1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

planescape: torment

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Rodovalho, 21 Jun 2010.

  1. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    torment é um jogo. um jogo com muitos diálogos, praticamente todos apenas escritos. quantas palavras em seu script? aproximadamente 800000. para se ter uma idéia, isso é aproximadamente 4 vezes a contagem de crime e castigo.

    a trama do jogo é sobre the nameless one, um ser que perdeu sua mortalidade, e depois de tantas mortes fracassadas esqueceu suas incontáveis vidas. o jogo começa com nameless one acordando num necrotério, e a única pista de seu passado é uma tatuagem em suas costas dizendo pra resgatar seu diário com o... coveiro? a partir daí, são caveiras flutuantes falantes, sacerdotisas succubus castas, ratos mais inteligentes que humanos, zumbis mais sociáveis que humanos, um bordel de prazeres intelectuais, tudo isso numa cidade completamente caótica com vida própria, incrustrada na face interna de uma anel no centro do universo

    a insanidade desse universo me lembra um pouco discworld, e o humor sombrio me lembra sandman. mas nada de elfos e outras criaturas de fantasias medievais como senhor dos anéis. planescape é uma adaptação de um rpg muito conhecido, dungeons & dragons, que a maioria dos brasileiros conhecem por causa do desenho animado caverna do dragão,

    e ao contrário dos livros, que se limitam a contar histórias, o jogador controla o destino das personagens. a única forma de se descobrir todos os finais possíveis é jogando novamente. a releitura de um livro diferente

    pena que não tem tradução pra português. é um jogo feito no milênio passado, roda em qualquer computador atual. vale a pena dar uma conferida
     
  2. Bruno Masei

    Bruno Masei Usuário

    Jogo de 1997. Da extinta Black Isle.

    Eu sou simplesmente VICIADO nesse jogo. Joguei três vezes, tenho todos os diálogos no meu computador.

    Chego a dizer que é uma das coisas que formaram meu caráter.

    E vou dizer mais: estou fazendo uma adaptação do jogo para literatura (uma ADAPTAÇÃO, portanto terão algumas mudanças).

    Adaptação essa que eu pedi permissão, inclusive, para o idealizador do jogo: Chris Avellone. É um dos meus projetos pra esse ano.

    Quando digo que sou louco por esse jogo, eu falo sério.
     
  3. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    muitos jogos dariam boas adaptações para livros. adaptações para filmes geralmente não funcionam...

    da era de torment tem os primeiros fallout. renderiam muitas histórias. interplay também. a interplay fazia muitos jogos com um humor negro de primeira. the lost vikings é um bom exemplo

    o primeiro filme do final fantasy até que foi legal, mas foi muito avançado pra época, tanto quanto em tema quanto em tecnologia, aí fizeram esse adventure children, que dispenso comentários. final fantasy tactics pra play station renderia um bom livro. como se diz por aí: "se shakespeare criasse um video game, seria final fantasy tactics". ainda assim, acho que tactics ogre tem uma história bem melhor

    sem contar nos inúmeros jogos no estilo adventure, da lucasarts, que não há nenhum combate. nada de atirar em cabeças e derramar ketchup. apenas diálogos. secret of the monkey island, day of the tentacle, full throttle. agora estou tentando jogar grim fandango...

    estranho é que se faz muitas adaptações literárias pra jogos que quase não tem diálogo, como jogos de tiro em primeira pessoa, como halo. é a fama
     

Compartilhar