1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Para que serve o homem e a mulher?

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Che Guevara, 20 Fev 2005.

  1. Che Guevara

    Che Guevara Usuário

    A cada dia que passa, a família está mais degrada (crianças com problemas psciológicos, altos índices de separação, mortes, suicídos etc.), e como conseqüência, a sociedade perde também. No meio de todas estas mudanças no mundo, as relações afetivas e amorosas também se modificam.

    Depois desta pequena introdução, gostaria de saber a opinião da galera do fórum sobre: a mulher (é frequente a visão dela como objeto?), do homem (que está se colocando, muitas vezes, no lugar da mulher), das relações amorosas (casamento ainda existe?será que é preciso namorar e casar para sermos felizes?) e a família.

    Desde já, agradeço a colaboração.
     
  2. Ogden

    Ogden Usuário

    Hm. Há mulheres e mulheres, homens e homens. Mas tudo anda virando objeto ultimamente, todos procurando ideais etc. etc etc.

    Relações amorosas ainda existem e sempre vão existir, enquanto o homem ainda for humano. A família sempre parte disso né, em todos os sentidos. Ainda há famílias ''saudáveis'', muitas delas, se o que você chama de família saudável é uma família unida, com pai, mãe, filhos, talvez avós, um tio aqui, outro ali e todos felizes e sem problemas. Mas isso também é outro modelo né.

    O homem é um bicho que muda demais, tanto de um para outro quanto com o tempo que vive. Não dá pra ficar criando modelos como esse. Há famílias "desmanteladas" que são felizes.
     
  3. Snaga

    Snaga Usuário não-confiável!!!

    Acho que isso varia muito de pessoa pra pessoa. Tem gente carente por aí que com certeza só vai ser feliz com uma família unida e cheia de amor e tal. E, ao mesmo tempo, tem gente por aí que prefere viver sozinho, encontrando outras pessoas só pra matar a saudade ou se aventurando aqui e ali.

    Minha família sempre foi unida, tanto aqui em casa qto o pessoal do lado paterno e materno, e eu acho que algum dia vou ter de fazer o mesmo pra ser feliz.
     
  4. Anakruss

    Anakruss Usuário

    Hm. Há mulheres e mulheres, homens e homens. Mas tudo anda virando objeto ultimamente, todos procurando ideais etc. etc etc.

    exatamente..

    tipo...meus pais sao separados e eu vivo com inha mae, que desde pequeno a vejo trabalhar muito pra sustentar a casa e puco tempo sobrou p/ mim ou p; meus irmaos. meu pai eu vejo poko...e cada vez menos...e creio q daquium tempo nao o verei mais (acho).
    entao, tipo...eu me vejo buscando afeto nos amigos, nas garotas que fico e t, mas ultimamente, la pelos 17 anos eu comecei a desacreditar um poko nesse lance de ficar eh o q ha e comecei a buscar tipo...uma alma gemea, uma garota que eu possa levar a vida junto a mim, pq eh nisso que acredito.. acredito que p/ sermos completamente felizes temos que ter alguem com quem contar durante toda a vida. nao da p/ ser mae, pai, tio, tia, nem os amigos ( que vem e vão) mas ser com alguem q represente mais q isso, como marido, mulher e tal...

    velho eu pretendo casar e ter uma familia...mesmo se eu for miseravel, tentarei ser feliz estando do lado de quem gosto...


    foi mal...nem sei ao certo se entrei no clima do topico, mas eh isso ae
     
  5. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Não há regras. Não há mapas do tesouro. Esse é o preço da liberdade.

    Você tem de encontrar suas respostas. E seu caminho. Quem sabe encontrará alguém para caminhar por um tempo? Quem sabe não?

    Seria tão reconfortante termos respostas definitivas. Mas se elas existissem, seria o mesmo que termos um destino traçado, gostando dele ou não.

    Queremos liberdade, mas a tememos. Porque sermos livres significa também tomar na cabeça pelas burradas que fizermos. Isso assusta a criança que há em nós. A criança que quer ser protegida.

    O papel do homem? O papel da mulher? O papel do filho?

    Que papel? Há um script e ninguém nos avisou?

    Parece que houve... mas a cartilha e o manual sumiram e ficamos perdidos como as professoras do primário.



    O único papel que nos cabe é aguentar as consequências de nossos escolhas. Se um casal escolhe se separar, tem de aceitar que os filhos vão te machucar de propósito, porque eles se sentem feridos também.

    Se a gente explode com alguém, não importando as circunstâncias, não podemos exigir que a pessoa seja compreensiva conosco e nos perdoe. Isso é decisão dela.

    Se um dos pais abandona a família, tem de aguentar o fato de que os filhos podem não querer saber dele/dela na velhice, já que quando mais eles precisavam ele os deixou.

    Se o filho é preguiçoso e só cola na escola, depois não vai poder chorar as pitangas com a mãe que pagou para que ele tivesse estudo e não consegue arranjar emprego que quer.

    etc..

    se aguentar as consequencias já é um grande passo...
     
  6. Fiwen

    Fiwen Meow

    ok, comigo é estranhamente (ou talvez não) parecido...

    Meus pais divorciados, a minha mãe em Inglaterra e eu com meu pai, minha madrast e minha irmã...hmm, acabei por decobrir que a minha madrasta é "a má da fita" (pk é msm assim) e ando em baixo, não dá para confiar em ninguém...Bem, nos amigos e na minha tia dá, mas n sei até quando e nisso tudo eu procuro alguém para mim e não encontro (é eu encontrei ams tamos bem longe) e eu penso que também sou egoísta ao encarar os outros como pessoas que me aturam, me esquecendo dos sentimentos deles, tal como objectos, sim, sou egoísta...
    Minah madarsta diz que nos falta espiríto de familía, que somos demasiado individualistas, talvez tenha razão, talvez, mas é, sem dúvida uma tendência crescente...E no fundo,embora diga que gosto de estar sozinha no meu canto, eu preciso é de atenção...

    Acho que isto tb n teve nada a ver k o tópico, mas talvez sim... :mrgreen:
     
  7. Che Guevara

    Che Guevara Usuário

    Podem ficar tranquilos galera, tudo que foi exposto até o momento está sendo MUITO válido e DENTRO do tema. Excelentes comentários. Agradeço mesmo galera, valeu pela atenção. :obiggraz:
     
  8. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Oh, men...

    Chamo a atenção pelos negritos de seus escritos.

    E agora vou transcrever o que testemunhei no casamento de um amigo sábado. (que só encontrei - horror horror - em pagina do Paulo Coelho.. mas não é dele o texto :twisted:)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Seus negritos são como o carvalho que quer crescer à sombra do cipreste. Não são as outras pessoas - namorados, amados, amigos - a solução para a dor que tens.

    Já não bastam os ADULTOS/seus pais, padrastos, etc - crianças perdidas - que também não querem assumir as consequências dos atos deles?

    Sim, porque a decisão da vida deles afeta vocês crianças. Fere. E vocês reagem.

    Os adultos tem de viver com o fato de que suas crianças estão feridas pelo que fizeram. Conversa dizendo que devem se tornar uma família é uma coisa. Se tornar é outra.

    Como fazer isso?

    Da mesma forma que com os amigos. Confiar desconfiando.

    Dar uma chance mas ter um pé pra trás para no caso de xabu estar pronto pro retranco.

    Isso é o primeiro passo. Como disse, é uma questão de parar de achar que as soluções estão nas outras pessoas, nos amigos, etc. Não é saudável. E se bobear pode se tornar doentio.

    E se virou doentio, então pensar com carinho na possibilidade de ver um médico.

    Já disse uma vez: não adianta mandar a criança para o psiquiatra porque tem mania de ser indiscreto, de abrir correspondencia alheia, se o próprio pai também faz isso com a correspondência da psicologa enquanto trata o menino, só porque no envelope tem o nome do filho. (testemunhei isso)

    As doenças não surgiram. Essa desestruturação familiar, neuroses e psicoses, e nóias sempre estiveram aqui. Apenas que nos últimos tempos, estão se tornando PÚBLICAS. A taxa de pédófilos, homossexuais, serial killers, etc., é a mesma. Amor de Perdição, amor de Salvação, Dom Casmurro, Shakespeare... todos testemunhos de suas épocas de "desagregação" de falta de amor, etc..

    Da mania do ser humano em por a responsabilidade de suas vidas em outras pessoas. E de depois culpar o mundo pela merda que é, quando também não fez nadinha para melhorar (na verdade muitas vezes tem seu quinhão em piorar). De não assumir as consequências de seus atos ou inações, sua presença ou ausência.

    A resposta é simples, como disse: aguentar o tranco das coisas que faz.
     
  9. Beriadar

    Beriadar And I will see it all before

    Concordo com a Primula, como sempre ... !!
    A solução para nossas dores está em nós mesmos ...
    Tudo bem; nem todos vamos conseguir ser bem sucedidos com nossas famílias e com nossos cônjuges ... mas devemos buscar em nós (antes de tudo) o conforto da nossa felicidade!! :P
     
  10. Débora Elbereth

    Débora Elbereth Usuário

    Problemas familiares sempre existiram. A unica diferença é que antigamente, quando a sociedade era mais conservadora, católica, e a família era muito valorizada, as pessoas não se separavam mesmo sendo infelizes em seus casórios, e os filhos tinham de respeitar a autoridade dos pais. Por isso as famílias eram mais "unidas".

    Agora, a respeito de papel de homem, de mulher, de homem no papel da mulher e vice-versa, esse tipo de coisa só existe pra quem quer..., é um tipo de "filosofia de vida" (totalmente incorreto.)

    Já sobre a necessidade de um relacionamento amoroso, ao meu ver é realmente necessário para termos uma vida sentimental completa, trazendo assim felicidade. Claro que isso depende da fase da vida em que a pessoa se encontra, entretanto mais cedo ou mais tarde, todo mundo procura por um companheiro, é natural do ser humano.
     
  11. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    agora que eu vi uma gafe minha! 8O

    Esqueci de dizer que na verdade, enquanto alguns são conceitos foram estipulados pela sociedade como sendo do bem ou do mal, outros são doenças mesmo. De qualquer forma todos esses "desvios" sempre existiram, e não é porque os demônios saíram do armário que eles aumentaram.

    Acho melhor explicarmos nosso ponto de vista.

    Não é porque eu ou o Varatar achamos que é melhor que cada um seja por si, e que ser auto-suficiente é o caminho. Definitivamente o isolamento não é saudável tanto quanto a necessidade de ter alguém.

    Estresse na necessidade. Uma companhia agradável é porque você escolheu por livre e espontânea vontade em ficar do lado da pessoa. Como em qualquer outro assunto, a obrigação, a coerção ao ser humano É DESAGRADÁVEL.

    Quando você precisa de uma pessoa, essa pessoa pode achar desagradável ter um carrapato no pé.

    As pessoas não são perfeitas. Quando algo a incomoda elas são rudes, tentam se livrar daquilo que consideram incomodo, ameaça, etc.

    Agora pensando em termos de não precisar de uma pessoa. Aí as coisas começam a ficar mais amenas.

    Quando você não é doente por ter alguém a seu lado, definitivamente também não vai cometer tantas cagadas. E também vai ter uma visão mais clara na hora que estiver entrando numa fria.

    (Claro que se você ficar gamado em uma pessoa e for tímido, vai acontecer coisas como o Will Smith em the Hitch... mas isso é natural também :P)

    O ponto é que uma pessoa que sabe escolher amigos, também vai saber escolher com relativo bom juizo sua cara metade. Não vai se meter com gente que vai te fazer mal à saude, com a síndrome das meninas que esperam que seu amado vá mudar por causa delas, etc. Tudo bem, até tem uns que mudam por amor, mas obrigar uma pessoa a mudar por sua causa é no mínimo ditatorial. No máximo suicídio, quando vemos que tem gente que se mete com criminosos violentos e tem esperanças que eles saiam dessa.

    Quando gostamos de alguém, não é porque não queremos ficar sozinhos. É porque gostaríamos que a pessoa amada pudesse se divertir conosco.

    Ir no cinema sem as pessoas que a gente gosta é menos divertido, porque a gente tá aproveitando tudo só nós mesmos. A gente quer repartir aquela diversão com quem a gente gosta.

    Por isso que quando o filme não agrada os dois, dá para eu ir sozinha na boa que me divirto sem peso na consciência, enquanto ele também pode ficar sem peso na consciência fazendo algo que goste mas eu não me interesse.

    Defintivamente não é "eu sozinha estou melhor". Mas que quando estou sozinha eu aproveito meu tempo sozinha, e quando estou com ele (ou minha família) aproveito o tempo com eles. :wink:
     
  12. Fiwen

    Fiwen Meow

    Não, não são os nossos amigos, namorados ou familiares que apagarão as nossas dores, você tem razão, de qualquer maneira eu procuro sempre alguém. Eu sei que soa mal, como se ue precisasse de alguém para apagara ador... Ninguém apaga a dor a não ser eu, mas acredito que alguém me possa ajudar a atenuá-la, ou a compreendê-la melhor, os nomorados, amigos, familiares faze isso, eles tentam ajudar-nos e o carinho que nos dão, só a presença, atenua a dor, ou pelo menos comigo é assim...
    Acontece que eu tenho um bipolar desejo de solidão/atenção, sei que parece meio paranóico, eu mesma acho, mas muitas das vezes eu adoro ter companhia, carinho, compreensão e outras vezes só quero estar sozinha... Muita gente pode relacionar a solidão como forma de chamar a aatenção, mas não, não é isso, quando quero estar soizinha é mesmo sozinha... Aí, eu penso que deve haver aí, algures alguém que me faça não querer mais nada (sei que querer é algo que nos acontecerá sempre), mas eu penso que isso é impossível tb...
    Familias absolutamente unidas eu epnso que serão poucas... è porque é memsom assim, eu não sei, no inicío o casamento, a familía podem parcer unidas, mas eu acho que chega a uma altura em que já não é bem assim, eu sei que isto é horrível e pessimista, mas é como eu penso... E as coisas podem ter alterado com o tempo ou não, não tenho a certeza, ams eu penso que, por exemplo, neste momento eu tb n kero m unir mais com a minha familía, dp d tudo n... eu sei k os adultos erram, mas é assim, nós é que sofremos...

    Eu sei k isso, acima de tudo foi um desabafo... desculpem se tá cortando mto o clima do tópico...
     
  13. Saranel Ishtar

    Saranel Ishtar Usuário

    Cada um na sua, eu acho q não é necessário casar e ter filhos pra ser feliz. Mas se pintarv alguém que te respeite e com quem vc tenha o minimo de afinidade, va em frente. Vai valer a experiencia.
     
  14. Che Guevara

    Che Guevara Usuário

    Questão relevante, camarada Istar. Será que precisamos de alguém para ser feliz??? E os eclesiásticos(as) e heremitas, são felizes????
    O que é para causar felicidade (como o que está em questão, o amor romântico e os outros mencionados)acaba causando infelicidade, e findando em vários problemas psicosociais. :(
    Será que este padrão que seguimos do começo do século XII é o padrão e modelo de felicidade???
     
  15. Briscka

    Briscka Usuário

    Homens e mulheres são muito diferentes.

    Acho que os casais que dão certo hoje são feitos sobretudo de homens femininos e mulheres masculinas.

    Talvez alguns sobreviventes homens e mulheres do modelo mais antiquado, onde o homem trabalha e mantém a casa, e a mulher cuida dos filhos e se submete a tudo. Assim cada um tem o seu papel e por mais injusto e insatisfatório que seja, pelo menos antigamente (o que faz sentido para os antiquados) isso não era discutido, apenas aceito. E funcionava, né? O que não tem solução, solucionado está.
     

Compartilhar