1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Paraíso Líquido (Luiz Bras)

Tópico em 'Literatura Brasileira' iniciado por Breno C., 20 Ago 2010.

  1. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Ganhei esse livro do próprio autor, depois de uma leve indicação de um certo membro aqui do fórum. Estou devorando (na medida do possível) cada um dos contos e me surpreendendo. Quando comecei, estava mais ligado a diversão de ler mais conteúdo de ficção cientifica, tinha esquecido que esse tipo de história tem um forte poder de reflexão (pelo menos comigo). Agora os contos estão me fazendo pensar mais, em âmbito geral e pessoal. Também achei espetacular a forma como o Luiz Bras brinca com uma linha de tempo linear, permitindo que o leitor brinque junto e leia os contos na ordem que bem entender.

    Ainda não terminei, mas acredito que posso indicar para todos que querem começar a ler mais livro de ficção cientifica.
     
  2. Bruno Masei

    Bruno Masei Usuário

    Nelson é fantástico, gente. Se puderem, leiam todos.

    Eu li só o Fábrica de Percevejos, acho que é assim. Gosto demais da escrita dele. Além de ser um ser humano fantástico!
     
  3. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Terminei o livro a pouco tempo e posso dizer que foi uma grande leitura.
    Não estava acostumado ao tipo de ficção científica que o autor propõe em seus contos e muito menos ao poder de reflexão que o estilo poderia ter. Estamos acostumados a limitar a ficção cientifica a Aliens e futurismo exagerado, então ver um autor colocando o futuro de uma forma nova e relacionando isso a nossa cultura, é muito bom.
     

Compartilhar