1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)
  1. Artigos Valinor

    Artigos Valinor Usuário

    Dentro dos mais profundos Poços de Utumno, na Primeira Era das Estrelas, é dito que Melkor cometeu sua maior blasfêmia. Por àquele tempo ele capturou muitos dentre a recentemente surgida raça dos Elfos e prendeu-os em suas masmorras, e com atos horríveis de torura ele fez formas de vida arruinadas e terríveis. Destes ele criou uma raça escrava, Orcs, que eram tão repulsivos quanto os Elfos eram belos.

    Estes eram os Orcs, uma multidão nascida de formas distorcidas pela dor e ódio. O único prazer destas criaturas era a dor de outras, pois o sangue que corria nos Orcs era negro e frio. Sua forma atrasada era horrível: tortos, pernas arqueadas e chatos. Seus braços eram longos e fortes como os macacos do Sul, e suas peles eram negras como madeira carbonizada pelo fogo. As presas irregulares em suas largas bocas eram amarelas, suas línguas vermelhas e finas, e suas narinas e face eram amplas e chatas. Seus olhos eram como cortes rubros, como estreitas fendas em portões de ferro negro atrás dos quais carvão queimava.

    Este Orcs eram guerreiros cruéis, pois eles temiam mais seu próprio mestre do que qualquer outro inimigo; e talvez preferissem a morte ao tomento da vida de Orc. Eles eram canibais, brutais e terríveis e frequentemente suas garras e presas estavam manchadas com carne fresca e o sangue negro de sua própria raça. Orcs espalahram-se como servos do Mestre da Escuridão; portanto ele possuíam medo da luz, pois isto os enfraquecia e queimava. Seus olhos podiam ver no escuro, e eram moradores de poços imundos e túneis. Na Utumno de Melkor e em cada moradia imunda na Terra-média eles se multiplicavam. Mais rapidamente do que qualquer outros seres de Arda. Ao final da Primeira Era das Estrelas ocorreu a Guerra dos Poderes na qual os Valar foram a Utumno e a destruíram. Amarraram Melkor com uma grande corrente, e destruoram seus servos em Utumno e com eles a maioria dos orcs. Aqueles que sobreviveram ficaram sem mestre e vagarando ao léu.

    Nas Eras que se seguiram ocorreu a Grande Jornada dos Elfos, e, embora os Orcs estivessem vivendo nos locais escuros da Terra-média, eles não apareceram abertamente, e as histórias dos Elfos não falam de Orcs até a Quarta Era das Estrelas. A este tempo os Orcs tinham crescido de maneira preocupante. Fora de Angband eles vinham em armaduras da placas de aço e cota de malha, elmos de ferro e couro negro, com um bico como o de uma águia ou falcão em aço. Carregavam cimitarras, adagas envenenadas, flechas e espadas largas. Esta raça maligna, com lobos e lobisomens, ousaram, na Quarta Era das Estrelas, entrar na terra de Beleriand onde o reino Sindarin de Melian e Thingol ficava. Os Elfos cinzentos não sabiam de que maneira os Orcs surgiram, embora eles não duvidassem que eram malignos. Como este Elfos não usavam armas de aço neste tempo, recorreram aos ferreiros Anões de Nogrod e Belegost e negociaram armas de aço temperado. Então eles mataram os Orcs ou os expulsaram.

    Então, quando Melkor retornou à Beleriand na última Era das Estrelas, nos Poços de Angband, os Orcs vieram, linha após linha, legião após legião, em guerra aberta, e este foi o começo das Guerras de Beleriand, porque nos vales do Rio Gellion eles encontraram os Elfos Cinzentos do Rei Thingol e os Elfos da Floresta de Denethor. Na Primeira Batalha os Orcs foram dizimados e expulsos para as montanhas azuis, onde não encontraram refúgio mais sim os machados dos Anões. Nenhum daquele exército escapou, mas Melkor tinha enviado três grandes exércitos. O segundo exército de Orcs surgiu e invadiu as terras ocidentais de Beleriand e cercaram as Falas, mas as cidades dos Falathrim não caíram. Então o segundo exército juntou-se ao terceiro e marcharam para o norte, para Mithrim, para matar os recém-chegados Noldor, mas os Orcs estavam pouco preparados para estes Elfos. Em força de corpo os Noldor estavam muito acima dos piores sonhos dos Orcs, a luz dos olhos destes Elfos pareciam queimar a carne dos orcs e a poderosa luz das espadas Élficas deixaram-nos loucos de dor e medo. Então a Segunda Batalha de Belerian foi lutada contra os Noldor que Fëanor liderava, e esta batalha foi chamada Batalha sob as Estrelas, a Dagor-nuin-Giliath. Embora o rei Noldor Fëanor tenha sido morto, os segundo e terceiro exército de Melkor foi completamente destruídos.

    O segundo exército Noldor, liderado por Fingolfin, veio do Oeste e a grande luz do Sol elevou-se no céu trazendo medo a cada servo de Melkor. Então a Primeira Era do Sol começou e por um tempo as ambições dos orcs foram paradas pela nova luz do Sol. Logo, contudo, sob a cobertura das trevas os orcs vieram em outro grande exército, mais numeroso do que os outros três e mais pesadamente armados, esperando pegar os Noldor de surpresa. Na Batalha Gloriosa, as legiões de Orcs foram massacradas novamente. A este tempo o Cerco a Angaband começou e, embora os orcs de vez em quando saíssem em bandos, a maior parte deles era mantido dentro dos muros de Angband. Mas a força de Melkor cresceu, poi por magia ele criou mais Orcs e também Dragões, e ao seu redor existiam Balrogs, Trolls, Lobisomens e muitos outros grandes monstros. Quendo ele se julgou pronto o poderoso exército veio para a Batalha da Chama Repentina, e esta quebrou o Cerco a Angband e os Senhores Élficos foram derrotados. A partir desta batalha iniciou-se um reino de terror que os Orcs relembram como os Grandes Anos.

    A este tempo o Tol Sirion caiu e os reinos de Hithlum, Mithrim, Dor-lómin e Dorthonion foram invadidos. A Batalha das Lágrimas Incontáveis foi então travada: esta foi a Quinta Batalha das Guerras de Beleriand e os Elfos e Edain foram completamente derrotados. As malignas legiões de Orcs de Angband então marcharam em Beleriand. As Falas caíram sob os Orcs, assim como as cidades de Brithombar e Eglarest. A Batalha de Tumhalad foi lutada e Nargothrond saqueada; devido a disputas com os Anões e os Noldor, Menegroth foi invadido duas vezes e as terras dos Elfos Cinzentos completamente arruinadas. Finalmente Gondolin, o Reino Oculto, caiu. Então a vitória de Melkor parecia completa, suas legiões de Orc iam aonde desejavam em Beleriand, todos os Reinos Élficos estavam arruinados, nenhuma grande cidade permaneceu e os Senhores de grande parte dos Elfos e Edain foram mortos. Este é o conto dos dias que foram prazeirosos para os corações dos Orcs e seus aliados.

    Mas o terror daquele Era finalmente chegou a um final. Pois os Valar, Maiar, Vanyar r Noldor de Tirion vieram das Terras Imortais e a Grande Batalha foi travada. Nesta Angband foi destruída e todas as montanhas ao norte quebradas. beleriand e Angband afundaram no mar, Melkor foi jogado no Vazio para sempre e seus servos, os orcs, exterminados no noroeste da Terra-média.

    Porém os Orcs sobrevivera, pois parte da raça permaneceu escondida em cavernas sujas sob montanhas e colinas escuras. Lá eles procriaram e se multiplicaram. Eventualmente ele foram até o general de Melkor, Sauron, oferecendo seus serviços, e ele tornou-se seu novo mestre. Eles serviram bem a Sauron na Guerra de Sauron e dos Elfos e em suas batalhas até a Guerra da Última Aliança. quando a Segunda Era terminou com a queda de Mordor e novamente a maior parte da raça dos orcs foi exterminada. Mas assim como na Segunda Era do Sol, na Terceira os Orcs esconderam-se em locais profundos e escuros. Sem mestre, os Orcs invadiram e emboscaram por muitos séculos, mas não fizeram grandes esquemas de conquista até que mais de mil anos da Era se passaram, quando um grande e maigno Olho, Sauron, reapareceu e, Dol Guldur no sul de Mirkwood. Como na Segunda Era do Sol, os destinos escuros de Sauron e dos Orcs se uniram novamente, e por dois mil anos da Terceira Ela o poder dos orcs aumentou junto ao do seu Senhor Escuro.

    Seu poder primeira mente cresceu em Mirkwood, então nas Montanhas Nebulosas. Em 1300 os Nazgûl reapareceram em Mordor e o reino de Angmar no norte de Eriador foi fundado, com os Orcs dirigindo-se a ele. Após seis séculos de terror Angamar caiu, mas o reino maligno de Minas Morgul elevou-se em Mordor, pelos próximos mil anos.

    É dito que Sauron não estava completamente satisfeito com os soldados Orcs e desejava aumentar sua força. E embora nenhum conto fale sobre isso, acredita-se que Sauron, através de feitiçaria, criou uma nova raça de grandes Orcs. No ano de 2475, estas criaturas, os Uruk-hai, saíram de Mordor e saqueram Osgiliath, a maior cidade de Gondor. Este Orcs cresceram até o tamnaho de Homens, anadavam eretos e eram muito fortes. Contudo ainda eram verdadeiros Orcs - pele negra, sangue negro, olhos de lince, com garras e presas - mas não enfraqueciam à luz do sol nem a temiam. Então os Uruk-hai podiam ir onde seus malignos irmãos não poderiam e, sendo maiores e mais fortes, eram também nmais corajosos e ferozes na batalha. Vestidos com armaduras negras, frequentemente carregando espadas retas e arcos longos bem como muitas das malignas e envenenadas armas dos Orcs, os Uruk-hai eram a elite dos soldados e muito frequentemente os alto comandanetes e capitães dos Orcs menores.

    Nos séculos que se seguiram, os Uruk-hai e os Orcs menores fizeram alianças que poderiam ter arruinado todos os reinos de Homens e Elfos ns terras do Oeste. Os Orcs fizeram tratados com os Dunlendings, os balchoth, os carroceiros, os Haradrim, os Orientais de Rhun e os Corsários de Umbar para atingir seus objetivos. Os orcs chegaram até mesmo aos reinos dos Anões. No ano de 1980 Moria foi tomada por um poderoso Balrog. Como ele estavam os Orcs das Montannhas Nebulosas, que tinham vindo em grande quantidade de seus capital Gundabad para habitar a antiga cidade dos Anões, pilhando os bens do povo Anões e matando quem quer que se aproximasse deste antigo reino.

    Mas o Norte estava para ser livre dos Orcs, pois os Anões estavam tão enfureceidos que eles não se importaram a que custo eles obteriam vingança. Então aconteceu de 2793 a 2799 sete anos de guerra de exterminação chamados de Guerra dos Anões e Orcs. Nesta guerra, embora tenha tido alto custo para os Anões, quase todos os Orcs das Montanhas Nebulosas foram caçados e mortos, e no Portão Leste de Moria a terrível Batalha de Azanulbizar foi travada. Os Orcs foram destruídos e a cabeça de seu general, Azog, foi colocada em uma estaca. E foi assim que por um século as Montanhas Nebulosas foram limpas dessa raça vil, embora a certo tempo eles tenham voltado a Gundabad e Moria.

    No ano de 2941 um segundo grande desastre atingiu os Orcs do Norte. Após a morte do Dragão Smaug, todos os guerreiros Orcs de Gundabad vieram ao reino Anão de Erebor e a Batalha dos Cinco Exércitos foi travada abaixo da Montanha Solitária. Os Orcs eram conduzidos por Bolg do Norte, filho de Azog, e ele desejava vingança dos Anões, mas tudo que obteve foi sua própria morte e a de todos os seus guerreiros.

    Na Guerra do Anel, o último grande conflito da Terceira Era do Sol, as legiões de Orcs estavam por toda parte, como o "Livro Vermelho do Marco Ocidental" relata. Das Montanhas Nebulosas e das sombras de Mirkwood os Orcs foram à guerra sob bandeiras pretas e vermelhas. Os destemidos Uruk-hai com escudos e elmos carregando o emblema da Mão Branca vieram de Isengard, onde o Mago rebelde Saruman governava. E, Morgul tanto grandes como pequenos Orcs eram marcados com uma lua branca como uma grande caveira; e sob o comando de Sauron estavam os incontáveis Orcs de Mordor de todas as raças, que eram marcados pelo símbolo do Olho Vermelho. Todos estes estavam preparados para a guerra bem como muitos mais. Eles lutaram numerosas batalhas e emboscadas, bem como as Batalhas do Vau do Isen, a Batalha do Forte da Trombeta, a Batalha dos Campos de Pelennor, a Batalha sobre as Árvores e a Batalhas do Vale. Nestes ataques milhares caíram em ambos os lados, e, embora em muitas destas batalhas os Orcs tenham sido completamente derrotados, é dito que Sauron manteve a maior parte de suas forças em Mordor até que o inimigo veio ao portão norte de seu reino.

    Ainda na Guerra do Anel, tudo estava para ser resolvido em uma última batalha ante Morannon, o Portão Negro. Todas as terríveis forças de Mordor estavam reunidas ali e ao comando de Sauron elas caíram sobre os exércitos dos Capitães do Oeste. Contudo, naquele exatao momento, nos fogos da Montanha da Perdição, o Um Anel de Poder, que mantinha todo o mundo escuro de Sauron poderoso, foi destruído. O Portão Negro e a Torre Negra partiram-se. Os mais poderosos servos de Sauron foram consumidos pelo fogo, o Senhor do Escuro tornou-se como uma fumaça negra que foi dispersa pelo vento oeste, e os Orcs pereceram como palha ante as chamas. Embora alguns tenham sobrevivido, eles nunca mais apareceram em grande número, mas definharam e tornaram-se um povo menor que possuía apenas o rumor de seu antigo poder maligno.


    Uruk-hai

    Significa Raça Orc Na Fala Negra de Mordor. Linhagem de Orcs criada por Sauron na Terceira Era em Mordor, Os Uruk-hai apareceram pela primeira vez cerca de 2475 da Terceira Era, quando invadiram Ithilien e tomaram Osgiliath. Ao tempo da Guerra do Anel,uruks eram utilizados por Sauron e Saruman como soldados em todas as frentes; Gorbag, Shagrat, Uglúk e talvez Azog e Bolg eram uruks.

    Os Uruk-hai eram utilizados como soldados mais do que as outras linhagens porque, ao contrário dos outros orcs, eles eram quase tão altos como os Homens, tinham pernas retas e fortes, e não se enfrequeciam à luz do sol. Uruks eram negros e tinham olhos inclinados. Eles se consideravam superiores aos demais Orcs.

    Os espiões de Saruman em Bree e os Homens do Chefe podem ter sido uruk-hais; quase com certeza possuiam algum sangue uruk.

    Uruk-hai é um nome genérico para a linhagem; o singular é uruk e o plural (Anglicanizado) uruks. Também eram chamados de Grandes Orcs.
     

Compartilhar