1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Planeta de carbono pode ter montanhas de diamantes

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Conan, 15 Dez 2010.

  1. Conan

    Conan Cavaleiro Pendragon

    Planeta de diamante

    Em 2005, o astrofísico Marc Kuchner propôs a possibilidade de existirem "planetas de carbono", nos quais o carbono seria o principal elemento.

    Apesar da vida na Terra ser à base de carbono, o principal elemento por aqui é o silício e, por decorrência, a maior parte das rochas na Terra são os silicatos.

    A principal decorrência dessa teoria é que um planeta de carbono, que tenha um núcleo metálico como a Terra, teria em suas camadas intermediárias, a grandes profundidades, as condições ideais para a formação de compostos de carbono - seja o familiar grafite, seja o tão desejado diamante.

    E não uma ou outra pedrinha de diamante, mas camadas de diamante com quilômetros de espessura.

    Planetas de carbono

    Agora, um grupo de astrônomos ligados à NASA anunciou que o exoplaneta WASP-12b, é o primeiro planeta de carbono já encontrado - conheça mais sobre o WASP-12b na reportagem
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .

    As observações, que concluíram que o exoplaneta é composto primariamente de carbono, foram feitas com o Telescópio Espacial Spitzer.

    "Este planeta revela a impressionante diversidade de mundos lá fora," disse Nikku Madhusudhan do MIT, um dos autores da pesquisa. "Planetas ricos em carbono seriam exóticos em todos os sentidos - em formação, em seu interior e em sua atmosfera."

    Um planeta rico em carbono traz logo à mente a possibilidade de vida. Kuchner não descarta a possibilidade de vida em um planeta de carbono, mas ressalta que ela seria muito estranha.

    "A vida em um planeta de carbono seria muito estranha. Materiais que contenham oxigênio seriam inflamáveis na sua atmosfera rica em hidrocarbonos. Assim, o metabolismo poderia ser o inverso da vida terrestre - queimando oxigênio como alimento, em vez de compostos de carbono," explicou.

    Montanhas de diamante

    O WASP-12b é o primeiro planeta encontrado que possui uma relação carbono-oxigênio maior do que um (a taxa real é mais provável entre um e dois). Isso significa que o planeta tem excesso de carbono, uma parte dele na forma de metano atmosférico.

    "Quando a quantidade relativa de carbono fica tão alto, é como você virar uma chave e tudo mudar," explica Kuchner, que não participou deste estudo. "Se algo assim tivesse acontecido na Terra, o seu anel de noivado teria uma pedra de vidro, que seria muito raro, e as montanhas seriam todas feitas de diamantes."

    Contudo, o WASP-12b parece ser um gigante gasoso, e nada se sabe sobre sua crosta, seu relevo e suas eventuais montanhas.

    Não é a primeira vez que os astrônomos lidam com "exodiamantes". Um estudo mostrou que os
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Se os diamantes dos planetas de carbono se parecerem com os diamantes carbonados, talvez o interesse por eles não seja tão grande.


    Bibliografia:

    A high C/O ratio and weak thermal inversion in the atmosphere of exoplanet WASP-12b
    Nikku Madhusudhan, Joseph Harrington, Kevin B. Stevenson, Sarah Nymeyer, Christopher J. Campo, Peter J. Wheatley, Drake Deming, Jasmina Blecic, Ryan A. Hardy, Nate B. Lust, David R. Anderson, Andrew Collier-Cameron, Christopher B. T. Britt, William C. Bowman, Leslie Hebb, Coel Hellier, Pierre F. L. Maxted, Don Pollacco, Richard G. West
    Nature
    8 December 2010
    Vol.: Published online
    DOI: 10.1038/nature09602


    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição: 15 Dez 2010
  2. Oakenshield

    Oakenshield Usuário

    Bela materia! ja havia lido no G1 e achei muito interessante ^^
    Isso me lembra alguns filmes / desenhos dos anos 80 e 90 onde apareciam planetas inteiros de diamante ou cristais hehe

    Apenas uma pequena curiosidade que encontrei em um site: O elemento mais abundante na terra seria primeiramente o oxigênio e depois o ferro, sendo o silício apenas o terceiro mais abundante.. Não sei se isso [e relevante, mas enfim =p

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  3. Conan

    Conan Cavaleiro Pendragon

    O que me lembra esta materia é a serie de ficção cientifica 2001, onde no livro
    2010 diz que o centro de jupiter seria um diamante, e no 2026 q surge uma montanha de diamante na lua de jupiter(depois que ele virou o novo sol, lucifer), Europa.
     
  4. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Mas devemos pensar no seguinte: se achassem esse planeta e conseguissem achar diamante, não seria muito inteligente trazẽ-lo para a Terra, pois o preço está na raridade, se achassem um planeta com muito diamante, o preço do diamante iria cair para nada, seria mais vantajoso vender água.
     
  5. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Tudo dependerá do custo de extração e transporte dele para a Terra x os custos aqui.

    Por outro lado, se o preço realmente caísse, seria preciso calcular a elasticidade-preço da demanda para dizer se realmente a queda seria prejudicial aos ofertantes.
     
  6. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Imagine um planeta com muito diamante, um planeta só com o tamanho de Plutão, ainda seria muito diamante, mas claro tem o preço de extração e transporte, mas valeria a pena e os custos seria compensados, e o preço cairia.
     
  7. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Daqui quantos anos estaríamos aptos para tanto?
    A quantos anos-luz ficaria o tal planeta?
    Qual seria nosso estágio de desenvolvimento nessa situação? E nossas respectivas necessidades?

    Até lá tudo pode mudar. Fazer especulação com essa possibilidade no presente é sem sentido.
     
  8. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Aí é que tá a graça, se tivéssemos os dados não teria discussão.
     
  9. Conan

    Conan Cavaleiro Pendragon

    Olha, pela raridade, realmente o preço cairia bastante, ate porque se teria bastante do produto em mãos... Mas não se pode esquecer q o diamante é um dos objetos mais duros do planeta, quando bem lapidado, um dos mais afiados e q tem melhor corte, e cheio de propriedades oticas interessantes. Um anel de diamantes realmente ia ser bem mais barato, mas seu uso pratico nao perderia tanta importancia.
     

Compartilhar