1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Personagens difíceis de mestrar

Tópico em 'RPG' iniciado por Barlach, 22 Mai 2003.

  1. Barlach

    Barlach Verde. E arqueiro

    Eu tô mestrando um grupo de D&D e tô tendo muita dificuldade com alguns personagens.

    Tem um q o jogador nem se deu o trabalho de criar uma história. Ele já é famoso por isso. Ou ele cria um guerreiro anão (só isso, nada mais.....) ou um brujah q trabalha numa loja de conveniencia :tsc: ...... Daí fica quase impossível colocar o cara na história, especialmente D&D q se baseia no trabalho em equipe.... ele simplesmente naum ajuda em nada a juntar o grupo......

    Outro pc chato de mestrar, mas naum tanto, é aquele com a história super complexa, mas esse costuma aparecer mais em storyteller. o cara tem um monte de impecilhos q o tiram da história....claro q dá pra trabalhar na história do cara, mas isso afasta os outros jogadores....

    q q vcs fazem???? eu naum entendo a dificuldade de cooperar com o mestre....... o melhor é sempre criar uma história interessante, mas simples, q permita vários ganchos pro mestre.
     
  2. Fëaruin Alcarintur ¥

    Fëaruin Alcarintur ¥ Alto-rei de Alcarost

    No caso do jogador sem background (e sem criatividade, diga-se de passagem) não tem muito o que fazer. Pra dar uma boa lição nele, você pode você mesmo incluir alguns "probleminhas" na vida dele, que decorreriam, normalmente, do seu background. Se ele reclamar, diga-lhe que o tosco foi ele por ter preguiça, e que a falta de história dá a você, mestre uma liberdade de fodê-lo. :twisted:

    Quanto ao outro, bom, insira nuances da vida dele; por exemplo, um inimigo, aparecendo esporadicamente, mas nada com exagero, assim você usa a história dele sem comprometer a dos outros. Mas na boa, um jogador que se dá ao trabalho e tem um cuidado especial ao criar sua história sempre tem a minha preferência; acaba sendo muito mais ricas as aventuras em que a história do cara e da própria narrativa se correlacionam; você tem que mostrar uma espécie de prêmio pelo cara ter pensado tanto; um inimigo rico rende boas histórias, um inimigo poderoso de um personagem pode ajudar a unir ainda mais um grupo, ou afastá-lo. Na verdade eu acho muito legal, muito mesmo, quando o grupo tem rixas internas; confrontos jogador X jogador (não necessariamente lutas, confrontos) são interessantíssimas!! As jogadas de cada um pra foder o outro são divertidas, e é impressionante como alguns se empenham!!

    Nossa, viajei, acho que fico por aqui, por enquanto. :mrgreen:
     
  3. AhUAHUAUA Brujah que trabalha numa loja de conveniência e fria!!!! hahaahaah

    Bom, que tal o clássico "Eu sou o mestre, eu mando aki" ????

    Fala que ele tava passandu por um lugar, trombou com alguem e da o objetivo pra ele!!!!

    Mas se o cara for da Camarilla é mais facil......o príncipe quer que vc vá e pronto!!!
    Ou o Priscus, se for sabá (é o priscus né?? se tiver enganado me corrijam HihiHIih)

    Agora, o anão guerreiro e legal : Fala que um Halfling derrubou suco se maçã no escudo dele (ou na barba remelenta dele hehehe) aí ele sai correndu atrás dele até chegar o grupo do resto dos personagens HIhiIHhihhi

    Ou que tal "Um arqui-mago te teletransportou para o grupo do resto dos personagens"????

    Se tiver dificuldade, faça motivos beeeeem idiotas como estes!!!! :mrgreen:
     
  4. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    É fundamental um background... Nada mais sacal do que um grupo sem passado que se encontra numa caverna pra se juntar, ir matar dragão e ganhar xp.

    O personagem deve começar com um passado, nem que seja necessário que o mestre o crie. E que o jogador arque com as consequências. Não sendo isso, que crie um personagem com aminésia, outro clichê, mas aí é dar carta branca pro mestre tirar proveito...

    Personagens com boa história (não, não é aquela máxima do "fui criado por um dragão vermelho que me deu uma espada vorpal quando eu era pequenininho e me jogou uma magia wish pra eu ter força 19...) enriquecem a trama, dão condição pro mestre desenvolver uma trama mais profunda e coerente...

    Enfim, é isso. Se o personagem é vazio, em aventura minha, ele fica de lado, porque as histórias que bolo são feitas pensando nos personagens... Se não há o que pensar... :roll:
     
  5. :lol:
    nossa... que pena q não mestro...
    senão eu daria mta risada com brujahs em lojas de conveniência... :lol:
     
  6. Barbárvore.

    Barbárvore. Beatlemaniac

    Agora me digam... como juntar um Paladino com um Ladino? Isso é uma coisa quase impossível mas eh o q eu teria q fazer se nao trocasse por juntar um Bardo, Ladino e Guerreiro, fica mais facil mas nao tie ideias ateh agora :mrgreen:

    realmente a aventura fica dificil pra caralho se os teus jogadores forem desinteressados em background, pq daih nao tem motivos pra eles fazeres isso, só fazem e pronto
     
  7. Slicer

    Slicer Velho de Araque

    Quanto aos senhores "não tenho passado", eu me recuso a começar a mestrar até que eles deem uma história convincente. Quanto a aqueles que dão uma história quilométrica, eu tomo cuidado para que a história do cara não seja prejudicada. O problema é que ambos não entendem que é necessário que os personagens se encaixem no jogo. A dica que eu dou é para que o pessoal não faça uma história que tenha algum grande acontecimento, pois é para isso que o jogo serve.
    Então, não mestre para esse vagabundo a não ser que ele dê no mínimo uma pequena história. Se ele não der mesmo assim, e vc não quiser perder o jogador, então faça da vida dele um inferno. Fique dizendo que trabalhar de balconista é trabalho de carniçal fracassado, faça ele entrar em frenesi, cause um reboliço com o Príncipe... fica sempre mais fácil criar antagonistas para esses caras, eles não tem cérebro suficiente para contra-atacar a uma boa trama...

    Quanto à belíssima dupla "Pa-ladino", faça o palada de bobo toda hora. A moral é o grupo sempre dar uma ajuda pro ladrão, ou tirando a atenção do palada, ou levando ele para montar guarda em lugar tal... Faça também um complô com o mestre, um dos personagens sai para dar uma olhada na movimentação na rua, faz um barulho de guarda chegando, o palada corre pra cima pra defender o grupo enquanto o ladrão rapidamente rouba o que tiver alí. Só tem que ter cuidado para que não seja um daqueles paladinos que invocam o nome do deus deles para a luta... :mrgreen:
     
  8. Lestat

    Lestat Usuário

    Kra...jogador sem hstorico é mo merda...geralmente sempre q possivel eu peço um historico a todos e dependendo se fom muito bom eu ate bonifico, o q faz os jogadores se empenharem...no caso qndo o jogador naum quer cooperar com o mestre ele fica sem jogar...vo descrever um exemplo:

    No comeco de uma aventura de gurps eu avisei aos jogadores: a aventura vai se passar dentro de uma mansão assombrada q vc vai ter q descobrir os segredos e enigmas...ate ai td bem...comecou a aventura e eu tinha narrado: o onibus de viajem q vcs estava derrapa por um barranco e cai..vcs veem mortos por td lado, os celulares estao fora de area e vcs naum vem nenhum vestigio de civilização a naum ser uma mansão ao longe...oa unicos vivos são vcs, a chuva aperta e comeca a trovejar e o q q vcs fazem?

    Todos os jogadores foram pra mansão tentar se abrigar e cuidar dos ferimentos, menos um...esse individuo quis continuar na estrada e eu disse, a chuva comeca a apertar e vc comeca a ouvir barulhos estranhos na mata...ele disse q ia continuar andando pela estrada ate achar algum carro passando ou alguem...e eu disse ja apelando...vc ve a q noite parece diferente e a mansão parece abrigavel e a melhor opcão ate amanhecer, e ele disse vo ir pta mata ver se eu acho uma cabana...eu disse q caiu um raio perto dele e a a noite parececia cada vez mais perigosa e hostil...e o puto mesmo assim continuou na merda da estrada...q q eu fiz? larguei ele de mao...a aventura começou, todos começaram a jogar e o individuo sempre no turno dele ele andava e andava mais...no final da aventura ele ficou puto comigo pq disse q naum jogou nada so ficou andando e eu ja muito puto perguntei pro infeliz pq q ele naum entrou na maldita mansão ja q a aventura se passava la e ele disse, q era pq o personagem dele naum gostava de mansões(vai entender)...Entaum pq diabos colocou uma porcaria de personagem q tinha trauma de mansão se a porcaria da aventura se baseava na merda da mansão??? e ele ficou sem resposta... :x

    ve se pode...q q vcs fariam com esse individuo?
     
  9. Vinci

    Vinci Usuário

    Personagens de nível 1 não deveriam ter grande background. :roll:
     
  10. Fëaruin Alcarintur ¥

    Fëaruin Alcarintur ¥ Alto-rei de Alcarost

    Lógico que sim, o cara não brotou da terra com todas as habilidades que ele tem. :mrgreen:
     
  11. volteryus

    volteryus Usuário

    tipo assim.... vc tem a classe, raça, tudo que seus jogadores são ou querem ser isso é a ficha.... não deixem que eles tomem conta da história criando suas próprias histórias.... ex: um anão guerreiro que mora em Hotwawar (uma peuqna vila no meio de montanhas geladas), gosta de ajudar seu pai numa lj de conveniencia, resolve ir para o sul, um lugar mais quente e gostoso.... o resto vc inventa e não esquece de dar um machado exotico pra ele....

    esses que enchem o saco dizendo que a arma foi do vô por isso é especial, a bota feita pelo povo....blalbalbalb....... são esses q vc deve alterar bastante a historia... primeiro falando nada disso, nem disso, nem disso....

    vamos dizer que um elfo ranger gosta de colecionar unhas de matadores de animais e soube que no sudeste estão matando muitos.....
    agora um mago humano recebeu um chamado de sua ordem para ir na cidade de Belgostinores que fica no sudoeste......

    ou seja o anão, o elfo, o humano não tem nada a ver um com o outro e estão em terras totalmente distintas... arruma uma façanha de encaixa-los na mesma aventura e...........
    é contigo.......
     
  12. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    Não existe personagem difícil de mestrar. O que eu faço é "forçar" um entendimento no grupo como um todo, inclusive os que são mais distintos, ou tem atritos. Exemplo: já fiz um Elfo negro (vulgo Drow, que não é aquático ou afogado) ficar unido como irmão de um Avariel (winged-elf), ao ponto do Drow se sacrificar por ele. Mas confesso que comigo ninguém joga sem background. Inclusive, como em Vampire, faço um mini-jogo solo para que ele entre na aventura. O bg que eu faço mostra características peculiares ao personagem, assim ele fica mais "real".
     
  13. Barlach

    Barlach Verde. E arqueiro

    um problema é qdo o jogador se preocupa tanto com a ficha, com seus poderes, armas e esquecem de criar história.....qdo é d&d e meio fastplay, eu nem me importo, pq alguém vai criar uma história e eu encaixo o resto, mas naum dá pra fazer isso com vampiro ou lobisomem......

    e tbm tem o jogador q quer q o seu personagem seja superpoderoso ou siperimportante e por isso criam uma história q é mais uma desculpa (esse mesmo jogador q eu falei no começo disse numa aventura de lobisomem q tinha ganhado uma grande klaive, pra quem naum conhece, a arma mais sagrada dos lobisomens, num desafio, como se algum garou um dia aceitasse duelar por sua klaive).....
     
  14. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    Mas mesmo assim D&D tem seus problemas. Se for pra jogar uma aventura com aquele personagem tudo bem, mas se for uma campanha a coisa muda de figura.
    Uma das coisas que eu faço para evitar isso é a obrigatoriedade do background. E mesmo assim eu mudo algumas coisas, pq o mais comum prum fighter é: "a espada +5 do meu pai está comigo...", eu pergunto pro cara pq ele ganhou a espada e a resposta é: "Pq sim." E eis que uma espada desaparece.
    Nada pode ser tão fácil.
     
  15. Lestat

    Lestat Usuário

    No caso é a diferença entre fazer ficha e criar personagem
     
  16. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    Mas como vc consegue, na cabeça dos jogadores, diferenciar isso?
    Eu mestrei para um grupo certa vez em que eles apenas gostavam de preencher ficha e sair na porrada. A minha sorte é que eu consegui mudar os rumos da história e tivemos sessões memoráveis.
    E quando o jogador é meio ruim de jogo (no bom sentido)? O que pode se fazer?
    Eu acho que é aumentando o grau de complexidade da aventura.
     
  17. Lestat

    Lestat Usuário

    Ah kra...mais ai varia de jogador pra jogador...realmente é dificil mas um esporro em grupo ou uma conversa com o grupo muitas vezes funciona :wink:
     
  18. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    Sou um adepto da conversa, não posso me estressar por pouca coisa.
    Sempre que tem uma brecha no jogo eu vou tentando forçar uma barra com papo, mas a aventura continua a mesma, o jogador ruim (o que não sabe interpretar, o super-overpower com uma espada +10, o advogado de regras) se manca aos poucos e começa a entrar no espírito da coisa (no bom sentido).
     
  19. Lestat

    Lestat Usuário

    é verdade...com uma boa conversa e uma forçada do mestre na avetura melhora muito os jogadores problematicos...qundo eu mestro é isso q eu faço...o problema é qndo o mestre é problematico...a unica solução q eu vi pra isso era trocar de grupo...
     
  20. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    Bem...
    Eu nunca tive esse problema... Mas se o mestre é ruim eu acho que já na terceira aventura eu tiro o corpo fora.
    Tudo o que eu não quero é um mestre que nem o da campanha do dragão... :disgusti:
     

Compartilhar