1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O que é o "conhecimento"?

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por ruims, 23 Jun 2009.

  1. ruims

    ruims "Mais uma cerveja!" diz o

    Olá a todos.

    Lembrei-me desta pergunta que me fizeram, quando entrei para o meu emprego, há mais de vinte anos atrás.
    Disseram-nos numa sala: "Definam o que é o Conhecimento"

    Muitos escreveram folhas e folhas.
    Outros uma simples frase.
    Alguns disseram meros sinónimos.
    Eu, por exemplo, escrevi que o conhecimento é "a capacidade de raciocínio com base na informação que se tem".
    O psicólogo gostou da resposta, mas disse-me: "Pense mais universal."
    Fiquei até hoje intrigado com esta questão.

    Este é o desafio: alguém consegue definir "Conhecimento"?
    :think:
     
  2. Mûrazor

    Mûrazor Jogando CS com um

    Grosseiramente,acho que seria um conjunto de informações,organizadas,que se pode deletar e adquirir...como um banco de dados talvez.
     
  3. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Conhecimento. Muito se tem debatido na filosofia sobre a questão gnoseológica (gnose=conhecimento) e não creio poder fazer jus nesse post a tudo que se tem colocado sobre a questão.

    Platão diria que o conhecimento é o que apreendemos pela razão da realidade, e não pode ser confundido com o que tiramos das emoções e sentidos. Estes nos apresentam apenas 'sombras' da realidade inteligível. Já Aristóteles diria que não há Mundo das Ideias nem mundo sensível, que o conhecimento deve perscrutar a substância-em-si.

    Antes mesmo de Sócrates, poderíamos colocar os pré-socráticos como fundamentos da razão enquanto exploradora da natureza em eterna busca pelo conhecimento inserido nela. Já do cartesianismo até o século XVIII, colocaríamos o velho debate entre o inatismo (nascemos sabendo, e vamos relembrando as coisas) e o empirismo (o homem aprende com otempo, a partir de sua vivência, sua vida prática e sensações).

    Mas Kant joga um balde de água fria na discussão quando coloca o ponto do Eu Transcendental, a existência depende do conhecimento. De fato, ele coloca que não podemos conhecer a coisa-em-si, apenas que conhecemos pelo nosso intelecto aquilo que é enquanto objeto. Em outras palavras, só como objeto, como é percebido por nós, a coisa existe de fato.

    No século XIX, a discussão toma outro rumo com Nietzsche e Marx. O primeiro defende que a moral dos fracos, a religião deturpadora defendida pela opressão da razão, como a modernidade européia a colocava, ela corrompe o homem e este se encontra só no escuro, fraco e bestial, quando essa sociedade lhe destruiu os isntintos, parte de sua natureza. Marx, por seu lado, defendia o uso do conhecimento como forma de se dominar a mentalidade dos dominados pela dominadora classe burguesa, logo, conhecimento tem muito de ideologia.

    Minha opinião? Concordo com Marx e Nietzsche em diversos pontos, mas ainda creio que a discussão vai muito longe. Não posso concordar muito com a visão mais simples que você colocou, mas ela é bem objetiva. Se isso não for conheciemnto, pelo menos, é isso que ele deveria ser.
     
  4. ARABAEL

    ARABAEL Ema Infame e

    Meu professor de filosofia me disse uma vez...

    "Conhecimento é a relação que se estabelece entre sujeito que conhece ou deseja conhecer e o objeto a ser conhecido ou que se dá a conhecer."

    Muito profundo...

    Na idade moderna se debate duas visões:
    Na visão teocentrista é que Deus é o centro do conhecimento.
    Na visão antropocentrista o homem é o centro do conhecimento.
    Mas os estudiosos colocam no modo geral a seguinte conclusão: A construção do conhecimento fundado sobre o uso crítico da razão, vinculado a princípios éticos e a raízes sociais é tarefa que precisa ser retomada a cada momento, sem jamais ter fim.
     
  5. Excluído045

    Excluído045 Banned

    De fato, essa visão parece ser a da filosofia contemporânea, felizmente. Sem estarmos presos a dogmas religiosos, idealismos vazios e niilismos inúteis, essa nova objetividade parece corresponder diretamente às nossas necessidades.

    Agora, fica a pergunta: de que tipo de conhecimento estamos falando? Existem outras categorias que quase não lembramos: o conhecimento do Ser pelo Interior (gnosticismo) e o conhecimento espiritual. Algo a dizer sobre eles?
     
  6. ARABAEL

    ARABAEL Ema Infame e

    hummm...gnosticismo e espiritual.
    O gnosticismo não entra já no teocentrismo? O objeto do conhecimento da Gnose seria Deus, ou tudo o que deriva d'Ele, não é isso? Não é a mesma coisa?
    O conhecimento espiritual ... seria o conhecimento espiritual é a análise das experiências ou das vivências que são estimuladas por forças que não podem ser percebidas pelos sentidos físicos comuns, mas o que dizer disso essas forças? A ciência moderna não explica isso, mas existem seres "nós" uns mais evuluídos e os menos evoluídos espiritualmente, da mesma maneira que existem seres muito atrasados em relação à evolução da ciência moderna, existem também seres que a ultrapassaram, que já tiveram vivências, que já adquiriram experiências - ou as estão desenvolvendo - e estas se baseiam em forças espirituais. Mas de acordo com um site diz assim:

    As fontes destes novos níveis de consciência são denominadas de "ocultistas". Um ocultista que tenha alcançado um nível de desenvolvimento tal que o permita perceber, com a mesma intensidade, tanto o plano espiritual quanto o material, pode ser de grande utilidade para os seus semelhantes como conselheiro. Porque é a manifestação de um ser que não somente pode comunicar o grande princípio da vida, mas também os métodos para calculá-lo, de modo que seus contemporâneos possam, pouco a pouco, desenvolver-se até o ponto de "verificar" e, desta maneira, fazer deste conhecimento um conhecimento próprio. Os mais destacados destes seres ocultos são denominados de "messias" ou "redentores do mundo".

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  7. Tywin Lannister

    Tywin Lannister Já fui Nómin e Baldwin

    A minha opinião, é que o conhecimento é um conjunto de informações que vamos captando e armanezando no nosso cérebro, nada mais.
     
  8. Lawliet_

    Lawliet_ Oni Giri

    Humildemente falando, creio que o conhecimento seja a interrelação de três areas do pensamento: Inteligencia (capacidades cognitivas, criatividade, imaginação, adaptação...); Sabedoria (capacidade do ser de interagir com os outros e com o meio, de melhor tomada de decisões, de definição de objetivos e busca daquilo que se quer...) e Informação (capacidade de armazenamento de dados puros (memoria) e interpretação desses dados). Creio que tudo que possamos "conhecer" podem ser colocadas em uma dessas três formas, e claro que podem ser em mais de uma. Um verdadeiro conhecedor pra mim é aquele que consegue balancear essas três areas.
     
  9. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Não. Não creio que o gnosticismo entre em teocentrismo. Só porque falamos de Deus? O gnosticismo nega a fé. Prega, ensina um modo de se chegar a Deus ou aos deuses sem intermédios, logo a fé não existe aqui. Falamos então em conhecimento racional, mencionado pelo Tywin e o espiritual, tratado pela ARABAEL
     
  10. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Conhecimento é uma palavra que abrange diferentes modo de como ele é aplicado. Dois exemplos, uma folha de árvore e uma pedra. Tanto um ser humano quanto um animal terrestre sabe a diferença entre um e outro. O que nos distingue dos demais animais é o fato de diferenciarmos uma folha de plátano de uma palmeira e partir desta mera obervação nosso conhecimento evolui para estudos mais sofisticado sobre plantas, raízes, caules etc. O mesmo se dá sobre a pedra, de instrumentos de caça a geofísica, o salto foi assombroso em um curto periodo de tempo geológico.

    E isto nos torna melhores que os animais? De modo algum, mesmo que não tenham o nosso intelecto, todas as espécies continuam a sabe a diferença entre uma erva ou planta venenosa ou do tipo de terreno em que estão a partir da utilização do olfato ou tato para orientar-se sem maiores divagações do tipo: "Isto é uma pedra... mas o que ela era antes de alguém chamá-la assim? Nem todas são iguais, mas são pedras..."

    E assim caminha a raça humana.
     
  11. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Minha definição curta e grossa direta ao ponto.

    Conhecimento é: acúmulo de informações estratégicas.

    Quando digo "estratégicas" entende-se aqui que são informações que garantem com grande êxito e precisão a realização de uma determinada ação, tarefa, meta, etc.

    Nada mais do que isso, até porque o fato de dizer que uma pessoa tal tem muito conhecimento não quer dizer que essas informações sejam boas ou ruins.

    Afinal até o mais perigoso bandido detém um grande conhecimento, só que infelizmente essas informações estratégicas acumuladas que ele tem são voltadas pro mal.
     
    Última edição: 28 Jun 2009
  12. Excluído045

    Excluído045 Banned

    E as informações não-estratégicas? Não é conhecimento?
     
  13. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    É apenas um simples ácumulo de informações que na grande maioria dos casos não teria serventia alguma ou não levam a nenhum lugar.

    Vou dar um exemplo pra ilustrar:

    Eu não sei preparar um bolo, mas li em algum lugar e até cheguei a decorar em minha mente todos os ingredientes necessários pra confeccção desse bolo.

    No entanto como eu não sei como prepara-lo, ou seja eu não tenho as informações estratégicas que me permitam realizar esta tarefa, portanto só tenho apenas acúmulo de informações, mas não o conhecimento necessário.

    Portanto ter informações não-estratégicas acumuladas não caracteriza algo que de forma satisfatória poderíamos chamar de conhecimento.
     
  14. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Rsrs, informações teóricas sem utilidade prática são inúteis então?

    Deuses, vou me matar!!!
     
  15. ruims

    ruims "Mais uma cerveja!" diz o

    Quando falo de conhecimento, não me refiro ao "meu conhecimento".

    O conhecimento universal... o que é no fundo?

    Era isso que o meu avaliador pretendia: que eu explanasse o conhecimento para lá do "eu", e que eu visse o conhecimento como universal. Há o conhecimento da minha tribo, o conhecimento do meu povo, o conhecimento do ser humano, o conhecimento dos animais, etc.

    Tentar definir o "conhecimento", e querer dizer tudo numa frase, isso, parece-me impossível.

    Será que o Conhecimento é uno ou divisível? :think:
    Uma coisa é certa: avança mais depressa que o tempo.
    Isso parece consensual.
     
  16. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Se você nunca as utilizar elas serão com toda certeza. Isso se antes não cair em algo chamado esquecimento, já que por mais perfeita seja a nossa memória ela está sujeita a falhas.

    Tenho como exemplo na minha area de atuação que é eletronica que adoro muito, mas durante o curso tive que estudar uma verdadeira chatice que é eletrostática. Só aprendi teorias e cálculos que jamais tiveram e nunca terão utilidade prática nos meus mais de 20 anos de atuação de profissional e como já até esqueci mais de 90% dessas informações foi um típico caso de informação inútil.
     
  17. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Já sei!!!

    Vou queimar todas as obras de Platão, Aristóteles, Schopenhauer, Agostinho e cia porque não consiguirei ficar rico nem fazer um bolo com essas ideias!!! Genial!!

    O que meus amigos utilitaristas-burgueses-neoliberais não sabem?!? Que legal!
     
  18. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Logicamente fiz uma análise nada filosófica da coisa e sim fria, realista e prática, pois eu sou assim direto ao ponto.

    Se a verdade nua e crua doí.....

    Eu se pudesse mexer na educação brasileira mudaria muita coisa para que o aluno tivesse muito mais lívre arbítrio de poder adquirir o conhecimento que realmente ele vai usar de fato em sua vida (e pro resto de sua vida).

    No sistema atual se chegamos a usar a metade é muito.
     
  19. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Mas heim...?

    Conhecimento acumulado no mundo é um gigante em contínuo crescimento. Neste exato momento alguém está escrevendo algo novo sobre um assunto que ninguém pensou antes.

    O que se pode oferecer é um VISLUMBRE do que temos até o momento, através de educação. Não vamos nos deter em todos os pensadores, nem em cada dado experimental de Brahe, ou de todas as anotações de Lavoisier.

    A saber, neste momento fico sabendo sobre todos os roteiristas que passaram por Wolverine, e não vou fazer o favor de guardar (apesar que inacessivel que é, não poderei tirar do meu inconsciente/subconsciente/whatever).

    É saudável ESQUECER. Claro que ficamos frustrados quando esquecemos coisas necessárias para a prova, para o concurso, etc., mas tentar lembrar de tudo não vai nos conduzir a muita coisa a não ser algum programa de show de calouros...

    Mas o conhecimento não é aprendido. O que se faz é usar partes do conhecimento para algo maior: como APRENDER. O processo de aprendizado é o objetivo, e não o conteúdo.

    Vejamos: será que vocês vão aprender a aprender, se eu simplesmente disser que o processo é uma mistura de adestramento, manipulação/brincadeira lúdicas para construção do conhecimento, e outras teorias da educação?

    Uma criança vai aprender a aprender ouvindo isso?

    Não. Você usa uma "desculpa" para ensinar a aprender. Habilidades manuais através de pintura, artesanato. Habilidades lógicas através de jogos. Habilidades sociais através de linguagem e leitura. E depois há outras coisas que servem de "desculpa" para desenvolver habilidades menos concretas e mais abstratas.

    Em resumo: vocês estão confundindo conteúdo com aprendizado. E é a diferença entre uma enciclopédia e inteligência artificial.
     
    Última edição: 1 Jul 2009

Compartilhar