1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Discurso do Rei (The King's Speech, 2010)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Kyra, 17 Fev 2011.

?

Nota:

  1. 10

    5,9%
  2. 9

    11,8%
  3. 8

    23,5%
  4. 7

    35,3%
  5. 6

    17,6%
  6. 5

    5,9%
  7. 4

    0 voto(s)
    0,0%
  8. 3

    0 voto(s)
    0,0%
  9. 2

    0 voto(s)
    0,0%
  10. 1

    0 voto(s)
    0,0%
  11. 0

    0 voto(s)
    0,0%
  1. Kyra

    Kyra I am Jack's smirking revenge.

    O Discurso do Rei

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Desde os 4 anos, Albert (Colin Firth) é gago. Este é um sério problema para um integrante da realeza britânica, que frequentemente precisa fazer discursos. Albert procurou diversos médicos, mas nenhum deles trouxe resultados eficazes. Quando sua esposa, Elizabeth (Helena Bonham Carter), o leva até Lionel Logue (Geoffrey Rush), um terapeuta de fala de método pouco convencional, Albert está desesperançoso. Lionel se coloca de igual para igual com Albert e atua também como seu psicólogo, de forma a tornar-se seu amigo. Seus exercícios e métodos fazem com que Albert adquira autoconfiança para cumprir o maior de seus desafios: assumir a coroa, após a abdicação de seu irmão David (Guy Pearce).

    Direção: Tom Hooper

    Roteiro: David Seidler

    Elenco: Colin Firth, Geoffrey Rush, Helena Bonham Carter, Derek Jacobi, Michael Gambon, Guy Pearce, Claire Bloom, Tim Downie, Timothy Spall, Robert Portal, Richard Dixon, Paul Trussell, Adrian Scarborough, Andrew Havill, Charles Armstrong, Roger Hammond

    ---

    Ótimo filme. Grandes atuações de Colin Firth, Geoffrey Rush e Helena Bonham Carter (é até esqusito ver ela tão normal).
     
    Última edição: 17 Fev 2011
  2. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    Bom roteiro, boa direção, boas atuações. É o tipo de filme que não se acha erros, tem uma ou outra cena que se destacam, mas não tem nada de especial também, segue a formula básica dos filmes lançados no final do ano visando o oscar.

    Tem pelo menos cinco filmes esse ano que eu acho que merecem mais o oscar do que O Discurso do Rei, e ao que tudo indica ele vai levar.
     
  3. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Eu fiquei esperando o professor Geoffrey Rush gritar: "Aye! Maite!"

    Fora isso, é um filme legal. Mas, que nem achei Rede Social, perfeitinho e sem sal.

    Acho que já esqueci mais da metade do filme.
     
  4. Excluído046

    Excluído046 Banned

    Eu já estou até errando o nome do filme e o chamando de "O Retorno do Rei", de tanto que tenho falado sobre ele, nos últimos dois meses. :lol:

    Eu gostei bastante do filme. (é, preciso rever minhas concepções cinematográficas. E isso vem desde o ano passado, quando eu gritava, aos quatro ventos, minha torcida por Guerra ao Terror. Mas eu também queria que Bastardos Inglórios ganhasse. Mereço perdão.) Minha torcida para o oscar vai para ele. Mas não é como se eu fosse morrer se ele não ganhasse. Aliás, por mais improvável que seja, eu não ligaria se ele perdesse o oscar para Bravura Indômita (Irmãos Coen :grinlove: !) ou O Inverno da Alma. Tá, até para Cisne Negro.

    De modo geral, o filme é bastante padronizado. Roteiro contido (nada espetacular). Direção de arte ok. Não sei definir a direção do filme. Embora eu acredite que ela tenha sido precisa em 80%, ainda acho que há algo de podre no reino da Dinamarca. No fim das contas, penso o seguinte: Rede Social é o que é pela Direção do Fincher; O Discurso do Rei é o que é pelas atuações.

    O título do filme é forte, imponente, o que contrasta com a fragilidade do Rei - majestosamente (com o perdão do trocadilho) encarnado por Colin Firth – em que tudo, a começar pela fala, (menos a arrogância, claro) é contido.

    E ver uma Helena Bonham Carter em atuação contida, quase apática, foi uma grata surpresa. Era difícil imaginá-la sem aqueles trejeitos, sem ser aquele tipo espalhafatoso. Ela conseguiu. Ponto para ela.

    Contrastando com o tom discreto da atuação de Colin Firth e Helena Bonham Carter, Geoffrey Rush e Guy Pearce têm atuações expansivas (para alguns, até meio forçadas, mas, para mim, apenas necessárias para andamento fílmico).

    O filme parte de uma fotografia contida, de atuações contidas, de um clima de guerra contido, para as explosões finais. O anúncio da guerra e o emocionante e impactante Discurso do Rei.
     
  5. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    O filme é bom, mas como já mencionaram, não empolga. Ao menos não empolgou a mim. Talvez por ser demasiado linear. De certa forma, você sabe o que vai acontecer desde o começo do filme, o que muitas vezes é um dos problemas de filmes baseados em fatos reais.

    Mas não há como negar que Colin Firth e Geoffrey Rush têm ótimas atuações, o que ajuda a espantar o sono.
     
  6. nemorendil

    nemorendil Usuário

    Eu acompanho a maioria: acho um filme chatinho, mas muito bem feito, e até por isso deve levar o Oscar.

    Porém, tem dois detalhes que me chamaram muito a atenção, positivamente, no filme:
    O primeiro é a fotografia. É muito, mas muito boa. Durante as seções com o "fonoaudiólogo", o enquadramento todo "errado", relegando o Geoffrey Rush ou o Colin Firth ao canto, sempre distorcidos, é bem legal. A cena, mais para o fim do filme, onde os dois estão em uma praça, cheia de neblina, também é muito bonita.
    Outro detalhe que me chamou a atenção foi a edição. Ela acompanhar o ritmo do "rei gago". Como recurso narrativo, é bem interessante. Quando o Colin Firth começa a gaguejar, a edição empaca. Quando ele começa a ficar nervoso, começam a fazer cortes para tudo quanto é lado.

    Enfim... achei tecnicamente um filme muito bom. porém, como história, é chato e previsível demais. Não estaria lá entre meus favoritos, do ano (posto ocupado, com muito louvor, por Toy Story lol)
     
  7. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  8. Hugo

    Hugo Hail to the Thief

    Veon: "A incorporação foi desativada mediante solicitação... do Rei Gago"
     
  9. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    Não tem outro link pro vídeo, então vê pelo youtube, é até melhor a imagem.
     
  10. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

  11. deus da guerra

    deus da guerra Usuário

    Eu achei o filme muito bom mais ficou meio basico, podiam ter mostrado mais da relação do rei com o professor, mesmo assim vale a pena assistir uma otima história de superação.
     
  12. Elendil

    Elendil Equipe Valinor

    Dei nota 10 aqui. Finalmente pudemos ver o filme ontem. Gostei muito, achei excelente! Bom, também sou suspeito, pois gosto de filmes ambientados na época em questão (anos 1930/1940) e gostei de poder ver personagens históricos que tanto conheço sendo representados ali. E realmente, uma linda história de superação.
     
  13. lisseminte

    lisseminte Nox!

    Gostei muito! É um filme ótimo, apesar do tema parecer tão pouco atraente: Ah, tá, a gagueira de uma pessoa. Mas, o simples problema se transforma em um elefante quando é o rei que precisa falar, é o representante de uma nação justamente no período da segunda guerra mundial. Ele tem voz, só necessita encontrar um meio para falar aquilo que deseja: transmitir o sentimento de união e confiança para o povo naquele momento difícil. Isso pode se aplicar a todos nós, sendo da realeza ou não.Enfrentar aquilo que nos impede de nos expressar quando mais precisamos. E essa mensagem é passada eficazmente nas atuações. Sem elas, aliás, o filme iria por água abaixo.
     
    Última edição: 31 Mar 2011
  14. Kainof

    Kainof Sr. Raposo

    EU SINTO A SUA DOR, B-B-B-B-BERTIE! :osigh:

    Dou 10, 10 para o filme que me emocionou! Me vi ali na tela!
     
  15. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Bom filme, os atores também são bons.
     

Compartilhar