1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Only God Forgives (2013)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Vëon, 18 Abr 2013.

?

Sua nota para o filme.

  1. 10

    0 voto(s)
    0,0%
  2. 9

    0 voto(s)
    0,0%
  3. 8

    0 voto(s)
    0,0%
  4. 7

    0 voto(s)
    0,0%
  5. 6

    33,3%
  6. 5

    33,3%
  7. 4

    33,3%
  8. 3

    0 voto(s)
    0,0%
  9. 2

    0 voto(s)
    0,0%
  10. 1

    0 voto(s)
    0,0%
  1. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    Only God Forgives

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    No filme, Julian (Gosling) é um britânico que vive em Bangcoc, na Tailândia, e é respeitado no submundo local. Ele e seu irmão Billy administram um clube de boxe tailandês que serve de fachada para traficar drogas a Londres. Quando Billy é assassinado, a mãe dos irmãos, Jenna (Kristin Scott-Thomas), chega para buscar o corpo - e força Julian a procurar o assassino. A trilha o leva até o "Anjo da Vingança", policial aposentado que conhece tudo na cidade. Líder de uma poderosa organização criminosa, acostumada a ter o que deseja, Jenna ordena que Julian mate o Anjo da Vingança, acerto de contas que deixa um rastro de sangue em meio a vinganças e traições.


    Ansioso. Drive foi meu filme favorito ano passado e pelo trailer esse parece bem promissor.
     

    Arquivos Anexados:

    • Gostei! Gostei! x 2
  2. Calib

    Calib Visitante

    Ryan Gosling + Nicolas Winding Refn: say no more, say no more. :joinha:
     
    Última edição por um moderador: 22 Abr 2013
  3. Hugo

    Hugo Hail to the Thief

    Fiquei bem decepcionado com o novo do diretor de DRIVE, basicamente porque ele abusou do estilo que caiu tão bem no outro. Nem Gosling se destaca e dá vazão aos críticos que dizem que ele faz sempre as mesmas caras. O longa tem um fiapo de história que não empolga hora nenhuma. De bom mesmo, só a Kristin Scott Thomas, versão mothafucka.
     
    Última edição: 5 Ago 2013
  4. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Também me decepcionou.
    Por isso que não o colocava tanto na lista de filmes esperados, já que ele só tinha feito Drive de relevante (e que nem me agradou tanto assim).

    Não digo que é um filme ruim pois dá pra sentir que o filme foi pensado pelo Refn e identificar muito do que ele quis passar. Mas o problema é realmente que ele se perdeu no estilo, nos closes, nas cores.
     
  5. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    Ainda não assisti, dei uma boa desanimada depois que começaram a sair as críticas negativas. :tsc:
     
    Última edição: 5 Ago 2013
  6. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Como assim, mano? E "Pusher"? "Valhalla Rising"? "Bronson"?

    Ainda não vi "Only God Forgives". Já baixei mas tô esperando ficar livre pra poder dar uma conferida e dizer o que achei - ah, mas eu amei "Drive". Se você assistir "The Driver", do Walter Hill, vai gostar ainda mais.
     
  7. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Pusher eu não vi. É uma recomendação.
    Bronson raspa o "relevante".
    Valhalla não, né?
     
  8. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    [2]

    eu ainda estava pensando em ser teimosa e ver mesmo assim, mas depois que vi um site gringo lá fora dando 0,5 estrelas (de 10 possíveis) para o filme, resolvi deixar para um momento em que eu não estivesse tão atrasada com meus filmes para ver
     
  9. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    "Valhalla Rising" é demais - a desconstrução do expansionismo cristão/cruzado e o uso de iconografia nórdica foram marcantes. O Um-Olho protegendo o garoto, único traço de uma inocência que resiste à devassidão e distorção ideológica desde que o mundo é mundo, o conflito que surge entre os integrantes do grupo fora de sua estrutura social conhecida... Como não gostar desse filme?
     
  10. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    • LOL LOL x 2

Compartilhar