1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O mito da imparcialidade jornalística desvendado

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Elrond, 16 Out 2010.

  1. Elrond

    Elrond "OFF" it will last two months

    Texto de Luciano Zarur, professor de jornalismo - FACHA

    A partir da "tomada de posição" de dois dos diários de maior circulação no País, assumindo nitidamente sua posição político-partidária - o que contraria um princípio básico da deontologia jornalística, a imparcialidade, a qual se mostra, empiríca e efetivamente, apenas um mito, como se percebe -, fica claro como a cobertura política feita por quase toda a imprensa durante todo este governo e, sobreutdo, destas eleições presidenciais foi totalmente contaminada por interesses do oligopólio que controla a comunicação de massa brasileira. Nenhuma surpresa para quem conhece a chamada mídia por dentro. Sim, porque, uma nação com quase 200 milhões de habitantes é informada (e deformada)
    há décadas por veículos controlados por apenas oito famílias, as quais, tentam permanentemente "decidir pelo povo" os rumos da sociedade, ocultando - como fizeram com todos os escândalos bilionários do (des)governo FHC (lembram-se, por exemplo, dos bilhões desviados do Estado quando da desvalorização do Real, envolvendo tucanos e bancos como Marka e Fonte Cindan, sem falar nas privatizações criminosas, verdadeiras doações do patrimônio público, como no caso da Vale, vendida por uma bagatela e que um ano depois foi "cotada" a nada menos do que dez vezes o valor pelo qual tinha sido "vendida") - assim como fazem com as conquistas alcançadas pelo governo do PT, usando técnicas jornalísticas de diagramação e/ou edição eletrônica.


    Ou ainda hiperdimensionando possíveis casos de delitos cometidos por integrantes deste governo e afirmando que a responsablidade do que possa haver de errado seria diretamente do presidente da República mais popular (que supera até a do maior estadista que este País já teve, Getúlio Vargas) e/ou, agora, da candidata petista.


    É curioso e sintomático, já que quando divulgavam, com muito menos destaque e com todo cuidado para não prejudicar os parceiros do PSDB e do DEM (antigo PFL, antes PDS e Arena, o partido da ditadura, ou seja, um verdadeiro oxímoro, pois o parceiro dos tucanos foi o partido que sustentou o regime autoritário e agora se autointitula "democratas"), os órgãos de imprensa eram suaves e nada assertivos como agora. Alguns o fazem até mesmo de forma raivosa, como aquela revista semanal que se tornou um panfleto publicista a favor do tucanato, abandonando de vez os cânones do jornalismo compromissado com a cidadania e o desenvolvimento da sociedade.



    Se avaliarmos com criticidade, veremos que os resultados sociais - os mais importantes, obviamente - e também os econômicos obtidos pela gestão petista são irrefutáveis e superiores a todos os anteriores, principalmente os do (des)governo de FHC, Serra e outros, haja vista os mais de 27 milhões de pessoas que saíram da pobreza e os mais 33 mlhões que ascenderam à classe média, tornando-se reais consumidores, afora os 15 milhões de empregos criados nos últimos oito anos, quase o triplo do que fizeram os tucanos em seus dois governos.



    Sejamos justos: é inegável que, nos dias hodiernos, a quase totalidade da população brasileira vive muito mais feliz do que oito, dez, vinte anos atrás. O Brasil é muito mais respeitado como ator realmente relevante em todos os organismos internacionais, independentemente de seu cunho. A competência do governo liderado por Lula e Dilma (sua mais importante ministra) venceu a maior crise da economia em oitenta anos; apesar de "analistas" e "comentaristas" pseudoautônomos - em verdade vassalos dos patrões que controlam os veículos em que atuam e são regiamente remunerados - jamais a terem reconhecido, tentando "explicar" o sucesso do PT no comando do País de maneira cretina e com sério desvio de caráter, isto é, atribuindo-o a uma suposta sorte do presidente.



    Destarte, como jornalista há mais de 20 anos e professor universitário nos últimos 15, recomendaria a todos diversificar as fontes de informação para fugir das distorções informativas do PIG (partido da imprensa golpista). Para contrabalançar o tratamento publicista (para quem não sabe, publicismo é o uso dos meios de comunicação de massa como instrumentos de divulgação de posições político-ideológicos, no estilo do que faziam Carlos Lacerda, na Tribuna da Imprensa, e Samuel Wainer, na Última Hora, em relação ao governo constitucional de Vargas) da mídia, boas opções são "Caros amigos", "Carta Capital" e "Le monde diplomatique Brasil", além de diários virtuais como os dos jornalistas Luiz Nacif e Paulo Henrique Amorim, e do programa "Observatório da Imprensa", da Tv Brasil.



    Pensem bem. Vençam os preconceitos. Superem posições antiéticas e egoístas que
    se recusam a aceitar o imenso sucesso de um operário no cargo mais importante da Nação. Que diferença faz se ele não tem diploma universitário, ou mesmo comete erros gramaticais - aliás, como quase todos os brasileiros, incluindo-se a maioria daqueles que se graduaram no chamado nível superior? A sensibilidade do presidente Lula sobrepuja em muito sua pouca educação formal. Ao escolher pessoas competentes para compor sua equipe, como Dilma Roussef, conseguiu melhorar a vida de milhões de pessoas, priorizando, como estabelem os preceitos éticos, assim como os fudamentos de todas as religiões, os mais necessitados. E, mesmo assim, para as classe média e alta também houve melhoras muito significativas, haja vista o apoio massivo que Lula e Dilma têm entre os de mais posses.



    Peço desculpas pelo tamanho da mensagem. Minha manifestação por escrito - muito
    menor do que quereria e precisaria fazer neste momento crucial para nosso país -, deve-se à indignação com o péssimo trabalho que a maior parte dos meios de comunicação de massa brasileiros vem desenvolvendo nos anos mais recentes, mormente nestas semanas após seu candidato perder a dianteira nas pesquisas eleitorais para a representante do atual governo. Este comportamento remonta àquela "definição" de regime político imposta tacitamente pela caserna após o golpe de 64: "Democracia (só vale assim) é igual a nós no poder"; Ditadura, os outros.
    Outro motivo que me levou a escrever foram as dezenas de inverdades, bobagens e
    impropérios relativos ao presidente Lula, ao Partido dos Trabalhadores e, agora, sobretudo, à sua candidata, que me foram enviados, reproduzindo a tentativa de transformação de informações acerca de realizações extremamente positivas para todo o povo brasileiro em notícias distorcidas e também hiperdivulgando, com a pior conotação negativa, é claro, possíveis erros ou irregularidades cometidos por algum integrante ou simpatizante deste governo.


    Tal tentativa, quiçá, inspirada nas técnicas de censura e manipulação perpetradas pelos piores regimes ditatoriais. Lamento ainda que muitas das mensagens que tenho recebido com estes desvios da correta conduta deontológica que deveria reger a cobertura política dos meios de comunicação me tenham chegado pelas mãos de pessoas de que gosto e respeito, as quais, provavelmente, desconhecem ou não dominam plenamente os mecanismos de edição utilizados em cada veículo para manusear o noticiário de acordo com seus próprios objetivos, assim como a autocensura e a pressão a que muitos jornalistas são submetidos no tratamento final da informação.


    Agradeço de antemão a quem tenha lido este texto até o fim.


    E repito: Vençam os preconceitos e pensem melhor.

    Com afeto,

    Luciano Zarur

    PS: Nunca tive filiação partidária, tampouco considero o governo do PT perfeito.
    Entretanto, comparem e constatarão que é o melhor desde o período democrático de
    Vargas.

    Visite
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    GT Combate ao Racismo Ambiental
    --
    Visite o saite do CEDEFES:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição: 16 Out 2010
  2. Elrond

    Elrond "OFF" it will last two months

    Esse texto retrata a realidade da mídia e de nosso país.

    Vale a pena ler de verdade.
     
  3. Deriel

    Deriel Administrador

    Prefiro um jornal declarado do que um fingido que é imparcial.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    Concordo.

    Mas essa política de declarado só surgiu agora.

    Muito tempo a Folha e o Estadão se declaravam independentes e imparciais.

    Mas o que mais chama a atenção hoje é a falta de compromisso com a verdade.

    Note o caso da ficha falsa da Dilma publicada pela Folha ou a falta de correção em denuncias que venham se provar com o tempo infundadas.

    Dou o exemplo pro meu lado (Dilma), mas tenho convicção que existe também este tipo de tratamento pelo lado da Carta Capital, por exemplo.
     
  5. ExtraTerrestre

    ExtraTerrestre Usuário

    O negócio é beber de várias fontes, mas daquelas que, se não são imparciais, são comedidas e honestas.

    Coisas como a Veja apelam para a gritaria, e quem grita perde o direito de discutir.
     
  6. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    A questão é que quem tem acesso a várias fontes não as usa.

    Canso de dizer que aqui temos um bom exemplo de amostragem de uma parcela da elite brasileira que mal se digna a usar o google, prefere usar o JN ou usar a Veja mesmo. Em tempo, a próxima capa da Veja será algo do tipo:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  7. Fafa

    Fafa Visitante

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Essa do Jabba é particularmente engraçada. Sátira perfeita dos periódicos que promovem o endeusamento do burguês.
    "Aprenda com Boba Fett como ser um mercenário de sucesso". Hahaha.
     
    Última edição por um moderador: 17 Out 2010
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar