1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Prefeitura adia edital, mas pela 1ª vez mostra estudo vencedor do Pacaembu

Tópico em 'Esportes' iniciado por Fúria da cidade, 18 Jul 2018.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Estádio do Pacaembu em projeto do Consórcio Novo Pacaembu, vencedor do PMI da prefeitura

    A prefeitura de São Paulo adiou a abertura dos envelopes com as propostas a concessão do Complexo Esportivo do Pacaembu. O ato que encerra o edital internacional deveria ocorrer nesta quarta-feira, quase dois meses depois do lançamento do edital, mas foi adiado para 16 de agosto. Tudo para que a prefeitura adequasse o documento a apontamentos feitos pelo Tribunal de Contas do Município (TCM).

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Um desses apontamentos era a falta de clareza, no edital, com relação ao projeto vencedor do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI). Nesta etapa da concessão, a prefeitura recebeu estudos feitos por consórcios e empresas do ramo de gestão de arenas. O do Consórcio Novo Pacaembu, liderado pela Arena Assessoria de Projetos, foi considerado vencedor e deveria nortear o edital.
    Mas, quando o edital foi publicado, em maio, o estudo teve pouco espaço. Tanto é que no caderno de encargos, consta que a demolição do Tobogã é “admissível'', assim como a construção de uma cobertura para o estádio. Parte pequena do estudo foi aproveitada.

    Agora, após os apontamentos do TCM, porém, o estudo passa a fazer parte da documentação pública do edital (
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ). É de lá que vem a imagem que ilustra essa reportagem. Pelo projeto do Consórcio Novo Pacaembu, o Tobogã seria demolido e daria lugar a uma área de convivência que ligaria os dois lados das arquibancadas. O setor também interligaria o estádio e o complexo poliesportivo, demanda dos conselhos de preservação do patrimônio histórico.

    O estudo vencedor do PMI considera que as reformas obrigatórias do Complexo do Pacaembu vão custar R$ 53,6 milhões ao concessionário, sendo que só as obras no estádio passariam de R$ 30 milhões. Além disso, outros R$ 166 milhões precisariam ser gastos nas obras opcionais – o que não inclui cobertura, uma vez que isso não faz parte do projeto.

    O valor é diferente do informado pela prefeitura. Em maio, ao Olhar Olímpico, a secretaria de Desestatização informou que a expectativa é de que as obras obrigatórias custem R$ 70 milhões e que, somando as opcionais, o investimento chegue a R$ 270 milhões.

    No edital consta que o valor total do contrato é de R$ 647 milhões, considerando os valores estimados dos investimentos obrigatórios, dos custos operacionais obrigatórios, além da outorga fixa e variável. Será pela oferta de outorga fixa (luvas de contrato) que será escolhido o vencedor. O valor mínimo agora é de R$ 34,8 milhões, pagos em 10 parcelas, do quarto ao 13º meses de contrato. O que exceder isso precisa ser pago à vista, antes da assinatura.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Pelo projeto do Consórcio Novo Pacaembu, Tobogã daria lugar a uma esplanada, que pode receber shows e eventos diversos

    Receitas


    Ainda que o Pacaembu tenha gerado uma renda de R$ 2,4 milhões à prefeitura no ano passado, entre aluguéis do estádio para jogos e de outras áreas, o Novo Pacaembu estima que possa arrecadar uma média de R$ 6,1 milhões ao ano só com o estádio. Para isso, fez uma projeção com oito jogos do Palmeiras por ano no Pacaembu, além de 10 do Santos, cinco do São Paulo e cinco de outros times. A ideia é cobrar 20% da renda bruta.

    No total, o projeto vencedor do PMI estima que possa ter R$ 61 milhões anuais de receitas com o Pacaembu. Seriam R$ 19,8 milhões em locações para eventos, R$ 16,4 milhões com locações de áreas comerciais, R$ 13,2 milhões com marketing, R$ 4,8 milhões com estacionamento, R$ 4,5 milhões com venda de alimentos e bebidas e outros R$ 3 milhões com um clube de vantagens. Ao mesmo tempo, a manutenção do Pacaembu subiria para R$ 34 milhões ao ano – isso sem considerar o custo do novo empreendimento.

    ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

    Essa nova concepção de projeto pro Pacaembu me agradou bastante.

    Originariamente, onde hoje é o "Tobogã" ali era uma Concha Acústica e se for demolido e feito um espaço pra grandes apresentações, ao menos o estádio não ficará fadado a ser um elefante branco.
     

Compartilhar