1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Libertino (The Libertine, 2004)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Maedhros, 11 Jul 2006.

  1. Maedhros

    Maedhros Whadahell?

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Pra variar, Johnny Depp em mais um papel 'peculiar'. Em 'O Libertino', ele é John Wilmot, o Conde de Rochester, que viveu no século 17 e foi uma figura importante no estabelecimento da poesia satírica inglesa, além de ter sido famoso por sua vida desregrada e regada á vinho e orgias. Além de Depp, o filme conta com Samantha Morton, John Malkovich (também produtor), e o estreante Laurence Dunmore na direção.

    Assisti hoje. Muito bom, tem um aspecto meio teatral (o filme é baseado numa peça) e bruto, que cria uma atmosfera da época. O roteiro tem alguns momentos confusos e falhas, mas não chega a se perder. Depp, pra variar, dá um show. O resto do elenco também está bem, com destaque para Samantha Morton, que interpreta uma atriz que de certa maneira se torna o único amor de Wilmot - e sua maldição.
     

    Arquivos Anexados:

    Última edição: 27 Nov 2006
  2. Tonho Hammond

    Tonho Hammond Molusco

    Re: O Libertino (The Libertine, 2005)

    Filme extraordinário.

    Ao menos pra quem gosta de teatro e de pensar.

    O Depp tá muito bem, o elenco todo tem ótimas atuações, mas o filme peca um pouco pelas tomadas que eu achei um pouco lento, porém apaixonante. Por mais interessante que tenha ficado a atmosfera pela falta de cor da imagem, acho que teria ficado melhor filmado mais aberto.

    Sobre a história, digo que vc percebe que nós dependemos da mentira mas não assumimos tal direção. Preferimos o nome de 'bom-senso', como se isso fosse mudar a verdadeira relação da coisa. Nós todos mentimos, e mentimos o tempo todo, e nos regojizamos com as mesmas, pois a mentira esta dentro de nós, é a coisa mais natural do homem que lida com outro homem.
    Todo mundo mente, e aqueles que melhor sabem mentir são invejados por nós. Suas histórias são mais milaborantes, suas opiniões mais concisas. Enfim, aquele que sabe mentir muito bem tende a ganhar mais da sociedade, tende a ter status maior.
    Em contrapartida, aquele que só exprime a verdade, tende a ter o ódio da mesma. Pois ninguém gosta de ver o podre, todos gostamos de 'palavras de carinho'. É inadimissível, mas todo homem tem momentos onde gosta que sintam pena de si. Ele acha que lucrará com isso.
    Esse filme é uma prova de que a mentira é o pilar fundamental das relações humanas. que aeitem isso os hipócritas.
    O primeiro passo é a aceitação.
     
  3. Barbárvore.

    Barbárvore. Beatlemaniac

    Re: O Libertino (The Libertine, 2005)

    Bom, até hoje uns colegas me xingam por eu ter arrastado eles para o cinema ver esse filme. :lol: Mas eu gostei bastante, a atuação do tio Depp estava demais. E o início dizendo que ninguém gostaria dele é muito bom.
    É um filme que mostra o outro lado da Inglaterra, o lado da putaria e cachaça. Bem ao contrário de Pride & Prejudice. Esse contraste eu notei porque vi esses dois filmes com diferença de poucos dias. Enquanto um (Libertino) retrata a decadência moral da época, outro filme (P&P) retrata uma atmosfera que talvez nem tenha existido, but it's cute.
    A história, o horror e o filme em geral me agradou bastante. Não é o melhor filme do mundo, mas vale a pena sentar a bunda for a couple of hours e rir da desgraça alheia.
    A propósito, o filme é de 2004 mas e daí :P
     
  4. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Re: O Libertino (The Libertine, 2005)

    Os filmes retratam períodos históricos diferentes. O Libertino é de 1600 e pouco, Pride&Prejudice é do início do século XIX. Além disso, soma-se o fato que a autora do livro no qual Pride&Prejudice foi baseado, Jane Austen, é conhecida justamente pela precisão com a qual retratava a sociedade da época, ou seja, quando diz "uma atmosfera que talvez nem tenha existido" não é bem por aí...

    Aliás, nessa linha "mostrar o outro lado da Inglaterra", acredito que O Outro lado da Nobreza foi muito mais bem sucedido, 10 anos antes de O Libertino.
     
  5. Barbárvore.

    Barbárvore. Beatlemaniac

    Bom, então me perdi no tempo totalmente :g:
    Esqueçam o que eu disse, é um bom filme :lol:
     

Compartilhar