• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (2014)

Qual a nota do filme?

  • 10

    Votos: 18 17,5%
  • 9

    Votos: 19 18,4%
  • 8

    Votos: 29 28,2%
  • 7

    Votos: 18 17,5%
  • 6

    Votos: 6 5,8%
  • 5

    Votos: 6 5,8%
  • 4

    Votos: 2 1,9%
  • 3

    Votos: 2 1,9%
  • 2

    Votos: 0 0,0%
  • 1

    Votos: 3 2,9%

  • Total de votantes
    103

Quickbeam

Rock & Roll
Hmm, saí decepcionado com esse último filme. Mesmo tendo lido tantos spoilers e ido preparado para relevar os problemas, o filme não funcionou para mim. :tsc:

A Sociedade do Anel [8]
O Retorno do Rei [8]
A Sociedade do Anel - Versão Estendida [8]

As Duas Torres [7]
As Duas Torres - Versão Estendida [7]
O Retorno do Rei - Versão Estendida [7]

Uma Jornada Inesperada - Versão Estendida [6]
A Desolação de Smaug [6]
Uma Jornada Inesperada [6]
A Desolação de Smaug - Versão Estendida [6]

A Batalha dos Cinco Exércitos [5]
Antes de mais nada, para esclarecer minha posição:
1. Nenhuma adaptação tem obrigação de ser fiel ao original. O que desejo é que a adaptação seja boa por si própria (comparações à obra original serão inevitáveis, entretanto).
2. No caso do Hobbit, não ligo para a fidelidade (com Senhor dos Anéis foi bem diferente, demorei mais até divorciar o filme do livro).

É incrível o quanto A Batalha dos Cinco Exércitos parece mal construído. Praticamente não há desenvolvimento de personagens, o filme todo é um grande clímax. Ainda assim, os momentos se sucedem e não criam um crescendo, como era de se esperar. Ao contrário, as cenas se atropelam e se anulam mutuamente. A batalha em si me causou tédio em vários momentos, já que não havia conecção emocional aos personagens e nem as lutas sozinhas eram especialmente excitantes (como são as de The Raid, por exemplo). Dol Guldur ficou meio brochante, fiquei com a impressão de que poderia ter sido cortada inteiramente dos filmes e não ia fazer quase diferença nenhuma. O ataque de Smaug e seu fim certamente teriam ficado melhor como clímax do filme anterior, onde teriam mais impacto. Concordo com o Pablo Villaça quando diz: "há tensão na situação apresentada, mas não na narrativa" (a não ser que o espectador esteja fazendo maratona e tenha visto A Desolação de Smaug imediatamente antes). O maior destaque é mesmo Bilbo, Martin Freeman brilha em todas as cenas em que aparece, mesmo quando o texto é mediano.

Estranhamente, não me incomodei tanto com as cenas entre Thranduil e Tauriel, embora os diálogos fossem mal escritos. Lamentável foi a trajetória de Thranduil, que passou de um personagem digno de ser tratado como rei (ainda que orgulhoso e isolacionista), para um desnecessariamente antipático (entenderia se fosse com Thorin, mas Bard?) e, principalmente, tolo (abandonar a guerra naquele momento?).

Uma outra coisa que me irritou foram as inconsistências entre os filmes. Por exemplo, na cena de Galadriel/Samara, ela revela seu poder numa transformação que remete à uma cena de Sociedade do Anel. Só que, independente da opinião sobre o modo como a transformação foi executada em filme, aquele foi um momento de tentação para Galadriel e a visão que surge é dela como seria se fosse portadora do Anel.

In place of the Dark Lord, you would have a Queen, not dark, but beautiful and terrible as the Dawn. Treacherous as the Sea! Stronger than the foundations of the earth...all shall love me and despair!
Minha pergunta é: por que enfrentando Sauron ela aparece da mesma maneira, "bela e terrível" (muito mais terrível do que bela, enfim)? Não faria mais sentido ela aparecer como um ser de pura luz (como os elfos em batalha aparecem para Bilbo, quando ele corre pelo campo de batalha com o anel no dedo, ou como Arwen, Galadriel e Celeborn são apresentados ao espectador, banhados em luz)? E devo lembrar que Gandalf, quando enfrentou Sauron no segundo filme, criou redoma de luz semelhante à do embate com o Balrog. É bizarro que em Dol Guldur, em outro embate luz/trevas, o poder de Galadriel seja apresentado daquela forma.

Outro momento: Thorin agradece a Bilbo por ter dado testemunho a favor dele na Cidade do Lago, mas tal cena só ocorre na versão estendida de Desolação de Smaug, ou estou enganado?

A trilogia tem seus méritos ("Misty Mountains" e, em especial, "The Last Goodbye" são belas canções), não acredito que PJ & cia fizeram tudo "só pelo dinheiro" (como se isso fosse implicitamente algo ruim) ou foram preguiçosos. Eles, sim, tomaram decisões questionáveis (na concepção de personagens, como Radagast e seu trenó de coelhinhos, ou na de lugares, como Gundabad), mas sobretudo não souberam expandir uma história simples, mas efetiva, como a de O Hobbit (Brokeback Mountain, por exemplo, era um conto de menos de 50 páginas, mas foi transformado, com sucesso, em um filme de mais de 130 minutos). O desenvolvimento dos personagens foi sacrificado em nome do espetáculo e PJ parece, pelo menos desde King Kong (e talvez até mesmo Retorno do Rei), ter perdido o tato na sala de montagem. Enfim, O Hobbit tornou-se uma trilogia mediana, preocupada mais em emular glórias passadas do que em abrir novos horizontes. Uma pena.
 

Grimnir

Well-Known Member
Usuário Premium
Sim, @Gandin, Legolas está esquisito.

@Quickbeam resumiu bem: o filme é um grande clímax. Não tem receita de bolo para os filmes, mas PJ costuma colocar duas corcovas dramáticas nos filmes. Nesse eu não consegui identificar nenhuma.

Ex.:

1) Uma Jornada Inesperada: trolls/wargs e goblintown/azog.
2) Desolação de Smaug: barris e erebor.

Galadriel verde foi, na minha opinião, um erro conceitual e estético. Achei feio e sem sentido. Mais uma de muitas referências desnecessárias a trilogia original.
 

Roy Batty

"Inconsertável"
O fato é que o livro O Hobbit não tem profundidade, embora seja um livro delicioso de se ler, provavelmente o mais agradável (não é tão detalhista quanto SDA, na questão da geografia ou personagens). Para mim, PJ fez um ótimo trabalho naquilo que mais interessava que era Bilbo, Smaug, Jogo de Adivinhas, Thorin, a morte dos anões, a Cidade do Lago, Bard retratado de maneira bem convincente, Beorn (na versão estendida de A Desolação de Smaug), a floresta de Mirkwood, o início em Bolsão, na apresentação dos Anões exatamente como imaginei da primeira vez que li o livro.



A nota para a hexalogia ficou assim (só vou considerar as versões definitivas, que são as estendidas)

O Retorno do Rei - 10
A Sociedade do Anel - 10
As Duas Torres - 10
Uma Jornada Inesperada - 9,5
A Batalha dos Cinco Exércitos - 9 (esperando pela VE...se for MUITO foda, como mostrar a coroação de Dáin, o funeral de Thórin, etc, vai subir pra 9,8...:klingua)
A Desolação de Smaug - 9 (assistam a VE, é bem superior à versão do cinema)



---


O que gostei e o que não gostei na Batalha dos Cinco Exércitos:



Gostei


-Smaug torrando Esgaroth e finalizando com a sua morte (toda a sequência é perfeita, até mesmo o fato de Bard não matá-lo com uma simples flecha como no livro, pois ficaria inverossímil)
-Galadriel desafiando Sauron. Ela mostrou por que é elfa mais poderosa de todas as Eras da Terra-média. Aquela que negou fios de cabelo a Fëanor)
-Thórin cegado pelo "mal do ouro" (no livro é um pouco mais sutil, mas tbm no livro ele ameaça matar Bilbo)
-A preparação para a Batalha, os exércitos se locomovendo, etc
-A Batalha em si, onde PJ soube dosar perfeitamente a ponto de não deixá-la igual em dimensão à Batalha de Pelennor. Mas prestou várias homenagens à batalha, como os pedregulhos atirados sobre a muralha, o Troll olímpico (em alusão ao Uruk olímpico que carregou a tocha e explodiu a muralha do Abismo de Helm)
-Dáin! Fodástico!
-A luta dos anões e a morte de Fili, Kili
- A épica luta entre o Azog e Thórin , por fim, Thórin morrendo
-Bilbo se despedindo dos Anões todo deslocado
- O fim, Bilbo chegando ao Condado e vendo a zoeira dos hobbits vendendo seus pertences e emendando na ligação entre o Hobbit e SDA com a cena do Bilbo velho exatamente como no inicio de A Sociedade do Anel, com as mesmas falas!



Não gostei

- Lutinha do Saruman e Elrond contra os Nazgûl
- Alfrid (se esse personagem não existisse, o último filme seria bem mais considerado, pq ganharia um ar de seriedade semelhante ao Retorno do Rei)
- Beorn? Oi, Don´t be shy! Porra...10 segundos na tela....por isso que a versão estendida é a que vale a pena. O resto é resto..
- Mais Tauriel (Arwen >>>>>>)
- O Exército élfico feito de CGI (dá pra ver claramente quando mostrado de perto)
Todas as outras reclamações que tenho a fazer são advindas da exclusão de cenas importantes que certamente estarão na Versão estendida!
 

All Duarte

Usuário
Alguém pode me esclarecer se eu to maluco, ou se na parte da Galadriel, em que ela desafio o Sauron quando ta possuída, a voz dela sai também na língua negra, só que "por trás" das falas normais?
 

Beliel

Usuário
Boa noite,

Sou novo no fórum, para quem não me conhece fiz uma breve apresentação no tópico de apresentações :)

Sobre este terceiro filme votei nota 10.

Obviamente li o livro, mas já faz uns 7/8 anos, e The Hobbit é o meu livro xodô de Tolkien.

Esse longo tempo entre ler o livro e ver o filme foi bom, já que passou ares de novidade, pois tinha me esquecido de vários detalhes.

Eu tenho uma visão crítica bem menos dura que a maioria das pessoas tem sobre PK e os filmes, especialmente neste.

Eu confesso que gostei da maioria das adaptações de PK, confesso que de inicio relutei sobre a inclusão de Legolas e Tauriel, mas no final das contas curti a linda personagem Tauriel bem como a atriz, ela se saiu melhor que o Orlando Bloom.

Que por sinal, Orlando Bloom foi uma nota triste, o cara realmente parecia inchado e com excesso de efeitos nele...

Outra coisa que não curti foi a aparência física muito humana de Thorin e Kili, muito longe da forma robusta que nós sabemos como eles são.

Obviamente foram adaptações Hollywoodianas para justificar o amor entre Kili e Tauriel, e o Thorin porque heróis sempre terão aparência galã hahaha

Teve outras coisas que deixaram de ser mostradas? Sim, teve outras alterações que o Peter Jackson mudou? Sim

Mas avaliando pelo que o público geral que viu e que não leram o livro que é a grande maioria, penso que são coisas que não influenciam no julgamento da arte.

Pra mim o filme foi uma obra-prima. Daquelas de contar de dedo em um vida toda, filme lindo com momentos de ação, emoção, romance e guerra muito bem intercalados.

Dou nota 10 também em agradecimento ao Peter Jackson por ter me apresentado a Terra-Média, e pela oportunidade de contemplar visualmente os vários e vastos ambientes apresentados ao longo das duas trilogias.

Acredito que se não fosse pelo filme da Sociedade do Anel em 2001, a maioria aqui não teria aquele estímulo necessário ou acesso à informação sobre os livros de Tolkien, que em língua portuguesa era muito pouco divulgado, especialmente no Brasil. Lembro muito bem naquela época a primeira vez que tinha visto o trailer já tinha sido paixão a primeira vista hahaah.

E também por representar o fim de um ciclo, pois muito dificilmente verei algum filme de Arda novamente em minha vida, que além das questões autorias, Silmarillion seria muito complicado de ser adaptado, seria mais fácil virar uma série.

Bem é isso!
 
Última edição:

Grimnir

Well-Known Member
Usuário Premium
Acredito que se não fosse pelo filme da Sociedade do Anel em 2001, a maioria aqui não teria aquele estímulo necessário ou acesso à informação sobre os livros de Tolkien, que em língua portuguesa era muito pouco divulgado, especialmente no Brasil. Lembro muito bem naquela época a primeira vez que tinha visto o trailer já tinha sido paixão a primeira vista hahaah.

Ninguém tira esse mérito dele - mas que o filme tem defeitos, isso tem. Alguns defeitos são conceituais e poderiam até ser ignorados se pensarmos que é uma adaptação e tal. Outros defeitos, no entanto, são de estrutura de roteiro. Esses são mais difíceis de ignorar, né?
 

Elessar Hyarmen

Senhor de Bri
Tudo bem, a gente até entende que o cara envelheceu, afinal se passaram dez anos. Mas realmente a maquiagem do Legolas estava péssima, com cara de bem mais velho. Eles poderiam ter resolvido isso.
 

The Joker

Usuário
Assisti mais duas vezes. Algumas considerações:

1) Definitivamente não mostram a destruição da balista durante o ataque de Smaug. 100% de certeza. O que é uma certa mancada, já que foi dada bastante atenção para a arma no segundo filme.

Cara, finalmente este mistério foi resolvido. Ouvindo hoje o Nerdcast, eles comentaram sobre isso... a balista era de Dale, não de Laketown! É verdade, eu havia me esquecido disso.
 

Grimnir

Well-Known Member
Usuário Premium
Cara, finalmente este mistério foi resolvido. Ouvindo hoje o Nerdcast, eles comentaram sobre isso... a balista era de Dale, não de Laketown! É verdade, eu havia me esquecido disso.

É como o @All Duarte falou.

 
O filme é mt bom, mas se for pensar na diversao porque se vc comparar com o livro falta muita coisa como: o dain pé de ferro ele q mata azog e se torna rei sobre a montanha.
O funeral do thorin .
Radagast e as aguias aparecem pouco
Falto um desfexo descente tipo só 2 hoas e 40 e filme q tosco deveria mostrar como a situação termina ,bard viraria rei
E os defeitos especais do legolas subindo pelas pedras q caem da ponte ridiculo
Falto aparecer mais as qualidades de cada personagem na batalha.. só mostra o thorin e o legolas lutando.. cade os outros anoes nao da p\ ver els lutando... e mts outras coisas q e to com preguiça de terminar....mas o filme é bom pa quem é fã
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.595,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo