforço tinha conseguido subir na copa da árvore mais alta.
    A GENEROSIDADE quase não consegue esconder-se, pois cada local que encontrava, lhe parecia maravilhoso para algum de seus amigos: Se era um lago cristalino, ideal para a BELEZA. Se era a copa de uma árvore, perfeito para a TIMIDEZ. Se era o vôo de uma borboleta, o melhor para a VOLÚPIA. Se era uma rajada de vento, magnífico para a LIBERDADE. E assim acabou escondendo-se em um raio de sol.
    O EGOÍSMO, ao contrário, encontrou um local muito bom desde o início. Ventilado, cômodo, mas apenas para ele.
    A MENTIRA escondeu-se no fundo do oceano (mentira!..., na realidade, escondeu-se atrás do arco-íris) e a PAIXÃO e o DESEJO, no centro dos vulcões.
    O ESQUECIMENTO, não me recordo onde se escondeu, mas isso não é o mais importante.
    Quando a LOUCURA estava lá pelo 999.999, o AMOR ainda não havia encontrado um local para esconder-se, pois todos já estavam ocupados, até que encontrou uma rosa e, carinhosamente, decidiu esconder-se entre suas flores.
    - Um milhão, contou a LOUCURA e começou a busca.
    A primeira a aparecer foi a PRESSA apenas a três passos numa pedra. Depois, escutou-se a FÉ discutindo com Deus, no céu sobre zoologia. Sentiu vibrar a PAIXÃO e o DESEJO nos vulcões. Em um descuido encontrou a INVEJA e, é claro, pôde deduzir onde estava o TRIUNFO. O EGOÍSMO, não teve nem que procurá-lo. Ele sozinho saiu disparado de seu esconderijo que na verdade era um ninho de vespas.
    De tanto caminhar, sentiu sede e ao aproximar-se de um lago, descobriu a BELEZA. A DUVIDA foi mais fácil ainda, pois a encontrou sentada sobre uma cerca sem decidir de que lado esconder-se. E assim foi encontrando a todos.
    O TALENTO entre a erva fresca, a ANGUSTIA em uma cova escura, a MENTIRA atrás do arco-íris (mentira!..., estava no fundo do oceano) e até o ESQUECIMENTO, de que já havia esquecido que estava brincando de esconde-esconde.
    Apenas o AMOR não aparecia em nenhum local. A LOUCURA procurou atrás de cada árvore, em baixo de cada rocha do planeta e em cima das montanhas. Quando estava a ponto de dar-se por vencida, encontrou um roseiral. Pegou uma forquilha e começou a mover os ramos, quando no mesmo instante, escutou-se um doloroso grito. Os espinhos tinham ferido o AMOR nos olhos. A LOUCURA não sabia o que fazer para desculpar-se. Chorou, rezou, implorou, pediu perdão e até prometeu ser seu guia. Desde então, desde que pela primeira vez se brincou de esconde-esconde na Terra:
    O AMOR é cego e a LOUCURA sempre o acompanha.


    ou ainda esse outro...tb de autoria desconhecida:

    Você está sozinho...
    Você e a torcida do Flamengo.
    Em frente a tv, devorando dois pacotes de Doritos, uma caixa de bombom..., um pacote de bolachas..., 1 litro de sorvete...., enquanto espera o telefone tocar.
    Bem que podia ser hoje, bem que podia ser agora, um amor novinho em folha.
    Trimmm! É a sua mãe, quem mais poderia ser?
    Amor nenhum faz chamadas por telepatia. Amor não atende com hora marcada.
    Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase meio"galinha", sem disposição para relacionamentos sérios.
    Daí, ele passa batido e você...., nem aí.
    Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido da vida, com medo de sofrer de novo, desconfiado, cheio de inseguranças....
    O amor dá: "meia-volta, volver".
    Por que o amor nunca chega na hora certa?
    Podia ser agora por exemplo, que você está de banho tomado e camisa jeans.
    Agora que você está se achando bonito(a), em forma...
    Agora que você está empregado(a).
    Agora que você pintou o apartamento, ganhou um porta-retrato e começou a gostar de jazz, a fazer ginástica...
    Agora que você está com coração "`as moscas" e morrendo de frio.., ai que frio!!!.
    O Amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina.
    Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga e não repara em outro alguém que só tem olhos pra você.
    Ou então, fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana.
    Toda a sua turma está lá, azarando-se uns aos outros.
    Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, ou no supermercado para comprar Doritos, bombom, bolachas e sorvete..., sem prever que ali mesmo, você irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida.
    O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa.
    O jeito é direcionar o radar para norte, sul, leste e oeste.
    Seu amor pode estar no corredor do supermercado, pode estar impaciente na fila de um banco, na locadora, na igreja, na padaria, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando sozinho dentro de um carro.
    Pode estar aqui mesmo, no computador, dando o maior mole, pode estar já tão próximo de ti...
    O Amor está em todos os lugares, você que não tem observado bem...., procurado direito.
    A primeira lição está dada: o amor é onipresente.
    Agora a segunda: onipresente, mas é imprevisível.
    Jamais espere ouvir "eu te amo" num jantar a luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo no aniversário de namoro...
    O amor odeia clichês.
    Você vai ouvir "eu te amo" numa terça-feira, de chuva..., às quatro da tarde, depois de uma discussão, ou quando você menos esperar..., assim, "do nada"..., e as flores vão chegar num dia qualquer, apenas para informar-lhe como você é especial para alguém, assim... sem um motivo ou data certa,
    estipulada.
    Diga isso para um amigo(a) seu...
    Pode ser que ele(a) esteja sozinho, precisando ouvir algo confortante, animador...., ou mesmo para aqueles amigos(as) que já encontraram o grande Amor de suas vidas, apenas para lembrá-los de valorizá-lo ainda mais.
    Espalhe que o amor não é banal, é FUNDAMENTAL..., e, que embora estejam distorcendo o sentido verdadeiro dele nos tempos modernos, ELE EXISTE e é o ingrediente mais importante da poção mágica da FELICIDADE.

    :grinlove:
     
  18. Citando livremente
    "O amor não é olhar um para outro, mas olhar juntos na mesma direção"
    Saint Exupery
     
  19. * Lilyris *

    * Lilyris * Usuário

    Exatamente

    Eu li um livro chamado "O Diario de Ana Maria" em que citava uma parte essa frase, e explicava melhor uma definição do amor.
    Infelizmente já devolvi o livro para a biblioteca, mas quem tiver a oportunidade de ler.. fica mais interessante apartir de qdo ela faz 17 anos (ou 16..)

    Mas vou tentar explicar +/- o que eu entendi...

    Falava que amor era se doar aos outros, se esquecer pelos outros.
    quando estamos com amigos, dizemos que gostamos deles, que amamos eles... mas na verdade na maioria das vezes, nós nao gostamos deles, e sim gostamos da companhia, da sensação que eles fazem nos sentir... ou seja, nós gostamos de nós mesmos. Nao gostamos da idéia de eles se afastarem da gente, de não falarem mais com a gente, de mudar de comportamento.. porque isso é ruim para nós, mas tvz não para eles.
    Amor está muito mais profundo do que a mera paixão, atração e sensibilidade.
    Amar seria você se 'esquecer' para fazer o bem dos outros.. seja lá o que for melhor a outra pessoa, é querer apenas o bem dela, ela estando perto ou longe da gente, seja com outra companhia...

    A definição que eles colocaram no livro é bem interessante e creio que realista.. só que realista até demais :wink:
     
  20. Ailinel

    Ailinel Usuário

    Trecho de "Este inferno de amar", de Almeida Garret:

    "Este inferno de amar - como eu amo!
    Quem mo pôs aqui n'alma... quem foi
    Esta chama que alenta e consome,
    Que é a vida - e que a vida destrói -

    Como é que se veio a atear,
    Quando - ai quando se há-de ela apagar?"
     

Compartilhar