1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Óperas

Tópico em 'Música' iniciado por adrieldantas, 27 Ago 2013.

  1. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    Alguém compartilha desse prazer? Vamos discutir sobre as maravilhosas óperas de cada dia.
    Indicações, dicas, comentários, etc...

    Para começar, alguém já teve o prazer de assistir ao vivo, completa?
     
    • Ótimo Ótimo x 2
  2. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    Já vi:

    - Cavalleria Rusticana em concerto (pra quem não sabe "ópera em concerto" significa que não tem cenário/caracterização e a Orquestra fica em cima do palco).

    - Carmina Burana com o pessoal do fórum

    - A Valquíria, 5 horas no total, acho que dormi metade do tempo :oops:

    Tudo no Theatro Municipal do Rio de Janeiro :amor:
     
  3. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    É um tópico, eu sempre tenho que estar comendo ou bebendo alguma coisa, caso contrário eu começo a ficar com sono. E não é só com óperas, musicais da broadway também, vi "Rent" e realmente tive que jogar energetico no olho.
    Não é nem por falta de interesse, eu não sei, é involuntário.
     
  4. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    Exato. No meu caso a desculpa é que era sexta à noite, dia da semana em que estou mais cansada, mas era o único dia que ainda tinha lugares decentes disponíveis quando o namorado foi comprar os ingressos.
     
  5. Spartaco

    Spartaco James West

    Como disse no tópico referente à Música Clássica, a ópera é o meu gênero predileto, pois abarca uma muitas manifestações artísticas ao mesmo tempo: o teatro, a poesia, o balé, a cenografia e, obviamente, a música.

    Espero, no decorrer das mensagens, abordar as grandes óperas e, também, as menos conhecidas e que, com certeza, merecem sê-las.

    Um abraço a todos.
     
  6. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Quando se trata de ir ao Teatro (algo que em relação a cinema e livros prestigio muito mais numa proporção de uns 50:1) as óperas representam de 10 a 33% do que assisto dependendo da época. A última que assisti foi a "A Carreira do Libertino" que esteve em cartaz no Teatro Municipal de Sampa em Junho.

    Nesse momento dei uma pausa em ver novas óperas, mas devo voltar a ver outras logo após o final da temporada dos épicos do mestre Zé Celso no Teatro Oficina.

    PS: Foi só eu colocar um pequeno desabafo
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    e não é que o Arieldantas no mesmo dia veio salvar a pátria aqui com um tópico de primeira? :clap:
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  7. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    Abriu a seção de outono do "Vivre l'opera" aqui em Bruxelas, toda vez que vou ao cinema passa a propaganda, fico morrendo de vontade de comprar o ingresso, pena que é muito caro (caro que digo é tipo 70 euros o mais barato, e com casa pra cuidar fica difícil arrumar esse dinheiro), de qualquer maneira sempre fico babando quando vejo.

    Essa semana vi "Dom Quichotte" na TV, no geral eu não vejo muitas comédias, alguém tem alguma sugestão de comédias boas para assistir?

    Eu nem vi isso, que sincronia, não? :D
     
  8. Spartaco

    Spartaco James West

    Para quem quiser conhecer um pouco da história da ópera, ou seja, como esse gênero nasceu e os seus primeiros anos, indico o livro A Invenção da Ópera ou A História de um Engano Florentino de autoria de Sergio Casoy (Algol Editora).

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Além disso, ele explica, de forma precisa, cada elemento envolvido nesse espetáculo: a orquestra, o coro, a regência, o balé, a direção de cena, etc.

    Vale a pena ler.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  9. Spartaco

    Spartaco James West

    Aproveito este tópico sobre as óperas para propor a todos conversarmos sobre alguns aspectos desse gênero musical. Poderíamos começar a discutir a respeito das Aberturas; algumas questões como:

    1) Qual é a função da Abertura perante o corpo da ópera?

    2) Quando foram apresentadas as primeiras Aberturas e como foram se modificando no decorrer dos tempos?

    3) Para vocês que gostam de óperas, quais as Aberturas preferidas?
     
  10. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    Eu posso estar dando uma de "menino fã clube", mas a abertura de Carmen é minha preferida. :D
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  11. Spartaco

    Spartaco James West

    Você tem muito bom gosto; só pediria licença para fazer uma pequena correção, na verdade essa peça orquestral introdutória é, na realidade, o prelúdio do primeiro ato e não uma abertura.

    Aproveitando o ensejo e a título de ilustração, até onde eu sei o principal intuito das aberturas é preparar os espectadores para o clima da ópera que irá se iniciar. Por isso, muitas vezes os compositores preparavam as aberturas no final da composição das óperas, utilizando-se de trechos das mesmas em sua confecção.

    Em outra questão essa mesma peça introdutória apresenta aspectos musicais referentes única e exclusivamente ao primeiro ato, assumindo nessa perspectiva o formato entendido como Prelúdio, caso também da ópera La Traviata de Verdi. Contudo, os prelúdios podem ser apresentados antes de qualquer ato.

    Deve-se salientar que vários compositores, posteriormente, deixaram muitas vezes de colocar aberturas ou prelúdios no início de suas óperas e optaram por compor uma pequena introdução, como acontece , só para citar, no caso de Otelo do próprio Verdi.

    Bom, por enquanto é isso.
     
    • Ótimo Ótimo x 2
  12. Spartaco

    Spartaco James West

    Continuando a utilizar este tópico para conhecermos um pouco mais sobre o tema das aberturas, aproveito para esclarecer que a primeira abertura de uma ópera, apesar de não ter esse nome, foi a chamada toccata composta por Claudio Monteverdi para a sua obra L'Orfeo, favola in musica (1607).

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  13. Spartaco

    Spartaco James West

    Continuando a falar sobre as óperas, em especial aos trechos puramente orquestrais (como as aberturas), é interessante mencionar também os intermezzi.

    Como o próprio nome diz, intermezzo é uma peça orquestral executada no meio de uma ópera, ou seja, entre os atos da mesma ou, em certos casos, entre duas cenas de um mesmo ato.

    Exemplos de óperas com intermezzo são: Carmen de Bizet (entre os atos 3º e 4º), Manon Lescaut de Puccini (também entre os atos 3º e 4º ato) e a Cavalleria Rusticana de Mascagni (entre as duas partes do ato único).
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  14. Malkyn

    Malkyn The Siren

    A quem puder interessar, segue o link da temporada 2014 do Theatro Municipal de São Paulo (apesar de sempre estar esgotado, mas who knows?)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Óperas
    Temporada Lírica 2014



    IL TROVATORE

    Giuseppe Verdi

    MARÇO

    08 sáb 20h | 09 dom 18h | 11 ter 20h | 13 qui 20h | 15 sáb 20h

    16 dom 18h | 18 ter 20h | 20 qui 20h | 22 sáb 20h

    Coro do Theatro Municipal e Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

    Direção musical e regênciaJohn Neschling

    RegênciaJader Bignamini

    Direção cênicaAndrea De Rosa

    Cenografia Sergio Tramontini

    Il Conte di Luna: Alberto Gazale | Francesco Landolfi

    Leonora: Susanna Branchini | Hui He

    Azucena: Marianne Cornetti | Denise de Freitas

    Manrico: Stuart Neill | Sergio Escobar

    Ferrando: Enrico Giuseppe Iori | Felipe Bou

    Ines: Ana Lucia Benedetti

    Ruiz: Eduardo Trindade




    FALSTAFF

    Giuseppe Verdi

    ABRIL

    12 sáb 20h | 13 dom 18h | 15 ter 20h | 17 qui 20h

    19 sáb 20h | 20 dom 18h | 22 ter 20h | 24 qui 20h

    Coro do Theatro Municipal e Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

    Direção musical John Neschling

    Direção cênica e CenografiaDavide Livermore

    Falstaff: Ambrogio Maestri | Nelson Martinez

    Ford: Simone Piazzola | Rodrigo Esteves

    Alice Ford: Virginia Tola | Adriane Queiroz

    Nannetta: Rosana Lamosa | Lina Mendes

    Fenton: Marco Frusoni | Aldo Caputo

    Mrs Meg Page: Denise de Freitas | Luciana Bueno

    Mrs Quickly: Elisabetta Fiorillo | Romina Boscolo

    Pistola: Diógenes Randes | Saulo Javan

    Dottor Cajus: Saverio Fiore

    Bardolfo: Stefano Consolini




    CARMEN

    Georges Bizet

    MAIO

    29 qui 20h | 31 sáb 20h

    JUNHO

    01 dom 18h | 03 ter 20h | 05 qui 20h | 07 sáb 20h

    08 dom 18h | 10 ter 20h | 11 qua 20h

    Coro do Theatro Municipal e Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

    Direção musicalRamón Tebar

    Direção cênicaFilippo Tonon

    Cenografia Juan Guillermo Nova

    Carmen: Rinat Shaham | Luisa Francesconi

    Don José:Thiago Arancam | Fernando Portari

    Escamillo: Rodrigo Esteves | David Marcondes

    Micaela: Lana Kos | Andrea Aguilar

    Dancairo: Francis Dudziak

    Remendado: Rodolphe Briand

    Zuñiga: Massimiliano Catellani

    Morales: Norbert Steidl | Vinícius Atique

    Frasquita: Marta Torbidoni

    Mercedes: Malena Dayen




    SALOMÉ

    Richard Strauss

    SETEMBRO

    06 sáb 20h | 09 ter 20h | 11 qui 20h | 14 dom 18h

    16 ter 20h | 18 qui 20h | 20 sáb 20h

    Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

    Direção musical John Neschling

    Direção cênicaLivia Sabag

    Cenografia Nicolás Boni

    Figurinos Veridiana Piovezan

    Desenho de Luz Wagner Pinto

    Salomé: Nadja Michael | Alexandrina Pendatchanska

    Herodes: Peter Bronder | Jürgen Sacher

    Herodias:Iris Vermillion | Alejandra Malvino

    Jochanaan: Steven Mark Doss | Michael Kupfer

    Narraboth: Stanislas De Barbeyrac | István Horváth

    1º Judeu: Paulo Chamié-Queiroz

    2º Judeu: Miguel Geraldi

    3º Judeu: Eduardo Trindade

    4º Judeu: Rubens Medina

    5º Judeu: Sérgio Righini

    1º Nazareno: Carlos Eduardo Marcos

    2º Nazareno: Sérgio Weintraub

    1º Soldado: Marcos Carvalho

    2º Soldado: Paulo Menegon

    Capadócio: Jonas Mendes

    Pajem de Herodias: Elaine Martorano

    Escravo: Elisabeth Ratzersdorf




    CAVALLERIA RUSTICANA / I PAGLIACCI

    Pietro Mascagni / Ruggero Leoncavallo

    OUTUBRO

    18 sáb 20h | 19 dom 18h | 21 ter 20h | 23 qui 20h

    25 sáb 20h | 26 dom 18h | 28 ter 20h | 29 qua 20h

    Coro do Theatro Municipal e Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

    Direção musicalIra Levin

    Direção cênicaPier Francesco Maestrini (Cavalleria Rusticana)Francesco Micheli (I Pagliacci)

    Cenografia Juan Guillermo Nova

    Santuzza: Tuija Knihtlä | Elena Lo Forte

    Turiddu: Martin Muehle | Marcello Vannucci

    Alfio: Angelo Veccia | Francesco Landolfi

    Lola: Luciana Bueno | Mere Oliveira

    Mamma Lucia: Lídia Schäffer

    Canio: Walter Fraccaro | Richard Bauer

    Nedda: Inva Mula | Marina Considera

    Tonio: Angelo Veccia | Francesco Landolfi

    Beppe: Daniele Zanfardino | Saverio Fiore

    Silvio: Davide Luciano | Norbert Steidl




    TOSCA

    Giacomo Puccini

    NOVEMBRO

    29 sáb 20h | 30 dom 18h

    DEZEMBRO

    02 ter 20h | 04 qui 20h | 06 sáb 20h | 07 dom 18h

    09 ter 20h | 11 qui 20h | 13 sáb 20h

    Coro do Theatro Municipal e Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

    Direção Musical Oleg Caetani

    Direção cênicaMarco Gandini

    Floria Tosca: Amanda Echalaz | Ausrine Stundyte

    Mario Cavaradossi: Marcelo Alvarez | Stuart Neill

    Scarpia: Roberto Frontali | Nelson Martinez

    Cesare Angelotti: Massimiliano Catellani

    Sacristão: Saulo Javan

    Spoletta: Luca Casalin

     
    • Gostei! Gostei! x 2
  15. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Eu comparo a ópera com a relação que eu tenho com instrumentos de sopro.

    Meu pai, antes de ir dormir, escolhia algumas fitas K7, de música clássica com ópera, e entrava no quarto para escutar baixinho até pegar no sono.

    Na época eu era pequeno, mas era possível notar que eram músicas que evocavam impressões emocionais específicas por meio de sons. As fitas me pareciam bastante complexas e eu permanecia pensando naquilo que o(a) cantor(a) se esforçava com tanta energia para exprimir.

    Porque as vezes aquelas vozes traziam sofrimento, em outras vezes traziam suavidade, pressa, fúria...

    Então por causa de certas partes vocalizadas das músicas, toda semana eu partia para aulas de coral na escola e na igreja e eu gostava de ouvir, comparando os sons das aulas de flauta que eu já gostava antes de ter ouvido as música de cantores de ópera.

    Afinal, a flauta e a voz humana são parentes na origem porque dependem do sopro para produzir o som (que é diferente do ruído involuntário). Ambos são instrumentos de sopro.

    Resultou disso que a complexidade da passagem do ar me fascinava. Por exemplo, sabe-se que a voz humana é um dos primeiros sons de comunicação que o bebê recebe de modo que se espalha com muito mais força no corpo das pessoas do que instrumentos comuns.

    No que uma voz pode ser um bálsamo numa hora de tristeza mas pode ser muito desagradável se for produzida de forma errada. E há a possibilidade de ser totalmente negativa ou totalmente positiva.

    Teve um artista japonês que falou que procurava modular a intensidade de uma obra visual pelo impacto que os olhos de uma pessoa podem ter em um desenho. Nos olhos habitava uma expressividade mágica capaz de imprimir tanto o maior terror quanto a maior benção que se pode produzir.

    E na música é a mesma coisa porque o compositor não apenas desenha sons para serem ouvidos, mas que sua melodia seja também capaz de arrancar uma vontade sobrenatural de quem escuta.

    Por exemplo, alguns dizem que Mark Knopfler consegue fazer a guitarra dele chorar. Procurem por "Brother in Arms" e é como se a guitarra estivesse chorando enquanto declama uma poesia.

    Não a toa os corais são associados a anjos cantando no céu (como os Ainur de Tolkien). Um dos companheiros mais próximos dos instrumentos de sopor são as cordas (por exemplo, a harpa) A voz humana possui um poder que pode curar ou pode adoecer quem a ouve:

    King's College Choir - Jesus Christ is risen today
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  16. Spartaco

    Spartaco James West

    No último sábado fui conferir aqui em São Paulo a transmissão ao vivo da ópera Príncipe Igor de Alexander Borodin, direto do Metropolitan de Nova York. Não é a primeira vez que assisti este tipo de apresentação no cinema e, como das outras vezes, gostei muito.

    O único senão foi algumas pequenas interrupções durante a apresentação da ópera, devido a problemas de sinal, mas não chegou a atrapalhar a transmissão, que, como disse acima, foi realmente boa.

    A próxima ópera a ser transmitida ao vivo será Werther do compositor francês Jules Massenet, no dia 15 de março.

    Para quem gosta do gênero, acho que vale a pena prestigiar.
     
  17. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    Sempre tive um receio de ir ao cinema para assistir Óperas, iria até perguntar aqui se alguém já tinha ido e gostado. Agora estou mais tranquilo, poderei até ir assistir nessa Páscoa. :)
     
  18. Spartaco

    Spartaco James West

    Não deu, infelizmente, para ver a ópera de Massenet. No entanto, vou tentar ir amanhã ao cinema, para assistir La Bohème de Puccini.

    Trata-se da produção clássica de Franco Zeffirelli da ópera mais interpretada na história do Met. O tenor italiano Vittorio Grigolo retrata o escritor apaixonado Rodolfo, e a soprano romena, Anita Hartig, faz sua estreia no Met como sua amante Mimi. A soprano Susanna Phillips interpreta a jovem namoradeira Musetta e o barítono Massimo Cavalletti é o pintor Marcello neste espetáculo que é liderado pelo grande maestro Stefano Ranzani.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  19. Silveira Tûk

    Silveira Tûk Visitante

    Já assisti A Flauta Mágica, do Mozart.
    Simplesmente adorável. Não somente pela composição perfeita, mas pela doce harmonia de cada personagem com as ideias propostas.
    Gostaria de assistir As Bodas de Fígaro, já ouvi e li a interpretação, inclusive da Ópera Don Giovanni, mas ainda não assisti no Teatro.
    Não tenho palavras para descrever a maravilha e a grandeza do espetáculo da vida.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 3
  20. Spartaco

    Spartaco James West

    Neste último sábado vi no cinema aqui de São Paulo a transmissão ao vivo de outra ópera no Met, La Cenerentola de Rossini., com Joyce DiDonato como a personagem-título na história da Cinderela, com o mestre do bel canto Juan Diego Flórez no papel do príncipe, sob a regência d maetro Fabio Luisi.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Gostei muito. Uma pena que foi a derradeira ópera da temporada 2013-14; agora é esperar pela próxima temporada.
     
    • Gostei! Gostei! x 3

Compartilhar