1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Podemos concluir que Tolkien se inspirou na Bíblia para criar a sua Obra?

Tópico em 'Influências, Seguidores e Recomendações' iniciado por Hyarmendacil II, 3 Ago 2014.

  1. Hyarmendacil II

    Hyarmendacil II Usuário

    Assim, tem o Deus (Eru), os Ainur, os Valar os Maiar os Istari e os filhos de Eru. (além de outras raças).
    Ele se inspirou na Bíblia pra criar a sua Obra?
     
  2. Calib

    Calib Visitante

    Ele se inspirou numa porção de mitologias, incluindo a bíblica.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  3. Ilmarinen

    Ilmarinen Usuário

    Arquivos Anexados:

    Última edição: 16 Set 2014
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  4. Deriel

    Deriel Administrador

    Traduz pra gente? Pleeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeease?
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
    • LOL LOL x 1
  5. Atyarwen

    Atyarwen A Hobbit-size Elf Usuário Premium

    @Deriel são aproximadamente 50 páginas do "word".....se fizerem uma força-tarefa eu participo na tradução. :)
     
  6. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Eu também posso ajudar.
     
  7. Deriel

    Deriel Administrador

    Olha, eu já traduzi os Annals - cerca de 12 vezes essa quantidade. Não acredito em múltiplos tradutores pois acredito que gera inconsistência interna numa obra que é marcada por termos específicos e necessita de um "dicionário de tradução", mas acredito em revisores

    Mas é um opinião minha e se vocês quiserem se organizar para traduzir em grupo, por favor, dou todo apoio e suporte técnico pra isso, de verdade :D
     
  8. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Bem, tomei a liberdade de comentar algumas passagens até a parte IV ou V:



    -Interessante esse ponto na parte do “at once”, o que significa que tanto a voz do pensamento quanto a voz sonora carregada pelo vento eram na realidade como um só, mas com manifestação dupla, no que o corpo é um eco da alma. A separação extrema entre fear e hroa estava apenas nas terras mortais (“...amarás o teu Deus de todo o coração...”). Ou seja, o gemido vem do trono da alma dentro do corpo (talvez eu volte nesse tema mais tarde).

    -Essa parte da interpretação é interessante porque dá a entender que se um dia Melkor for totalmente destruído ou se um dia ele se redimir então Sauron não teria mais o que defender e poderia voltar ao que era antes. A não ser que ele mesmo encontrasse uma forma de como se tornar na primeira causa.



    -Penso que as escrituras tendam a ver os anjos como servidores que escolhem ou não ser fiéis a um trabalho que gera felicidade. Porém a função do trabalho tende a ser superior ao prazer ou júbilo que ele produz. No caso dos Ainur parece ter havido um cisma diferente da bíblia em que a separação tem motivações diversas, grandemente pelo prazer que sentiam em determinado tipo de obra e até Melkor parece ser uma força natural que sente prazer na maldade ou na forma que a maldade toma. No Silma os Ainur que permaneceram do lado de fora do mundo parecem contabilizar o júbilo, prazer ou glória de forma diferente dos que desceram, pois os que ficaram com Eru não tomam tanto prazer em assumir forma a ponto de imaginar uma forma de realmente usá-las para algum fim. Outra intepretação é que os que ficaram de fora também tenham esse desejo (de especializar em uma força mais masculina ou feminina e ali encontrar alegria, mas não possuem intenção de mudar seu destino no mundo exterior, não ainda).



    Aqui eu faria um adendo com relação a presença de algumas passagens bíblicas como a descrição dos seres celestes que desceram e se uniram às filhas dos homens vivendo e procriando com as filhas dos homens. (também lembra a história de Thingol). Mas acho que mais a frente ele já tratou disso, deixo aqui apenas porque o foco do texto mais adiante sobre os anjos que descem é outro.


    -Elaborando essa parte, no Silma há vários arautos de acordo com a missão, Eonwe também parece ser um dos principais. Talvez porque Manwe fizesse de arauto o grupo de seres que estivesse mais diretamente ligados a ele em vontade. Por exemplo, Aulë também representava a vontade de Manwe (estavam no círculo da lei) mas estava com frequência mais envolvido com desejos pessoais. Da mesma forma todo anjo é também um arauto, mas alguns possuem essa característica anunciadora de forma mais pronunciada igual se diz acima.


    -Refletindo nesse ponto existe a dinâmica da luz que brilha muito mais quando está cercada de escuridão. Varda era conhecida como o brilho mais fiel da face de Eru e aquela em que a luz conservava o destino de atravessar a escuridão do mundo com mais força que as outras luzes. No catolicismo há a intercessão ou pedido a Deus por meio da voz que permitiu a luz (Jesus de Nazaré) entrar no mundo.



    -Está aí algo que o autor deixou para a posteridade, que os leitores queimassem a massa cinzenta desvendando o que é mais apropriado entre a origem dos personagens fora do mundo de Eru e o que se conta deles dentro de SDA.


    -Por sinal, biblicamente falando também ocorreu algo semelhante. O resultado da procriação entre celestiais e humanos gerou guerra.



    -Pergunta interessante, mas só daria pra tentar responder presumindo que se compreenda (ou mesmo que o autor compreenda) totalmente o sentido do que é anjo.



    -A interpretação que faço do livro é que muitos dos seres maldosos e inteligentes de Melkor podiam ser espíritos perversos ou escurecidos (espectros iguais aos que atacavam a lua) que aparecem no Silma mas sem potencial para serem nomeados pelo termo Ainur dos quais Yavanna apenas ouve vagamente falar no pronunciamento de Manwe. Aparentemente, também o reino dos espíritos julgado por Mandos havia sido contaminado pelo Vala caído.

    -Reconheci vários paralelos discutidos também aqui no fórum, a lista funciona como um resumo dos tópicos.


    -Lembra também a separação idiomática do ramo anglo-germânico a partir do continente europeu. Os que estavam insatisfeitos foram morar na grande ilha, Inglaterra. Depois, houve nova separação com migração para a América, Austrália, etc...

    Sobre o Êxodo realmente tem migração e funciona mesmo diferente como ele falou, as pessoas não tiveram opção de viajar tanto que foram décadas para se separar quem seria digno de entrar na terra prometida. E não deixa de ser interessante, se cada pessoa for visto como partícula que recebe estímulo e energia então só aqueles muito “carregados” eram levados de um lugar para o outro a cruzarem um mapa inteiro.



    -Interessante que tanto na Bíblia quanto no Silma ocorre do indivíduo se perder do próprio mundo e em sua luta conseguir encontrar um tesouro totalmente inesperado. Mas só ocorre se o indivíduo estiver disposto a perder o mundo conhecido para receber algo novo e maior. (da perda daquilo que é mundano).

    -Ou então, quando a agulha e o tecido são um só, quando o personagem e a trama não tem separação. A separação quem criou foi a projeção na cabeça do Sam.
     
  9. Ilmarinen

    Ilmarinen Usuário

    Eu, infelizmente, estou sem tempo ...
    Daí meu relativo sumiço do fórum mas se outra pessoa se prontificar... Outro muito bom pra traduzir :
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar