1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O que é RPG?

Tópico em 'RPG' iniciado por Ravanoc, 17 Nov 2008.

  1. Ravanoc

    Ravanoc The ring has been lost.

    Noticiário do RPG

    O Que é RPG?

    Introdução

    Este tópico explica o que é o RPG, para iniciantes ou não, e através dele você poderá descobrir este universo, estas galáxias, estas diversões.Acho-o particularmente bom, pois ele está num vocabulário fácil de se entender, não muito complexo.Ele também explica como arranjar amigos para formar um grupo, como lidar com atrasos e outras coisas.Ele será atualizado conforme o tempo passar!

    O Tópico será atualizado semanalmente para que todos possam se manter informados sobre o RPG sob um aspecto geral; e deste modo notícias serão posteriormente incluidas neste bloco e a descrição dele primordialmente; suas raízes esculpidas.Então, teremos um grande tópico sobre o RPG!


    Muitos são os que têm ocasionalmente problemas para mestrar, seja em RPG de Mesa, o mais habitual, como em seções virtuais.O problema pode ser atraso por parte dos jogadores, piadas e humor em horas inconvenientes, usar o recurso música ou não, ter problemas para descrever o cenário; entreter o jogador (que supostamente é a parte fundamental do Role Play) e outras coisas, talvez consideradas detalhes que possam ajudar o andamento da seção, e a diversão também.
    Só gostaria de dizer que eu criei este tópico para ajudar aqueles que não se deram bem em alguma seção, para tirar dúvidas ou até mesmo mudar a forma de jogar RPG.Mudar atitudes, ser um mestre melhor e enfrentar problemas miúdos inconvenientes.O Tópico está dividido em várias seções, com cada uma explicando um defeito/falha no jogo, que pode ser aprimorado/resolvido.


    Colaboração
    Não obstante de 7 anos de RPG, posso não ser o melhor na área para descrever sistemas peculiares, cuja descrição e contato não sejam freqüentes, entre outras questões.O administrador Skywalker, para dar um exemplo, aparenta saber bastante sobre o D&D.Aliás, Vorpal, um blog relacionado à Valinor, comenta este aspecto e o Old-School imemorial.




    Índice


    Seções

    • Começando a Jogar: O que é o RPG?
    • Como Criar um Grupo de RPG
    • Jogando RPG sem Livros
    • Atrasos com os Jogadores
    • Mestrando pela Internet
    • Inclusão de Música/Background
    • Notícias RPGísticas




    Começando a Jogar: O Que é o RPG?

    O Role Playing Game é um jogo de interpretação fictício e estratégico, onde apenas usam-se um par de dados, canetas, lápis e imaginação_O RPG (Role Playing Game) nasceu sob os frutos de J.R.R Tolkien(1892-1973), escritor inglês e criador do mundo mágico, medieval, fantástico, onde somam-se a magia da criação e as criaturas míticas, fantasiosas, épicas, diabólicas.Pode-se dizer que J.R.R Tolkien influenciou em grande parte o RPG, mas não completamente; pois como dita na citação de Skywalker, houveram outras influências bem definidas: como Conan, o Bárbaro das histórias em quadrinhos da Dark Horse Comics.

    Outra citação, do usuário Erion, relata que há outras influências.

    Aqui a do Armitage, que completa à anterior e diz que Tolkien influenciou em parte, mas não completamente; e assim várias outras fontes foram usadas pelos criadores, Ernest Gary Gygax e Dave Arneson.



    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    No RPG existem dois tipos de jogadores, que constituem um Grupo.São eles o Mestre e os Jogadores, que farão parte de um novo universo, combatendo e interpretando novos personagens, que eles criam, cujo destino é escolhido por suas palavras e movimentos.O RPG é verbal.O mestre se senta na ponta da mesa, de costume, e os jogadores em volta.

    O Mestre é aquele que dita as regras, que descreve os cenários e os acontecimentos no mundo fictício vivido pelos jogadores; mas ele não faz só isso.Ele é responsável por dirigir os ataques de um dragão, interpretar NPCs (Non-Player-Characters) e, simplesmente, rumar o jogo.Ele quem o fará funcionar, que o giará, que irá dizer o que é possível fazer e o que não é.Obviamente temos o combustível…mas quem é ele?

    Os jogadores.Eles são a peça fundamental do jogo, onde eles criam personagens imaginários e registram seus atributos, seja força física, habilidade manual, desenvolvimento mental, perícia com adagas, mestre da forja, ladino audácio, cavaleiro austero, etc.São muitas as variações do RPG e para saber os rumos do jogador, suas profissões, raças e tudo o mais seria bom dar uma lida nos livros suplementares de cada sistema.

    Sistema é o nome dado às regras do RPG.Sem elas não é possível saber se o arqueiro acertou o ladrão, se a corda amarrou-se à pedra, se o cavalo vai ser domado pelo destemido gladiador, se o leão morrerá e se a princesa será salva.São muitas as características de cada cenário, que variam conforme o autor e suas ideologias.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Há muito tempo quem vem liderando a bandeira do RPG no mercado é o Dungeons&Dragons (Masmorras&Dragões), com milhares de exemplares vendidos em todo o mundo; Ernest Gary Gygax e Dave Arneson foram os criadores deste jogo, que agora vem lançando sua 4ª Edição.Atualmente, quem publica e traduz os livros no Brasil e em Portugual, é a Devir editora.

    Por outro lado, no Brasil, um RPG de relevante sucesso com grandes elaborações, é o Tormenta.Vem sendo um grande cenário, ainda em construção, pela Jambô Editora, aliada à Erica Horita, desenhista japonesa.Muito não se sabe sobre o continente que em algum lugar presenciou a Tormenta; onde fendas se abriram e do céu caia chuvas, enquanto os raios lutavam no horizonte.O jogo é elaborado, utiliza a OGL do d20 e é um ótimo cenário para jogar-se.

    Algumas Siglas são necessárias para compreender um livro, assim como no RPG.A mais básica e comum de se ouvir é o d20.Porém, existem o d6,d20,d12,d3,d10.Primeiramente, o d é a letra responsável para indicar dados.Por isso, ao dizermos:

    O Dragão Vermelho cospe fogo e as chamas iluminam as entranhas da catacumba de Koth-Manthrus, o que faz com que morcegos se apavorem ante a escuridão e sua espada cintile.Irei rolar um d20 para ver o alcançe do fogo e 3d6 para calcular o dano recebido.


    Isso quer dizer que o Dragão ataca o jogador, e por isso, o mestre, que interpreta os monstros e o cenário, rolará um dado de vinte faces para poder atacar o jogador.Assim, o jogo se desenrola e as aventuras começam, os dados são rolados, de acordo com a força de ataque.Quanto maior o número de dados e suas faces, maior o dano que o Mestre poderá causar em um dos jogadores, ou os jogadores ao monstro ou personagem que o mestre está interpretando.

    Realmente é um tanto difícil achar dados de 12 ou 20 lados, muito mais de 100.Atualmente, o que se acha com freqüência são dados de 6 lados; eles são usados por muitos grupos de RPG, inclusive por mim, e acho que ele pode ser relevante, útil, e muito competitivo e de fácil acesso.Muitos não gostam deles, na maioria jogadores do d20.Porém, o d6 continua sendo uma boa opção para qualquer RPGista.

    Acredito que esta definição baste.Vamos para a próxima etapa, para que possamos analisar por perto o RPG e como disfrutar melhor dele.



    Como Criar um Grupo de RPG

    É indubitável que sem a amizade, o discurso verbal e um grupo de amigos corajosos o RPG não existiria; pois o Role Playing Game é simplesmente uma forma de se divertir, com os amigos, um hobby, algo social e ético.Acho que é fundamental que, para que este entrosamento e o jogo em si seja moldado, deve haver um grupo amigável, onde o mestre tenha intimidade com os jogadores, seja amigo, disfrute de seus pensamentos.Não estou dizendo que seções virtuais ou com pessoas que você nunca viu sejam ruins, mas simplesmente não dariam frutos com tamanha imponência e divertimento quanto seções Live Action, frente à frente.

    A primeira coisa à se fazer para arranjar um bom grupo de jogadores, é escolhê-los pela amizade.RPG é um instrumento para criar grupos, amizades, etc.Por isso, jogue com seus amigos!Isso mesmo; se você frequenta uma universidade/escola, tente falar com os amigos da sua classe, e convença-os de jogar.Simplesmente diga que será uma nova experiência.Há muito preconceito e risadas quando as pessoas dizem que esse jogo parece ser ridículo, na imaginação_O negóico é fazer propaganda e convencer, dizer que pode ser só uma amostra.Daí você prepara uma seção espetacular, com miniaturas(ou não), um castelo de papelão(se quiser, para ficar mais empolgante e rústico :roll: ) e deixa a mesa organizada com os papéis das fichas em cima dela, o lápis também e a caneta também; além de deixar os dados em um canto visível que deixe os seus amigos curiosos.Então é só desenrolar as aventuras, imaginar e interpretar.


    Se não tiver amigos, paciência.Tente comunicar-se com familiares; pois eles serão os mais próximos de você.Eu, particularmente, tenho um tio que mestrou D&D por três anos, e eu nem sabia disso :lol: , além dos meus dois primos jogarem comigo.

    Talvez você não tenha familiares assim.Pois bem, entre em fóruns e jogue virtualmente!Aqui, no MundoRPG, existem inúmeros Play By Forum, que consiste em jogar através da internet.Você escreve as ações e o diálogo de seus personagens pela internet e joga virtualmente com qualquer pessoa do Brasil!Além do mais é mais uma forma de conhecer pessoas e entrelaçar amizades.

    Jogando RPG sem Livros

    Freqüentemente jogadores perdem o ímpeto ou simplesmente não jogam RPG de Mesa por não terem como comprar livros, que na realidade são caros; um Kit completo, incluindo dados e o livro do jogador e o livro do mestre (livros que explicam regras e como jogar RPG detalhadamente, publicadas pela Devir Editora, no Brasil, Wizards, EUA.)

    A questão não deve ser excluida e considerada sóbria, lamentável, minoria.Acho que muitos e inclusive eu somos restritos em relação à isso; estudantes, universitários, etc.O dinheiro faz falta, e por isso às vezes temos que improvisar.Digo isso para a minoria, não maioria, mas ocasionalmente as coisas acontecem.O ímpeto é tão forte que queremos jogar, que mesmo sem regras é possível.Muitos faziam isso, e citações de inúmeros amigos meus, como esta, comprovam que o que eu digo é um consenso popularmente quase-geral e não opinião subjetiva.

    O RPG subjaz à Tolkien e aos frutos de suas criações.Porém, não só a ele, pois antes já existiam jogos estratégicos de tabuleiro_O RPG não precisa necessariamente conter regras e ser obedecido, o que foge dos parâmetros à um jogo de tabuleiro qualquer.Visto que o foco do RPG é a interpretação dos personagens fictícios e não cumprir as regras para divertir-se, e ao invés desta simplesmente interpretar, pode-se dizer que há um modo de jogar RPG sem livros.Os livros serão substituidos pela imaginação.

    Compre um caderno, um dado de seis lados e uma caneta.Faça várias histórias sobre povos, utilize os elfos e os anões, já conhecidos e adaptados para qualquer obra fantástica, invente Reinos, Florestas e Rios.Crie, de uma forma simplificada, o seu mundo, o seu cenário.Então, convença os seus amigos mais próximos de terem uma experiência nova; de vivenciarem algo que você criou e um novo hobby, uma forma de se divertir.

    Pegue os dados.Faça apenas um sistema para o ataque.Algo absurdo, legal, divertido, empolgante em tardes chuvosas ou ocasionalmente não.A letra V irá simplificar a palavra Valor.Deste modo, V1 = face 1 do dado.V2= face 2 do dado.

    V1 = 3ATK
    V2 = 1ATK
    V3 = 6 ATK
    V4 = 5 ATK
    V5 = 2 ATK
    V6 = 4 ATK​

    Desta forma, temos um RPG imaginário baseado num sistema de Cartas.Assim como Magic:The Gathering, Yu-Gi-Oh e outros jogos do gênero, temos ATK/DEF.Deste modo, qualquer personagem do jogo que jogasse o dado de seis lados teria estes valores.Porém, eles seriam esboçados de uma maneira mais personalizada; se um Ladino quisesse atacar um arqueiro e ele ocasionalmente rolasse 5, ele atacaria 2, ao invés de 5.É uma forma de se divertir; assim como em qualquer Hobby.Acho que para defesa, poderiamos ter a mesma formatação.Deste modo, o Jogador 1 rola um 3, Atacando 6 (Dano máximo).E o Jogador 2, responsável por defender o ataque, rola 6.Então, ele defenderá 4.Pois é o valor que corresponde quando se rola a face 6 do dado.

    Então, teriamos o valor 6 contra o 4.O jogador irá atacar 6-4 (Ataque do Atacante menos Defesa do Defensor; Regra Básica;Magic;Yu-Gi-Oh).O jogador um atacaria 2 pontos no jogador 2.Não é simples?Mais uma forma de se divertir, de interpretar.

    Os cenários aqui serão fundamentais e a base; visto que as regras foram deixadas de lado para que o jogo fluisse e tomasse outra formatação.Acho aconselhável para aqueles que acabam de ter contato com o RPG.Invente.Crie o sistema; não fique preso à ele.Por mais que você pense que não está de acordo com o padrão e sim com um jogo de cartas, o importante é interpretar o seu personagem fictício, suas reações, seu modo de pensar.Seus ataques e como funcionam o mecanismo para eles, o sistema, é meio excluido neste modo de jogo.É válido.É RPG.

    Realmente, alguns concordam e outros não, com este modo de jogar.Mas já foi esclarecido que a diversão é primordial; mas cabe ao mestre decidir o que fazer.Eu jogaria com a imaginação, mas existem alguns que não a preferem e não se conformam!

    Atrasos com os Jogadores

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Ninguém tem todo o tempo do mundo.Acho que todos sabem disso; por essa razão atrasos, seja no RPG ou no trabalho ou na escola, seja o elemento que atrapalhe relações ou o andamento de alguma idéia.Além do mais, existem muitas circunstâncias que atrapalham o andamento de algo.Pode ser o trânsito, estudos, falta de tempo (de um modo geral), visita aos familiares, ter que viajar, aniversários, festas, baladas, escola, etc.Ninguém realmente pode ter um grupo sem faltas, atrasos, e sempre jogar.Isso acho que pode até ocorrer, mas é difícil.Normalmente joga-se RPG em grupos de 5 ou 6 pessoas, e estas podem ter um acidente no trânsito, falta de tempo ou qualquer inconveniência do tipo.

    Acostume-se.O jeito é ter paciência, dialogar com os seus jogadores e marcar horários em que provavelmente não aconteçam imprevistos.Não é possivel prevê-los, mas ao menos podemos ter idéias de dias ou horários em que eles não ocorram.Marque horários junto com seus amigos, converse, crie.

    Sempre que possível e for ocorrer um atraso de última hora, devido a um imprevisto, telofonar, tentar avisar, que seja por um telefone público ou celular, para ter um maior comprometimento do grupo e aquele jogador não ficar atrapalhando demasiadamenta as seções.

    Nem os jogadores ficarem dando crédito às pessoas atrasadas, pois assim qualquer um perderá o motivo para jogar.

    Imagine que há um jogador experiente e divertido no grupo, porém ele tem uma rotina complicada e você gosta de mestrar estilo campanha, aconselho então a ajudar ele a criar um personagem secundário, do tipo solitário que vem e vai quando os protagonistas precisam de ajuda.Como se fosse um NPC que não tem a obrigação de estar o tempo todo com eles. Faça esse personagem ter motivações pessoais que divergem do caminho do grupo, mas que em função de alguns objetivos estratégicos, façam eles formarem alianças temporárias quando necessário. Dá um pouco mais de tabalho mas também é uma saída, opcional.

    Paciência também.Isso é um tanto insolúvel ou até mesmo irremediável.Por isso, tente jogar pela internet com os mesmos jogadores ou até mesmo jogue com outro grupo, se forem intensas as faltas!

    Mestrando na Internet
    Uma contribuição exepcional do usuário Raphael S., na qual ele explica como mestrar com a ferramenta da internet; um PbF, ou Play By Fórum.Uma ferramenta para aqueles que buscam outros meios para se divertirem com o RPG.

    As regras...

    Regras é o fator inicial, sempre. Você precisa ter jogadores conscientes que além de sua diversão também está o compromisso com o jogo. Mestrar pelo fórum é uma experiência diferente pois requer mais tempo para o jogo realmente engrenar e ir pra frente. Na minha página do labirinto eu usava poucas regras básicas, dentre elas...

    1 - A palavra do Mestre é lei.
    2 - Deve haver pelo menos um post de cada player após o post do mestre por dia.
    3 - Cada Player pode postar apenas uma vez a cada post do mestre, exceto excessões estabelecidas pelo mesmo.

    Você pode usá-las também e alterá-las ao seu modo adicionando o que achar conveniente, mas deve ser sempre justo e não exagerar nas regras.

    Crie uma história...


    Os jogadores precisam de um empurrão inicial, uma razão para se moverem após terem nascido no jogo, mas esse empurrão é uma responsábilidade sua, se eles não conseguirem se mover, você não terá feito um ambiente que dê vontade pra que eles façam isto.
    Crie uma história com vários caminhos diferentes e possibilidades de lugares onde eles podem ir... Mas esteja pronto pra que eles mudem essas trajetórias e criem um caminho próprio. Se o jogo deles for imprevisível e mesmo assim você conseguir manter a história num rumo que faça sentido, você vai ser um bom mestre e se sentir muito satisfeito com o resultado, pois será um desafio para você.

    Os personagens...


    Você pode deixá-los criar personágens ou você pode criar personágens e depois procurar players que queiram jogar com eles... Nos dois casos, procure não deixar que façam personágens que não tenham a ver com o ambiente do jogo e também procure não dar personagens que não tenham a ver com o estilo dos players, seja seletivo.

    Preparação dos Players...

    Depois de escolhidos os players e personagens reserve um tempo antes do jogo começar para conversar mais com cada um separadamente e trocar detalhes do personagem, se eles tem dúvidas de quem são no jogo e esclareça mais uma vez as regras e modo de postar.

    O Jogo...

    Ao iniciar você pode contar a história de todos e dizer que eles estão em um lugar por algum motivo e assim deixar que decidam o que querem dizer uns pros outros, mas não esqueça de deixar um motivo pra todos quererem agir, ou então faça que algo aconteça para chamar a atenção deles e fazer com que cada um tenha que reagir. Ou então pode iniciar com a história de cada um separado e depois juntando-os num determinado ponto da história, como no início da Saga do Planos.

    Pode começar com um Background de cada um, são várias opções.
    Daí em diante é só ter em mente onde o jogo vai terminar e imaginar o que pode acontecer com eles até lá.

    Mestrando...

    Seja imparcial... Está certo que você quer que os players se ferrem, mas mesmo assim eles podem te surpreender com idéias criativas pra sair dos mais complicados problemas. Se isto não acontecer então eles vão aprender que como na vida, no jogo agente perde por não lutar.
    Quando a situação estiver muito ruim você pode dar uma forcinha como uma maré de boa sorte, mas se tiver que ajudar mais de uma vez, aí pode pensar em substituir o player pois ele vai acabar se matando e pro jogo dar certo precisamos de players com vontade de viver. Converse sempre que puder com seus players para tirar dúvidas e lembre-se que é você que comanda o jogo mas você não é um carrasco. Tenha senso de humor.


    Inclusão de Música/Background

    Música é um fator que desde os primórdios do tempo vem melhorando as formas de pensar, ponderar e até mesmo viver.Quando os romanos ouviam o soar das trompas inimigas, quando os homens das cavernas ouviam o rugir dos mamutes, quando Guns 'n' Roses cantou pela primeira vez.... :lol:

    Tudo isso remete à empolgação, conforme a música.Quando ouvimos diferentes tipos de músicas, sentimos exitação, emplogação e até mesmo medo.Isso ocorre por razões psicológicas e químicas, que não saberia explicar porque.No entretanto, pode-se colocar vários instrumentos que melhorem o jogo.Um deles é a audição.

    Tente comprar caixas de som baratas, ou simplesmente use algumas que você tem na sala, na garagem ou até mesmo nas confinações moribundas de alguma estante. :lol: Use-as e ligue-as embaixo da mesa em que você está mestrando, para os jogadores do grupo não desconfiarem dela, e não perguntarem para o que serve.Se estiver mestrando jogos de Terror, você pode assioná-las ou por parte de um controle remoto, que você esconderá na manga ou por trás de algum livro; ou pode deixá-la perto de você e abaixar-se e ligá-la.Você pode gravar na internet sons de por exemplo portas rangendo, gritos, facadas, sons de terror e vozes duplicadas.Isso pode dar muita exitação e medo, e fazer com que a campanha fique mais entusiasmática.Acho que todos irão gostar!Ou pelo menos nunca se esquecerão da primeira aventura que já vivenciaram.Ou a última. :twisted:

    O problema no fator música são os gêneros.Acho que todos sabem as restrições do mesmo, mas às vezes podem haver pessoas que não.Pois bem, se for jogar jogos de terror, a o parágrafo acima basta.Se for jogos futurísticos, pense em músicas eletrônicas, o bip-bip do Tetris antigo, ou algo do gênero.Não ponha opera ou coisas assim, pois provavelmente não se encaixarão com o contexto.

    Porém, se for mestrar em fantasia, pode colocar Metal.Existem vários grupos e bandas, que cantam baseados em Tolkien, inclusives com nomes de alguns personagens fictícios incluidos na banda.Você pode usar opera, canções élficas e muitos recursos atemporais e interessantes para enriquecer a campanha.


    Notícias RPGísticas

    Este espaço está destinado à qualquer notícia do Role Play, seja nacional ou internacional, e por meio deste façam um tópico-jornal.Abram-no se quiserem, vejam as manchetes!

    Morre Ernest Gary Gygax; Co-Fundador da TSR e criador do Dungeons&Dragons

    Co-Fundador do Tactical Studies Rules, TSR Editora, e também criador do Dungeons&Dragons, Ernest Gary Gygax morreu na terça-feira 4, 2008, Eua, com 69 anos.Gary tornou-se um ídolo por parte da legião de fãs do jogo, muitos indo à sua casa, a cerca de 88 km de Milwaukee para dizerem que se tornaram médicos, advogados, muito por causa do jogo que ele criou.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Salve Gary Gygax!


    Lista de Links





    Contribuições

    • Armitage
    • Skywalker
    • Raphael S.
    • Elda King
    • Erion

    Se esqueci seu nome ou algo do gênero, me mande uma Mensagem Pessoal!

    Todos que quiserem contribuir, por favor!Agradeço à todos, e postem suas opiniões :think:
     
    Última edição: 29 Nov 2008
    • Ótimo Ótimo x 5
  2. Armitage

    Armitage Usuário

    Muito legal Thantalas!

    Eu só faria algumas observações:

    --> nem sempre o jogo é "estratégico";

    --> nem sempre usa-se 2 dados para jogar (às vezes nem precisa de dados);

    --> as origens do RPG são bem mais antigas do que Tolkien, se considerarmos as 2 maiores influências para o hobbie como sendo o teatro de improviso (que existe desde a Idade Média aqui no ocidente ), e os wargames de tabuleiros, que existem desde o início do séc. XX.

    De resto está ótimo. :D
     
  3. Goblin_Wizard

    Goblin_Wizard Hah! queimei um

    Considere as correçoes do nosso amigo Armitage e vc tem uma beela aula de rpg....pod te certeza q mta gente vai gosta bastante dessa base....
    :mrgreen:
     
  4. servo de Eru

    servo de Eru Chuck Norris passa vergonha

    legal ter um topico sobre rpg,principalmente quando está esplicando quem sabe assim converte algumas pessoas.
    eu tenho uma dúvida qual é a principal diferença entre o D&D 3.0 do 3.5

    eu jogo o 3.0
     
  5. Ravanoc

    Ravanoc The ring has been lost.

    Obrigado aos dois!
    Vou aprimorá-lo conforme seus ensinamentos, meu caro!Vou tentar dar umas modificadas.Só gostaria de complementar que eu vou atualizar este tópico sempre que puder .Então, teremos a Grande Definição do RPG.Entre outras coisas.

    Os usuários da Valinor fizeram perguntas e descrições
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .Acho que, pelo que pesquisei, poucas e mínimas coisas, senão miúdas e detalhes, foram mudadas.Não foram muitas; e isso é plenamente conhecido por qualquer jogador de RPG.Acho que os autores do blog Vorpal, da Valinor, saberiam lhe explicar melhor.

    Por enquanto, acho que mudaram apenas umas vinte páginas.Algo parecido.Muitos utilizam versões misturadas para mestrar; pegam o livro do mestre 3.0 e o livro do jogador 3.5.É uma alternativa; visto que o RPG é bem diversificado, sendo bem imaginário e não muito ofensivo às regras.Realmente é obvio que as regras devem ser seguidas.À esse respeito, acho que na maioria das vezes não precimos muito de regras.O Role Play se baseia na imaginação, na interpretação.Acho que se você utilizar o 3.0 ou 3.5, ou até mesmo o AD&D, para dar um toque rústico, valem a pena.Nenhum vai lhe propiciar horas ruins de jogo; pois as regras são feitas para serem seguidas, mas não revigoradas, fortes, precisas.Use-as moderadamente, com restrições e vigor, obviamente; mas em relação à essa mudança, 3.5 ou 3.0, não há muito o que questionar.É usar qualquer um!

    D&D sempre foi um bom jogo de se jogar até os dias atuais, e isto é comprovado em qualquer blog ou site do gênero; Vorpal, Devir, D3 System, etc.Acho que você não terá problemas em relação à isso, se é que há algum problema.Se foi só curiosidade, saiba que eu não saberia lhe dizer muita coisa, pois prefiro o sistema Daemon/Tormenta.Neste caso, sei lhe afirmar que foram poucas as coisas que mudaram.

    Aqui está uma palavrinha do usuário Maglor, da Valinor.

    Aqui vai algo do Fazion:

    E do Skywalker:

    Eu acho que todos eles fazem respeito ao que você perguntou.Qualquer coisa, neste tópico tem um toque de perguntas e discução sobre o D&D em geral:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Abraços!
     
    Última edição: 18 Nov 2008
  6. Trogo

    Trogo Usuário

    RPG é minha vida
     
  7. Elda King

    Elda King Senhor do passado e do futuro

    O RPG tem sua origem em Tolkien sim, de certa maneira: não o RPG em si, mas o primeiro RPG. Não foi uma derivação direta, mas foi Tolkien que popularizou a fantasia medieval e deu fama ao gênero. Depois, surgiram tantas variações que muitos não tem nem traços de Tolkien.

    As imagens também sugerem muito que o jogo precisa de um tabuleiro para jogar... podia ter algumas simplesmente de um grupo com livros e dados, ou um grupo de LARP, mas tirando isso ficou muito bom.
     
  8. servo de Eru

    servo de Eru Chuck Norris passa vergonha

    obrigado por esclarecer a minha dúvida

    espero algum dia poder ajuda-lo
     
  9. Ravanoc

    Ravanoc The ring has been lost.

    É o que eu ia acresentar à resposta do Armitage.
    Acho que o primeiro RPG foi popularizado e baseado nos frutos de Tolkien, pela chegada do famoso O Senhor dos Anéis.Não pelas obras posteriores, O Silmarillion ou Contos Inacabados, que não tiveram o auge ou a essência do populismo e magnificência do SdA; mas esses livros que sejam deixados de lado_O que realmente interessa aqui é o ponto em que o SdA entra na história, e consequentemente começa à influenciar Ernest Gary Gygax e Dave Arneson.

    Aliás, vou atualizar a área de notícias.E Armitage, concordo quando você diz que ele teve influências por jogos de tabuleiro; mas acredito que uma parte considerável da fatia do bolo do RPG venha de Tolkien.

    Obrigado, meu rapaz!E sim, você um dia me ajudará.Mais cedo ou mais tarde, por impulso do destino.
     
  10. Armitage

    Armitage Usuário

    Tolkien influenciou o RPG, e mesmo assim estilisticamente apenas.

    Daí a dizer que "RPG tem sua origem em Tolkien", é uma coisa bem diferente. hehe
     
    Última edição: 18 Nov 2008
  11. Ravanoc

    Ravanoc The ring has been lost.

    Ops!
    Eu coloquei no tópico que o RPG teve seus frutos nas raízes de Tolkien, e creio que isto não esteja errado.É uma raíz; algo influente, algo apenas que possui bifurcações, opções, tendências.

    Obrigado por contribuir!Se houver qualquer errinho pode falar :P

    Ah, provavelmente errei.E, para aqueles que quiserem saber, atualizei o tópico.Irei atualizá-lo com umas notícias que vem vindo.
     
  12. Ben Kenobi

    Ben Kenobi Aprendendo com um

    Muito bom o texto,quero muito jogar RPG, como os livros são caros,vou tentar desse jeito mas simples:joinha:
     
  13. Armitage

    Armitage Usuário

    Ops! Mas fruto dá em galho, não em raiz! :mrgreen:
     
    Última edição: 18 Nov 2008
  14. miharu

    miharu Wild~

    Eu ri.
    Bem, bom tópico. Esclarecedor.
     
  15. Indily

    Indily Balrog de Pantufas Fofas

    Nossa! Eu assumo que nunca entendi rpg direito, um pouco por falta de busca... por fim nunca joguei... parabéns pelo tópico. Esclarece à pessoas leigas muitas coisas e pra falar a verdade passa uma curiosidade bem gostosa sobre o jogo!
    Parabéns mesmo!
     
  16. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Simples definição...

    Para os novatos menores de 15 anos
    RPG é aquele jogo que vai fazer você perder sua namorada, você sempre vai ser humilhado pela superioridade dos bons mestres e você vai adorar isso, mesmo assim.

    Para os velhinhos de 50 anos
    RPG é aquela parte da vida que você perdeu e agora finalmente está encontrando, tire os comprimidos do caminho dos dados vovô.

    Para os demais
    Hah, vocês já jogam, sorry.^_~

    Her, mas pelo que me lembro o RPG nasceu na idade feudal. Os nobres se reuniam nos castelos vizinhos para contar histórias em que interagiam, hoje é mais conhecido na modalidade live. O problema daquela época era que na empolgação do momento e com espadas de verdade aconteciam alguns acidentes... Algum tempo depois os nobres franceses começaram a se reunir com pequenos livretos de anotações que usavam para seus personagens e então começaram a jogar com cartas. Faz muito tempo que eu ouvi essa definição, uns 15 anos ou mais, mas eu posso estar errado também ^_^.

    Ótimo Tópico. Parabéns... Gostaria de também dar uma contribuição.

     
    • Ótimo Ótimo x 1
  17. Armitage

    Armitage Usuário

    Sugiro deixar esse tópico como fixo.
     
  18. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    São poucas as diferenças entre o D&D 3.5 e o 3.0, tanto que são totalmente compatíveis entre si. Em termos de regra, o feat improved critical é diferente. Na 3.0 ele pode ser cumulado com a magia keen edge, coisa que na 3.5 já não pode. O ranger e o bard são consideravelmente diferentes. As regras de cover também são diferentes (nesse caso acho as da 3.5 melhores que a da 3.0). Tem mais uma coisinha ou outra de diferente, mas o de mais relevante é realmente isso.

    Sobre RPG e Tolkien... pelo que eu conheço do D&D (e olha que eu conheço um bom tanto), eu diria que Tolkien é responsável por mais ou menos 30% do jogo. As principais influências do D&D (e, consequentemente, do RPG que evoluiu a partir dele) seriam Conan e a saga do Campeão Eterno. Depois o jogo ampliou o leque de possibilidades, mas sempre dentro de um padrão pulp/fantasia/sci-fi, até que, nos anos 90, passou a ser mais... "sofisticado" por assim dizer.
     
  19. Erion Storm eyes

    Erion Storm eyes Usuário

    Na verdade não foi com Tolkien que começou o RPG, os jogos antes eram mais na linha de Conan do Robert E. Howard, só depois de muitos jogadores insistirem é que a fantasia Tolkiana foi inserida.:mrgreen:
     
  20. Armitage

    Armitage Usuário

    Bem lembrado Erion! O gênero Sword and Sorcery (Conan) foi a maior influência nos primeiros jogos.
     

Compartilhar