1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Retorno do Rei e o Retorno de Jesus

Tópico em 'Influências, Seguidores e Recomendações' iniciado por Silmenel, 15 Jun 2009.

  1. Dwór

    Dwór Usuário

    Não para mim concerteza não.Tolkien criou uma mitologia,talvez inspirados nos Nórdicos mas com sua maneira de ver as coisas,mas nada a vê com Jesus a Biblia ou Deus.Na minha opinião não tem nada a vê.Mas cada um acredita no que quê.
     
  2. Morgs

    Morgs Metido a Rei de Arda

    Morgoth fala...

    É como já disseram aqui, o Athrabeth é, talvez, a melhor referência de um "Jesus" em Arda.

    Com relação ao Retorno do Rei, acho difícil ter sido algo proposital, mesmo porque quando Tolkien escreveu o Senhor dos Anéis, ele mal sabia que o Rei teria "ido", quanto mais que teria "retornado" hehehe

    Mas falando especificamente das mãos que curam, isso era uma crença muito comum na época medieval/moderna. Na Inglaterra e na França, acreditava-se sim, que os reis podiam curar diversos males pela imposição das mãos, dentre os quais as tais das escrófulas. Aliás, tem um livro bom que fala sobre isso: Reis Taumaturgos (Marc Bloch).

    E, por fim, este último post do Dwór me chamou a atenção para este tópico, e pelas discussões travadas nele sobre mitologia e religião. Este é um assunto que me interessa bastante, então queria dar pitaco! :joy:

    Gente, precisamos parar com esse preconceito de achar que mitologia nada mais é do que "historinha fantástica". O mito vai muito além disso. Sendo suscinto, o mito narra uma história carregada de símbolos e que é revivida constantemente através do rito. Ora, o mito máximo do cristianismo é o mito da Ressureição (de Cristo) e a eucaristia é o rito que, quando praticado, revive tal mito.

    Da mesma forma, falando de paganismo (neo?), o mito do Casamento Sagrado entre o Deus e a Deusa é celebrado pelo que chamam de Grande Rito (seja entre Gaia e Urano, Isis e Osiris, etc).

    Tudo isso é religião: é um elo que nos liga com o sagrado, algo que está além do mundano que conhecemos. Toda a religião tem os seus mitos e os seus ritos, e isso não é invalidar a crença de ninguém.
     
    Última edição: 17 Mar 2010
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. arautom

    arautom Usuário

    Não dá pra negar alguns paralelos sendo influencia direta ou não:

    O rei com as mãos que curam,
    o fato de Aragorn ter que antes trilhar a senda dos mortos (morte e ressurreição de Jesus?),
    ele trazer uma espada que é um símbolo por ter derrotado o mal antes (seria a palavra de Jesus - tem um trecho biblico que Jesus diz: - Vim para trazer a espada...),
    apesar que Andúril e a mística em torno dela me faz lembrar Excalibur (PS. pouco explorado no filme, parece que a espada só tá lá pra controlar o Rei dos Mortos, ops isso aqui já gera outra análise | A espada de Aragorn (ou palavra de Jesus) vence (os mortos) a morte)...,
    e lógico como tb já foi comentado só depois de Aragorn assumir seu lugar no trono de Gondor poderia desposar Arwen (Jesus no fim dos tempos e o encontro com a igreja - que costuma ser chamada de noiva de Cristo).
     
  4. arautom

    arautom Usuário

    Divagando mais ainda.....
    Já li em algum lugar uma comparação entre a saga (história) dos anões na Terra-Média com a história judaica - acho q pq ambos perderam sua terra natal (Moria e Israel) e vagam em outros territórios.
    Os elfos por sua vez tem forte ligação com os mitos pagãos europeus - a quem os judeus chamavam de gentios.
    Seria a amizade de Aragorn (Jesus), Gimli (judeus) e Legolas (gentios) um paralelo dessa união que Jesus quis realizar tb - uma única mensagem de salvação para todos. Todos somos um. Todos somos iguais. rsrs
     
  5. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Nada? O cristianismo de Tolkien é visível na obra dele, mas não alegórico como em Lewis.

    O que parecem esquecer aqui é o pensamento de Tolkien, como expresso naquela palestra 'Sobre Contos de Fadas'. Basicamente, os contos de fadas, que nada tem de infantis, exceto para pseudo-escritores de mente pequena, são uma espécie de mitologia pagã fossilizada no inconsciente popular.

    A mitologia que Tolkien inventou trata de uma história fictícia, não-alegórica, uma história da humanidade expressa em diversos níveis. É uma história, não que simbolize algo, mas como mitologia, traz realidades subjacentes, explicações e 'APLICABILIDADE'. Entendam...

    Além disso, a influência da mitologia nórdica só está em certos elementos puramente mitológicos. A metafísica e a teologia são flagrantemente cristãs, ou não haveria Eru, Chama, Criação-subcriação, fora o papel de Galadriel, as intervenções dos Valar, e principalmente, todo o pensamento por trás do livro.
     
    Última edição: 27 Mar 2010
  6. arautom

    arautom Usuário

    Vale lembrar: judeus possuiam uma forte posição contrária em relação a cultura dos gentios - lembra a rivalidade (anões X elfos),
    e mais, os anões mencionam sua adoração a Mahal (o Vala Aule ferreiro) que os criou enquanto os elfos consideram mais os outros Valar (Manwe, Varda...) - seria uma rivalidade tb (monoteísmo X politeísmo)...
    Paralelos, paralelos....
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  7. LeFou

    LeFou Elfa Zumbi

    Tolkien era católico fervoroso, os personagens dele passam isso de uma forma ou de outra.
    Fica sublime, no ar, mas perceptível ao mesmo tempo.
     

Compartilhar