1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O caso da menina que não envelhece

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por dermeister, 30 Out 2010.

  1. dermeister

    dermeister Ent cara-de-pau

    Uma
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    que eu acabei de ler e que é, no mínimo, intrigante:
    Notem que o artigo cita que ela nasceu "em 1983" e que está com "quase 18 anos"; o erro está na data de nascimento, não na idade -- segundo a wiki, ela nasceu em 1993 mesmo.

    A primeira coisa que pensei (e garanto que não fui o único) foi "se ela tivesse parado nos 25 anos, e não nos 10 meses, seria uma elfa fugida da TM!" :think:. A segunda foi lembrar da história da [ame=http://en.wikipedia.org/wiki/Henrietta_Lacks]Henrietta Lacks[/ame], uma mulher biologicamente imortal que morreu de câncer nos anos 1950 e cujas células estão vivas em montes de laboratórios por aí até hoje.

    Não sou biólogo nem médico, mas uma coisa interessou especialmente aí: o artigo diz que os telômeros da menina encolhem normalmente, um típico sinal de envelhecimento celular -- a medida que as células se duplicam, os telômeros ficam menores, até o ponto que as células não podem mais se reproduzir (para os curiosos: [ame]http://en.wikipedia.org/wiki/Telomere[/ame]). No caso da Henrietta Lacks, esses trecos (desculpem-me, biólogos) não encolhiam e as células (cancerígenas, para ficar claro) dela se reproduzem indefinidamente -- há quem afirme que mais de 20 toneladas das células da mulher já foram produzidas.

    Não sei se isso atiçou a curiosidade de vocês mas, depois de tropeçar nesse artigo, já estou com algumas abas cheias de biologices para ler -- um
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    para quem se perde na Wikipédia também.
     
    Última edição: 30 Out 2010
  2. Deriel

    Deriel Administrador

    Tem um vídeo dela aqui

    [nomedia="http://www.youtube.com/watch?v=jBbG2tSDfOo"]YouTube - Brooke Greenberg - An eternal baby?? - 2005[/nomedia]
     
  3. lisseminte

    lisseminte Nox!

    Interessante. Li o caso de Henrietta Lacks no meu livro de biologia (eu? Nerd por ficar folheando meu material didático nas horas vagas? Imagina!:roll:). É um fenômeno intrigante, essas células imortais. Mas, as células cancerigenas tem um mecanismo que as impedem de pararem de se reproduzir (ficam se dividindo continuamente- daí a sua imortalidade). Seus núcleos são volumosos e tem um número anormal de cromossomos. É assustador, isso sim. 8-O
     
    Última edição: 31 Out 2010
  4. Snaga

    Snaga Usuário não-confiável!!!

    Inglês pra mim não rola, então não li o artigo. Por isso não sei se existe alguma ligação, mas no Brasil também temos uma mulher bebê de 28 anos, a Aldenete, que mora no sertão no Nordeste.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Se a janela não rodar aqui: [nomedia="http://www.youtube.com/watch?v=4whMmG9vGOc&feature=related"]YouTube - Mulher Bebe[/nomedia]
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  5. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Li o artigo todo e acho que nele há muito do sensacionalismo jornalístico. Uma manchete que diz sobre o possível achado do gene da imortalidade chama muito mais leitores que outra que conta a história de uma menina cujo corpo, por motivo desconhecido, não cresceu.

    De acordo com o lido o corpo da Brooke não deixa de envelhecer, ele só parou de crescer, e é todo assincrônico, como se cada parte fosse independente e tivesse seu próprio ritmo. Isso está longe da imortalidade, ela está é em parafuso! Seus telômeros
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    se encurtam como os nossos, o que quer dizer que a estabilidade das células dela vai dinimuindo com o tempo, como qualquer célula de qualquer pessoa.

    O mais intrigante aí é o porquê da Brooke ter parado de crescer... Normalmente as crianças crescem muito rápido até os dois anos, diminuem seu ritmo até a puberdade (entre 9 e 11 anos, atualmente), crescem bem rápido aí, e depois entram num platô sem alterações. Ela tem 76cm e 7 quilos e pouquinho, o que corresponde à altura de uma menina de aproximadamente 1 ano a 1 ano e 2 meses, de acordo com a curva de crescimento da OMS. Vejam:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A linha da média mundial, a que devemos olhar pra comparar, é a verde, a P50, que mostra o crescimento rápido até os 2 anos, o constante até os 11, depois o salto até os 14/15, pra depois estagnar. No caso da Brooke, com 18 anos, ela deveria ter 1,60m, e não a metade disso.

    Depois que li a reportagem passei a ver a guria como uma anã com deformações corporais por mau posicionamento intra-uterino, sem caracteres sexuais secundários e com retardo mental. Não é bem o que ela é, mas juntando esses quatro elementos 90% do quadro clínico dela é coberto, e muita explicação técnica pode ser poupada.

    E com todo o respeito, uma "imortal" como ela eu não gostaria de ser não. Prefiro minha finitude humana e meus 2/3 de vida que me restam nas CNTP.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1

Compartilhar