1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Autor da Semana Orson Scott Card

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Anna Cwen, 5 Mar 2012.

  1. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    Para quem não conhece, Orson Scott Card é escritor, ensaísta, crítico e ativista político e religioso. Seus livros são de vários gêneros, mas suas obras mais conhecidas são de ficção científica. Só que não é aquela ficção científica em que o foco é a tecnologia; ele consegue escrever ficção científica em que o foco são os seres humanos, e é por isso que suas obras, em especial a Saga de Ender, são especiais - especiais o suficiente para que os dois primeiros títulos tenham ganho, ambos, tanto o prêmio Hugo quanto o Nebula em seus anos de lançamento.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Filho de Williar e Peggy Card, terceiro de seis filhos, Orson Scott Card nasceu em 1951 em Richland, Washington, mas durante a infancia morou em vários estados como Californica, Arizona e Utah. Sua família é mórmon e ele serviu à Igreja como missionário no Brasil na década de 70, depois voltou aos EUA para se formar em teatro na Universidade de Utah.

    Durante alguns anos, Card administrou uma compania de teatro em Utah, enquanto trabalhava como revisor em uma editora em tempo parcial. Em 1976, muda-se para Salt Lake City para trabalhar como editar da revista oficial da religião mórmon, Ensing. Foi neste período que publicou sua primeira obra de ficção, "Gert Fram", embora várias outras já estivessem prontas. Após alguns anos, deixa a Ensign e passa a trabalhar como free lancer.

    Em 1975 escreve uma história curta sobre crianças que estudam no espaço, que é enviada para vários editores, sendo por fim publicada em uma revista em agosto de 1977. Esta seria a semente para o seu "Ender's Game" (no Brasil, O Jogo do Exterminador). Este tipo de publicação, juntamente com programas de radio para a igreja, lhe permitem deixar a Ensign e passar a trabalhar como free lancer. Após completar seu mestrado em língua inglesa, em 1981, o mercado de publicações se deteriora e ele precisa voltar a trabalhar em revistas em tempo integral até 1983.

    FICÇÃO CIENTÍFICA

    A versão atual de "Ender's Game" é publicada em 1985, e sua continuação, "Speaker for the Dead" (no Brasil, Orador dos Mortos), em 1986. Ambos recebem os prêmios Hogo e Nebula, fazendo de Orson Scott Card o único autor a receber os dois maiores prêmios de ficção científica em anos consecutivos. A série continua com mais dois livros, "Xenocide" e "Children of the Mind", e outros 6 livros no mesmo universo. [NOTA: vou abrir um tópico específico para a Saga Ender].

    Outras obras de ficção científica incluem "The Tales of Alvin Maker", "Pastwatch: The Redemption of Christopher Columbus", "The Homecoming Saga", e "Hidden Empire", uma história sobre uma guerra civil nos EUA em um futuro próximo, baseada no jogo Shadow Complex de Xbox. Ele também trabalhou com Doug Chiang em "Robota" e com Kathryn H. Kidd em "Lovelock".

    OUTROS GÊNEROS

    Card tem se aventurado em outras áreas da ficção com obras como "Lost Boys, "Treasure Box" e "Enchantment". Outras obras incluem a novelização do filme "O Segredo do Abismo", de James Cameron, e a HQ Ultimate Iron Man para a série Ultimate da Marvel, além de diálogos em vídeo-games como Loom, O Segredo da Ilha dos Macacos e The Dig, nos anos 90. Os diálogos e roteiro do jogo de Xbox "Advent Rising" foram escritos em conjunto com Cameron Dayton.

    Em 2000, Card inicia uma série religiosa "The Women of Genesis"m que explora as vidas das principais mulheres citadas no primeiro livro da Biblia. "Sarah" (2000), "Rebekah" (2002) e "Rachel and Leah" (2004) são as primeiras obras de uma série ainda não terminada.

    Em 2005, inicial o projeto de uma revista, "Orson Scott Card's InterGalactic Medicine Show", mas, após duas edições, acaba abandonando por não conseguir responder a todos os envios a tempo. Em 2006, seu ex-editor Edmundo R Schubert acaba assumindo o posto de editor da revista.

    PSEUDÔNIMOS

    Orson Scott Card tem usado diferentes psudônimos ao longo de sua carreira.

    Os nomes Frederick Bliss e P. Q. Gump foram usando quando ele escreveu para a revista Sunstone. Byron Walley foi usado em sua primeira publicação de ficção, "Gert Fram", e depois em outras obras. Brian Green foi usada em ocasiões em que ele tinha mais de uma peça saindo ao mesmo tempo em uma mesma revista, assim como Dianah Kirkham e Noam D. Pellume. Card escreveu o romance "Zanna's Gift" (2004) com o nome Scott Richards, "porque eu estava tentando estabelecer diferentes identidades no mercado, mas por várias razões a estratégia de marketin não funcionou como eu esperava".

    LIVROS SOBRE COMO ESCREVER

    Card escreveu dois livros sobre o processo criativo de escrever: Characters and Viewpoint, em 1988, e How to Write Science Fiction and Fantasy, em 1990, ambos publicados pela Writer's Digest Books. Ele também é juiz do prêmio para escritores amadores de ficção científica e fantasia chamado Writers for the future o qual, curiosamente, é financiado pela Igreja da Cientologia.

    RELIGIÃO

    A família de Card é mórmon há 3 gerações, no mínimo, e sua imersão na religião teve implicações em sua vida desde cedo. Ele viveu no Brasil durante um período, como missionário, e alguns de seus primeiros empregos foram ligados a publicações religiosas. Hoje, é professor na Southern Virginia University, pequena faculdade de artes que segue os preceitos da religião mórmon.

    Além disto, apesar de ser do partido Democrata, em várias ocasiões se posicionou a favor de candidatos Republicanos, por questões como aborto ou casamento homossexual, contra o qual ele se posicionou publicamente repetidas vezes.

    VIDA PESSOAL

    Card e sua esposa, Kristine, tem 5 filhos, cada um nomeado em homenagem a escritores que ele e sua esposa admiram: Michael Geoffrey (Geoffrey Chaucer), Emily Janice (Emily Brontë and Emily Dickinson), Charles Benjamin (Charles Dickens), Zina Margaret (Margaret Mitchell) and Erin Louisa (Louisa May Alcott). Charles tinha paralisia cerebral, e Card declarou que algumas de suas obras, como "Children of the Mind", foram diretamente influenciadas pela sua experiência com ele.

    Em janeiro de 2011 Card teve um pequeno AVC, tendo sido hospitalizado. O uso da mão esquerda ficou comprometido, mas não parece ter tido qualquer dano nas funções criativas ou cognitivas, e ele continua escrevendo.


    FONTE:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    NOTA: eu resumi vários dos itens disponíveis nestes sites, por achar que não eram realmente interessantes. Portanto se alguém quiser saber mais, em especial sobre os usos de psudônimos e as críticas ao casamento homossexual, recomendo ler a Wiki.


    BIBLIOGRAFIA

    Como quase nada da bibliografia de Orson Scott Card foi traduzido para o português (que eu saiba, apenas O jogo do exterminador, Orador dos Mortos e Xenocidio), o melhor é usar a lista de publicações em inglês mesmo.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição: 6 Mar 2012
    • Ótimo Ótimo x 5
    • Gostei! Gostei! x 4
  2. Isildur

    Isildur Oh, no... More Porcelaine!

    Nossa, não sabia que ele tinha escrito edições do Ultimate Iron Man, nem que tinha trabalhado pra Lucas Arts (Loom, O Segredo da Ilha dos Macacos e The Dig). O cara é bom mesmo, ataca em todas as posições!
     
  3. Ptah

    Ptah Usuário

    Uma coisa que acho muito legal no autor é que, embora tenha uma religião rígida e normalmente acusadora, os livros possuem cenas com conteúdo sexual, relações homoafetivas, personagens e decisões amorais sem que nada esteja envolto em discurso do certo e errado.

    Ele chegou a se declarar contra homossexualismo, porém quando leio os livros dele não sinto que o livro mostre essa visão, como se ele não deixasse o que ele pensa interferir na trama.

    Ainda quero ler seus romances historicos biblicos, mas este autor com certeza é um de meus preferidos.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  4. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    Concordo com você. eu inclusive fiquei muito surpresa, quando descobri que ele tinha posições religiosas tão fortes.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  5. Isildur

    Isildur Oh, no... More Porcelaine!

    Eu só vim saber da vida religiosa dele muito tempo depois de ter lido o Orador dos Mortos. Realmente ele escreve de uma maneira completamente imparcial.
     
  6. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    acho que a experiência dele como pai de um rapaz com paralisia cerebral foi infinitamente mais marcante na vida dele; tem um personagem na série Ender que ele parece ter escrito inspirado nestas dificuldades.
     
  7. Excluído046

    Excluído046 Banned

    Tirando algumas coisas aleatórias que li, na internet, e o fato de ter começado (mas não ter terminado) a Saga de Ender, isso era o máximo que eu sabia sobre o Orson Scott Card, antes de ler o tópico. Tô sendo bem sincera. Mas, depois de ler o tópico, vi que a venda do meu voto valeu a pena. XD
     

Compartilhar