1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Leitor

Tópico em 'Cinema' iniciado por clandestini, 20 Fev 2009.

  1. clandestini

    clandestini Cylon ou

    [align=justify](The Reader; Dir: Stephen Daldry; EUA/Alemanha; 2008)

    Eu gostei muito do filme, na verdade o meu preferido entre os indicados à melhor filme. Gostei das atuações, Kate está discreta, mas muito bem. Expressão facial e coragem. O segredo de Hanna é descoberto já no início da trama pelo espectador, no entanto isso não atrapalha o desenrolar da história. Quando O leitor se dá conta é impressionante. Gostei do enfoque dado à participação de Hanna no exército nazista. Com a revelação de tal fato apenas depois de ter simpatizado com a personagem, tornado assim mais difícil emitir um julgamento de valor rápido em demasia a respeito de seus atos do passado.[/align]
     
  2. Liv

    Liv Visitante

    Ah, eu queria ter assistido, mas vi o filme novo do Tom Cruise. Vi o trailler e parece ser ótimo! Quem sabe dê tempo de ir ao cinema mais uma vez \o/
     
  3. Zuleica

    Zuleica Usuário

    Penso que damos ênfase só a crueldade nazista e esquecemos detalhes que deveriam ser inesquecíveis.

    O número de pessoas incultas na Alemanha daquela época era absurdo. Resulta em prato cheio à exploração do conceito de "o que é o seu dever", e "do que é o seu direito". A raça superior, segundo a época, tinha um soldado que poderia ser caracterizado como tendo uma falha em sua formação, isso não era aceitável no mundo perfeito que estava se instaurando na Alemanha.

    Hanna até contra si mesma era uma pessoa que deveria manter seus deveres, a responsabilidade sobre seus atos e a vergonha por sua falta de formação. Era o que ela sabia da vida, era o que fazia na vida.

    Entre ser ético e seguir a lei (as normas vigentes) pode significar ficar a margem da sociedade, sofrer perseguições e isso é só um detalhe diante da grande importância dada a sobrevivência. A questão moral fica entre assegurar o pão nosso de cada dia e a exaustão que significa manter o "necessário" teto sobre nossas cabeças.

    Na prática, em cargos de poder, se conhece pessoas que consideram sua sobrevivência, acima do que é moral, colocando por tabela em risco a vida dos demais.
    Quantos, na prática, identificam o que é ético e o que não é? E, se identificado não o fazem, pois o custo pode ser viver como aqueles que estão a margem.
    Quando a lei permite, "a lei" assegura à sociedade certas ações e sua impunidade é que percebemos o quanto de ética temos em nossas veias.

    Como vemos e julgamos Hanna hoje?
    E, lá, naquele momento, o guarda e seus outros cinco colegas, responsáveis pela ordem, carregavam prisioneiros de guerra, os vencidos, os párias sociais para a morte(eram assim considerados naquele tempo/espaço, não?), o que fariam e como assumiriam a responsabilidade diante de seus pares, de seus chefes e da lei vigente?

    É dentro da história que podemos julgar.
    A Hanna, eu a julgo como sendo uma pessoa profundamente voltada apenas para si e sua sobrevivência. Era o que ela conhecia da vida até ali. Não lembro a idade que ela tinha, mas era jovem.

    E, quantas vezes eu já ouvi em defesa própria conhecidos meus, não tão jovens, dizendo: Meu senso de sobrevivência é muito aguçado. Eu luto para sobreviver!
    Ao que eu respondo: Sobreviver é necessário. Mas, não deveria ser o suficiente, para ninguém. Nascemos do pó, somos pó e voltaremos ao pó? WTF?
     
  4. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Vi o filme anteontem no Votação TNT, que é bem simpático e NÃO MOSTRA o nome do filme, então comentei com minha amiga que tinha visto um filme da Kate em que ela era pedófila e minha amiga morreu de rir e disse que era um filme indicado ao Oscar e muito bom, mas também NÃO DISSE o nome do filme. Então comentei com meu colega de trabalho que tinha visto um filme sobre um garoto que lia várias histórias clássicas para uma mulher e que tinha um julgamento e tal e ele disse, "ah O Leitor. Eu tenho o livro." Aleluia! Mas adorei o filme e entrou para os meus favoritos!
     
  5. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Esse filme meu professor de história passou uma vez na aula... todo mundo saiu chorando e vendo o mundo todo cinza =/

    Mas é um bom filme. Gostei muito tbm :D
     

Compartilhar