1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Princípio da Felicidade Condicional

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Administração Valinor, 2 Nov 2008.

  1. Administração Valinor

    Administração Valinor Administrador Colaborador

    <p class="MsoNormal" style="text-align: justify">
    <img src="images/stories/personalidades/ives.jpg" alt="ives.jpg" style="border: 0px solid #000000; margin: 5px; float: left; width: 194px; height: 227px" title="ives.jpg" width="194" height="227" />
    Este
    artigo se justifica como uma homenagem a <b>Gilbert Keith Chesterton </b>(1874-1936)
    no centen&aacute;rio da publica&ccedil;&atilde;o de seu livro <b>Ortodoxia</b> (1908). Nele, dedica
    o ex&iacute;mio e sempre bem-humorado polemista um cap&iacute;tulo &agrave; <b>&ldquo;&Eacute;tica da Terra dos
    Elfos&rdquo;</b>, no qual descreve aquilo que chamou de <b>princ&iacute;pio da felicidade
    condicional</b>, no qual sempre acreditou, tanto antes, como depois, de sua
    convers&atilde;o ao catolicismo. Cotejar esse princ&iacute;pio com a <b>&eacute;tica cl&aacute;ssica</b>
    (de inspira&ccedil;&atilde;o <b>aristot&eacute;lica</b>) e com a <b>&eacute;tica moderna</b> (de inspira&ccedil;&atilde;o
    <b>kantiana</b>) ser&aacute; o objeto deste despretensioso artigo.
    </p>
    </ br>
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. TT1

    TT1 Dilbert

    Engraçado que logo no começo do texto eu lembrei desta frase. É impressionante como parece ser este mesmo lema o que norteia os contos de fada e este princípio da felicidade condicional.

    Belo texto :clap:
     
    Última edição: 2 Nov 2008
  3. Muito bom! Parabéns!
     
  4. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    E é interessante fazer um paralelo com o próprio Senhor dos Anéis, com a vigília que Minas Tirith exercia sobre Mordor para que o resto da Terra média não fosse oprimido pelas tropas de Sauron.
     
  5. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Mais um ótimo artigo do Ives. :clap:

    E não apenas nesse ponto, mas em diversos outros, onde percebe-se uma vigilância mais "subjetiva".

    Trazendo mais uma citação do artigo:

    Acho que a relação dos diversos personagens do SdA com o Anel ilustra bem essa idéia. Resistir à tentação e à curiosidade de possuir/usar o Anel representa uma vigilância sobre os próprios instintos e sobre a razão, e torna-se condição para a felicidade.
     
  6. Slicer

    Slicer Não estava vivo no Dilúvio, mas pisei na lama.

    Droga, perdi meu comentário original. A idéia era mais ou menos esta:

    Hobbits compreendem isso muito bem. Rosinha Villa, por exemplo, não conseguia compreender por que Sam foi embora, mesmo que ele tenha dito que foi salvar o mundo. Para ela era uma perda de tempo se afastar do que o fazia (ou faria) feliz, como o seu jardim e ela própria.

    Por outro lado é interessante observar como uma transgressão desse princípio da felicidade condicional (Celebrimbor tentando tornar a Terra-média mais parecida com Aman, apesar de saber que isto era impossível e indesejado por Eru Ilúvatar), acabou causando a necessidade do sacrifício da felicidade de diversos membros dos Povos Livres durante 5 milênios.
     
  7. Lyvio

    Lyvio Usuário

    Um bom texto, e muito filosófico, lembrei do primeiro e segundo perido da facu, onde odiava filosofia, mas o ives soube prender minha atenção.

    Parabésn Valinor e Ives.
     
  8. Lord Treville

    Lord Treville Ciências Sociais do Boteco

    O texto está impecável, perfeito (como se diz).
    Relutei muito em ler pois é muito extenso e parecia ser muito denso, e minha falta de tempo nao permitia a leitura. Mas é tudo uma ilusão, pois o texto pode parecer complicado no início, mas logo começa a se suavizar.
    O mundo das fadas pode ser mais "real" do que costumamos acreditar :think:

    Gostei da sutileza do Ives:
    Muito inteligente esse Ministro.
     
  9. Erion Storm eyes

    Erion Storm eyes Usuário

    Creio que o pensamento individualista inserido em nosso sistema de manutenção da vida (capitalismo) fez com que o pensamento coletivo fosse desmantelado, então nossa civilização sofre hoje com uma falta total de respeito mutuo, que dá origem a barbarismos.
    A priorização do indivído e seus desejos faz com que as pessoas esqueçam que vivem em coletividade e dentro dessa visão a ética e a moral são deixadas de lado para dar lugar as vontades de uma pessoa. E isso tudo me leva afirmar que não adianta ter liberdade sem saber o que fazer com ela.
     
  10. Ben Kenobi

    Ben Kenobi Aprendendo com um

    Muito bom,Parabéns:clap:
     

Compartilhar