1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Diário de Donald Blake

Tópico em 'Quadrinhos' iniciado por imported_darkmarcos, 11 Jul 2009.

  1. Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    THOR - Parte 1

    - Journey Into Mystery 83 (Agosto de 1962)

    História:

    "The Stone Men of Saturn!" - Escrita por Stan Lee e Larry Lieber, desenhada por Jack Kirby e finalizada por Joe Sinnott


    Quando surgiu, no número 83 da revista Journey Into Mystery, em Agosto de 1962, o personagem Thor, Deus do Trovão, pouco tinha de mitológico. Sua aventuras no início, mostravam o inverso do que se sabe hoje. O herói, na verdade, era o médico Donald Blake, que encontrou um cajado dentro de uma caverna em terras nórdicas. Quando este cajado (que lhe foi muito útil como "bengala", já que era manco), era batido contra o chão, Blake ganhava os mesmos poderes do lendário Thor. Ou seja, Thor não era Thor. Era Donald Blake com os poderes de Thor. Essa situação mudou com o tempo, mas as primeiras histórias eram menos ligadas a mitologia clássica do personagem, dando espaço para ameaças onde Blake poderia resolver utilizando os poderes recém adquiridos.

    A abordagem "menos-deus-do-trovão" e mais "super-herói" (da época) deveu-se ao escritor Larry Lieber, irmão de Stan Lee, que colocava Thor envolvido em problemas daquela época e até mesmo ameaças alienígenas. O herói se tornou, dessa forma, uma espécie de Superman da editora Marvel, já que Blake utilizava suas transformações para salvar o mundo de tais ameaças. Curioso notar a influência de Robert Bernstein, não creditado, porém conhecido na Marvel como R. Berns que, anteriormente, foi um importante escritor das histórias do Superman. Daí, então, a inspiração para o clima das primeiras histórias de Thor.

    Donald Blake, apesar de médico renomado, é mostrado como um atrapalhado personagem em meio as histórias. E não só pelo fato de ser manco. A ocasião em que Blake encontra o cajado, que se transforma no também mitológico marteto de Thor, se dá em um momento um tanto quanto pastelão da história. Invasores de Saturno (homens feitos de pedra, parecidos com as cabeças gigantes que existem na Ilha de Páscoa) pousam na Terra com a intenção de dominar o planeta. Um cidadão local testemunha a chegada das criaturas, mas poucas pessoas acreditam nele... exceto o xereta Donald Blake, que nada tinha que se meter onde não foi chamado. Além de bisbilhotar, ainda se deixa localizar pelas criaturas. Apesar da desvantagem de não poder correr, o médico tem a sorte de encontrar a caverna onde se encontra o cajado místico... e o resto é história.

    Blake, ao se transformar, não só adquire poderes sobre-humanos, mas o visual do nórdico deus (de longos cabelos loiros) e a habilidade de manejar o martelo místico que, ao ser arremessado (e ser capaz de destruir tudo em seu caminho) retorna às mãos de seu dono, tal qual um bumerangue. O único detalhe (e sempre há únicos detalhes em histórias de super-heróis) é que Blake não pode ficar longe do martelo por mais de 60 segundos. Caso isso aconteça, ele volta a ser o indefeso médico novamente. Porém, é curioso notar como essa "fraqueza" é utilizada nas primeiras histórias. Ao invés de ser uma desvantagem, ela se torna até vantagem estratégica, já que seus inimigos ignoram essa condição e isso lhe permite escapar como o franzino Donald Blake, quando as armadilhas são feitas para o corpulento Thor. Por outro lado, apenas Thor é capaz de levantar o pesado martelo, uma vez que só aqueles que são dignos do poder de Thor são capazes de fazê-lo se mover.

    De qualquer forma, era interessante conhecer, a cada aventura, mais uma possiblidade do uso de poderes do deus do trovão pelo xereta Donald Blake. Não só pelo número de truques e vantagens que esses poderes apresentavam, mas também nos detalhes acerca da mitologia desse personagem. E de mitologia, Thor tem bagagem de sobra.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Artigo publicado originalmente no blog Âmago. Visite: www.quadrinhosdarkmarcos.blogspot.com
     
  2. Liv

    Liv Visitante

    Uuuh! Eu sempre tentei começar uma coleção de quadrinhos do Thor, mas nunca consegui. =(
     
  3. Pois então... espero que esse tópico lhe sirva de orientação.
    Obrigado pela audiência!

    Vamos a mais um episódio:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    THOR - Parte 2

    - Journey Into Mystery 85 (Outubro de 1962)

    Histórias:

    "Trapped by Loki, God of Mischief" - Escrita por Stan Lee e Larry Lieber, desenhada por Jack Kirby e finalizada por Dick Ayers

    Loki.

    Loki, o deus da mentira, escapa de sua prisão milenar em Asgard afim de atormentar Thor em sua nova morada terrena. Para tanto, o vilão utiliza de todo tipo de magia para realizar truques e humilhar o deus do Trovão. Mas o que ele não contava era com a regra de separar o herói de seu martelo por mais de 60 segundos. Graças a isso, Thor volta a ser Donald Blake e se livra da magia de Loki.

    Apesar de pouco usar a mitologia, o personagem se mostra a vontade ao encarar outro deus nórdico. Blake, transformado em Thor, reconhece o deus da mentira de imediato. Até aí, nada de mais, uma vez que o interesse óbvio pela mitologia nórdica deu amplos conhecimentos sobre essas entidades para o médico. Tem tanto conhecimento a ponto de saber que o poder místico de Loki é vulnerável a água (é... não devia ser o mais cheiroso dos deuses mesmo...).

    Uma curiosidade é que as transformações de Blake em Thor pouco tem de discrição. Na maioria das vezes ele se torna o herói bem na frente de civis ou mesmo de seus inimigos. Acontece que a transformação ocorre após um forte brilho (um raio) o que faz com que todos pensem que Blake foi tirado do local por Thor. Hoje, já não se fazem vilões e coadjuvantes tão ingênuos quanto antigamente...

    A enfermeira assistente do Doutor Donald Blake (e paixão platônica do médico), a belíssima Jane Foster, vivia comparando o atrapalhado patrão com o novo herói que surgia na cidade. Na verdade, ela começa a nutrir algo mais que admiração pelo deus do trovão, o que torna o casal, juntamente ao herói, o pivô de uma interessante subtrama nas histórias, mostrando um triangulo amoroso curioso.
    .
    Artigo publicado originalmente no blog Âmago: www.quadrinhosdarkmarcos.blogspot.com
     
  4. Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    THOR - Parte 3

    - Journey Into Mystery 86 (Novembro de 1962)

    Histórias:

    "On the Trail of the Tomorrow Man" - Escrita por Stan Lee e Larry Lieber, desenhada por Jack Kirby e finalizada por Dick Ayers

    Zarrko.

    Zarrko, conhecido como o Homem do Amanhã, foi o primeiro vilão de Thor fora o arqui-inimigo Loki. Tratava-se de um viajante do tempo que vivia em um futuro pacífico... muito pacífico... pacífico ao ponto de deixá-lo entediado e sedendo por dominar o mundo a força. Como já não existem armas na sociedade em que vivia, decide viajar ao passado e capturar uma poderosa arma que ofereça ameaça a todos que o cercam, deixando a população a seus pés.

    Enquanto isso, no passado (ou presente, depende do ponto de vista...), Donald Blake abusa dos poderes que adquiriu como Thor. O exagero é tanto, que ele até mesmo se oferece para testar armas nucleares... já que Thor possivelmente é o único ser na Terra que resiste a uma explosão desse tipo e sobrevive para que os cientistas analisem seus efeitos. Justo num desses testes, Zarrko aparece e leva a bomba para o futuro.

    Blake não só parece ter adquirido os poderes de Thor, mas suas lembranças também. Recorda de detalhes que não são exatamente deu sua vida "terrena", chegando até mesmo a invocar o poderoso pai mitológico de Thor, Odin, que lhe aparece para socorrer em momento de dúvida sobre o uso de seus poderes. É Odin quem dá a dica de como viajar para o futuro (mais especificamente ao ano de 2262), utilizando um pedaço da máquina do tempo do vilão Zarrko, o Homem do Amanhã, amarrado ao martelo. No futuro, Thor recupera a bomba e volta para o passado, deixando o vilão enlouquecido pela derrota.

    Artigo publicado originalmente no blog Âmago: www.quadrinhosdarkmarcos.blogspot.com
     

Compartilhar