1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Ponderações sobre o filme O Hobbit

Tópico em 'O Hobbit - os Filmes' iniciado por Elendil, 30 Nov 2008.

  1. Elendil

    Elendil Equipe Valinor

    Relendo o livro O Hobbit e lembrando-me de algumas discussões e comentários em tópicos dessa área, fiquei pensando como esse filme pode ser até mais difícil de se adaptar as telas do que foi a Trilogia O Senhor dos Anéis. Como assim, se a Trilogia é imensamente maior e detalhada, complexa e vasta a ponto de fazer de O Hobbit sua mera introdução?


    É exatamente por isso que vejo a grande dificuldade em se adaptar o Hobbit para as telas, e imagino o quão difícil deve estar sendo para Peter Jackson e Del Toro fazê-lo. A Trilogia literária de O Senhor dos Anéis é tão vasta e tão povoada de personagens, fatos e situações secundárias que foi possível, ainda que muitos dos fãs tenham ficado tristes e ofendidos, suprimir, excluir tais fatos e personagens. Isso não é tarefa fácil, claro! Imaginem que para substituir um personagem por outro, PJ e sua equipe tiveram que fazer Éomer, em as Duas Torres, funcionar como Erkenbrand; Arwen em A Sociedade do Anel (para horror de alguns e alegria de outros) funcionar como Glorfindel, por exemplo. Não bastou apenas excluí-los, mas foi preciso fazer os personagens secundários “funcionarem” nos personagens mais importantes, naqueles que teriam um papel mais crucial dentro da estória e ainda com certa coerência para que a essência da estória e do autor dela seja mantida. Isso está relacionado ao argumento de que nem tudo que funciona num livro funciona num filme.


    O autor pode gastar páginas e páginas para descrever uma paisagem, uma situação, mas nas telas isso tudo, e até com os mesmos detalhes descritos pelo autor, podem ser, e geralmente são, mostrados em poucos segundos de cena. Levando isso em conta, imaginei que a tarefa de se transpor O Hobbit para as telas será um trabalho deveras complicado, pois não se pode, a meu ver pelo menos, excluir personagens e situações de O Hobbit, dado o tamanho e pouca complexidade da estória, sem comprometê-la em demasia.


    Uma questão que vem me assombrando é o fato de O Hobbit ser mais inocente que O Senhor dos Anéis. Penso que a grande tarefa de Del Toro e Peter Jackson será manter essa “aura inocente”, de um tempo menos sombrio do que SdA, e ainda, ao mesmo tempo, fazer desse filme um digno prequel de SdA, ou seja, manter um certo “jeito” de se contar a estória sem que cause muito estranhamento para aqueles que conhecem a Trilogia de cabo a rabo, ainda que se leve em consideração que o diretor será Guilhermo Del Toro e não Peter Jackson.


    Apesar da inocência de O Hobbit ter que ser mantida, e penso que isso é muito importante, pois não há ainda o Grande Inimigo da Terra-média se anunciando aí, será preciso tomar cuidado para que a inocência não seja infantil. Temos animais que falam, e isso é perigoso, pois a maneira como isso será mostrado pode decepcionar muita gente. Não gostaria, particularmente falando, de ver cães de Beorn carregando bandejas nas patas dianteiras enquanto andam com as traseiras. O mesmo vale para a bolsa falante (que eu duvido que vá aparecer) pertencente a um dos três Trolls que conversam como humanos e sendo um deles chamado pelo humano, clássico e britânico nome de William! Temos também o que eu chamo de elfos “tra-la-la-lalí” que se chocam um pouco com aqueles elfos de ar “arrogante” que vemos em SdA; e orcs cantores de músicas bobas que os fazem parecer menos perigosos e sombrios do que realmente são. Será preciso dar um ar mais “maduro” a tudo isso sem prejudicar a essência da estória que é inocente.


    Temos treze anões, um hobbit e um mago encontrando seres fantásticos num caminho que os levarão a Montanha Solitária para tentar resgatar um antigo tesouro dos anões que estão sob as garras do terrível dragão Smaug. Isso tudo é muito inocente! Mas está aí o “charme” dessa estória. Temos o Um Anel que ninguém sabe ser o Anel Governante de Sauron, e temos um Necromante que ninguém julga ser o próprio Sauron. Apesar de o Anel ajudar Bilbo a passar despercebido em várias situações com orcs, Gollum, elfos... nem ele por ser o Um, e nem o Necromante por ser Sauron, influenciam nos rumos dos acontecimentos. A coisa todo gira em torno de Smaug, o grande vilão.


    A Batalha dos Cinco Exércitos será um ponto importante para que a inocência se transforme em algo mais sombrio e violento, mas penso que essa “maturidade sombria” venha ganhando forma e espaço conforme a estória vai se desenvolvendo. Assim, acho muito provável que a parte cômica da estória fique a cargo dos treze anões, com suas trapalhadas, resmungos as situações engraçadas que os envolvem, mas a Batalha será uma boa oportunidade de fazê-los grandes guerreiros e mostrar que nem só de cenas cômicas vive um valoroso anão.


    Também gostaria de ver um Beorn impressionantemente assustador e sua outra parte, o urso, algo exageradamente mais assustador do que o humano Beorn. Por isso penso não em um urso verdadeiro, como os usados em vários filmes, mas num urso em CG extremamente elaborado, muito parecido com os gigantescos ursos pré-históricos. O mesmo vale para o Grão-Orc.


    Smaug, ao que parece, é o grande enigma desse filme e o mais aguardado personagem. Particularmente não quero vê-lo fugir muito ao padrão dos dragões, mas quero muito me surpreender com ele, como me surpreendi com o Balrog de Moria em A Sociedade do Anel anos atrás.


    Dessa forma, vejo que algo extremamente importante nesse tão aguardado filme do O Hobbit, será a gradual mudança de “clima”: da “inocência ensolarada” do início da estória para uma “maturidade sombria” que já se apresentará no final dela. Vejo isso como a “ponte para o filme ponte”. Nele sim, a Sombra já estará presente e consolidada, se agitando no coração dos personagens envolvidos na trama que ainda está para ser criada e organizada. Lá estará a ignorância quanto ao fato de o Um Anel estar com um simples e inocente Hobbit – já não tão simples, já não tão inocente. As incertezas, dúvidas e medos também já estarão lá na trama e nos personagens quando os créditos finais de O Hobbit começar a subir pela tela do cinema.

    <?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" /><o:p></o:p>
    E os amigos e colegas? Que ponderações fazem quando pensam e enquanto aguardam O Hobbit? Quais suas dúvidas e medos com relação ao que PJ e DT estão preparando para nós?
     
    Última edição: 30 Nov 2008
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Éomer

    Éomer Well-Known Member

    Eu já acho que não. Com menos personagens eu acho que o risco de sair um filme ruim não é grande, principalmente se os atores que vão interpretar esses personagens sejam bem escolhidos. Eu acredito que o Del Toro e o PJ e mais a equipe responsável pelo elenco vão fazer um ótimo trabalho nesse sentido. Uma coisa que eu também estou interessado em saber é onde será rodado o filme. Nos filmes baseados em Tolkien a locação é muito importante.
     
  3. Gerbur Forja-Quente

    Gerbur Forja-Quente Defensor do Povo de Durin

    Puck falou tudo. Não tenho mais nada a acrescentar.
     
  4. Elendil

    Elendil Equipe Valinor

    Não é que eu não confie em PJ e DT, pelo contrário! Só acho que será um tanto difícil manter a inocência da obra, que é importante, e ao mesmo tempo deixar a estória mais "adulta", digamos assim, sem correr o risco de ser infantil como algumas passagens do livro mostram ser. Confio na capacidade de ambos em recrutar atores, quanto a isso não me preocupo. Sem falar que sir Ian McKellen e Andy Serkis estão mais do que confirmados já.:joy:
    Na verdade tenho ótimas expectativas quanto ao filme, só me preocupo um pouco com as partes mais infantis da obra que citei no tópico. Serão mantidas? Penso e rezo para que não dessa forma.:lol:
    Então como será que mostrarão elfos "tra-la-la-lalí" e Trolls bobões discutindo o que fazer com os anões? Haverá mesmo um deles chamado William? Acho que não! Mas não é impossível. Esse tipo de coisa...


    Claro que serão na Nova Zelândia! Isso já está confirmado também. O problema para a equipe será encontrar novas locações para cenários inéditos, ou seja, aqueles que somente aparecem em O Hobbit.
     
  5. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Alguns personagens eu imagino algumas coisas.

    O Beorn se parece muito com as lendas norte americanas de ursos gigantes e lenhadores então é possível que ele receba um tratamento parecido com o de um lenhador dessas lendas. Talvez um homem enorme como o Hagrid de Harrypotter e sua transformação poderia gerar mesmo um urso maior do que a sua forma humana e a caracterização dos seres vivos seria essencial.

    Se eles colocarem os animais inteligentes talvez seja bom dar-lhes um ar um pouco sombrio para enfatizar sua respeitabilidade ou enfatizar sua inteligência, algo um pouco longe do que os filmes de animais falantes têm feito nos dias atuais, porque os servos de Beorn tinham uma devoção próxima a de um soldado em um castelo. Então é de se esperar animais com cicatrizes de guerra e rostos endurecidos pelo trabalho.

    Eu imagino que Smaug poderia se beneficiar de outras emoções além da solenidade que sempre aparece nos dragões dos filmes. Smaug poderia aparecer abatido pelo peso de seus desejos ao invés da "fortaleza" que se imagina dele, uma aprofundada na psicologia do personagem faria bem ao filme. Procurar criar nele uma inteligência um pouco alienígena (para o telespectador ser pego de surpresa), isso é importante porque espera-se que um dragão tenha mais sagacidade que a maioria dos homens comuns. Uma técnica direcionada para o desconhecido poderia dar uma ajuda.
     
  6. Eu acho que DT e PJ já mostraram que sabem fazer um filme de verdade. Principalmente PJ. DT tambem fez um ótimo trabalho em Hell Boy com aqueles animais miticos; tambem gostei de O Labirinto do Fauno.
    Creio, verdadeiramente, que esse filme vai ser maravilhosos, e me agradar fácil. Não que eu seja fácil de agradae - rsrsrsrs! A verdade é que eles são veteranos, e saberão como lidar com essa "infantilidade" que voce citou, Eädsohn; pelo menos tenho certeza que não ficará tão repugnante, mediocre e mesquinho como A Bússula de Ouro, de Philip Pullman. Destruiram aquela obra.
    Só comentando o que voce disse, Eädsohn, eu realmente A-M-E-I ver Arwen carregando Frodo no dorso daquele corcel enquanto a vida se esvaía de seus olhos. Deu um charme maior à cena e, porque não, ao filme. Quem não preferiria ser resgatado dos braços dos Cavaleiros Negros por uma belíssima elfo de orelhas pontudas, do que de um elfo afeminado? (Nada contra os elfos! - Mas eles realmente o são).
    Também gostaria de saber, Eädsohn, se, quando voce se referiu a animais que carregam bandejas nas patas dianteiras e andam com as trazeiras, você estava se referindo ao Caça-Trufas, de As Crônicas de Nárnia - Prince Caspian? C. S. lewis criou aqueles animais para divertir as crianças (veja aquele ratão com mania de guerreiro!), e mostrar-lhe a verdade biblica em que ele acreditava. O Professor jamais foi tão infantil como ele, mesmo criando um Troll que tem uma bolsa que fala, e de nome tachativamente inglês. Você leu ou assistiu Prince Caspian? Não chega aos pés de qualquer obra de J. R. R. Tolkien! - Isso não é uma critica ao que você disse ao seu tópico, longe de mim. Mas... confie um pouquinho mais no diretores... Eles buscam fazer o melhor. Menos, talvez, aqueles idiotas que direigem e produzem HP. Esses tiveram, e tem prazer de destruir a obra da tia Jo.
    Té mais...
     
  7. Deriel

    Deriel Administrador

    Acho que ele se referiu aos animais treinados de Beorn :think:
     
  8. pode ser....
     
  9. Elendil

    Elendil Equipe Valinor


    Sim! Era sobre os animais de Beorn, os cães que trazem o jantar para Bilbo, Gandalf e anões. Tenho um certo "trauma" com animais em filmes, especialmente esses que se comportam como humanos. Apesar de confiar no trabalho de DT e PJ para esse filme (pois já mostraram que são ótimos) estou um pouco curioso, e, de certa forma, temeroso quanto a isso.:mrgreen:
     
  10. Thalion

    Thalion Mas que puxa!

    Você tem que lembrar, Eädsohn, que Peter jackson e Guillermo del Toro não trabalham na Walt Disney. O Labirinto do Fauno supracitado, apesar de ambientado no triste período da Guerra Civil Espanhola, tinha tudo para ser um filme infantil. Mas não o foi. Del Toro conseguiu manter o tom sombrio e deu no que deu.

    Ninguém diria que a menina ia morrer no final, apesar de ela ter supostamente encontrado seu reino

    Ou seja, uma preocupação a menos.

    Acho muito improvável que del Toro transforme os salões de Thranduil em simples salões de baile com elfos cantantes e dançantes, Thorin e Cia. nos Sete Anões, os animais de Beorn nos animais do Bosque dos 100 Acres e por aí vai.

    Com certeza eles vão conseguir manter a gravidade e a irreverência que o filme pede na medida certa.
     
  11. Vcs jah pararam para pensar que, na epoca da historia, Legolas jah deveria ser vivo??? Com certeza! Por mais que ele naum apareça no livro, ele deveria estar lah, ao liado de seu pai, na hora da batalha. Mas duvido que DT irá convocar OB para gritar "PELA TERRA-MÉDIA", enquanto acerta a flechadas seus inimigos.... Rsrsrsrsrsrsrs!!!
    Té maissss
     
  12. Elendil

    Elendil Equipe Valinor

    Não, não!!! Não acho que DT e PJ vão transformar O Hobbit nisso, confio em DT e no PJ pelo que ele fez com SdA (apesar de ter detestado King Kong). Acho que o grande desafio para os dois será transformar a narrativa inocente e muitas vezes infantil do livro, sem deixar que essa inocência se perca por completo, pois acredito que nem tudo pode ser totalmente sombrio, apesar de ter que ser mais "sério", é importante essa inocência. Ela deve, acredito, deixar aos poucos a narrativa para dar lugar ao clímax sombrio que deve ser a Batalha dos Cinco Exércitos.

    Outro desafio: mostrar os elfos de maneira um pouco diferente dos de SdA, mas sem que sejam totalmente estranhos. PJ fez isso muito bem ao caracterizar os de Valfenda relativamente diferentes de Lothlórien, mas ainda assim, notando-se que eram todos elfos, de forma geral. Afinal, já conhecemos um elfo do Reino da Floresta na trilogia, Legolas.
     
  13. My

    My Usuário

    Olá a todos!

    Ahh, eu não consigo evitar. Acho que sou mto fraca pra organizar as idéias, por isso acabo sempre citando os posts, rs. Enfim... não faz mal.

    Achei o tópico do Eädsohn deveras interessante. Questões e ponderações sobre livros que viram filmes sempre me povoaram a mente, principalmente no que diz respeito a grandes obras literárias. E, para ser sincera, já quando ouvi pela primeira vez, há algum tempo (anos, rs), rumores de que poderia haver um filme de O Hobbit, ao mesmo tempo em que fiquei contente com a expectativa de ver uma história tão boa e tão maravilhosa na telona, também senti espécie de medo e apreensão.

    Não posso deixar de dizer que desde então, tive certas considerações como as do Eädsohn, que sublinhei acima.

    A questão da inocência é um ponto chave para o desenrolar da história. A inocência, de uma forma ou de outra, deve ser mantida. Só que nesse ponto sou obrigada a discordar um pouco. Porque, apesar de eu achar que a história de O Hobbit tem sua gravidade, e que tanto Peter Jackson e Del Toro precisam saber conduzir a barca como verdadeiros marinheiros (quanto a isso, não tenho dúvida alguma de que eles podem fazer e farão um bom trabalho), ainda assim eu acho que O Hobbit é um história infantil. Por mais que seja o prenúncio de algo muito mais grandioso, que é SdA, a meu ver, ainda acho que deveria ser um filme para criança. Ou, pelo menos, sem censura lá nos ares (10 anos, imagino). E não deveria ser tão "forte" como o SdA (digo forte para olhos infantis, com cenas muito "chocantes", que minha irmã não gosta de ver). É claro que deveria ter os orcs, trolls, o Dragão Smaug, Beorn, tudo do jeito que deve ser, mas nada tão "horripilante", porque O Hobbit foi escrito para criança, não para adultos.

    E até que ponto é possível dar um tom mais "maduro"? É claro que deve ser um filme sério, do jeito que a obra merece, mas inocente, e acessível ao público mais jovem. Pelo menos é o que acho.
     
    Última edição: 3 Dez 2008
  14. Thalion

    Thalion Mas que puxa!

    Outra coisa que eu tava pensando esses dias... Essa inocência de que o Eädsohn tanto fala também esteve presente no SdA... No começo, ora essa! Na parte em que o Gandalf chega na Vila do Hobbits, na parte da Festa Muito Esperada... No começo do filme, está tudo bem e depois o filme via se adensando, ficando mais sombrio... Ou seja, depois de lembrar disso, acredito que é possível, sim, manter o tom inocente E o tom maduro quando o filme pedir.
     
  15. My

    My Usuário

    Olha eu aqui de novo, rs. Desculpem-me voltar assim, tão em seguida de meu último post, mas posso explicar. Tive que interromper minha idéia porque estava caindo de sono, rs. Ainda tenho o que dizer. Mas não citarei nada agora.

    Não só a questão da inocência, da qual tratei acima, mas também outras questões levantadas pelo Eädsohn colocaram meu cérebro pra funcionar. Como o que ele disse sobre a descrição em livros que, em filmes, aparecem em questão de segundos.

    Um tio meu, que é apaixonado pelos filmes de SdA, mas que não leu os livros, fala que a grandeza de imagens, de paisagens maravilhosas é algo impressionante. E é mesmo. Mas o ponto, para mim, é que um livro trabalha com nossa imaginação. A maravilhosa imagem, por exemplo, do Anduin e das Argonath, para quem, no meu caso, nunca vira sequer uma ilustraçãozinha antes de ler o livro, era um desafio para a mente. Ainda mais eu, que era criança quando li, e estava acostumada com livros de fantasia no estilo As Crônicas de Nárnia, repleto de ilustrações (em preto e branco, no caso, mas tudo bem). Quando vi aqueles imensos monumentos no filme, fiquei encantada! E o bom disso tudo, de um filme ser bem feito quanto à descrição de imagens e paisagens, é exatamente quando podemos nos deliciar vendo tomar forma "real" algo que já existia em nosso cérebro. E nisso está muito da grandiosidade do SdA de Peter Jackson, ele, a meu ver, soube traduzir em imagens ideais o que já existia em minha mente e, creio, na mente de milhares de pessoas.

    Isso não pode ser perdido em O Hobbit. Essa transformação "palavra-imagem" precisa ser muito cuidadosa e muito bem feita, senão corre-se o risco de o filme ser um fiasco. Mas creio que, quanto a isso, Del Toro e Peter Jackson darão conta e tudo sairá bem.

    Outro ponto levantado pelo Eädsohn e, num dos posts resposta, o primeiro do Danyel, é o dos animais falantes e, em especial, dos cães de Beorn. Sério, quando li, foi imediata minha lembrança dos Castores, do Caça-trufas e dos demais personagens do C. S. Lewis em As Crônicas de Nárnia. Não achei que o Eädsohn se referiu a eles, mas a imagem dos animaisinhos andando pelo Castelo de Cair Paravel me ocorreu, rs. Mas logo parei e pensei: não, O Hobbit não é a mesma coisa que As Crônicas; logo, não será a mesma coisa também na versão cinematográfica. Contudo, há duas semelhanças cruciais: ambos são fantasia e ambos foram escritos para criança. É claro que o que vem antes e depois de O Hobbit é algo muito mais sério e "adulto", mas até aí, O Hobbit em si não é um história que está completamente envolvida no contexto (apesar de que, de alguma forma, é, já que o Um é encontrado e existe a presença do Necromante). Como foi dito, o vilão da história não é o Senhor do Escuro, nenhum deles, nem Morgoth, que já havia sido derrotado há tempos, nem Sauron, mas sim o Grande Dragão Smaug.

    Mas, voltando aos animais, eu, perticularmente, não veria um problema muito sério em vê-los representados de um modo mais infantil. Acho necessário até. Porque, ao ler O Hobbit, tive a sensação de que é um história leve. Achei muito mais fácil de compreender que SdA. E, por ser "leve", teclo de novo na mesma tecla, de que o filme deve ser acessível às crianças. Com animais selvagens, um Beorn assustador e grande, etc etc etc, mas não perdendo sua graça infantil. Afinal, um dos Trolls era Willian, não é? Esse fato, por si só, dá uma leveza na história, já que os nomes no Silmarillion, SdA e em Contos Inacabados são todos atípicos. Então, imagino que não seria de todo mal que os animais aparecerem de um modo um tequinho mais "leve".

    É isso. Acho que agora concluí.

    Beijo a todos!!!
     
    Última edição: 4 Dez 2008
  16. Elendil

    Elendil Equipe Valinor

    Sim, Thalion, concordo! Mas em SdA a inocência está apenas no Condado. Em O Hobbit, e isso pode ser algo que apenas eu acho, essa inocência está em toda parte. Nos anões, nos elfos, nos orcs...

    Lembro-me de ter lido no chat com PJ e DT que eles querem utilizar, para basear algumas cenas, ilustrações do próprio Tolkien, como PJ fez com as ilustrações de Alan Lee e John Howe em SdA. Isso, a meu ver, já mostra o quanto estão preocupados em manter a "essência inocente" do livro no filme O Hobbit.

    Se olharmos bem para as ilustrações desses dois grandes artistas, veremos que muitas delas são sombrias, "góticas" até. Adoro a luz que Alan Lee joga nos seus desenhos, ele deixa tudo com um ar mais "fantasmagórico". As Orthancs de ambos, por exemplo, são extremamente sombrias e góticas se comparadas as de outros artistas que retrataram a torre de Saruman tão inocentemente. Foi baseado nesses detalhes já pré-estabalecidos por Lee e Howe que PJ acertou em cheio retratando Orthanc (essa baseada na de Alan Lee), Valfenda, Minas Tirith, Barad-dûr, etc...
    Isso tudo por SdA exigir esse clima sombrio, deixando espaço para "inocências" somente no Condado. Agora, vejam as ilustrações de Tolkien para O Hobbit, são ótimas fontes para dias mais "inocentes" na Terra-média.:mrgreen:
     
  17. Grahan

    Grahan Sim, eu me divérto

    Certa vez eu li em algum lugar um crítico de cinema dizendo que O Senhor dos Anéis não é tão sombrio quanto PJ havia pintado. Desculpem-me, mas não lembro onde.
    Mas eu também acho que O Hobbit não deveria ter tons infantis. Se fosse um filme novo, isolado, ainda não ligado a algo que já é conhecido, talvez. Mas como ele é uma prequencia do SdA, e conforme os autores os 5 devem ser entendidos como uma história contínua, é importante que O Hobbit tenha os mesmos ares da trilogia, até pra ser coerente. Não é aceitável um filme totalmente infantil e depois adentrar em um abiente totalmente denso. É preciso adaptar com inteligência, algo que creio e confio que os diretores tenham. É importante usar a infantilidade com parcimônia e ponderação. Como o Eädsonh disse: é importante esse ar infantil, mas não pode ser um filme para crianças.
    O meu medo, Eädsonh, é o mesmo que o teu!
     
  18. Tywin Lannister

    Tywin Lannister Já fui Nómin e Baldwin

    Eu concordo com vc, e aliaás, esse fato de O Hobbit ser mais inocente e de isso poder aumentar a difculdade com que o filme sera feito, estou a 100% de acordo consigo
     
  19. My

    My Usuário

    Sei lá, viu, se me expressei bem. Enfim... não acho que O Hobbit deve ser um filme totalmente infantil, exatamente porque ele é uma seqüência, querendo ou não. O que quis dizer foi que a história é inocente, o contexto é mais inocente e o livro foi, primeiramente, escrito para uma criança. Não consigo pensar diferente, e peço perdão aos que não concordam comigo, mas ainda acho que o filme deve ser mais acessível às crianças. Não quero, com isso, dizer que deve ser um filme totalmente infantil. Até porque, imagino que, se isso acontecesse, o filme seria um fracasso, porque o público de SdA (principalmente o público exclusivamente dos filmes) não gostaria de ver um filme gugu-dádá nessa altura do campeonato.

    Mas concordo plenamente com você. Traduzir a a inocência de O Hobbit em um bom filme é um trabalho árduo, que acarretará esforços. Mas não duvido que Del Toro dará o melhor de si e teremos um ótimo filme.
     
    Última edição: 8 Dez 2008
  20. Gabriel Souza

    Gabriel Souza Usuário

    Isso me lembrou aquele filme de sessão da tarde do Chuck Norris, que ele se transforma em urso. 8-O

    Falando sério agora, eu preferiria assistir um filme que tivesse o mesmo 'gosto' infantil que o livro tem. Se for pra ter todo aquele clima sisudo de O Senhor dos Anéis, vou ficar muito desapontado, com aquela sensação de 'já vi isso antes'.
    Claro que isso não impede de termos elementos bem sombrios no filme. As aranhas da Floresta das Trevas, os orcs e mesmo os trolls ficariam bacanas se retratados de forma mais aterrorizante do que no livro (podemos ter ótimas esperanças que del Toro supere o que nos mostrou nas magníficas cenas daquele monstro esquisitão, com olhos nas mãos, em O Labirinto do Fauno). E pra aqueles que tem gosto por sangue e cabeças cortadas, os trechos da Batalha dos Cinco Exércitos e Gandalf resgatando Bilbo e os anões dos orcs seriam ideais pra isso.
    Mas ainda que tudo isso possa ser ótimo para o filme, acho que tem que manter aquela aura de inocência, fantasia e aquele humor sutil do Tolkien (espero muito que não cortem a hilária e inesperada resposta de Gandalf ao 'bom dia' de Bilbo). Por exemplo, ainda que os trolls (teríamos um Guilherme, na versão traduzida? :obiggraz:) possam ser mostrados como bem mais monstruosos e sanguinários, penso que seria legal manter a maneira como eles se deram mal pela forma como Gandalf os enganou.
    Enfim, penso que aventuras sérias e épicos cheios de guerra temos de monte, mas fazer um excelente filme de fantasia, com clima de 'conto de fada' (ainda que com monstros dignos de filme de terror e mortes sanguinárias) seria uma ótima idéia!

    EDIT: ficaria meio desapontado de ver mudanças no 'clima' da história só por causa dos filmes da trilogia. E pior que acho que é isso mesmo que vai acontecer. :osigh:
     
    Última edição: 1 Mai 2009
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar