1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Os sistemas mais simples

Tópico em 'RPG' iniciado por Armitage, 8 Jul 2007.

  1. Armitage

    Armitage Usuário

    Quais os sistemas mais simples que existem? Se você conhecer um, coloque aí, e fale um pouquinho sobre ele!

    Vamos fazer desse tópico um cantinho praqueles que não gostam de perder mais que 15 minutos pra aprender um sistema! :cerva:
     
    Última edição: 8 Jul 2007
  2. Deriel

    Deriel Administrador

    Poucos serão tão simples e ainda divertidos e jogáveis. Acho que Land of Og pode ser um exemplo de sistema simples. Você é um homem das cavernas, pode conhecer apenas um punhado de palavras (no máximo 18) e não pode usar quaisquer outra nem na mesa nem em interações do jogo. Possui os atributos Força, Cérebro, Velocidade, Saúde, "Fazer Sons", "Bater em Coisas" e usa d6 pra rolar =]
     
  3. Saphyra Horyon

    Saphyra Horyon кαιsεяιи dεs ωαssεяs

    Acredito que em se tratando de jogos de computador, o mais fácil é o MARIO, claro, mais esse é antigo, geralmente os jogos que são baseados em apenas lutar são faceis também. Os primeiros Age of Empires são bem faceis de se aprender, assim como a maioria dos jogos de estratégia....
    Mais esses jogos mais novos estão ficando um pouco mais complexos, tem muitas coisas novas, de uma forma que seja dificil definir qual tem o sistema mais simples.....:think:
     
  4. Taverneiro

    Taverneiro Old school

    Aventuras Fantásticas: HABILIDADE, ENERGIA e SORTE. Mais que isso é frescura...

    Tinha o jogo de tabuleiro Hero Quest, que com um pouco mais de drama poderia ser transformado em RPG sem nenhum problema. Meu amigo costuma dizer que várias aventuras nossas de Hero Quest tinham mais interpretação que a famosa aventura City of the Spider Queen pra Forgotten.

    Tinha o Twerps que tem apenas O Atributo.

    Mas o meu favorito dos atuais é o Risus RPG. Disponível de graça em:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    E pra dizer que eu não citei nenhum nacional, vale a pena citar o RPGQuest da Daemon editora.

    Quantos aos jogos eletronicos: Zelda pra nintendinho é o supremo.
     
    Última edição: 8 Jul 2007
  5. Samara

    Samara Usuário

    par ou impar
     
  6. Armitage

    Armitage Usuário

    UAU! Parece *muito* legal esse jogo Deriel. Você pode passar algum link com mais informações?

    É, já ouvi bastante elogios a esse Risus. Dá pra falar um pouquinho mais Taverneiro?

    Como esse é, resumidamente?

    Esse é genial. Tem outro também que aprendí com Alex Kidd in Miracle World: "Pedra, Papel e Tesoura". :mrgreen:


    Ninguém aí vai citar 3d&T? Tenho curiosidade de saber como ele é.

    - - -

    Bom, atualmente estou in love com HeroQuest.

    (Review aqui: [
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ; regras básicas aqui:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ] ).

    Não é aquele Hero's Quest da GROW não, é um sisteminha simples e legal. O jogo usa só 1 d20 pra tudo. O personagem é criado apenas escrevendo-se um parágrafo, em 1º pessoa, e sublinhando as palavras-chave do mesmo (ocupação, religião, habilidades, relacionamentos, etc.). Essas palavras sublinhadas recebem valores (como em Castle Falkenstein), e pronto. o Jogo tem um resolução de conflitos simples e rápida, bastando rolar abaixo de sua habilidade e comparar os resultados.

    Uma das coisas mais legais é a regra (opcional) de resolução de conflitos extendidos - nela os participantes vão agregando valores às jogadas de acordo com suas habilidades, e narrando o processo, e ao final o melhor vence, e o interessante é que essa mecânica é pra ser aplicada a QUALQUER conflito - desde um combate mortal, até um discurso para vencer um caso de julgamento num tribunal. Ou seja, basicamente NÃO há regras exclusivas pra combate - há regras pra resolução de conflitos quaisquer, seja marcial, seja social, seja individual, mental, profissional, etc. ( lembra um pouco Dogs in the Vineyard).

    Ainda por cima o sistema é escalável, podendo ser tão letal e verossímil, ou tão fantástico e heróico quanto o grupo quiser. É apelidade lá fora de "Gurps do freeform", por sua universalidade ( NÃO é pela complexidade :mrgreen: ) e já tem várias adaptações (como Star Wars HQ, e Conan HQ).

    - - -

    Tragam mais sistemas simples e ágeis!
     
  7. Taverneiro

    Taverneiro Old school

    RPGQuest é um sistema da editora daemon. Inicialmente ele tinha a ideia de fazer uma espécie de homenagem/remake aos jogos como Dragon Quest e Hero Quest: miniaturas, tabuleiro e regras bem simples. O primeiro volume era dungeoncrawl tradicional. Depois ele foi ganhando novos títulos que abordavam diferentes temas: mitologia grega, cenário oriental, cavaleiros templários e assim por diante.

    Recentemente a Daemon lançou um "Módulo Básico" contendo um apanhado de tudo que foi feito e remodelado para um formato mais RPG, menos tabuleiro. O resultado é um livro de regras completo para aventuras de fantasia, a um custo de 40 reais (barato, se comparar com D&D e outros titulos pesados). O vuisual é extremamente jovem, lembra muito o estilo de personagens dos desenhos animados da DC, como Liga da Justiça.

    As regras são simples: raça, classe, atributo, pericia e equipamento. 2d6 + bônus contra valor de dificuldade. Muito simples. Ainda o sistema usa o esquema de adjetivos, para dar um tom mais intuitivo aos números, util qdo se explica para jogadores novos.

    O esquema mesmo é a possibilidade de misturar diversos gêneros de fantasia: são 110 classes a disposição dos jogadores, cada um com um "pacote" simples de habilidades que reflete um tipo específico de herói da fantasia.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  8. kytarkiton-eru

    kytarkiton-eru Usuário

    rpg de anime não é muito complicado... gosto de Tormenta.
     
  9. Elda King

    Elda King Senhor do passado e do futuro

    A mesma coisa que o SdA CODA (só tem a mais as vantagens e desvantagens, bem simples). E tem gente que fala que a criação de personagens é difícil...

    3D&T não é simples, é bizarro. Você tem de 5 a 12 pontos para distribuir entre 5 atributos, 6 escolas de magia e uma lista de vantagens (cada uma custa um número de pontos), e pode pegar defeitos para ganhar mais pontos. Os atributos são Força (ataques melee), Poder de Fogo (ataques ranged), Armadura (defesa), Habilidade (tudo) e Resistência (vida e mana). As regras são: ataque/dano é igual a [1d6+Hab(atacante)+For(idem)]-[1d6+Hab(defensor)+Arm(idem)]; outros testes você rola 1d6 e tem que ser menor que o atributo mais adequado, o mestre pode colocar modificadores para ficar mais fácil ou difícil.
    Só isso. As regras só cobrem o combate, não tem nem atributos mentais. E o dano é independente da arma, no nível 1 você pode dizer que atira bolas de fogo do tamanho de um campo de futebol pelas mãos, e o dano ainda vai ser o mesmo que se você cuspisse. Algumas vantagens são muito roubadas (uma delas, sua arma é vorpal... só que o crítico do jogo é um 6 natural em um d6), e as magias são completamente desbalanceadas.
     
  10. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    As críticas em relação à criação de personagens no CODA não têm a ver com a dificuldade em se montar uma ficha, mas sim no fato das regras estarem todas espalhadas e mal organizadas pelo livro. Tanto é que a própria Decipher lançou um artigo ensinando a criar personagens.
     
  11. Armitage

    Armitage Usuário

    Interessante esse RPGQuest Taverneiro. Parece exatamente o que nosso mercado precisa - um jogo simples, bom e barato, que seja uma ótima maneira de introdução ao hobbie, e com uma arte/design/layout que tenha apelo para com a geração atual. :D (aliás acho que a série Aventuras Fantásticas merecia ser relançada, uma nova edição pra servir de introdução ao hobbie seria ótimo, a série é perfeita pra isso).

    - - -

    Cacete Elda, pensava que 3D&T era algo mais bem feitinho. Pela sua descrição me pareceu muito meia-boca.

    - - -

    ps: O que seria isso: " :iei: "
     
  12. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    O grande problema é que o 3D&T quis ser mais do que aquilo para o qual ele foi criado. Inicialmente ele se chamava Defensores de Tóquio, era um sistema de regras simplíssimo e propositalmente tosco e furado, feito especialmente pra jogos a lá Jaspion e Changeman. A coisa encrencou quando eles achavam que dava pra "remendar" o treco e transformar num sistema de verdade.
     
  13. Elda King

    Elda King Senhor do passado e do futuro

    E aí eles copiaram descaradamente D&D. Descaradamente.
     
  14. Taverneiro

    Taverneiro Old school

    Aonde 3d&t lembra D&D? Pra mim as primeiras versões (no máximo) foram baseadas em GURPS e outros jogos de pontuação. De resto, 3d&t não tem mecanicas de classes nem as regras de magia, raças seguem o padrão D&D.
     
  15. Elda King

    Elda King Senhor do passado e do futuro

    As vantagens e desvantagens únicas são o equivalente a raças e classes: acho que no começo Elfos e Anões eram classes de D&D. As "raças" disponíveis para os jogadores incluem meio-orcs; não tem nenhuma menção a orcs fora da parte de meio-orcs. Se não me engano, nas versões antigas de D&D, testes de atributo você rolava o d20 e tinha de tirar igual ou menos que seu atributo, e é assim que "funciona" em 3d&T. Onde você viu uma arma vorpal fora de D&D? Os Drow ainda tem desculpa, os lich também, os construtos, paladinos, mesmo num sistema que se chama "defensores de tóquio", mas em um suplemento que o meu mestre usava tinha "feiticeiros", indivíduos que usavam magia de forma inata...
     
  16. Taverneiro

    Taverneiro Old school

    Bom, a raça como pacote de caracteristicas mediante a um custo em pontos é direto do GURPS. Os templates de profissões (paladino, druida) são do sistema D6. Existem meio-orcs em vários outros RPGs, e nenhum deles funciona exatamente igual ao outro, não há cópia alguma nesse sentido. E quanto ao teste, roll under o mesmo vale para GURPS e diversos outros que existem faz tempo.

    Então é tudo relativo, apesar de D&D ser o primeiro sistema, as semelhanças apontadas nao podem ser chamadas de "cópia descarada".
     

Compartilhar