1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O menino do pijama listrado - John Boyne

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Marco, 17 Fev 2008.

  1. Marco

    Marco may the force be with... wait

    [align=justify]Pra quem ainda não leu um breve resumo.

    Bruno é um menino de nove anos que mora em Berlim com a família e sabe muito pouco da vida além do que acontece fora de sua casa e escola. O que ele descobre logo no ínicio do livro é que ele e a família terão que se mudar de Berlim, por conta do emprego do pai e ordens de seu chefe. Contextualizando, estamos na década de 40, em plena segunda guerra mundial o pai de Bruno é um militar alemão que responde diretamente a Hitler e a família muda para a casa vizinha ao campo de concentração de Auschwitz. Com o passar do tempo Bruno vai se adaptando a nova situação descobrindo mais sobre a família, sobre a Alemanha e sobre os vizinhos que moram do outro lado da cerca e só vestem a mesmo traje. E é por acaso que em uma exploração das redondezas, Bruno faz amizade com um menino do outro lado da cerca que sempre veste um curioso pijama listrado. E essa amizade mudará a vida de ambos.

    Confesso que agora ao terminar o livro ainda estou meio confuso. Apesar de ser uma história inusitada, o Holocausto visto pelos olhos de uma criança, falta muito mais visão do Holoucausto em si. A história basicamente é focada em Bruno e nas relações familiares. Alguns personagens são muito mal construídos em determinados momentos chegamos a esquecer que eles existem. Tudo gira em torno de Bruno suas insatisfações e indagações a respeito do destino de sua família e os mistérios que cercam os vizinhos do outro lado da cerca.

    O grande erro de Boyne está em assoprar demais a ferida e não mostrar mais a crueldade e realidade do campo de concentração. E nos momentos em que são mostrados o efeito é minimizado pela inocência de Bruno que sempre tenta arranjar alguma explicação plausível para as cenas de abuso dos soldados.

    Faltou ainda um maior detalhismo histórico, pois temos apenas alguns fatos aleatórios jogados ao leitor, mas repito, culpa da ignorância ou inocência de Bruno. Mesmo assim vale a pena ler o livro, Boyne tem alguns bons momentos, os quais não citarei aqui para não estragar as surpresas e muito menos o final da história. O ponto alto é justamente a amizade entre Bruno e Shmuel e o nó na garganta que nos dá a cada página lida.[/align]
     
  2. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Esse tá na minha lista de leitura. Não exatamente no topo, mas mais pra cima do que pra baixo.
     
  3. Anica

    Anica Usuário

    Eu fiquei bem curiosa para ler, até porque na orelha do livro falam qualquer coisa sobre 'quanto menos você souber, melhor'. Mas como eu tinha acabado de ler A Menina que Roubava livros (que também tem um pé na guerra e tudo o mais), achei melhor dar um tempo antes de conferir porque eu poderia ser injusta com esse livro por ter gostado demais do A Menina... :dente:
     
  4. Oropher

    Oropher Hmm... oi?

    Bem, eu li esse livro algum tempo atrás, e gostei bastante. Ao contrário do Marco, penso que essa forma de aliviar a visão do Holocausto é um dos pontos fortes do livro. Você sabe que as coisas estão acontecendo, mas não deixa de sentir uma certa ternura pela inocência do Bruno.

    Ele era só uma criança que vivia num mundo próprio, repleto de aventuras e pensamentos próprios de sua imaginação infantil. E toda essa inocência só deixa o final ainda mais emocionante. O livro não tem a pretensão de retratar fielmente as marcas do Holocausto, mas apenas criar uma fábula sobre nossas ações e suas conseqüências.

    Embora relatem acontecimentos da mesma época, é errado colocá-lo no mesmo cesto de A menina que roubava livros. A leitura é rápida e, entre ler e não ler, é melhor se deixar envolver pela visão que Bruno tem do mundo do seu redor, seja pela nostalgia, seja pelas emoções que o livro nos faz sentir.
     
  5. O legal é a amizade do Schuemlan com o Bruno.
     
  6. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    hahahaha o que é isso minha gente! o emo do terceirão está postando ainda?
     
  7. imported_Cabal

    imported_Cabal O Poeta Aprendiz

    O Emo já foi banido, já era!!!

    Agora vou procurar esse livro pra ler, achei muito interessante.
     
  8. Angélica

    Angélica Visitante

    Eu gostei muito desse livro justamente porque o autor fugiu totalmente aos padrões de um livro que fala sobre a guerra. Nada ali é dito diretamente, nem mesmo o nome do campo de concentração, Auschwitz, e o tratamento a Hitler, Führer. O Autor coloca para o primeiro Haja-Vista e para o segundo Fúria, atribuindo tal fato como sendo uma falha de pronúncia do personagem Bruno.

    Achei impressionante a sutileza do autor ao apresentar os horrores do Holocausto apenas sub-entendido nas entrelinhas dos diálogos, principalmentes os que ocorrem entre os amigos Bruno e Shmuel.

    É um livro que recomendo!

    Boas leituras, bj da angel ;)
     
  9. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    caramba, acabei de ver o filme aqui e me acabei junto... :oops: e eu q pensava q era forte, encontrei um filme mais forte q eu, vish....
     
  10. imported_Cabal

    imported_Cabal O Poeta Aprendiz

    EU COMPREI O LIVRO!!!!!!!!! :rofl:
     
  11. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    eu vou ler em ebook mesmo.
     
  12. Liri Kämpf

    Liri Kämpf Usuário

    Oi...

    Eu li recentemente este livro e achei FANTÁSTICO!!
    A escrita é muito suave, um tanto envolvente, nos levando a fazer a leitura rapidamente, porém sem se cansar da história. Acho que o fato do livro ser escrito do ponto de vista de um garoto de 9 anos leva a não ter muitos detalhes sobre os horrores dos Campos de Extermínio Nazista, já que o garoto não via nada disso, nem sabia o que era o nazismo. Essa inocência do garoto e a amizade entre ele o Shmuel é muito adulta de certa maneira, nos levando a pensar em como temos agido com as pessoas ao nosso redor, quando uma cerca atravessa nossos caminhos.

    Uma obra prima literária! Eu recomendo a todos!
     
  13. imported_Cabal

    imported_Cabal O Poeta Aprendiz

    Eu gostei, mas pra mim, acho que por ter visto filmes e alguns outros livros com o final digamos semelhante, não me agitei tanto, mas recomendo a todos, a escrita em certas horas me cansou pra falar a verdade, ele repete alguns gestos do garoto que fiquei sem saco de ler novamente, nessas horas passava pra frase em frente, mas isso foi o que eu achei, vc pode achar bem mais, pois no geral é um bom livro sim.
     
  14. mandah

    mandah Usuário

    Gostei muito desse livro_O ponto de vista de um garoto de 9 anos, Bruno, faz a história ter um lado mais leve e ingênuo. Algumas horas dá muita raiva do Bruno,
    como quando ele diz pro soldado que não conhecia o Schmuel
    mas ao mesmo tempo eu torço por ele e peço pra que não faço algo
    como quando ele se encaminha para a câmara de gás
    Eu fiquei muito mal no final, triste, com raiva. É tão horrível saber que coisas assim aconteciam, chega a ser difícil entender com os nazistas podiam ser tão cruéis.
     
  15. GROTTI

    GROTTI Usuário

    Acho que Jonh Boyne foi genial em retratar o que todo mundo já sabe de uma maneira diferente.Esse é o destaque: Todo mundo já sabe o que foi o Holocausto, todo mundo já sabe como os judeus foram subjulgados, massacrados, torturados em todos os níveis; onde eram os campos de concentração, campos de extermínio; as técnicas, enifm, o mundo já foi e é testemunha disso. Pesar nos fatos históricos não é tão interessante pro leitor, como re-ver tudo isso de outro anglo. Do anglo de Bruno. Da inocência, (que existe, apesar de tudo!!!!) e é claro, com um final tragico, mas verossímil. É essa visão, esses "erros" cometidos pelo autor, na verdade por Bruno, que nos faz ter a catarse certa pra purificação da moral no final. Isso é muito difícil. Pra isso o autor teria de ter um domínio sobre o assunto muito apurado. E, claro, um talento de escritor. Adorei o livro e o filme! Vale à pena ler e ver.
     
  16. imported_Cabal

    imported_Cabal O Poeta Aprendiz

    Ainda não consegui ver o filme, pro livro eu daria um 8 no máximo, pois como já disse, já ví finais parecidos com o do livro e isso tirou um pouco o encantamento com ele.
     
  17. Zafira Nur

    Zafira Nur Usuário

    .... eu já li este livro...

    ...fiquei sensibilizada com o desfecho da trama....

    ...já o filme deixou um pouco a desejar.
     
  18. Petra

    Petra Usuário

    Nossa, eu li o livro em menos de um dia. É simplesmente, lindo. É uma leitura ingênua, e facil... Diferente de outros livros que retratam a mesma época. Tem momentos super bonitos e comoventes e outros tão chocantes que chegam a ser tristes. Nossa eu fiquei completamente :O no final, eu pensava que ia acontecer outra coisa, e naturalidade com que eles se encaminham pro destino final deles, assim dizendo é tão... chocante. Eu achei o livro lindo, apesar de ser uma apaixonada por livros da segunda guerra mundial, então...
    E, o pior é saber que isso realmente apesar de ser uma ficção, possa ter acontecido.

    Não vi o filme ainda, acho que já chegou nas locadoras até! Tenho medo do que eles transformaram o filme
     
  19. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    Comprei e to esperando o meu chegar. Mas deu merda lá na FNAC com o pagamento, tive que ligar pro cartão pra liberar e isso me atrasou 2 dias. Com isso só chega segunda. Queria ler esse final de semana já.
     
  20. Marco

    Marco may the force be with... wait

    Eu tenho, se soubesse antes tinha entregue pra Anne.
    É bem curto e rápido de ler, por sinal ganhei o meu de presente da Ana e do Edu.
     

Compartilhar