1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Paris é uma Festa (Ernest Hemingway)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 30 Ago 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Em O Apanhador no Campo de Centeio, Holden Caufield apresenta um critério bastante interessante para se “julgar” um autor: ele diz que os “autores bons” são aqueles para os quais você deseja ligar para bater um papo depois de ter terminado de ler seu livro. Posso dizer duas coisas depois de ter lido Paris é [...]

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    Anica, tem um tópico já sobre esse livro, depois você mescla ele com o outro, OK?

    E daí já aproveita e vê se estou sendo implicante ou não: a mulher do Fitzgerald realmente não devia ser uma pessoa com a qual gostaria de manter contato, mas o próprio Fitzgerald parecia ter umas excentricidades e um alcoolismo nada fáceis de aturar, não é?

    A Gertrude Stein também, tinha horas que ela parecia meio bipolar, alterando o humor de uma hora para a outra, falando meio em enigmas, sem ser claramente, com certos cacoetes que não deviam ser fáceis de aturar, apesar dos bons conselhos e ajuda que ela deu ao Hemingway.

    Acabou que, apesar da cara de sisudo ou de excêntrico-mor, o Ezra Pound parecia o mais gente boa.
     

Compartilhar