1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Por que saber e entender tudo sobre o mundo de Tolkien?

Tópico em 'De Fã Para Fã' iniciado por Faramir, 7 Dez 2010.

  1. Faramir

    Faramir Usuário

    Estava lendo tópicos neste lindo fórum... (Hehe' "voltei" depois da minha abstinência). E aí me veio uma (s) pergunta (s) :

    Por que saber e entender tudo sobre o mundo de Tolkien?
    Qual é a impotância nisso?
    Não seria melhor só "viver a magia"?
    Ou viver o misterioso?
    Qual são os beneficíos de entender esse mundo?

    Pode-se dizer que é uma pergunta de ética...

    É uma pergunta só que desenvolvi para mostrar mais o que estava procurando exatamente ^^

    A eu posso ter minha resposta.... não exatamente formulada, mas gostaria de ouvir a sua resposta também ;) ... quem sabe eu coloco depois a minha?





    (Se não fui claro o suficiente me fala!)



    P.S.: Não sabia onde exatamente colocava esse tópico... se foi no lugar errado me desculpem
    P.S.S.: Se já aconteceu uma discussão dessas.... me desculpem mais uma vez :)
     
    • Gostei! Gostei! x 3
  2. etienne

    etienne Usuário

    Re: Por que?

    Para viver a magia é preciso conhecê-la, além do que você não sente a curiosidade, o desejo de saber o que Tolkien pensava, como ele vivia? O mistério não se perde. Ao contrário, ele aumenta, junto com a admiração pelo autor. Quais os benefícios?Toda vez que paro para ler um tópico e saber mais sobre Tolkien é como o que ele criou se tornasse mais fidedigno e palpável.
     
  3. BeorZenni

    BeorZenni Usuário

    Re: Por que?

    muitas coisas podem passar desapercebidas por pessoas que não conhecem mais a fundo a literatura e a vida de tolkien
    a partir do momento que vc começa a descobrir a razão da criação de certas historias, a base do pensamento que deu inicio a tudo isso, vc vai ler as obras com outros olhos, e vai passar a entender coisas nas entrelinhas que vc não entenderia sem essa compreensão
    faz todo o sentido vc entender o sentido do mundo de tolkien, vc vai curtir muito mais a magia, vc entra muito mais nas historias
    tem pessoas que viram os filmes do senhor dos aneis e acham que conhecem a historia, que conhecem tolkien, mas não sabem nem o que é o silmarillion, não sabem nem que existe o livro o hobbit, que tipo de magia vc esta curtindo ai?
    agora vc começa a ler toda a literatura de tolkien, procura respostas para coisas além dos livros, respostas que vc acaba encontrando apenas com o estudo das obras e discuções nos foruns e com outros fans e estudiosos das obras e da vida de tolkien, muitas respostas vc acaba encontrando no que o filho de tolkien diz que o pai dele pensava, e isso te traz um entendimento que te proporciona uma magia muito alem do que a triologia de filmes mostra
    as vezes quando vc esta lendo um livro vc se depara com uma palavra que pode parecer não ter sentido, é apenas um nome estranho, mas se vc conhece mais as obras vc ja vai associar aquilo a uma outra historia e a frase seguinte pode ter um sentido totalmente diferente pra quem conhece a historia que a palavra anterior fazia mensão do que pra quem não conhece
     
    Última edição: 7 Dez 2010
  4. Gerbur Forja-Quente

    Gerbur Forja-Quente Defensor do Povo de Durin

    Re: Por que?

    Boa pergunta, Faramir!

    Sua pergunta me fez lembrar de 2 coisas:

    1 - Aquela conversa de Gandalf com Saruman sobre as cores. Saruman estudou com afinco as questões do Inimigo, suas armas e estratégias. Estudou tanto que deixou de ser o "Branco" para ser o "De Muitas Cores". Para Gandalf ele trocou a sabedoria pela loucura, e nesse processo, a metáfora de quebrar a cor branca para encontrar todas as cores é muito boa. "Aquele que quebr ago só para descobrir o que tem dentro deixou o caminho da sabedoria" nas palavras de Gandalf.

    2 - Meu pai assistindo os Bônus de Harry Potter (rs). Uma vez eu estava assistindo como são feitas as "mágicas" do filme, efeitos especiais, robôs, animais treinados, etc. Meu pai viu 5 minutos e não gostou. Eu estava achando tudo muito interessante e inteligente, mas ele alegou que esses conhecimentos tiravam a "magia" dos filmes. Interessante isso.

    Parece que enquanto para alguns, o conhecimento fortalece a magia e para outros ele a enfraquece. Não vou julgar quem está certo ou errado, cada um tem sua maneira de encarar o mundo, a vida e a arte.

    Na minha opinião, por exemplo, o importante é a ponderação. Conhecer Tolkien é muito bacana, traçar alguns paralelos de sua vida com sua obra é bacana. Ficar só nos filmes, para mim, é perder grande parte da magia que o professor pode proporcionar. Mas para mim é importante que essa busca pelo conhecimento de sua mágica tenha um limite. E esse limite deve respeitar o próprio leitor/telespectador.

    Porque acho que a obra tolkieniana (assim como a arte em todas as suas ramificações e modalidades) não é nada sozinha. Nada mesmo. Por mais rica que seja, a arte em si mesma é vazia. Um cachorro não fica mais inteligente e criativo na presença do Senhor ds Anéis ou da Monalisa, por exemplo. Um papagaio pode aprender trechos de uma música, mas ele repetirá palavras vazias, aquilo não lhe fará sentido algum, ele nã vai aprender sobre a ditadura quando ouvir nossos grandes mestres como Raul Seixas, Cazuza e muitos outros.

    Quando então a arte se torna mágica? Quando o conhecimento adquirido dela aumenta sua magia ao invés de enfraquecê-la?

    Ora, se a mágica da arte não está no artista que deposita isso nela (Como Fëanor e as silmarils ou Sauron e o Anel), então grande parte dessa mágica está na relação que é estabelecida entre a arte e seu apreciador, em quem lê, vê, escuta, toca (assim como os poderes do Anel varia com o "poder" de seu portador). A sensação, os sentimentos, as reflexões que o apreciador têm quando se relaciona com a arte que é mágica.

    Por isso é tão importante ter cuidado com o conhecimento da arte, que prioriza muito mais o artista que o apreciador da arte. E a mágica não é 100% do artista, é muito mais da relação apreciador de sua arte com ela. Se pensarmos que a arte é 100% do artista e supervalorizarmos o conhecimento da arte como verdade absoluta, nós a limitamos, nós a podamos, nós enfraquecemos sua magia.

    Por isso para mim, o importante não é descobrir se Tolkien escreveu em algum lugar quem exatamente era Tom Bombadil ou se balrogs tinham ou não asas, para ter essas dúvidas sanadas para sempre e por um ponto final nisso tudo.

    O importante, para mim, é descobrir (como apreciador da arte) quem eu acho que era Tom Bombadil, o importante é que eu descubra se para mim os balrogs tinham ou não asas. Isso que é mágico.
     
    Última edição: 7 Dez 2010
    • Gostei! Gostei! x 5
    • Ótimo Ótimo x 1
  5. Anwel

    Anwel Nazgûl Cavaleiro

    Re: Por que?

    Gostei da sua opinião Gerbur.

    Me lembrou muito uma aula na faculdade, na qual discutíamos sobre trabalhos científicos. Meu professor nos provocou (propositalmente) perguntando quais seriam os aspectos da realidade (minha ciência é empírica) relevantes para observarmos e pesquisarmos.

    Após elucidarmos alguns aspectos, o professor nos respondeu:

    "Não nego que o que vocês me apontaram pode ser importante para diversas pesquisas, mas lembrem-se de algo: nenhuma informação é relevante por si só. Tudo depende do objetivo do trabalho".

    Gostei tanto dessa aula que mesmo que já tenha um tempo que a assisti, não a esqueço.
    Vou reforçar a idéia (não sei se fui claro) citando um exemplo de algum autor que já não lembro mais: Um mesmo objeto, um vaso por exemplo, pode representar diversas coisas para pessoas diferentes. Pode ser uma objeto decorativo para um decorador, uma estrutura de cristal para um geólogo, um recipiente para um florista, algo a ser quebrado para uma criança...


    Enfim, acho que isso vai de encontro ao que você escreveu Gerbur. Cada um tem o seu objetivo ao observar algo. O exemplo de você e do seu pai assistindo o making of (e curiosamente já vivenciei essa situação várias vezes com pessoas diferentes) é uma ótima maneira de ilustrar o que eu escrevi.
    Seu pai assistiu o filme não como uma obra cinematográfica com todas as suas articulações e "ilusões", mas como uma obra de entretenimento. Diferente de você que, por mais que tenha se desligado da questão cinematográfica enquanto assistia, quis saber mais a fundo como a coisa funcionava.

    E tenho certeza que seu pai se interessa por detalhes nas quais você não dá a mínima (fazendo analogia com o meu pai, ele pira em mecânica de carro enquanto eu só quero que o carro me leve de A para B sem tomar chuva).

    Cada um tem seu interesse e assunto que te interessa.
    Ouso dizer Gerbur que, por ser um fã de Harry Potter e mesmo um escritor amador (com capacidades de um profissional), você se interessou mais pelo processo artístico do filme. Afinal, o cinema não é uma arte?

    Então, tentando responder ao Faramir, e fazendo uma relação com a resposta do Mestre Anão: vale a pena compreender os detalhes e pormenores das obras de Tolkien na medida que não as encaramos somente como uma história a ser apreciada, mas como uma obra de arte, construída e realizada pelo esforço e capacidade do Professor.

    Dessa forma, podemos aprecisar não só a obra por si só, mas também o autor como o gênio que era.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  6. Eów Dernhelm

    Eów Dernhelm Amigável mesmo sendo um...

    Re: Por que?


    Faramir...eu acho que a necessidade de se conhecer toda a historia acaba surgindo meio que de forma natural. Me apaixonei por Tolkien no lançamento nos cinemas de A Sociedade do Anel, desde o dia 31 de janeiro de 2002 (eu acho) eu vivi SdA, ganhei o livro e de lá pra cá eu tento aprender o máximo que eu consigo registrar.



    Eu acho que conhecer a historia toda não nos deixa como se estivessemos num "fantástico mundo de bobby"; e conhecer toda a historia crid apor Tolkien, pelo menos comigo, só me faz amar mais e viver mais toda essa magia.
     
  7. Parthadan

    Parthadan Pirata Autista Bebado e não um

    Re: Por que?

    Muita gente disse muita coisa nesse tópico, e depois disso fica até meio dificil fazer um post realmente bom.

    Mas para mim a resposta para tudo isso é muito simples:

    Essa sede de conhecimento nasce do amor. Sim, pois aqui estamos por amar a Terra-Média e suas histórias.

    Simples assim. Queremos saber mais sobre essa "magia" toda para podermos vivê-la mais intensamente. Saber como eram as coisas, e cada cor de cada flor. Nos acostumamos tanto com a riqueza de detalhes que Tolkien coloca em seus textos que quando nos deparamos com algum mistério, logo queremos desvendá-lo.

    Para mim, tudo isso é parte de viver essa magia.
     
  8. Neithan

    Neithan Ele não sabe brincar. Ele é Mito

    Re: Por que?

    Vou tentar responder isso. Mas é meio difícil e o povo respondeu muito bem.

    Bem vindo de volta. :mrgreen:

    Eu pessoalmente, leio as Obras regularmente simplesmente porque eu amo ler Tolkien. Tooodo mês de Dezembro/Janeiro eu Leio suas Obras, não em busca de mais informações, e sim por prazer. O conhecimento é apenas consequencia. Eu leio sobre Arda simplesmente porque eu amo viajar até lá, enquanto leio sobre seus heróis e vilões. Mesmo após quase 15 vezes lendo o SdA, continuo nervoso ao ler o capítulo "Sombra do Passado", fico apreensivo quando o Velho Salgueiro Homem prende os hobbits. Fico aliviado quando Frodo está são e salvo em Valfenda...e choro quando leio o fim de Sauron, a despedida dos membros da Sociedade ou a morte de Théoden.

    Eu não tenho a pretenção de saber tudo sobre as obras. Ninguém, talvez nem mesmo C. Tolkien conheça tudo. Mas vou continuar lendo suas obras, até que um dia quem sabe, eu canse.

    Com o tempo, e com as repetidas leituras, é óbvio que seu conhecimento sobre Arda vai aumentando. Isso é apenas uma consequencia. Como fã das obras, acabamos nos tornando conhecedores da história de Arda.

    Nos ajuda nesse lazer que é a leitura. Não tem uma utilidade para nossa vida, mas é um prazer, um hobbie. Numa entrevista de emprego não vão me perguntar qual é a distância entre Angband e Menegroth. Mesmo assim, eu amo saber esse tipo de coisa, é meu hobbie, meu vício saudável.

    Assim como saber tocar muito bem um instrumento, ou saber tudo sobre seu time do coração não é algo importante. Mas é algo que te faz bem, te satisfaz, entende?

    Pode ir de gosto. Mas eu prefiro muito mais saber do universo, da geografia e da história de Arda, quando decido ler as aventuras dos povos livres contra Sauron. Senão fica tudo meio confuso, pode fazer você se perder enquanto lê.

    Como eu disse: benefício prático, não tem. Apenas uma satisfação em saber mais sobre esse mundo gigantesco, complexo e maravilhoso.

    Fui claro? :think:
     
  9. Meneldur

    Meneldur We are infinite.

    Re: Por que?

    Para todo conhecimento aparentemente inútil, eu adoto esse pensamento: nós podemos não obter nenhuma vantagem prática desse conhecimento, mas já que podemos conhecer, seria um absurdo que não tentássemos adquirir esse conhecimento.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  10. Luz do leste

    Luz do leste Usuário

    Re: Por que?

    A resposta para isso é a mesma para a pergunta do porquê a Arte existir.
    Escapismo? Interação interpessoal? Conhecimento? Prazer? Expressão?
    Acho que todas estas respostas são válidas, para todas as pessoas, mas para cada um a enfâse recai sobre uma resposta específica.

    Quanto a literatura, eu gosto muito de saber o processo de produção, mas já para os filmes, não.
     
  11. Faramir

    Faramir Usuário

    Vou botar minha resposta "para tudo" (ou a maioria) depois... estou sem tempo e estou escrevendo no papel o que me levou a pensar....os absurdos que pensei principalmente...

    Valeu a todos os que responderam ;) mando uma resposta mais tarde...
     
  12. Snaga

    Snaga Usuário não-confiável!!!

    Todo mundo escreveu textos enormes. Eu posso resumir tudo em uma única frase:

    PORQUE ME FAZ BEM!!!
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  13. Lola la Gitana

    Lola la Gitana Usuário

    Acredito que as primeiras impressões que a obra te passa é “viver a magia”. Quando você fica imerso em uma determinada leitura que de tão plena e profunda é capaz de te transportar para aventuras que o envolvam completamente, acredito que seja um bom motivo para conhecer um pouco mais sobre o autor, pois ler é reviver os acontecimentos mais inspiradores de todas as épocas. Sem falar que muitas histórias são feitas de longas experiências ou a união de muitas, e de trabalho minucioso por parte do autor tornando-as mais interessantes, pois guardam nas entrelinhas uma vida. Um livro é a prova que os homens são capazes de fazer magia. A magia de converter palavras em idéias, de viver os acontecimentos que não se viu com olhos físicos, as situações emocionais, os valores humanos comuns e fundamentais que saltam dos livros e acabam fazendo parte de nossas vidas. Entre mundos novos e antigos, fadas e dragões, sensações novas descobrimos que um livro é capaz de mostrar a essência da humanidade.
     
    • Gostei! Gostei! x 2

Compartilhar