1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

'Pode beijar as noivas' - união poliafetiva: justiça e comportamento

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 1 Out 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Foi lavrada em escritura, em agosto, uma união estável entre um homem e duas mulheres. O caso aconteceu na cidade de Tupã, interior de São Paulo, e teve repercussão nacional porque é a primeira vez - ao menos com registro e contrato - que uma união dessas é oficializada.

    O advogado Ronaldo Gotlib, autor do livro "Vai Casar? Separar? E se falecer?", explica o teor da união:
    ele completa.

    Estar num relacionamento é - quase sempre - complicado, e nesse caso a tendência é ainda maior, então
    diz o psicólogo Eduardo Coutinho Lopes.
    conclui.

    O caso de Tupã, chamada união poliafetiva, chama atenção por fugir do que a sociedade brasileira considera "normal".
    sinaliza Eduardo Coutinho.

    Com ou sem aceitação, uma vez lavrada e oficializada, a união permite que os três tenham direitos na relação - como em qualquer contrato. Dr. Gotlib diz:
    E completa que há direitos a serem preservados:
    A tabeliã do 15º Ofício de Notas do Rio de Janeiro, Fernanda Leitão, explica o que consta no acordo numa situação dessas:
    diz.

    A união poliafetiva ainda não foi discutida no Judiciário e as condições lavradas em Tupã são as únicas que se observam por enquanto.
    diz Fernanda. Dr. Gotlib complementa o raciocínio do que pode e o que não pode na lei:
    diz.

    O caso de Tupã pode ser, quem sabe, um primeiro passo.
    diz Eduardo.
    completa.

    Então, amigos, há chance de o casamento poliafetivo ser aceito como foi o biquíni? Porque pela imagem que o brasileiro teima em mostrar, sabemos que esse é um dos nossos maiores símbolos. "Casamento a três", e se a moda pega?

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Se a moda pega, além de ficar feliz, vou ficar endividado!

    (Ai se minha namorada vê isso!)
     
  3. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Sic

    Por que não? Já cagaram no matrimônio de todas as formas mesmo.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. O matrimônio varia de cultura pra cultura. Me admira que num país tão libertino como o nosso, a cultura ainda não permita esse tipo de coisa.
     
  5. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Aí que tá! As pessoas dizem que são livres e tal, mas o povo daqui é muito atrasado, só posam de modernos, mas se for ver onde as pessoas mais fazem sexo ou onde as pessoas são mais precoces no sexo, é (quase) sempre na Europa.
     
  6. Verdade... Muito difícil achar mulheres que topam coisinhas a 3, 4, 5 e 6.... Mania de achar que só por isso vai ser tachada de p***
     
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar