• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Os 100 melhores romances do século XX

24º – 1984 (1949) – George Orwell
33º – O Grande Gatsby (1925) – F. Scott Fitzgerald
49º – Macunaíma (1928) – Mário de Andrade
52º – O Amante de Lady Chatterley (1928) – D.H. Lawrence
74º – A Laranja Mecânica (1962) – Anthony Burgess
75º – O Apanhador no Campo de Centeio (1951) – J.D. Salinger
88º – Revolução dos Bichos (1945) – George Orwell

É...falta bastante coisa mesmo! E o pior é que eu devo ter mais da metade desses títulos na minha estante.
 
os q eu li

os 7 q li:

3º – O Processo
15º – Cem Anos de Solidão (1967)
16º – Admirável Mundo Novo (1932)
21º – Lolita (1958)
33º – O Grande Gatsby (1925)
69º – O Jovem Törless (1906)
88º – Revolução dos Bichos (1945)

oq me dá tristeza é ver q da lista tenho + uns 30 na minha biblioteca que ainda nem abri.
 
Já li alguns, mas ainda faltam tantos... Bem, pelo menos é bom saber que boas leituras não faltarão... :D

Em Busca do Tempo Perdido (1913-27) - Marcel Proust (1871-1922). (Só "Um Amor de Swann")
O Processo – Franz Kafka (1883-1924).
O Castelo (1926) – Franz Kafka.
O Som e a Fúria (1929) – William Faulkner (1897-1962).
O Estrangeiro (1942) – Albert Camus (1913-1960).
Admirável Mundo Novo (1932) – Aldous Huxley (1894-1963).
Mrs. Dalloway (1925) – Virginia Woolf (1882-1941). a italiana.
Lolita (1958) – Vladimir Nabokov (1899-1977).
1984 (1949) – George Orwell (1903-1950).
A Náusea (1938) – Jean-Paul Sartre (1905-1980).
O Deserto do Tártaros (1940) – Dino Buzzati (1906-1972).
A Peste (1947) – Albert Camus.
O Grande Gatsby (1925) – Scott Fitzgerald (1896-1940).
Pedro Páramo (1955) – Juan Rulfo (1918-1986).
O Jogo da Amarelinha (1963) – Julio Cortázar (1914-1984). .
A Cidade e as Serras (1901) – Eça de Queirós (1845-1900).
As Vinhas da Ira (1939) – John Steinbeck (1902-1968).
Macunaíma (1928) – Mário de Andrade (1893-1945).
Cidades Invisíveis (1972) – Italo Calvino (1923-1985).
Passagem para a Índia (1924) – E.M. Forster (1879-1970).
O Apanhador no Campo de Centeio (1951) – J.D. Salinger (1919).
O Imoralista (1902) – André Gide (1869-1951).
Revolução dos Bichos (1945) – George Orwell.
A Invenção de Morel (1940) – Adolfo Bioy Casares (1914).
Herzog (1964) – Saul Bellow (1915).
 
Vocês estão angustiados pela lista do século XX? Imagina quando estivermos em 2020 e lançarem os melhores das duas primeiras décadas do século XXI?

Por mim, cansei de listas de montão, claro que tenho curiosidade de ler mais da metade dessa lista, mas não me deixo atordoar, um pouco contemporaneo, um pouco clássico e por aí vai. Lendo a gente se entende.
 
Observando melhor, a gente percebe que essa lista está mais para a de melhores livros de meados do século XX. São muitos os títulos nas décadas de 20, 30... Vejam a contagem (no caso de obras com mais de um volume, considerei a publicação do primeiro livro):

Década -- Nº de Obras
1900-1909 -- 10
10-19 ------- 4
20-29 ------- 22
30-39 ------- 20
40-49 ------- 12
50-59 ------- 17
60-69 ------- 11
70-79 ------- 2
80-89 ------- 2 (98º e 100º da lista)
90-99 ------- 0

Não que seja obrigatória uma distribuição equilibrada, mas me parece inverossímil que as últimas três décadas tenham assim tão poucos livros merecedores de citação. Seria como declarar a decadência da literatura... Acho mais provável que os críticos que elaboraram a lista tenham se apegado aos clássicos mais estabelecidos. Ou faltou coragem para declarar "novos clássicos" ou fazer esse julgamento só é mesmo possível com um período maior de interposição.

E existe também um viés para a literatura ocidental. A grande maioria das obras são de autores europeus (68). Não existe nenhuma de um autor africano ou asiático (descontando a Rússia). Nessa ficaram de fora alguns que frequentemente aparecem até em listas de melhores de todos os tempos, como o Kawabata. Mais uma vez, claro que os europeus dominariam a lista, mas também acho inverossímil que nada merecedor de citação tenha sido criado no Oriente.

E isso me faz pensar que, se existe um viés para a literatura de meados do século e para literatura ocidental, que outros vieses poderiam estar implícitos? Para a literatura de língua inglesa? Para livros realistas? Não sei...

Enfim, como disse o Pips, essas listas trazem boas sugestões, mas não adianta ficar angustiado. O jeito é ir pegando um daqui, um daquela de FC, outro de fantasia... e aproveitar de verdade cada um deles.
 
Ah, mas não existe lista perfeita, ainda mais quando condensa as 100 melhores obras de um século. E, claramente a lista só diz respeito às obras ocidentais, e se não há tantas obras na última década deve ser porque o nivel caiu. É bem conhecido que no mundo inteiro a segunda metade do século XX foi terrivel para a literatura.
 
hoje em dia existem mais escritoras. será que é por isso que os bons livros escasseam com o progresso do tempo? serão esses críticos de literatura velhos europeus?
 
Li apenas:

O PROCESSO - Franz Kafka
A CONSCIÊNCIA DE ZENO - Italo Svevo
LOLITA - Vladimir Nabokov
O GRANDE GATSBY - Scott Fitzgerald
CIDADES INVISÍVEIS - Italo Calvino
REVOLUÇÃO DOS BICHOS - George Orwell
 
Alguem já leu o livro Nós de Evgueni Zamiatin; parece que a editora Alfa Omega publicou-o por aqui.

Gostaria de obter alguma informação a seu respeito e, se possível, comentários.
 
Alguem já leu o livro Nós de Evgueni Zamiatin; parece que a editora Alfa Omega publicou-o por aqui.

Gostaria de obter alguma informação a seu respeito e, se possível, comentários.
se me lembro bem a anica já comentou sobre a leitura dele aqui no tópico, mas com o nome d we. se ela leu em pt ou ing ñ lembro.

no skoob aparecem edições + recentes.

e na estante virtual tem alguns exemplares disponíveis.

e na página da editora alfaomega ele aparece com 40% d desconto, por r$31,20 + frete r$3,80.
 
Os que eu já li:


3º – O Processo
6º – O Castelo
13º – O Estrangeiro
15º – Cem Anos de Solidão
29º – O Deserto do Tártaros
33º – O Grande Gatsby
35º – Pedro Páramo
62º – Cidades Invisíveis
64º – Memórias de Adriano
88º – Revolução dos Bichos
94º – A Invenção de Morel
98º – Memorial do Convento
100º – Os Cus de Judas
 
Já li:

3º – O Processo
18º – Ao Farol
20º – A Consciência de Zeno
21º – Lolita
33º – O Grande Gatsby
75º – O Apanhador no Campo de Centeio
88º – Revolução dos Bichos

E o interessante é que desses, apenas O apanhador no campo de centeio não faz parte daquela coleção Biblioteca Folha (que aqui no RS foi publicada pela RBS Publicações). Vários títulos da coleção estão na lista e percebo agora quantos livros estão parados na minha estante ser terem sido lidos hehe
 
Eu estava lendo esse tópico todo, tintin por tintin, desde o início, achando que tudo isso havia sido postado entre ontem de noitinha e hj(depois que eu vi que é de 2010 :dente:), :rofl:

E, sobre a lista, nem me arrisco a ver quais que eu já li que devem ser muiiiiiiito poucos :timido:
 
Li:

16º – Admirável Mundo Novo (1932) – Aldous Huxley (1894-1963)
17º – Mrs. Dalloway (1925) – Virginia Woolf (1882-1941)
24º – 1984 (1949) – George Orwell (1903-1950)
49º – Macunaíma (1928) – Mário de Andrade (1893-1945)
75º – O Apanhador no Campo de Centeio (1951) – J.D. Salinger (1919)
88º – Revolução dos Bichos (1945) – George Orwell (1903-1950)

~

Comprei recentemente, por indicação de uma amiga, não por causa desta lista:

82º – O Mestre e Margarida (1940) – Mikhail Afanasevitch (1891-1940)
 
O bom desta lista é que me faz lembrar quanto coisa boa eu já li e quanta coisa boa ainda posso ler... segue os já lidos (9 em 100).

13º – O Estrangeiro
16º – Admirável Mundo Novo
21º – Lolita
24º – 1984
45º – As Vinhas da Ira
49º – Macunaíma
74º – A Laranja Mecânica
84º – O Lobo da Estepe
88º – Revolução dos Bichos
 
atualizando julho 2013

15% nesta daqui

3º – O Processo – Franz Kafka (1883-1924).
12º – Coração das Trevas (1902) – Joseph Conrad (1857-1924).
13º – O Estrangeiro (1942) – Albert Camus (1913-1960).
15º – Cem Anos de Solidão (1967) – Gabriel García Márquez (1928).
16º – Admirável Mundo Novo (1932) – Aldous Huxley (1894-1963).
18º – Ao Farol (1927) – Virginia Woolf.
20º – A Consciência de Zeno (1923) – Italo Svevo (1861-1928).
21º – Lolita (1958) – Vladimir Nabokov (1899-1977).
33º – O Grande Gatsby (1925) – Scott Fitzgerald (1896-1940).
62º – Cidades Invisíveis (1972) – Italo Calvino (1923-1985).
64º – Memórias de Adriano (1951) – Marguerite Yourcenar (1903-1987).
66º – Trópico de Câncer (1934) – Henry Miller.
69º – O Jovem Törless (1906) – Robert Musil.
75º – O Apanhador no Campo de Centeio (1951) – J.D. Salinger (1919).
88º – Revolução dos Bichos (1945) – George Orwell.
 
3º – O Processo – Franz Kafka (1883-1924).
6º – O Castelo (1926) – Franz Kafka.
13º – O Estrangeiro (1942) – Albert Camus (1913-1960).
15º – Cem Anos de Solidão (1967) – Gabriel García Márquez (1928).
29º – O Deserto do Tártaros (1940) – Dino Buzzati (1906-1972).
33º – O Grande Gatsby (1925) – Scott Fitzgerald (1896-1940).
35º – Pedro Páramo (1955) – Juan Rulfo (1918-1986).
48º – O visconde Partido ao Meio (1952)- Italo Calvino (1923-1985).
62º – Cidades Invisíveis (1972) – Italo Calvino (1923-1985).
64º – Memórias de Adriano (1951) – Marguerite Yourcenar (1903-1987).
88º – Revolução dos Bichos (1945) – George Orwell.
94º – A Invenção de Morel (1940) – Adolfo Bioy Casares (1914).
98º – Memorial do Convento (1982) – José Saramago (1922).
100º – Os Cus de Judas (1980) – Antonio Lobo Antunes (1942).



Só acrescentei um livro em um ano. E devo dizer que é beeem fraquinho e, a depender de mim, jamais figuraria nessa lista.
 
12º – Coração das Trevas (1902) – Joseph Conrad (1857-1924).
13º – O Estrangeiro (1942) – Albert Camus (1913-1960).
32º – A Peste (1947) – Albert Camus. Record .
43º – A Cidade e as Serras (1901) – Eça de Queirós (1845-1900).
49º – Macunaíma (1928) – Mário de Andrade (1893-1945).
73º – A Sangue Frio (1966) – Truman Capote (1924-1984).
74º – A Laranja Mecânica (1962) – Anthony Burgess (1916-1993).
78º – Complexo de Portnoy (1969) – Philip Roth (1933).
84º – O Lobo da Estepe (1927) – Herman Hesse (1877-1962).
88º – Revolução dos Bichos (1945) – George Orwell.

Tô uma decepção só. :osigh:
 
13º – O Estrangeiro (1942) – Albert Camus (1913-1960)
14º – O Inominável (1953) – Samuel Beckett (1906-1989)
16º – Admirável Mundo Novo (1932) – Aldous Huxley (1894-1963)*
24º – 1984 (1949) – George Orwell (1903-1950)
25º – A Náusea (1938) – Jean-Paul Sartre (1905-1980)
28º – Malone Morre (1951) – Samuel Beckett
32º – A Peste (1947) – Albert Camus
39º – Molloy (1951) – Samuel Beckett (1906-1989)
42º – Retrato do Artista Quando Jovem (1917) – James Joyce
48º – O visconde Partido ao Meio (1952)- Italo Calvino (1923-1985)
62º – Cidades Invisíveis (1972) – Italo Calvino (1923-1985)
84º – O Lobo da Estepe (1927) – Herman Hesse (1877-1962)
88º – Revolução dos Bichos (1945) – George Orwell

Vários do Beckett e do Camus. :grinlove:

*Lendo nesse momento.
 

Valinor 2023

Total arrecadado
R$2.404,79
Termina em:
Back
Topo