1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Os Últimos Dias de Liev Tolstói (Liev Tolstói)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 1 Abr 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Sejamos, antes de tudo, gratos. Gratos, talvez no sentido mais cristão da palavra, para que possamos ser fiéis ao nosso autor. Sobretudo, porque Liev Tolstói (1828-1910) foi um corajoso, e um escritor. Mas também porque deixou de sê-lo. Ou, ao menos, tentou. E é dentro desse segundo esforço que deveríamos ler a compilação intitulada Os Últimos Dias de Liev Tolstói, que reúne ensaios, fragmentos, cartas e notações de diários escritos em sua velhice traduzidos diretamente do russo: tendo a imagem de um grande escritor abandonando o gênero romanesco que o consagrou para dedicar-se a estudos religiosos e pedagógicos e pedindo humildemente que lhe ensinassem o ofício de sapateiro. “O difícil não é escrever, mas parar de escrever” – esse deveria ser a epígrafe deste livro.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Spartaco

    Spartaco James West

    Por falar nos últimos de Tólstoi, saiu no mês passado aqui no Brasil o livro Tolstói: A Fuga do Paraíso, escrito por Pável Bassínski; nesta obra o autor apresenta uma reconstrução dos últimos dias do escritor russo. A biografia foi lançada na Rússia em julho de 2010. O título recebeu dois prêmios literários do país, o Anti-booker e o Grande Livro.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Cem anos se passaram desde a madrugada de meados de novembro em 1910, quando um senhor de 82 anos abandonou às pressas e escondido da mulher a propriedade Iásnaia Poliana, cerca de 200 quilômetros ao sul de Moscou; ele entrou em um trem e fugiu de casa, acompanhado apenas de sua filha, Alexandra, e de um criado. Conta-se que o seu plano era levar uma vida simples, porém, com a saúde debilitada, morreu de pneumonia em Astapovo, no dia 20 de novembro do mesmo ano.

    O nome do senhor cuja fama extrapolava as fronteiras russas era Liev Nikoláievich Tolstói.
     

Compartilhar