• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Preconceito contra nerds

Esse é um texto que eu li há muitos anos, mas só agora consegui reencontrar. Ele é dedicado a todo mundo que já recebeu um olhar torto quando disse para alguém que era nerd, ou que já foi chamado disso, como se fosse um xingamento.

Eu já me vi várias vezes em situações como esta, felizmente nunca por parte dos meus pais. E, felizmente, sempre por parte de pessoas que não fizeram a menor diferença na minha vida. ^^v


MÃE: Calma, Astolfo. Isso tudo pode ser um grande engano.
PAI: Vc sabe que não, Helena.
Entra o filho na sala.
FILHO: Pai, mãe, e aew.. Que tem pro jantar?
Os pais ficam mudos. A mãe, aflita. O pai, cara amarrada, sentado no sofá. Ambos olhando pro filho.
FILHO: Credo, que caras são essas?
PAI: Jorge Eduardo, um amigo seu ligou. Era o "Tarrasque", ou algo assim.
O filho arregala os olhos.
PAI: Ele disse pra vc levar "coca-cola de 2 litros e cheetos extras" hoje à noite, que "a coisa vai durar".
FILHO: Ah, sim, pois é... o Tarrasque ligou, né? E ele disse.. isso... Sabe o que é pai, a gente vai numa noitada na Continental hoje e..
PAI, irônico: E vão levar coca de 2 litros e cheetos?
MÃE: Calma, Astolfo.[tomando a palavra] Jorginho, seu pai entrou no seu quarto e mexeu nas suas coisas. Ele achou isto.
A mãe joga um objeto pequeno na mesa. Um cubo. Numerado. Azul.
MÃE, continuando: Eu disse pra ele que era do Luquinhas, que era do Banco Imobiliario dele, ou algo assim. E é isso mesmo, não, filho? Esse dado é do Luquinhas, não?
FILHO, respirando fundo: Não, mãe. Esse dado é meu. Eu tô com um monte desses na minha mochila, agora.
MÃE: E pra que vc usa dados, filho?
FILHO: Pra jogar RPG.
Silêncio. Tensão.
PAI: O que? Mais o que foi que você disse, rapaz? Anda, responde, Jorge Eduardo!
FILHO, com medo: Isso que o senhor ouviu, pai. Eu sou RPGista.
MÃE: Meu filho! Desde quando? Des-de quan-do voce sai com essas pessoas, o tal do Tarrasque, pra fazer essas coias?
FILHO: Desde a 8a serie.
PAI: Jorge Eduardo, preste atenção. Outro dia eu liguei pro seu colégio. Estava preocupado porque vc ficava muito em casa. Sabe o q eles disseram? Que você tira as melhores notas da sala, mas que as vezes eh meio "recluso".
MÃE: Ouça seu pai, filho. Nos te demos um Tempra 4 portas pra você sair por aí, com aquelas garotas fáceis, ir em boates caras da moda, cheirar cocaina, viver uma adolescencia sem sentido nem massa encefálica, como um jovem normal. E como é que você nos retribui isso? Passando as noites de sexta em casa, se divertindo aprendendo Álgebra, saindo todo sábado pra jogar RPG e dizendo que ia ficar com a Aninha.
FILHO, voz tremula: Mas eu estava com a Aninha. Ela tbm joga. Faz uma clériga meio-elfa level 16.
PAI: O que, a Aninha? Olha o que você esta falando, rapaz! A Aninha é filha do Vitor, meu colega na Aeronáutica. Tenente Vitor. Conheço o pai dela desde o Colégio Militar. Um homem de pura integridade.
MÃE: Você sai praqueles.. pra-que-les.. lugares de Nerd?
FILHO: Bom.. vou falar duma vez... Lembra quando eu pedia uma grana pra ir pro Shopping Beira-Mar, ir comer MacTrashes na praça de intoxicação? Eu na verdade ia pra Dragon's House, jogar RPG com meu grupo. Pô, entendam, é uma campanha que ja faz 2 anos que...
PAI: E todo dinheiro que eu pus na tua mão pra vc comprar roupas de grife, pagar o Jiu-Jitsu, alimentar seu PitBull, pagar a mensalidade caríssima do club, o celular digital?
FILHO: D&D 3a edição, Mago a Ascenção, GURPS Fantasy, alem dum monte de dados.
PAI: Não, não! É demais pra mim.
MÃE: Calma, Astolfo. Olha a ponte de safena. Calma.
FILHO, explodindo em lagrimas: Que droga, pessoal. Eu sou assim. Eu sou Nerd. Faz parte da minha natureza. Eu não pedi pra nascer assim. Um dia, na 6a serie, eu percebi que gostava mais de ficar estudando do que de chutar uma bola com um monte de homens suados ao redor. É algo, sei lá, meu. É minha natureza.
O pai arremesa a mão espalmada e derruba o filho com um vigoroso tapa nas fuça.
MÃE: Astolfo, não! [diz a mãe, lançando-se no filho para um abraço] Ele ainda é nosso filho.
PAI: Filho meu ele não é. Não mais. Vá pro seu quarto, moleque, enquanto você ainda tem um. E saiba que se você ainda quiser morar nesta casa, vai ter que largar essas nerdices, e começar a tirar notas baixas, ficar de recuperação, engravidar alguém, espancar caras em bares, viver como um filho meu tem que viver.
Jorge Eduardo levanta-se, cabeça baixa, e assim vai pro seu quarto, sozinho.
MÃE, virando-se pro marido: Isso é coisa da idade. Depois passa. Ele não faz nem noção do que esta fazendo.
O pai em silencio.
MÃE: Deve ser má companhia. Esse tal de Tarrasque. Má influência. Nosso filho é um bom menino, Astolfo.
PAI: Vou por ele num colégio interno na Suíça. Um lugar bem linha dura, de disciplina fodida e opressora que o ensine a ser uma máquina acéfala de obedecer ordens de superiores. Foi a melhor coisa que meu pai fez por mim e...
Nesse instante, Jorge Eduardo volta, mas irreconhecível pra seus pais, que ficam de queixos caidos. Ele usava uma camiseta de "Trevas", um boné escrito "Você sabe a derivada de integral de 'x' a quarta? Me pergunte", carregava livros de RPG misturados com romances europeus do seculo XIX e poemas de William Blake. Na mochila via-se livros escolares socados sem jeito, em meio a uma infinidade de papéis e lápis. Tênis velho, surrado, cadarços soltos, calça jeans barata, camiseta desbotada. Irreconhecível. O pai apenas senta no sofa e fica imovel, vendo aquilo.
FILHO: Pai, mãe, eu amo vocês, e espero que um dia vcs me entendam, e me aceitem como sou.
Dizendo isso, abre a porta da rua e sai. Nao foi de Tempra. Prefiriu pegar um busão.

--------------

HELENA: Eu nunca... nunca pensei que viria a um lugar como este. Estou aqui pelo meu filho. Este é ele [mostra uma foto de Jorge Eduardo, numa festinha badalada, cercado de garotas faceis] Jorge Eduardo. Tem 16 anos e.. e.. joga RPG há 3. Ele era um menino bom. Bom [começa a chorar]
COORDENADOR: Vc esta entre amigas, Helena. Todas aqui tem filhos no RPG.
Helena olha ao redor. Todas presentes, com seus penteados caríssimos, roupas copiadas da novela das 8, jóias que não eram bijuterias, maquiagem pesada, algumas com poodles rosas a tiracolo e todas com bolsa de couro de jacaré. De repente, reconhece uma amiga, ao seu lado. Lurdes, que lhe abraça, fraternalmente. Também tinha um filho no RPG.
HELENA, em pensamentos: "Onde foi que essa vadia comprou esse casaco de Mink? Essa cadela!"

Não sei se precisa botar a fonte, porque é um daqueles textos que aparecem em vários sites. Mas peguei ele no http://anapedretti.blog.uol.com.br/
 

Indily

Balrog de Pantufas Fofas
Usuário Premium
Eu ri horrores!!!
Num jogo RPG, mas qdo falo de algum livro que ngm conhece, ou qdo na frente da minha mãe chega uma msg de gente q conheci na net em foruns ou mirc ou qualquer coisa q não envolva vida social agitada, ela me olha meio de atravessado como se eu fosse um ET...
Já acostumei... nem ligo pra falar a verdade, até pq pelos padrões normais num me encaixo no nivel nerd, tenho uma vida bem agitada.... mas se sendo assim, eu aguento piadinhas e olhadas feias da mãe e de amigos, imagina quem realmente se empenha...

Muito bom o texto!
 

Kainof

Sr. Raposo
Usuário Premium
Nos te demos um Tempra 4 portas pra você sair por aí, com aquelas garotas fáceis, ir em boates caras da moda, cheirar cocaina, viver uma adolescencia sem sentido nem massa encefálica, como um jovem normal.
PAI: E todo dinheiro que eu pus na tua mão pra vc comprar roupas de grife, pagar o Jiu-Jitsu, alimentar seu PitBull, pagar a mensalidade caríssima do club, o celular digital?

:rofl:

Bem legal o texto.

Acho que o pior preconceito que eu já sofri por ser nerd era o da minha irmã. Meio patricinha. Sempre tivemos uma quase vergonha de dizer que éramos irmãos na adolescência...

No mais, olham estranho, fazem reprovações, falam piadinhas, chamam de esquisito e ant-social, mas nada de mais.
 

Ben Kenobi

Aprendendo com um
Sofro Tenho preconceito de alguns amigos por preferir fica na net ou jogando em sábados a noite, do que ir pra festinhas.:roll:
Quando falei que ia joga RPG, um amigo meu brincou" Esse é Nerd mesmo, num tem mais jeito":lol:

EDITADO:
 
Última edição:

Deriel

Administrador
Tenho preconceito de alguns amigos por preferir fica na net ou jogando em sábados a noite, do que ir pra festinhas.:roll:

Ué, pq? Opção do cara, oras. A diversão de uns é o infernos dos outros, seu preonceituoso :obiggraz: Acho que uma das coisas mais chatas desse mundo é, prinicalmente, a TV e seus programas dizendocomo as pessoas sevem se divertir ou onde elas devem ir pra curtir ou o que "é manero"
 

Babth

Usuário
ahuahu!! O q achei mais engraçado é q os pais preferem q o filho seja traficante, fodido, do um cara legal e estudado!! Bacana!! :lol:
 

Devotchka

Usuário
Pior que tem pai que é assim. Tenho um bom exemplo em casa, apesar de ser em outra situação.

E quanto a Nerds, não tenho preconceito. Aliás, acho-os super legais. Confesso que tenho um certo preconceito é com playboys e afins. A maioria me enoja.
 
Tenho preconceito de alguns amigos por preferir fica na net ou jogando em sábados a noite, do que ir pra festinhas.:roll:
Quando falei que ia joga RPG, um amigo meu brincou" Esse é Nerd mesmo, num tem mais jeito":lol:

Já parei de ligar pro que falam de mim, não tô nem aí, só sei que eles perdem tempo saindo e se drogando :lol: (brincadeira).

Minha Mãe nem liga muito se passo os fins de semana no pc, jogando MMOrpg, postando em um fórum, só saindo de casa pra ir pra escola e judô, se tenho poucos amigos e etc.

Às vezes somos temidos pela ignorância da maioria das pessoas, as pessoas pensam que só por que fico no computador estou invadindo sistemas, planejando dominar o mundo ou craqueando senhas de msn (já parei com isso depois de receber umas 600 ameaças:lol:).

Por isso que não se vê Nerd dirigindo bêbado, brigando em boate ou praticando vandalismos. Por que preferimos ficar na frente do Pc.:lol:
 
Última edição:

Ben Kenobi

Aprendendo com um
Opa, me expressei errado xD
Sofro preconceito por preferir ficar em casa a ir em festas.

Minha mãe também é assim, Thorin, pra ela não importa aonde eu fico, na verdade meus pais até gosta que eu fico em casa de noite.Só saindo pro meu curso, e o Kung Fu.
 

Roy Batty

"Inconsertável"
Às vezes somos temidos pela ignorância da maioria das pessoas, as pessoas pensam que só por que fico no computador estou invadindo sistemas, planejando dominar o mundo ou craqueando senhas de msn (já parei com isso depois de receber umas 600 ameaças:lol:).

Por isso que não se vê Nerd dirigindo bêbado, brigando em boate ou praticando vandalismos. Por que preferimos ficar na frente do Pc.:lol:
Exatamente, Thorin!!! É pura falta de compreensão por causa da falta de conteúdo mesmo. Acho que pelo fato de nós sermos tão chegados ao prazer de adquirir conhecimento de todo tipo, desenvolvemos um comportamento mais "anti-social" pq não encontramos na multidão, um ambiente familiar, com o qual nos sintamos partes dela e com assuntos em comum. É difícil vc sentar numa rodinha onde todo mundo fala de coisas estúpidas e vc tá lá querendo falar de Kant, da Revolução Francesa ou de mitologia....

Mas eu nem ligo mesmo para o que as pessoas acham de mim, afinal, não sou regido por regras hipócritas superficiais de conduta ...

Opa, me expressei errado xD
Sofro preconceito por preferir ficar em casa a ir em festas.

Minha mãe também é assim, Thorin, pra ela não importa aonde eu fico, na verdade meus pais até gosta que eu fico em casa de noite.Só saindo pro meu curso, e o Kung Fu.
Eu tbm sou assim....ODEIO baladas, ir a Casas Noturnas...sou caseiro e gosto de curtir a infinidade de possibilidades que a internet, o cinema e a música oferecem! Prefiro assistir às minhas versões estendidas da trilogia no final de semana pelo menos 2 vezes por mês. Nos outros finais de semana fico curtindo algum disco bacana ou na net mesmo, aqui no forum ou lendo um livro! :joy:

Mas quando eu resolvo sair, no máximo vou a um Pub com três ou quatro amigos, num lugar calmo ou onde existam pessoas com os mesmos interesses....
 
Última edição:
Mas quando eu resolvo sair, no máximo vou a um Pub com três ou quatro amigos, num lugar calmo ou onde existam pessoas com os mesmos interesses....

Esperaí, para tudo!

Existem lugares onde você encontra pessoas com interesses nerds? Eu sempre achei que os nerds vivessem espalhados por aí e só agora, com a invenção da internet, pudessem encontrar outros com os mesmos interesses. o_O"

Favor listarem os lugares onde se encontram os nerds, porque eu nunca vi. Só se for na Comix, Devir ou lugares assim, não? o_O"
 

Ben Kenobi

Aprendendo com um
Acho que uma das coisas mais chatas desse mundo é, prinicalmente, a TV e seus programas dizendocomo as pessoas sevem se divertir ou onde elas devem ir pra curtir ou o que "é manero"

Vide o novo programa da SBT, se a pessoa usa uma roupa e se sente bem deixa ela viver do jeito dela, não tem que da palpite.
 

Roy Batty

"Inconsertável"
Esperaí, para tudo!

Existem lugares onde você encontra pessoas com interesses nerds? Eu sempre achei que os nerds vivessem espalhados por aí e só agora, com a invenção da internet, pudessem encontrar outros com os mesmos interesses. o_O"

Favor listarem os lugares onde se encontram os nerds, porque eu nunca vi. Só se for na Comix, Devir ou lugares assim, não? o_O"
Na verdade, não falei "com interesses nerds"....basta que seja um lugar onde as pessoas gostem das mesmas coisas (estilo de música, de comportamento, de "padrão intelectual")...geralmente, podemos encontrar lugares assim com facilidade, como um local tradicionalmente frequentado por pessoas cuja maioria se encaixa num determinado estilo. Vc nunca encontra, por exemplo, pessoas que frequentam Pubs que tbm frequentam Casas Noturnas. Pelo menos eu nunca tive essa infelicidade...e nos Pubs que eu frequento só encontro gente realmente legal, com conteúdo e humor...e geralmente a maioria dessas pessoas conversa sobre o livro que está lendo ou sobre as diferenças entre Aretha Franklin e Etta James...essas coisas semi-nerds...)

Ainda mais com o advento da internet, como vc mesmo disse, facilita de sobremaneira encontros desse tipo.

Mas antes de existir a net ( lá pelos anos da primeira metade da década de 90), eu era praticamente um pré-adolescente com meus 10, 11 anos e minha vida de nerd não existia, é claro...eu levava uma vida como a de qualquer criança que brinca na rua etc. Quando virei adolescente a internet já começava a tomar conta do meu tempo livre...pelo fato de que na época era uma novidade e tal.

E muito da minha vida social se deu desde o início pelas pessoas com as quais criei algum vínculo na net. Amigos pessoais nerds eu tenho poucos, uns 4 ou 5 (dos que cresceram comigo na vida real). Mas eu não tenho nem nunca tive vida social no sentido de sair para ir nos mesmos lugares que as pessoas supérfluas vão (para mim, com todo o respeito, todas as baladas são supérfluas, com exceção de Pubs e eventos culturais).
 
Última edição:
Acho que uma das coisas mais chatas desse mundo é, prinicalmente, a TV e seus programas dizendo
como as pessoas sevem se divertir ou onde elas devem ir pra curtir ou o que "é manero"

"Isso só funciona com mentes fracas"[Amén Star Wars!]

Vejo muitos amigos meus falando sobre um monte de programas idiotas, obcenos, e todo esse lixo juvenil. Praticamente lavagem cerebral, dizendo que sair com 70 mulheres ao mesmo tempo "é manero", drogar-se "é manero" e etc.
 
Última edição:
Wow, desculpem ressucitar o tópico assim... tava fazendo uma pesquisa sobre as estendidas e vim parar aqui :lol:

Ah, eu sofri preconceito demais, principalmente na adolescência.
Na família também... Ninguém falava nada no princípio, mas ficava aquele clima estranho.
Agora que uma parte da família resolveu virar evangélico radical a coisa ficou feia.
Uma prima minha chegou a entrar num blog que eu tinha pra me ofender. Minha mãe, apesar de também não gostar do meu estilo de vida, falou com ela e as coisas se aquietaram um tempo.
Recentemente minha tia passou um fds aqui em casa e para ela se sentir mais confortável cedi meu quarto a ela e dormi no sofá. Minha mãe só me contou depois que ela foi embora que ela disse que tinha ficado com MEDO de dormir no meu quarto [por causa das minhas coleções, posters, livros, etc]... como se fossem coisas do demo, sabe... fiquei extremamente magoada!!! Última vez que cedo lugar na minha própria casa para tais pessoas...

como um local tradicionalmente frequentado por pessoas cuja maioria se encaixa num determinado estilo. Vc nunca encontra, por exemplo, pessoas que frequentam Pubs que tbm frequentam Casas Noturnas. Pelo menos eu nunca tive essa infelicidade...e nos Pubs que eu frequento só encontro gente realmente legal, com conteúdo e humor...e geralmente a maioria dessas pessoas conversa sobre o livro que está lendo ou sobre as diferenças entre Aretha Franklin e Etta James...essas coisas semi-nerds...)

Ah, Roy, me conta onde são esses Pubs :lol:
Pq aqui onde moro só tem 1 Pub. É até legal se ficarmos apenas na parte de cima. Mas toda vez que vou lá com amigas - nenhuma delas é nerd e/ou tem gostos iguais aos meus - elas insistem em me arrastar pro "porão", que é balada propriamente dita. Peguei raiva do lugar porque ninguém me deixa em paz lá... Mas tem uns drinks deliciosos. A parte externa [terraço] também é muito boa no verão... Tem uma vista privilegiada e é onde o pessoal vai mais pra conversar mesmo, o problema é encontrar alguém que valha a pena conversar.

Até gosto de sair pra dançar, mas só tem uma casa noturna que eu vou e muito raramente, tipo umas 2x por ano.

Já frequentei encontros em SP de nerds, tipo os que tinha na Comix. Atualmente vou pouco à SP... Sinto falta de nerds por aqui!
 
Última edição:

HFR

Clone
Eh, Aranel, bancando a arqueóloga também? :lol:

Hilário esse texto, os pais queriam um Playboy e saiu um nerd, hahahaha.

[/Esteriotipismo]
 
Eh, Aranel, bancando a arqueóloga também? :lol:

Pois é. hahahah... Sempre fui fã de Indy e Lara Croft :obiggraz:

Mas tópico com 1 ano de idade só, nem dá pra chamar de arqueologia

Hilário esse texto, os pais queriam um Playboy e saiu um nerd, hahahaha.

[/Esteriotipismo]

O pior é saber que existe gente assim na vida real.
E tem muita gente também que de fato ficaria preocupado desse jeito se o filho dissesse que joga RPG, não por ele não ser playboy, mas porque muitos pegaram preconceito depois que golpistas e assassinos usaram o jogo como desculpa para cometer crimes. Manchou a imagem do jogo e dos jogadores.
 

Snaga

Usuário não-confiável!!!
:rofl:

Preciso achar a fonte original desse texto! O autor merece os parabéns!!!
 

Anwel

Nazgûl Cavaleiro
MÃE: Deve ser má companhia. Esse tal de Tarrasque. Má influência.
Pelo menos os pais acertaram em uma coisa! (Essa é pra quem joga).

Muito bacana o texto.
Felizmente, a maioria dos meus amigos são nerds, os que não são usualmente são mais "colegas" do que amigos, por afinidade mesmo. Mas já sofrí preconceito na minha família também. Como sempre gostei muito de ler, e minha família adorar fazer aqueles programas "legais" tipo ir passear embaixo do sol ao meio dia no domingo, sempre fui tachado como "do contra", "nerd". Nada sério, felizmente.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$100,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo