1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Pirataria na música

Tópico em 'Música' iniciado por Ronzi, 15 Jan 2008.

  1. Ronzi

    Ronzi Oh, Crap!

    Sempre fui a favor da pirataria na industria fonográfica, admito. Sou um grande "baixador" de músicas da internet e tenho quase 90 GB da hd ocupada somente pelo meu arquivo de audio.

    Os motivos de eu ser a favor são simples e daqueles mais utilizados:

    1. O Preço absurdo do CD, que aqui no Brasil beira a faixa dos R$ 40,00 um lançamento, ou seja, é combrado em dólar, pois as gravadoras são multinacionais e querem receber seu tutu em verdinhas.

    2. O fato desse dinheiro não ser na verdade revertido ao artista, pois ele leva na base de 1% do valor sobre um CD apenas, e seu lucro real é adquirido nos shows. E o lucro de direitos autorais é uma piada também.

    Admito também que o primeiro item é muito mais importante para mim que o segundo (foda-se se a banda demorou 10 anos para conseguir gravar um CD).

    Não sei se há volta para o processo que entramos, onde as gravadoras deixam de exercer um papel tão importante para a divulgação do artista, visto o pontencial que a internet tem nesse aspecto (Artic Monkeys é um grande exemplo) e o fato do CD ter se tornado obsoleto como meio de transporte para esse formato, afinal, quem precisa de um diskman se tem um MP3 pequenininho?

    Já ouvi falar em tentativas de outros meios de comércio, como o on-line e até vender o disco dentro de uma USB (White Stripes), mas quem vai pagar por algo que poder ter de graça?

    A falência do merado musical como conheços é tão inerente, que manchetes como essa do G1, esclarecem em que pé que as coisas andam:

    O que vocês acham da pirataria? Existe alguma saída para ela?
     
  2. Anica

    Anica Usuário

    Coincidência, ontem eu ia publicar um post sobre isso no blog mas acabei desistindo por achar que faltam informações sobre o outro lado para mim (acho que uma pessoa que poderia dar uma visão disso é a Estrela, espero que ela dê uma olhada nesse tópico). De qualquer forma, acho que sim, chegou num ponto que as coisas como eram simplesmente caducaram. Vamos voltar para osgrandessucessosdosanos90 e pensar, como começaram: sempre a mesma história, estavam num bar, um GRANDEEMPRESÁRIODEUMAMEGAGRAVADORA gostou do som dos caras, gravaram um álbum e pãns.

    Hoje em dia nós temos aí um zilhão de bandas que estão sendo lançadas porque estão colocando música no MySpace, e quem curte o som faz propaganda boca a boca (tipo "Ei, conhece The Bastard Fairies? O som é muito legal, vai nesse link aqui e escuta, cara!"). Além disso, vem um Radiohead com o In Rainbows e fatura uma nota - mesmo que tenha deixado em aberto para quem baixasse o álbum que pagasse quando achasse que valia (parece que ficou em uma média de seis dólares o álbum, mesmo com várias pessoas não pagando).

    Qual é a figura errada nisso tudo? É o músico querer ganhar uma grana pelo trabalho dele? Não, claro que não. Eu sinceramente não gostaria de dar aula durante um semestre inteiro e aí não me pagassem. É o trabalho deles, então cobrar um valor sobre a música está ok - não vamos entrar na merda demagoga de "arte não se vende!" porque todo mundo tem que pagar suas continhas, músicos também.

    No final das contas, o que caducou foi o negócio da "grande gravadora". Os músicos dependiam delas para terem alcance, para serem conhecidos. Sem internet e sem gravadoras, é bem provável que só conhecêssemos Nirvana uns três anos depois de Cobain metendo uma bala na cabeça. Não era só fazer o cd, era distribuir, vender, divulgar. Hoje em dia, a internet já faz isso - e algumas vezes até de graça (caso do MySpace).

    Enfim, como eu disse, faltam dados para mim sobre o outro lado para que eu possa ter uma opinião formada, mas do jeito que está é óbvio que não dá para continuar :|
     
  3. lipecosta

    lipecosta Usuário

    Kra esse é um assunto muito complicado.
    Eu sempre baixei muita música na internet- principalmente pq gosto de músicas um pouco "diferentes" das q estao na midia atualmente- e portanto não vou ser hipócrita ao ponto de dizer que não se devia baixar musicas de graça.
    Além dos motivos que o Ronzi falou é quantidade de músicas na internet, algumas das quais são impossíveis de se conseguir comprar numa loja de cd. Ex: tenta compra um cd do Rachmaninoff, Tchaikovsky ou até um cd raro do Bob dylan fazendo uma jam no porao com o Van Morrison.
    Portanto, sou a favor da disponibilização de músicas na internet, esquecendo o valor financeiro q as pessoas atribuem a tudo, é uma ótima maneira de se conhecer a música de verdade.
    Ah, pra vcs verem q a musica não precisa de gravadoras e sim d músicos, e que as gravadoras são as maiores responsaveis pela queda acentuada na qualidade das músicas.

    "Todas as artes aspiram à música"
     
  4. uhasuhsuhsfhus

    uhasuhsuhsfhus Usuário

    Assim já vi uma vez na lojas americanas um cd da Ivete sangalo lá no maracanã com o dvd junto á quase r$ 80,00 meu deusss e passando pela saara aqui vi o mesmo cd e o dvd o cd á 5 r$ o dvd a 7$ , o cara ainda fazia descontoo levando os dois pagava só 10 ! putsss huaahuauhhuahauahuhahuahua
    pra mim acho bem melhor pagar caroo por algo de qualidade néh do que comprar um falso e dar defeito nos seus aparelhos ! mas digamos q eu tb sou de carne e osso e digamos q já cai em tentação várias vezes sabe ,nessa coisa de cd pirata hum pirata é muito forte melhor falar por "cópias clandestinas " rrrsrsrss mas fazer o q num é todo mundo q q assim pode pagar mais de 40 r$ poder até pode mas é claro q vai passar aquela coisinha na cabeça: ----¬¬ hummm no camelô talvez seja mais barato ! rsrssrrssrsrsrsrsr[hr]bem saida até pode ter neh! humm baixar os preços dos cds seriam uma boa idéia ?
    sem dúvida nessa história toda quem sai mais prejudicado é o artista e a gravadora!
     
  5. Thorondir

    Thorondir Usuário

    Baixo músicas e compro se o CD for muito bom. O artista não lucra nada com a venda dos CDs, só serve para divulgar seu nome. O que vale mesmo são os shows. Vários artistas sensatos autorizam botar o trabalho pra download no site ou pra escutar de graça, etc.
     
  6. Alisson P.

    Alisson P. Usuário

    Também acho um assunto complicado. Pirataria é algo errado sim, já que impede que o artista receba por um trabalho que lhe custou tempo e dinheiro, mas do jeito que está, é praticamente inevitável. Muito pouca gente prefere comprar um CD ou DVD original, quando na esquina de casa o mesmo é vendido por um preço hiperbolicamente menor. E, cá entre nós, eu nunca ouvi falar de alguém que tenha tido prejuízo com seu aparelho de som por rodar CD pirata.
    Por outro lado, vejo bandas e artistas fazendo o possível para reduzir o preço de seus discos, capas de papelão, sem encarte e coisas do tipo, mas ainda assim pouco adianta. A pirataria está tão incrustada na vida do povão que muita gente tem os camelôs como primeira opção, nem procuram saber o preço dos originais.
     
  7. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    cd original (assim como dvds) ocupam espaço...

    eu sempre compro original... mas não tenho mais onde guardar tanta tranqueira... pq baixo pro computador e o original fica pegando pó na prateleira... (pelo menos, meus filhos vão ter muitos freesbies pra brincar!)
     
  8. Alisson P.

    Alisson P. Usuário

    É verdade, tem a questão das músicas baixadas também... Será que os CDs estão caminhando em direção à extinção?
    :think:
     
  9. Anica

    Anica Usuário

    Até por causa disso acho inteligente da parte de certas bandas (tipo Radiohead e nine inch nails) de disponibilizarem o album completo em formato mp3, pq não dá para negar mais que a maior parte das pessoas que têm o hábito de ouvir música escutam mais desse formato, deixando os cds como "itens de coleção". E nesse caso os caras do nine inch nails foram ainda mais espertos, porque ao lançarem o álbum na inet, ao mesmo tempo lançaram caixas especialíssimas, cheias de extras (incluindo vinis o_O), ou seja, um produto voltado para quem o compra, coisa de colecionador.
     
  10. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Demorei a dar minha opinião, pois queria colocá-la de uma forma clara.
    Bem... eu sou contra a pirataria, independente do tipo de mídia que é piratiada, mas também sou contra os preços abusivos que os álbuns tem. Sei que vai parecer hipocrisia, mas faço nesse esquema: baixo o cd, escuto até cansar e não ter mais vontade de escutar, se eu gostar do cd e achar que ele fez diferença na minha vida, compro. Afirmo mais uma vez que sou contra a pirataria, porque já tentei ser músico e sei o quanto é duro não receber por aquilo que se tem direito, mesmo que os CDs representem, as vezes menos de, 1% na renda do músico.
    Atualmente tenho, mais ou menos, 124 GB de música e é obvio que eu nunca vou comprar uma quantidade de CDs que seja igual a essa de arquivos, mas me esforço para fazer uma certa propaganda das bandas que gosto e até incentivo o pessoal a ir a show (uma forma de limpar a consciência).
     
  11. Shaytan

    Shaytan Usuário

    Nem me lembro qual foi o ultimo CD que comprei. Dependendo do tipo de música que você gosta as coisas ficam ainda mais complicadas, eu sempre gostei de rock e a maioria das bandas que eu curtia pertenciam a selos internacionais, então ja da para imaginar o preço. Além do mais, como o Ronzi comentou, quem é que vai querer carregar um discman podendo ter um mp3 player que pode ser usado até como chaveiro?
     
  12. Marcileia

    Marcileia Usuário

    Até um tempo atrás comprava um ou outro cd, mas depois de poder baixar as músicas da internet não sinto necessidade, até porque não é todo artista que vale a pena pagar o preço de um cd para escutar 2 ou 3 músicas mais interessantes (como exemplo).
    É claro que tem o lado do artista e talz, mas no mundo de hoje creio que eles deveriam disponibilizar as músicas na internet (porque se não o fazem alguém faz) e pensar em alguma forma de ganhar dindim fora a venda de cd.
     

Compartilhar