1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Oscar Wilde

Tópico em 'Autores Estrangeiros' iniciado por Anica, 1 Dez 2007.

  1. Anica

    Anica Usuário

    Apesar disso - escutem bem - todos os homens
    Matam a coisa amada;
    Com galanteio alguns o fazem, enquanto outros
    Com face amargurada;
    Os covardes o fazem com um beijo,
    Os bravos, com a espada!


    Todo mundo que lê em algum momento se encontra com Oscar Wilde, é inevitável. Pode ser na adolescência, pode ser no fim da vida, mas em algum momento você lerá as frases carregadas de humor ácido, que inclusive costumam ser bastante citadas sem qualquer referência ou completamente fora de contexto, como "A única maneira de se livrar de uma tentação é entregar-se à ela".

    Lógico, de longe a obra mais conhecida dele é O Retrato de Dorian Gray (que até hoje vez ou outra incluo na minha lista de favoritos por um carinho nostálgico que tenho pelo romance, que li pela primeira vez aos 14 anos). Mas eu sugiro fortemente que vocês busquem pelas peças de teatro de Wilde, como O Marido Ideal.

    Além disso, os contos infantis também são bastante interessantes (ele escreveu para os filhos), alguns deles carregados da ironia típica do autor. E claro, um dos mais famosos, O Fantasma de Canterville, que é simplesmente hilariante ainda nos dias de hoje, especialmente se considerar a família de americanos que vive no castelo britânico.

    E, claro, a balada do cárcere de reading, cujo trecho abriu esse post e você pode conferir aqui -> http://www.casadobruxo.com.br/poesia/o/oscar01.htm
     
  2. Eu tenho um livro com contos dele. O Fantasma de Canterville é um deles, mas me parece que está diminuido.

    Não faz muito tempo que eu me interessei por literatura, digo, comecei a ler mais à poucos anos e não tenho muito conhecimento das obras de autores antigos.
    O Retrato de Dorian Gray dizem ser muito bom. Como é a história?

    Se alguém souber outras obras de Oscar Wilde me indique, preciso ler os clássicos, já que faz um tempo que só leio "modinha".
     
  3. Kainof

    Kainof Sr. Raposo

    Adoro o humor do Wilde. Tomei conhecimento dele há um tempo razoavelmente curto, não fazem nem dois anos que li "O Retrato de Dorian Gray" e me apaixonei pelo livro.

    Tava lendo uns trechos dele também muito bons. Não lembro os títulos agora (:oops:), mas no livro estavam definidos como "poemas em prosa", se é que isso existe...

    Eu li "Salomé" e não gostei muito. Peça estranha...
     
  4. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Pra quem sabe inglês, tá de barbada na Cultura um volumão com a obra completa do pederasta mais querido do mundo por R$ 45,00. Eu comprei e... ah, é Wilde, né?

    Booooooooooorn to be Wilde! :P
     
  5. Anica

    Anica Usuário

    Por esse preço vale a pena comprar. Eu cheguei a comprar um obras completas lá na Amazon, o problema é que como quase tudo que tenho comprado na Amazon, não chegou >< Ai eu tenho que me contentar com meu Obras Completas brasileiro, que nem é tão completo assim.
     
  6. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Que bizarro... nunca tive problemas com a Amazon. O teu obra completa é aquele de R$ 160,00 com capa azul ou cinza?
     
  7. Ronzi

    Ronzi Oh, Crap!

    :lol: Excelente :lol:

    Tenho o Fantasma de Canterville e outros contos numa edição meio tosca da Abril, mas mesmo assim é legal. Fora isso só conheço "O Marido Ideal" e "O Retrato de Dorian Gray". Gostaria de conhecer mais, mas admito que apesar da vontade, Wilde não é um dos meus preferidos. Acho que a obra dele (que conheço) merece destaque mais pelo impacto e transformações que causou na época que pela qualidade da escrita.
     
  8. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Eu tenho uma camiseta do oscar wilde sentado numa moto com isso escrito em baixo :P
     
  9. Anica

    Anica Usuário

    Na realidade eu falei errado, é 'obras primas' hehe. http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/produto.dll/detalhe?pro_id=453729&PAC_ID=6297

    O que eu tenho de wilde aqui é livro por livro, não um só com tudo junto.

    Inveja ><
     
  10. Ronzi

    Ronzi Oh, Crap!

    Vi uma camiseta dele ontem, mas era uma motagem de fotoshop com wilde de calcinha por cima do terno...
     
  11. Anica

    Anica Usuário

    Que coisa tosca. Acho que deveríamos criar uma marca de camisetas, só com trocadalhos do carilho envolvendo literatura \o/
     
  12. Miguêz

    Miguêz You talkin' to me?

    É uma boa idéia, tem trocentos sites que vendem camisetas sobre trocentos temas, mas sobre literatura eu não conheço nenhum decente.

    Sobre Oscar Wilde, quase todo mundo que lê um pouco deve ter a fase de encantamento com os livros dele. Estou nessa fase até hoje, apesar de só ter lido O Retrato de Dorian Gray.

    Quando eu li foi a concretização de tudo que eu escutava sobre romantismo nas aulas de literatura e nunca tinha lido. Depois disso comecei a acreditar nos professores, de literatura.
     
  13. Pips

    Pips Old School.

    Tem uma que o pessoal de teologia da UMESP usa:

    "'Nietzsche está Morto' - Deus"


    Falando no Oscarito, só li O Retrato de Dorian Gray (mas li 3 vezes, hein!!)

    Alguém me indica coisas bem batutas dele? Agradeço desde já.
     
  14. Anica

    Anica Usuário

    Pips, eu aconselharia a leitura de O Fantasma de Canterville (a tiração de sarro com os americanos é impagável) e as peças de teatro dele. Os contos eu confesso que não acho graaaandes coisas, até por causa do tom moralista de alguns deles.
     
  15. Ronzi

    Ronzi Oh, Crap!

    Juro que queria uma camiseta com esse verso do Bocage:

    "Aqui dorme Bocage, o putanheiro:
    Passou a vida folgada, e milagrosa:
    Comeu, bebeu, fodeu sem ter dinheiro."

    :lol:
     
  16. Dele só li aquela edição pocket dos contos dele, com O Fantasma de Canterville. Ja fiquei de pegar O Retrato de Dorian Gray pra ler varias vezes, só que ainda nao consegui hehe. Dos contos/fábulas que aparecem, algumas realmente sao moralistas, mas outras nao parecem tão infantis. Inclusive tem uma frase que termina um conto dele muito boa, algo como "Eu contei uma história com uma moral, e isso é realmente algo muito perigoso." Nao deve ser assim, me corrijam ai os que se lembram melhor por favor rsrs.
     
  17. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Eu até hoje me censuro por ter lido somente a Balada do Cárcere de Reading, do Wilde. No caso, li a versão bilíngue, e gostei bastante.

    Ler ao menos O Retrato de Dorian Gray é um de meus objetivos nesse ano.
     
  18. Bagrong

    Bagrong RaG

    Terminei de ler "O Retrato de Doryan Gray" hoje. Sabe, no começo eu estava achando meio estranho, mas depois começou a ficar bem mais legal. Achei bom o final e também bom todo o período em que Doryan já está mais velho.

    Outra coisa fantástica é o Lord Henry. As falas dele são, na maioria das vezes, maravilhosas. Ele diz cada coisa que daria pra passar um ano só pensando sobre suas teorias!

    Ah, também gostei do narrador. A descrição do ambiente é legal, meio sensorial, falando sempre de flores, do clima, dos adjetivos para caracterizar lugares. Bem legal.

    Achei que realmente foi uma boa leitura, mas teve alguns contras:

    Eu só não gostei de duas coisas. Primeiro, achei que a evolução da maldade de Doryan em relação ao retrato poderia ter sido feita de um jeito muito mais interessante. O capítulo que conta sobre toda a passagem da adolescência para a vida adulta de Doryan é simplesmente insuportável. São várias páginas falando de jóias, tapetes, perfumes e outras bobagens que a personagem estava gostando.

    Uma tremenda perda para o livro, eu diria. Sabe, teria sido fantástico se Wilde fizesse uma descrição psicológica e gradual das maldades de Doryan, com ele envelhecendo aos poucos e o retrato piorando. Começa com uma pequena má ação e, com a delicadeza das coisas que acontecem aos poucos, acaba no clímax com Basílio vendo o retrato. Achei que ele desprezou muito a evolução de Doryan e focou mais em uma ou outra ação e em diálogos que nem sempre eram interessantes.

    A outra coisa que não gostei está relacionada a isso que falei aí em cima. Os sentimentos são todos muito bruscos, muito exagerados. Doryan se apaixona por Sybil só de ver ela, a pede em casamento cinco segundos depois e logo em seguida se desapaixona porque a menina interpretou mal um dia no teatro. Aí, pra completar, a garota se mata.Tudo em relação aos sentimentos é muito forçado... Aliás, o Doryan como personagem é bem chatinho.


    O livro me deu a impressão de que, em certos pontos, o autor teve desleixo de fazer uma caracterização passo a passo, com uma boa evolução psicológica. Ele fez tudo pra ontem, tudo bruscamente e isso foi meio forçado.

    Enfim, eu gostei do livro. Especialmente por causa das idéias expostas pelas personagens, porque muitas são fantásticas.
     
  19. Bagrong

    Bagrong RaG

    Terminei de ler "O Retrato de Doryan Gray" hoje. Sabe, no começo eu estava achando meio estranho, mas depois começou a ficar bem mais legal. Achei bom o final e também bom todo o período em que Doryan já está mais velho.

    Outra coisa fantástica é o Lord Henry. As falas dele são, na maioria das vezes, maravilhosas. Ele diz cada coisa que daria pra passar um ano só pensando sobre suas teorias!

    Ah, também gostei do narrador. A descrição do ambiente é legal, meio sensorial, falando sempre de flores, do clima, dos adjetivos para caracterizar lugares. Bem legal.

    Achei que realmente foi uma boa leitura, mas teve alguns contras:

    Eu só não gostei de duas coisas. Primeiro, achei que a evolução da maldade de Doryan em relação ao retrato poderia ter sido feita de um jeito muito mais interessante. O capítulo que conta sobre toda a passagem da adolescência para a vida adulta de Doryan é simplesmente insuportável. São várias páginas falando de jóias, tapetes, perfumes e outras bobagens que a personagem estava gostando.

    Uma tremenda perda para o livro, eu diria. Sabe, teria sido fantástico se Wilde fizesse uma descrição psicológica e gradual das maldades de Doryan, com ele envelhecendo aos poucos e o retrato piorando. Começa com uma pequena má ação e, com a delicadeza das coisas que acontecem aos poucos, acaba no clímax com Basílio vendo o retrato. Achei que ele desprezou muito a evolução de Doryan e focou mais em uma ou outra ação e em diálogos que nem sempre eram interessantes.

    A outra coisa que não gostei está relacionada a isso que falei aí em cima. Os sentimentos são todos muito bruscos, muito exagerados. Doryan se apaixona por Sybil só de ver ela, a pede em casamento cinco segundos depois e logo em seguida se desapaixona porque a menina interpretou mal um dia no teatro. Aí, pra completar, a garota se mata.Tudo em relação aos sentimentos é muito forçado... Aliás, o Doryan como personagem é bem chatinho.


    O livro me deu a impressão de que, em certos pontos, o autor teve desleixo de fazer uma caracterização passo a passo, com uma boa evolução psicológica. Ele fez tudo pra ontem, tudo bruscamente e isso foi meio forçado.

    Enfim, eu gostei do livro. Especialmente por causa das idéias expostas pelas personagens, porque muitas são fantásticas.
     
  20. Anica

    Anica Usuário

    Sobre a parte marcada como spoiler: então, eu preciso reler o livro (de novo :dente: ), mas a sensação que eu sempre tive é que o desenvolvimento do Dorian é quase nulo propositalmente. Ele é assim mesmo, vazio, frívolo e infantil. A relação dele com a Vane na realidade serve para deixar isso ainda mais óbvio (ele se apaixona por uma personagem, desapaixona quando vê a realidade).

    E ainda colocando de contraponto com o Lord Henry, que é absurdamente brilhantes (sério, eu não conheço uma pessoa que tenha lido O Retrato... e não ache o Lord Henry no mínimo encantador), ele fica ainda mais raso e, no final das contas, mais patético. Trocando em miúdos: ele tinha toda a beleza da juventude, mas era burro, vazio e mau (o que no final das contas, o retrato acabava mostrando).
     

Compartilhar