1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O País da Fartura

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Márcio Bicalho, 1 Abr 2008.

  1. Márcio Bicalho

    Márcio Bicalho Usuário

    [attachment=87]Um dos livros que eu e minha filha mais gostamos de revisitar é O País da Fartura, da Editora Martins Fontes, escrito por Monica Stahel e com ilustrações do premiadíssimo desenhista lituano Kestutis Kasparavicius.

    O livro conta a história da visita de um grupo de pessoas ao País da Fartura: Zeca Pereira, Teco Pompom, Mané Barrigão, e os gatos Mutreta, Veneta e Capeta, entre outros.

    No País da Fartura as muralhas são de pão-de-ló e decoradas com geléia e framboesa. Lá tem árvore com lareira que dá flores de pedras preciosas, árvore de sorvete com bica e torneira, cactos de mortadela, rios de suco e água de coco já engarrafada no coqueiro. Também tem árvore com bota na raiz e que em vez de fruta dá botina e cogumelos do mato que podem ser vestidos como saias.

    Trechos:

    "No País da Fartura não tinha praia mas tinha água de mar. Enquanto um peixe de bota mantinha a fogueira acesa, os outros se punham sozinhos para fritar. Depois, de limãozinho na boca, saíam da água e iam para a mesa. Frango assado chegava voando, já temperado, pronto para o almoço. Vejam só, enquanto Maria Prima-Dona pescava um peixe voador, a cerveja corria entre os amigos. E, para acompanhar, era só esticar o braço e pegar chuchus, pimentas, pepinos e figos."

    "No País da Fartura os ovos aprendiam muito cedo a cuidar sozinhos da vida. No dia da visitação, todos eles, muito exibidos, saíram juntos do galinheiro e se amontoaram na porta do celeiro. Depois, numa fila comprida, seguiram até o caldeirão e viraram ovos cozidos, desceram até o chão e se pintaram de ovos de Páscoa. Então cada um tirou sua casca e seguiu em frente para seu destino: a boca do Mané Barrigão."

    As ilustrações de Kasparavicius são incríveis. São delicadas, soltas, com um quê de século XIX e extremamente criativas. Vale a pena.
     
  2. Fernando Giacon

    Fernando Giacon [[[ ÚLTIMO CAPÍTULO ]]]

    Bacana!=D Mas deve dar uma fome na hora de ler esse livro...
    huahuh...deve ser mesmo muito interessante!! E o mais interessante
    é a reação de quem ouve, no caso a sua filha, deve ficar deslumbrada com esse País da Fartura!
     

Compartilhar