1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Pastor Marco Feliciano é eleito para presidir Comissão de Direitos Humanos

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Mercúcio, 7 Mar 2013.

  1. Mercúcio

    Mercúcio Well-Known Member

    [h=2]Pastor Marco Feliciano é eleito para presidir Comissão de Direitos Humanos[/h]

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Os deputados Jean Wyllys (à esq.), Luiza Erundina (centro) e Domingos Dutra (à dir.) após deixarem a CDHM. Foto: Twitter / Luiza Erundina



    O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), conhecido por declarações homofóbicas e racistas, foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira 7. A eleição de Feliciano, manobrada pela bancada evangélica da Câmara, ocorreu sob bastante tensão. Deputados ligados à causa dos direitos humanos se retiraram da reunião, em protesto contra o nome de Feliciano e também pela proibição, determinada pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), de que a votação na CDHM ocorresse a portas fechadas. Manifestantes ocuparam os corredores da Câmara, mas foram impedidos de entrar na sala em que ocorreu a eleição.


    O abandono na CDHM foi liderado por Domingos Dutra (PT-MA), presidente da comissão até a manhã desta quinta. Dutra afirmou que a forma como a votação foi conduzida configurava uma “ditadura”. O petista foi acompanhado pelos deputados Padre Ton (PT-RO), Erika Kokay (PT-DF), Jean Wyllys (Psol-RJ), Luiza Erundina (PSB-SP), Luiz Couto (PT-PB) e Janete Pietá (PT-SP). Com a presença apenas de integrantes da bancada evangélica, Feliciano recebeu o voto de 11 dos 12 deputados que permaneceram na comissão.


    A votação já havia sido adiada na quarta-feira 6, quando manifestantes defensores dos direitos dos homossexuais e dos negros lotaram a sala da comissão e pressionaram os membros do colegiado para votar contra a indicação do pastor.


    Os deputados rebelados disseram que cogitam formar uma comissão paralela de Direitos Humanos e devem se reunir novamente na próxima terça-feira 12. Para a deputada Erika Kokay (PT-DF), a eleição de Feliciano representa a “desmoralização do Congresso”. “O que a bancada fundamentalista tenta fazer é transformar as vítimas em algozes. Isso é uma estratégia fascista”, afirmou Kokay pelo Twitter. “Esta comissão não é mais a Comissão dos Direitos Humanos”, disse Luiza Erundina (PSB-SP).



    Apoio de pastores


    Sem os deputados ligados aos direitos humanos, a sessão da CDHM se transformou em uma sessão para atacar os homossexuais. A eleição que levou Feliciano ao cargo foi presidida por João Campos (PSDB-GO), líder da bancada evangélica. Durante os discursos elogiosos a Feliciano após a eleição, deputados se mostraram contra a criminalização da homofobia. O deputado Hidekazu Takayama (PSC-PR) disse que todos naquela sala haviam vindo de uma relação entre um homem e uma mulher. Takayama disse que os mais de 3 mil assassinatos de homossexuais no país não foram feitos por cristãos, mas pelos próprios homossexuais. “93 ou 97 por cento dos casos foram por parceiros dessas pessoas. E os outros por esses malucos chamados skinheads. Cristãos não são homofóbicos,” disse o deputado.


    O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), defensor notório da ditadura, reclamou dos protestos. “A esquerda não achou nenhum problema na eleição do Raúl Castro lá em Cuba, impressionante”, disse. “Não assistiremos mais aqui seminário LGBT infantil, com crianças sendo estimuladas uma a fazer sexo com a outra.” Durante seu discurso, Feliciano disse que não era homofóbico ou racista. ”Os cristãos nesses momentos, ao invés de estarem aqui, estão rezando pelo país inteiro.” Em seu discurso, ele também agradeceu o apoio do PSC. “Com todo respeito às outras siglas, não sei se os outros partidos suportariam a pressão que o meu partido sofreu.”



    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    O deputado Marco Feliciano, novo “líder” das minorias da Câmara. Foto: Gustavo Lima / Agência Câmara



    Feliciano já causou diversas polêmicas com seus comentários. Em um discurso durante um congresso evangélico, ele afirmou que a Aids era o “câncer gay”. “A própria ciência revela o predomínio de infecção por esta doença em pessoas manifestamente homossexuais, tanto é verdade que quando se doa sangue na entrevista se for declinada a condição de homossexual essa doação é recusada”, sustentou mais tarde também em seu site.


    Em 2011, publicou no Twitter que os descendentes de africanos seriam pessoas amaldiçoadas. “A maldição que Noé lança sobre seu neto, Canaã, respinga sobre o continente africano, daí a fome, pestes, doenças, guerras étnicas!”


    Com informações da Agência Câmara

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. Tilion

    Tilion Administrador

    Botando qualquer episódio de Além da Imaginação no chinelo.

    Sério, não consigo nem conceber. Meu cérebro tá pedindo arrego. É demais pra sanidade de qualquer um.

    Dá pra ter esperança de melhora se me saem com ISSO?

    *joga a toalha*

    Fui.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  3. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    O Brasil é uma m* mesmo! Como isso acontece? E adoro quando aparece alguém pra falar em ditadura gay, algumas pessoas resolveram deixar o cérebro sem usar. São os gays que querem que todos sejam gays? E ainda querem ser respeitados?! "Tolerar intolerância não é tolerância é covardia!" (me esqueci a autora da frase). Eu não respeito nenhum evangélico bitolado, se querem respeito aprendam a respeitar.
     
    • Gostei! Gostei! x 4
    • Ótimo Ótimo x 2
  4. Asca

    Asca Usuário

    Véi, Brasil tá brincando do trocado faz tempo. Desde sei lá quando. Até hoje me lembro da época que botaram um dos maiores desmatadores do país pra ser o presidente da comissão de meio ambiente do senado, é tão ofensivo quanto esse ocoriddo de agora. Sem falar no presidente da casa ou dos presidentes de comissão de ética. Chega da vontade de rir.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  5. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    O Blairo Maggi? Não tenho certeza se é assim mesmo que se escreve.
     
  6. Asca

    Asca Usuário

  7. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Tá tudo banalizado mesmo. Tem Renan Calheiros presidente do senado, fora politico condenado pelo mensalão na ativa novamente.

    Só fazendo uma revolução popular a la francesa de 1789 tomando o congresso e o senado de assalto pra fazer uma verdadeira limpa lá dentro e fazer rolar umas cabeças via decapitação na velha e sempre eficiente guilhotina (essa ultima era a minha verdadeira vontade).
     
    Última edição: 8 Mar 2013
  8. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    Caramba hein, burocracia estatal, pastores pentecostais e militantes esquerdistas, tudo em um mesmo local. Pra completar a nata brasileira só faltou chamar o pessoal do funk.
     
    • Fail Fail x 2
  9. Raphael S

    Raphael S Desperto

    • Gostei! Gostei! x 2
    • LOL LOL x 1
  10. Mercúcio

    Mercúcio Well-Known Member

    Alguém tem que protestar, né Haran?
    E é natural que não sejam pessoas com as mesmas orientações que as suas... ainda bem. :cerva:
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
    • LOL LOL x 1
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  11. Mavericco

    Mavericco I am fire and air. Usuário Premium

    E como esse tipo de catástrofe não costuma vir sozinha:

    Mas quanto à notícia do tópico em si...

    Sei lá, não sei como comentar uma coisa dessas e manter a racionalidade, o bom-senso. Se bem que a eleição desse calhorda não me parece ter seguido nem um nem outro.

    Cheguei a assinar um abaixo-assinado contra a eleição dele que tinha como meta alcançar os 7 mil votos. O abaixo-assinado a favor dele tinha 100 mil.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  12. Mercúcio

    Mercúcio Well-Known Member

    Última edição por um moderador: 5 Out 2013
    • Gostei! Gostei! x 1
  13. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Essa figura em particular foi a pior escolha possível para presidir a comissão. Fica, no entanto, a pergunta: Ser evangélico é automaticamente um proibitivo para esse tipo de trabalho? Se o candidato fosse evangélico e não tivesse um histórico de declarações polêmicas e infelizes como esse sujeito, será que mesmo assim haveria essa reação? Sinceramente eu acho que sim. Quando se fala em Estado laico, acho que as pessoas entendem de imediato que uma figura religiosa não pode assumir nenhum papel político, quando acho que o caminho não deveria ser esse. Acho que foi Mercúcio que postou um vídeo com discurso do Obama, onde o presidente fala sobre a diferença entre as suas crenças pessoais e a sua forma de conduzir as questões sociais. Infelizmente é difícil encontrar líderes políticos com maturidade de discurso (nesse sentido os EUA estão anos-luz na nossa frente), mas acho que um político religioso e esclarecido não seria bem recebido mesmo assim para um cargo nessa comissão.
     
  14. Kainof

    Kainof Sr. Raposo

    É tudo tão ridículo, vergonhoso e revoltante, que ainda estou em estado de choque. Simplesmente cogitar esse senhor para tal cargo, o jogo político feito entre os partidos, a votação de portas fechadas, tudo...

    Nesse link tem os locais e horários de protesto público em todos o país, e além, contra essa nomeação:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  15. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Eu não teria problema pra votar em alguém que fosse religioso, mas mantivesse uma atitude neutra no cargo, o problema é ele ser imbecil, não religioso. Embora ele use a religião para isso.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  16. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Olha, não sei pra que eleição. Sério, cada vez que tentam renovar as cadeiras, só piora. Pra quê Senado? É um toma-lá-dá-cá na frente das câmeras, clientelismo impera de vez no Brasil. Meio Ambiente, homossexuais e liberdade de expressão e religião que se fodam, a Copa tá aí! É só meter um sambão, cerveja e mulher gostosa rebolando que fica tudo na paz.
     
  17. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Felizmente essa é a sua opinião, Morfindel. Só que eu não poria a mão no fogo pra dizer que esse seria o comportamento da maioria. Eu não sei exatamente o que você quis dizer com "ditadura gay" no seu post acima, mas eu sei que há muita polêmica sobre a militância gay. Eu não tenho uma grama de dúvida de que os homossexuais ainda tem muitos direitos a conquistar, mas também acho que é muita inocência achar que tudo o que os militantes gays pedem está dentro do razoável. Sabe pq eu digo isso? Não é pq eu seja parcialmente favorável aos direitos dos homossexuais, mas pq eu acredito que os nossos legisladores são incompetentes ou então agem de má fé. A chamada Lei da Homofobia (nem sei que fim levou essa história, to desinformado) tinha vários parágrafos bem questionáveis do ponto de vista da liberdade individual e religiosa, possivelmente fruto da pressão dos militantes gays. A história do "kit gay" é outra polêmica meio mal contada. Enfim, volto a dizer que não entendi muito bem o que você quis dizer sobre a "ditadura gay", então posso ter falado besteira.
     
  18. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Ditadura gay é um termo que alguns usam para dizer que hoje vivemos uma ditadura gay, quando o que os gays pedem é direitos plenos, os que os heterossexuais possam fazer os gays também querem, casamento, adoção etc.

    Quais os paragrafos questionáveis?
     
  19. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Os dois exemplos abaixo eu peguei de uma conversa antiga minha por email, então há o risco desses parágrafos terem sido alterados.

    Isso pode gerar um problema com a liberdade religiosa e eu acho que é um caso de má redação. Dentro da igreja, o padre pode proibir "a livre expressão e manifestação de afetividade do (...)", pois ali ele está professando a fé dele. Ali é um espaço "privado" (não é privado na prática, pois qualquer um pode entrar na igreja) e na igreja todos compartilham desse mesmo pensamento. Agora, na rua, ninguém pode coibir essa livre expressão. mas a lei não diferencia esse tipo de questão.

    Ou então:

    Não sei se estou interpretando errado, mas isso parece significar que se um padre ou pastor durante a missa ou culto falar algo contra a prática homossexual ele então poderá ser punido. Existe um conflito meio confuso entre as várias liberdades (individual, religiosa, sexual e etc) que não é fácil de resolver e eu acho que aqueles que redigem as leis só atrapalham.

    Se eu ofendi alguém, desculpe. Como eu já disse, sou totalmente favorável aos direitos dos homossexuais, mas também acho que existe a questão da liberdade religiosa que precisa ser considerada e seus limites bem definidos.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  20. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Mas o artigo só fala de proibir a livre expressão, se você não proíbe você não está desobedecendo o artigo.

    Não fere liberdade de religião não, e se uma religião pregasse a discriminação contra negros, aí é ruim, mas contra homossexuais, então pode? Liberdade de expressão não está acima da proibição de discriminação. Pregar intolerância não é liberdade de expressão, é discurso de ódio.
     

Compartilhar