1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Campo e a Cidade na História e na Literatura (Raymond Williams)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 26 Fev 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    [align=justify]Não seria exagero definir O Campo e a Cidade de Raymond Williams (1921-1988) como um marco tríplice na história dos estudos de literatura na segunda metade do século XX. A partir de uma série de leituras atentas de textos-chave da literatura inglesa – os chamados poetas renascentistas ingleses, Charles Dickens, Jane Austen, Thomas Hardy, James Joyce e outros, alguns bastante obscuros –, Williams busca entender o vínculo indissolúvel que há entre campo e cidade na história do imaginário inglês. Esses espaços nunca aparecem separados, diferente do que acontece em outros países: não raras vezes, um é representado como antítese do outro, como seu espelho invertido. Ao criar um aparato crítico destinado a diagnosticar essa relação entre dois topoi, Williams alicerçou três grandes mastros nas ciências humanas. [/align]

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Raymond Williams é um dos nomes mais conhecidas da chamada “Escola Marxista Britânica”, cujo “hall da fama” inclui titãs da historiografia marxista contemporânea como Eric Hobsbawm, Edward Palmer Thompson, Christopher Hill etc.

    Seus estudos de literatura e História contribuíram de maneira fundamental para uma renovação dos estudos da cultura e historiografia de forma geral, bem como para uma compreensão mais complexificada sobre a relação existente entre o factual e o ficcional, apontando possibilidades de abordagem, elementos importantes de análise, “forças” históricas a serem consideradas etc.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar