1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Primeiro Homem (First Man; 2018)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Nírasolmo, 6 Ago 2018.

  1. Nírasolmo

    Nírasolmo Usuário

    O premiado diretor Damien Chazelle - de Whiplash: Em busca da perfeição (2014) e La La Land: Cantando estações (2016) - também estará nas telas em 2018, se embrenhando em um longa biográfico, sobre a vida de Neil Armstrong, centrado na sua missão à Lua, designado pela NASA, nos anos 60. Para interpretar o astronauta americano, foi selecionado o ator Ryan Gosling, que já trabalhou com Chazelle em La La Land.

    É interessante lembrar que filmes centrados no espaço, por assim dizer, são recorrentes entre diretores premiados - Stanley Kubrick iniciou tal prática com 2001: Uma odisseia no espaço (1968). Outros exemplos mais recentes são os longas de Alfonso Cuaron, Gravidade (2013), o de Ridley Scott, Perdido em Marte (2015) e Interestelar (2014), de Christopher Nolan.

    A trilha sonora do filme de 2018 - que estreará nas telonas em 12 de outubro, mas que será exibido no Festival de Veneza, em 29 de agosto - será composta pelo mesmo músico dos outros filmes de Chazelle, Justin Hurwitz (que ganhou o Oscar pelo seu trabalho em La La Land).


    Trailer
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Trailer legendado
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)




    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição: 3 Out 2018
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Giuseppe

    Giuseppe Eternamente humano.

    Legal! Sou fã dos astronautas da Apolo 11. Eu também gostaria que fizessem um filme sobre o Yuri Gagárin e a missão dele.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. Nírasolmo

    Nírasolmo Usuário

    Eu acho que se um diretor de Hollywood resolvesse fazer um filme centrado na corrida espacial da Guerra Fria, iria ser polêmico, com essa tensão entre Rússia e EUA no presente, as suspeitas sobre as eleições americanas, etc. Pouco gás um filme teria para iniciar um conflito de facto, mas com certeza botar lenha na fogueira, ah, isso iria...
     
  4. Giuseppe

    Giuseppe Eternamente humano.

    É verdade, talvez um filme assim tenha que esperar.
    Não entendo a atual rivalidade entre os EUA e a Rússia sendo que o tio Vladimir é parça do Trump.
     
  5. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Não sei se vão adotar algum elemento fictício no roteiro ou relatar alguma dificuldade que tenha ameaçado e colocado em risco o sucesso da missão Apolo 11, para que o filme tenha um elemento surpresa pra prender mais a atenção dos espectadores.

    Tão ou mais polêmico ainda seria fazer um filme no mínimo questionador semelhante ao que o diretor Oliver Stone fez em 1991 sobre a morte do Kennedy e que agradaria e muito a grande parcela estadunidense que acredita ou gosta de uma boa teoria da conspiração e no caso da ida do homem a Lua tem muita gente lá que simplesmente não acredita que tal fato jamais ocorreu, sendo apenas um grande golpe de marketing cinematográfico.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  6. Nírasolmo

    Nírasolmo Usuário

    É perceptivelmente difícil para um filme de jaez biográfica manter-se apoiado na pura narrativa...eu assisti poucos do gênero, mas em longas como O Jogo da Imitação há um desvirtuamento da história original. Quiçá o único que conseguiu se manter fiel aos reais acontecimentos (mas sem deixar de pintar alegorias fictícias) foi Lawrence da Arábia (talvez, ainda, por se apoiar na própria autobiografia de Lawrence, Os Sete Pilares da Sabedoria).


    Desvirtuamentos sempre ocorrerão em filmes desse tipo - um professor de História uma vez disse que "os filmes não são registro histórico da época retratada, mas da época em que foram feitos". E, de fato, é verdade...se fosse feito hoje, Lawrence da Arábia provavelmente iria focar na homossexualidade do personagem principal, não tanto na sua jornada de resistência ao Império Otomano.
     

Compartilhar