1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

"O Analista de Bagé" (L. F. Veríssimo)

Tópico em 'Literatura Brasileira' iniciado por Liv, 18 Jan 2009.

  1. Liv

    Liv Visitante

    O Analista de Bagé é um personagem de contos de humor criado por Luis Fernando Verissimo cuja publicação se iniciou, no Brasil, em 1981. As máximas são do velho Adão, pai do analista, e estão escritas em folhas de caderno de venda a lápis. Ele guarda dentro de um volume do Freud em alemão e usa para resolver os casos difíceis!

    Citações: "Más prestimosa que mãe de noiva em dia de casamento."
    "Mais enrolado que lingüiça de venda."
    "Mais por fora que joelho de escoteiro."
    "...e a indiada mentindo mais que guri pra entrar em baile."
    "Mais rápido do que enterro de pesteado."
    "Mais caro que argentina nova na zona."
    "Mais bagunça que espirro em farofa."
    "Mais comentada que vida de manicure."

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    ***

    Tenho que bater palmas para o Veríssimo! É de gargalhar com o Analista e seus contos. O cara tava inspirado quando escreveu esse personagem XD
     
  2. Anica

    Anica Usuário

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    "Charlar passando a cuia que loucura não tem micróbio" :lol:

    Acho que li quando tinha uns 13 anos, e até hoje lembro disso e da técnica do joelhaço. É simplesmente hilário, muito bom mesmo.
     
  3. Liv

    Liv Visitante

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    A técnica do joelhaço é aquele tipo de coisa que você leva para a vida. :lol:
     
  4. Anica

    Anica Usuário

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    sim! sempre que alguém chega se queixando de alguma dor eu falo "quer que eu aplique a técnica do joelhaço?" :lol:
     
  5. Diego-

    Diego- Usuário

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    O analista de bagé foi o primeiro livro que eu li do Verissimo, foi suficiente pra correr atrás do outros. Nunca tão poucas páginas fizeram eu rir tanto, até hoje eu torço para que seja lançado algo do tipo "Mais algumas histórias do Analista de Bagé."
    Em breve eu ainda compro toda aquela coleção Verissimo que tem os bonequinhos na capa e tal.

    Ahhh, no título ta L. F. Veríssimo, é bobeira eu sei. Mas se não me engano já li em algum lugar do próprio dizer que seu nome não tem nenhum acento, não lembro agora se era no Luís ou no Veríssimo ou nos dois.
     
  6. Liv

    Liv Visitante

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    Ui, sempre pensei que tivesse acento! o_O

    Confirma a informação, amigo? :)
     
  7. Izze.

    Izze. What? o.O

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    O Analista de Bagé é um dos poucos cuja terapia funciona. O joelhaço bota qualquer um nos eixos. xD

    Enfim, adoro. ^^
     
  8. Tilion

    Tilion Administrador

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    Das citações, faltou a "mais ortodoxo que caixa de maizena". :lol:

    E o Analista é ótimo. Li todas as histórias e continua sendo minha obra preferida do Verissimo. A imagem e trejeitos do analista basicamente ajudaram a construir o estereótipo do gaúcho nos outros estados do Brasil, como se todo mundo daqui fosse "mais grosso que dedo destroncado". :g:
     
  9. Diego-

    Diego- Usuário

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    Fonte oficial eu não vou ter, mas se quiser revirar a comunidade do LFV lá no orkut. Já li isso em mais de um lugar na internet de qualquer forma...

    O próprio LFV respondeu em uma carta enviada à nossa amiga Gisela que, embora batizado com os acentos, não os utiliza nos seus dois nomes (esqueçamos por hora o Fernando).


    Trecho de um post de um dos moderadores lá da comunidade.
    Agora se o papo da carta ali é real ou não aí já são outros quinhentos.
     
  10. Knight of Cups

    Knight of Cups Usuário

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    É aquela história... originalmente é Verissimo mas gramaticalmente é Veríssimo, então oficialmente está certo tanto um quanto outro...
     
  11. Anica

    Anica Usuário

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    Fui dar uma fuçada e nas livrarias eles colocam os dois nomes sem acento mesmo. Nunca tinha reparado nisso, engraçado - acho que principalmente porque o Érico não adotou "nome artístico" então por consequência achava que o Luis era Veríssimo também, hehe. Curiosidade bacana, Diego =]
     
  12. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    Tenho toda a coleção da Objetiva, e o correto é Luis Fernando Verissimo, sem acento algum.

    E Tivornas, um nome próprio não seguir a regra gramatical não nos autoriza a mudá-lo... mesmo errado, DEVE continuar sendo escrito errado.

    Eu sei mto bem disso, pq tenho LUIZ em meu nome, que gramaticalmente está errado, mas se alguém escrever LUIS eu vou pedir pra mudar, não serei eu, e ele não vai mais estar falando com o carinha q aparece no meu rg.
     
  13. Knight of Cups

    Knight of Cups Usuário

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    Acho que você está errado JLM porque como disse a Anica o nome artístico dele é Luis Fernando Verissimo, e o oficial e correto é Luís Fernando Veríssimo (já de acordo com Diego), e de acordo com uma gramática aqui em casa que consultei :


    Aí eu não sei acho que a escolha é da pessoa, se o Luis Fernando Verissimo quer usar o nome artístico nos livros dele então tudo bem, pois um livro não é um documento oficial...o Meia Palavra também não, então podemos usar tanto um quanto o outro... o oficial(correto) e o artístico... :pipoca:

    Então se alguém quiser escrever o seu nome com S, não tem problema desde que não seja nada oficial... :blah:
     
  14. Anica

    Anica Usuário

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    Tivornas, que gramática você consultou? Porque sempre ouvi falar que nomes próprios não precisam se adequar às regras ortográficas - inclusive com a reforma os sobrenomes de origem alemã, por exemplo, não ficarão sem trema. Quem é Müeller continuará Müeller, independente do uso da trema ter caído. :think:
     
  15. Knight of Cups

    Knight of Cups Usuário

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    A gramática que eu me refiro é a "mini" Gramática e Redação do Alpheu Terssariol... :timido:
    Mas agora eu não sei acontece a mesma coisa com nomes estrangeiros como Müeller, porque eu também me lembro de ter lido em algum lugar que a trema continua igual em nomes estrangeiros como este...
     
  16. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    Segundo consta, o nome Verissimo sem acento ele
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , então não é artístico, é oficial mesmo. E tenho de discordar da sua mini-gramática, mas em todos os livros q tenho aqui nenhum autoriza mudar a grafia de nome próprio. É impróprio!
     
  17. Izze.

    Izze. What? o.O

    RE: O Analista de Bagé - L. F. Veríssimo

    Olha, eu concordo com o JLM. Nome próprio não se mudo. Eu sou daquelas que pensa que nem nome de lugares deveria ser alterado. =B

    E ta aí algo que eu odeio em traduções: nomes dos personages traduzidos ou aportuguesados. Acho ridículo.
     
  18. Excluído044

    Excluído044 Banned

    Li este livro há pouco tempo, mas já conhecia vários textos de tanto que o LFV é difundido. Quem nunca leu uma crônica dele na escola? :sim:

    Os Verissimos, pai e filho, são de encher de orgulho, não acham?
     

Compartilhar