1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Hobbit: A Desolação de Smaug (The Hobbit: The Desolation..., 2013)

Tópico em 'O Hobbit - os Filmes' iniciado por Vëon, 6 Dez 2013.

?

Sua nota para o filme

  1. 10

    13,3%
  2. 9

    18,4%
  3. 8

    22,4%
  4. 7

    15,3%
  5. 6

    13,3%
  6. 5

    7,1%
  7. 4

    5,1%
  8. 3

    4,1%
  9. 2

    0 voto(s)
    0,0%
  10. 1

    1,0%
  1. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    E começaram a sair as primeiras criticas do filme e ambas foram positivas, citando a superioridade em relação ao filme anterior.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
    • Gostei! Gostei! x 4
  2. Heberus Stormblade

    Heberus Stormblade Paz e Amor

    Muito bom saber disto.

    Querendo ou não, acaba que criamos expectativas muito altas para estes filmes, e quanto maior a expectativa criada, mais fácil é se decepcionar em algum nível. Por essas e outras, cada crítica positiva é como um tijolo a menos na mochila de ansiedade que portamos as costas.
     
  3. Gandin

    Gandin Usuário

    • LOL LOL x 2
  4. leoff

    leoff They will bend the knee or I will destroy them.

    Não é inesperado. O primeiro filme é só uma gigantesca introdução, equivalente à primeira metade de A sociedade do Anel. Agora a trama parece que vai avançar mais rapidamente.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  5. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    Tenho pra mim que vou me decepcionar com esse filme.
    Mas não porque esteja esperando demais, mas por causa do Beorn.
    Vi a foto dele no Guia Ilustrado de A Desolação de Smaug.
    :no:
     
    Última edição: 6 Dez 2013
  6. Gandin

    Gandin Usuário

    @Clara V. , eu devo ser tão fã do Beorn quanto vc. Acho inclusive que vi as mesmas fotos que vc, desse Guia, e que não iremos nos decepcionar.
    Eu "apenas" esperava um Beorn com mais músculos... um pouco mais alto também, talvez. Mas não vai tirar o brilho do personagem... :-D
     
    • LOL LOL x 1
  7. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    Tomara!

    Tenho o Guia Ilustrado de Uma Jornada Inesperada, mas o de A Desolação de Smaug não me interessei em comprar,não.
    No geral não gostei das imagens que tem ali, elas me fizeram diminuir minha expectativa que esse segundo filme seja melhor do que o primeiro.

    Mas enfim, se tudo der errado: Beorn decepcionante; elfa cabeçuda; derp Legolas (sem falar e já falando na Cher no Thranduil :gotinha: ) pelo menos teremos o Smaug com a voz do Benedict Cumberbatch. :amor:
     
  8. Gandin

    Gandin Usuário

    Um pouco mais de informação:
    Depois que vi a nota que a IGN deu ao filme (8.5), tenho certeza de que não iremos nos decepcionar. O crítico (Jim Vejvoda), um dos mais ba.ba.cas que já vi, e também um dos que mais gosta de avaliar de forma ridícula bons filmes, foi quem deu essa nota.
     
  9. Gandin

    Gandin Usuário

  10. Quickbeam

    Quickbeam Rock & Roll

    Pois é, era difícil crer que A Desolação de Smaug pudesse ser pior que Uma Jornada Inesperada, pelo menos é o que eu pensava até ler esta crítica no Rotten Tomatoes, que considera o segundo filme melhor que o primeiro em termos de ritmo, mas também mais vazio:

    If the “The Hobbit: An Unexpected Journey” was a bloated 2 hour and 49 minute slog, replete with dull merriment, songs and a distended prologue that threatened to put you to sleep, then in contrast, “The Hobbit: The Desolation of Smaug” is a brisk, engagingly paced 2 hours and 41 minutes which goes to show that length never matters—it’s how well your narrative engine runs.

    And yet, conversely (and ironically), pace isn't always the salve either. To wit: the Peter Jackson-directed ‘Hobbit’ sequel might be the more vigorous, action-packed, darker and more (superficially) engaging version of the series thus far, but that doesn’t actually mean it’s a keeper of any sort. In fact, rather than calling it a sequel, 'The Desolation of Smaug' is better served described as an episode. And the episodic, middle chapter-itis that is currently hurting the modern-day tentpole sequel is fully evinced.

    As facile and conventional as these ideas may be, ‘An Unexpected Journey’ was actually about something; a quest that touched upon friendship and fellowship (yep, all that stuff again) with Bilbo Baggins’ (Martin Freeman) main character arc involving earning the trust, respect and admiration of the initially disdainful, ornery and skeptical pack of thirteen dwarves he was traveling with (none of this is particularly revelatory, but occasionally it was touching in the same way these themes were in the ‘LOTR’ films). In contrast, ‘Smaug’ is about almost absolutely nothing. “The Further Adventures Of Chasing Gemstones That Mean Something Or Other To The Dwarves” might be a better suited subtitle as it is simply designed to keep this behemoth franchise moving forward and nothing more.

    So while ‘Smaug’ has forward-momentum, and is chockablock with battles and evil conflicts (Orcs, giant spiders, a Necromancer, a pointless digression with a shape shifter that hates dwarves, suspicious and selfish elves), it’s actually the lesser and emptier of the two films (though I concede most audiences are probably not in need of much more and are likely going to enjoy this episode better).

    But for those who desire more than just dynamic roller coasters, they might feel incredibly stymied. The strain of what was originally conceived as one story running the course of two movies, now stretched to its limits with a third picture, is deeply felt. The character arcs are negligible, and what exists instead are moods—mostly “dark” and “irritable” as ‘Smaug’ is certainly the most angsty of all the ‘LOTR/Hobbit’ films to date. Bilbo Baggins is beginning to get hooked in the throngs of early “precious” ring addiction, which makes him a bit of a dick, but that’s all about his story amounts to. Bilbo is hiding his ring smack compulsion from Gandalf The Grey (Ian McKellen), but like far too many of the film's story elements, it's just a set up which will pay off in another episode and therefore holds no weight.

    Dwarf leader Thorin Oakenshield (Richard Armitage) is also being quite the dick, becoming power hungry and falling prey to the madness of greed that also destroyed his ancestors. As the quest progresses, Oakenshield becomes more ruthless and merciless, putting the importance of the gemstone above all other individuals in his company going so far as leaving injured dwarves behind (leave no dwarf left behind!). This is less of an arc and more of a thing that happens to Oakenshield, and again, something that will likely pay off or become resolved in episode three. None of it is remotely moving or even barely interesting on a character, story or thematic level.

    However, if you want sizzle and action that’s even more violent than what we’ve seen in previous films, you’ve come to the right place, as ‘Smaug’ is more aggressive with its fight sequences and battles. One involved set-piece with dwarves in wine barrels spilling down a river while Orcs and elves chase them is positively thrilling, matching and surpassing the visually dazzling sequences in Steven Spielberg’s panoramic “The Adventures of Tintin.” Those who want “bad-ass” will be satisfied, but like the animated Spielberg picture, it all feels ultimately like a video game that’s neat to look at, but not especially meaningful in any way.

    Smaug the dragon (voiced by Benedict Cumberbatch) serves much of the same function. He’s a visual effects spectacle to behold (a CGI marvel, really)—nasty, mean and a massive threat, but the character doesn’t add up to more than an infuriated bad guy who chases people around and burns their bums with fire because they’ve woken him up.

    Elsewhere in the various tangents of this overlong story, nothing of merit is really taking place, other than the building blocks for 'There And Back Again.' The always unreliable Gandalf takes off from his friends for the umpteenth time to go investigate something or other (which is basically Gandalf’s modus operandi in every film; side quests! What a total flake). If you think some of the dwarves had fuck all to do in 'An Unexpected Journey,' you probably can’t even imagine the sheer boredom that must have set in for actors playing anyone not named Thorin, Balin (Ken Stott), Dwalin (Graham McTavish) and to a lesser degree Bofur (James Nesbitt). Sure, the handsome Kili (Aidan Turner) gets his own subplot centering on a deathly injury and a coquettish flirtation with Evangeline Lilly’s Tauriel, but again (sigh) it’s all narrative teases that amounts to TUNE INTO THE NEXT EPISODE TO FIND OUT WHAT REALLY HAPPENS.

    Assholes are in plentiful number in ‘Smaug,’ apart from the aforementioned cantankerous characters. Thranduil (Lee Pace), the selfish Elvin king is a racist/xenophobe and doesn’t care what happens to the rest of the world. His son Legolas (Orlando Bloom) follows his lead and is also basically a jerk (also there’s little reason for this beloved character to be back for this film other than to dynamically kick-ass like he did in the ‘LOTR’ films). Sure he’s got a thing for Tauriel and that’s going to eventually evolve him into the Elf we know and love, but … yep, next installment. (Luke Evans also co-stars as Aragorn, I mean, Bard the Bowman; he doesn't like the dwarves' gemstone-finding motives, but you'll learn more about that Christmas 2014.)

    The one character of any substance in the picture is Tauriel. A fictionalized creation that's not in the book, if you’re looking for the barest of superficial character texture, you’re thanking the gods Peter Jackson and his co-writers invented her. Empathetic and at odds with her people’s cynical outlook on Middle Earth, Tauriel actually cares about people in need of help (including dwarves, the sworn rivals of elves), so it’s her internal conflict that gives the movie its only shallow of humanistic depth.

    In case you need reminding, “Lord of the Rings” lays in the background, sometimes not all that subtly; the ring, Sauron, the evil that is about to engulf Middle Earth and a prequel-like sequence that should be called, “How Sting [Bilbo’s Sword] Got Her Groove.” The truth is, audiences are going to approve of this sequel. It’s entertaining, it’s engaging and it’s got thrills, but all at the expense and to the detriment of what stories, narrative and filmmaking should be about. See you at the next chapter. [C]

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Em resumo, segundo esse crítico:
    O filme tem mais ação, flui melhor e é divertido, mas parece mais oco que Uma Jornada Inesperada. Se o primeiro era uma gigantesca introdução, esse segundo continua a introduzir muitas coisas, mas não fornece resolução para nenhuma delas (aqui eu lembro de As Duas Torres, que tinha três narrativas paralelas, mas que tinham clímax ao final do filme - imaginem se PJ deixasse toda a batalha de Helm's Deep para o filme seguinte).

    Engraçado será se realmente a Tauriel for a personagem com mais substância desse filme. XD Sim, eu sei que Bilbo e Thorin têm arcos, mas talvez seja o caso desses arcos terem sido tão diluídos que a impressão, por enquanto, possa ser essa mesma citada pelo crítico.

    Ah, e sequências de ação empolgantes, mas que não remontam a muito mais que eye candy. Check!
    Mesmo que minha opinião, depois de ver o filme, seja totalmente diferente da dele, foi bom ter lido esse texto. Melhor ir com baixas expectativas, o risco de me decepcionar vai ser bem menor. :dente:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  11. Thor

    Thor ἀλήθεια

    • Ótimo Ótimo x 1
  12. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Eu tenho lido críticas muito positivas não só sobre o filme, mas também sobre Smaug. Até agora ninguém falou nada do tipo "Dragonheart updated".

    Por outro lado, também li muitas críticas ao excesso de CGI.
     
  13. Gandin

    Gandin Usuário

    Grimnir, isso quer dizer, em outras palavras, que os movimentos labiais devem ter ficado ótimos! Não vi nenhuma reclamação de Smaug. Inclusive ele está sendo o queridinho das críticas.

    Agora quanto às CGI's... bem... creio ter sido necessário. O filme não seria o mesmo sem esses efeitos... mas também li que há menos CGI nesse filme. Por mais que alguns - mais chatos quanto a esse aspecto - considerem que ainda há um excesso, parece que dessa vez a coisa veio na medida certa.

    Afinal, querem o que? Um urso de verdade correndo? Um dragão de verdade? Os belos reinos da terra-média criados artificialmente? Impossível...

    Momentos épicos da trilogia lotr foram feitos com computação gráfica.
     
    • Gostei! Gostei! x 3
    • Ótimo Ótimo x 1
  14. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Embora eu não consiga imaginar esses movimentos labiais (vai ver tá faltando imaginação), vou confiar nas críticas. Sobre a CGI, as reclamações parecem mais focadas na textura "fake" em alguns momentos. Principalmente nas cenas com orcs, se não me engano. Aliás, o CGI do Smaug também tem sido muito elogiado, sendo chamado até de "impecável" num comentário de twitter. Realmente parece que o principal elemento do segundo filme está muito bom!
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  15. Belle Vox

    Belle Vox Thranduil Oropherion: Badass !!

    Vai ser melhor que o primeiro? Ótimo, sempre é. As criticas são legais, etc. O terceiro é que vai arrasar. Eu gosto mesmo é de ver guerra, e a Batalha dos Cinco Exércitos promete ( Thranduil, the Elvenking, seja louvado!).
    Quanto ao dragão, mas será o Benedito? Dragão sempre é estrela, mas eu queria a voz do James Earl Jones. Ele ficou simpatiquinho com aqueles olhos de cobra. Legal vai ser ver o bicho tocar fogo nos fundilhos da moçada...eu rirei pra caramba...uhuhuhuhu!
    E Bard! Bard tá muito massa. Ele ficou muito parecido com o Bard que eu imaginava.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  16. Heberus Stormblade

    Heberus Stormblade Paz e Amor

    Ei, não destrua os sonhos alheios!
     
  17. O meu único medo é que a coisa toda seja muito "blockbuster" e não tenha muita profundidade. Mas fora isso, parece que será uma experiência melhor que o primeiro filme.
     
  18. Belle Vox

    Belle Vox Thranduil Oropherion: Badass !!

    "Also,the fighting was a huge challenge because you’re on set with 200 stunt guys swinging these huge pieces of metal around and trying not to hurt anyone, or get hurt yourself. It was pretty intense, at times. The fighting was one of my favourite things that i did in the movie, yeah, because [Thranduil]’s tough. He’s like a game-changer when he enters battle."

    — Lee Pace on Thranduil

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Lee Pace em toda sua glória.
     
  19. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    • LOL LOL x 1
  20. Grimnir

    Grimnir Usuário

Compartilhar