• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

O que iria sair de um relacionamento interracial entre Hobbits e homens/elfos???

G.R

Elfa e Bruxa
Eu sempre tive essa dúvida, já que nunca vi um relacionamento deste tipo na saga de Tolkien, talvez porque os Hobbits nunca saíam do seu território, mas depois do fim da terceira era, a interação entre as raças pode ter aumentado devido a presença do Merry e do Pippin em Rohan e Gondor.

Agora a minha dúvida: como nasceria uma criança a partir desse cruzamento???
 

Neoghoster Akira

Brandebuque
Conta-se que em algum momento, após a criação dos homens quando o sol era jovem, os Hobbits se derivaram a partir dos filhos mais jovens.

A natureza furtiva e de medo em relação às pessoas grandes dá a entender que a rachadura ou fissura que se ebriu entre o povo pequeno e o povo grande tem elementos do Destino. Se havia luta na busca por refúgio contra a sombra e selvageria que no príncípio afligia aos homens a batalha neles logo se manifestou aumentando seus dias de vida, diminuindo seus tamanhos e favorecendo sua ocultação até mesmo na guera do anel.

Porque na Primeira Era e dias mais antigos ainda corria magia no mundo, que persistiria com freqüência até aos dias médios (Terceira Era), ao ponto de poder mudar a forma dos seres pela vontade e que o abismo do Destino (o mesmo que separava Aman das terras mortais) era tanto mais raso e mais fácil de se cruzar no passado, quando Elfos e Homens tiveram o primeiro casamento (Beren e Lúthien).

De modo que a primeira coisa que deveria acontecer para uma criança híbrida aparecer seria haver um lance de Destino, de dois seres não tão típicos dentro dos próprios povos e que poderia por força de magia alterar os Hobbits na direção de alguma cura que buscavam desde a desfiguração da Primavera de Arda.

De maneira que talvez ao fim da jornada o Hobbit não seria mais um Hobbit, não mais pequeno, nem furtivo, mas alguém "aumentado" o suficiente, "crescido ou vitaminado" e restaurado como a promessa de Arda Curada. Em SdA mesmo, após a guerra do Um os Hobbits parecem bem maiores quando voltam, fisicamente inclusive depois de dois deles beberem a água dos Ents.

Porque de fato havia reconhecimento da beleza de mulheres grandes como com Galadriel, mas havia um perigosíssimo abismo a ser atravessado e que custava arriscar a vida para cada tentativa.
 
  • Curtir
Reactions: G.R

G.R

Elfa e Bruxa
Obrigada pela informação!!!

Então, é necessário que a força do destino, que separou as raças, as unissem novamente, como uma espécie de reunião dos laços....
 

Haran

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Seria entre os hobbits mais ou menos o que o Rúbeo Hagrid é entre os bruxos.
 

G.R

Elfa e Bruxa
Seria entre os hobbits mais ou menos o que o Rúbeo Hagrid é entre os bruxos.

Ahhhhhh.... compreendo, seria uma espécie de "adversidade" entre o resto da comunidade hobbit, provavelmente a criança sofreria algum preconceito por ser fruto de um relacionamento entre duas raças diferentes...
 

Haran

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
É. Há a possibilidade de humanos cruzarem com orcs, mas isso acontece só quando há um poder maléfico envolvido (Sauron, Saruman).... Decerto com hobbits a possibilidade biológica deva existir, mas existiria uma série de dificuldades sociais e culturais para tanto, o que torna muito improvável que aconteça em situações naturais e nenhum caso tenha aparecido nas obras.

Já com anões parece impossível até em um nível biológico, já que anões não são parentes dos humanos, mas foram criados separadamente.

a interação entre as raças pode ter aumentado devido a presença do Merry e do Pippin em Rohan e Gondor.
Por outro lado o Rei Elessar proibiu que humanos entrem no Condado, e, se não me engano, há um trecho que relata que os hobbits ficaram mais esquivos e por isso nos dias "atuais" não são mais vistos. Quer dizer, a tendência é que os hobbits fiquem menos integrados aos humanos e ao final tornem-se apenas uma lenda.
 
Última edição:

G.R

Elfa e Bruxa
É. Há a possibilidade de humanos cruzarem com orcs, mas isso acontece só quando há um poder maléfico envolvido (Sauron, Saruman).... Decerto com hobbits a possibilidade biológica deva existir, mas existiria uma série de dificuldades sociais e culturais para tanto, o que torna muito improvável que aconteça em situações naturais e nenhum caso tenha aparecido nas obras.

Já com anões parece improvável até em um nível biológico, já que anões não são parentes dos humanos, mas foram criados separadamente.

Na minha opinião, um relacionamento com os filhotes de cruz credo - orcs com outras espécies (hobbits, elfos, anões e homens) seria nem um pouco consensual, provavelmente seria através de um caso de estupro.

Em relação aos Hobbits tem maior probabilidade, mas tanto o casal (o/a Hobbit-homem/mulher), quanto a criança sofreriam bastante intolerância por parte dos dois povos, mas eu acho que que casos do tipo podem ter ocorrido após o início da quarta era, devido a uma maior inclusão dos povos durante a guerra (ainda que tenha sido apenas 4 hobbits, mas já é um avanço).

Se houvesse uma criança entre uma Hobbit e um homem, eu acho que a mãe provavelmente não sobreviveria, devido ao tamanho da criança...
 

Neoghoster Akira

Brandebuque
Obrigada pela informação!!!

Então, é necessário que a força do destino, que separou as raças, as unissem novamente, como uma espécie de reunião dos laços....

Sim, se não me engano, Tolkien precisava que certos eventos acontecessem de forma mais rápida que numa evolução comum que durasse bilhões de anos. Por exemplo, anões despertaram subitamente com um gesto de permissão de Eru concordando com Aulë (de bonecos para filhos), Elfos despertavam em Cuiviénen, Homens em Hildórien. Quer dizer, são saltos qualitativos (qualia) mais que quantitativos que independam de segurança física ao longo da criação. Seria como Adão e Eva no Éden, a natureza local ainda recebia forte intervenção externa e direta dos Poderes e que se transformava pela vontade quanto mais voltamos ao passado. Outros paralelos com nosso mundo também ficam limitados/impossíveis de comparar, mas é por aí. Havia o destino (minúsculo) que conduzia elementos inanimados do mundo e o Destino (maiúsculo) que era Eru agindo no mundo porque ele sustentava o mundo e cumpria a tarefa de tornar os esforços de Melkor na Sua própria vontade. Aos povos livres Eru extendia um plano para cada um (como no cristianismo de Tolkien) e a pessoa faria bem em segui-lo, mas em certas ocasiões o filho dele podia ter recursos para escolher outro plano e então Eru permitia a escolha. Apesar disso a distância que separava um plano de outro só podia ser atravessada com muito sofrimento porque não era apenas a mudança da visão de mundo mas sim de corpo, alma e coração e a pessoa desafiaria as vontades dos Poderes do mundo que sempre controlaram as formas dos corpos (Hroa) dos filhos.

Nesse ponto Eru divergia dos Poderes porque eles sempre foram reticentes nas mudanças e por isso eram rígidos e brutais na concessão das formas o que fazia com que o abismo dos destinos fosse ainda mais perigoso. Mas creio que essa reticência tenha emergido mais por conta de Melkor e por conseguirem salvar apenas poucas coisas. No começo os Poderes era muito mais plásticos e criativos porque sua obra não precisava ser resistente para suportar a destruição, afinal o medo e a destruição estavam no reino criativo de Melkor, o líder que comandava Sauron.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$400,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo