1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

"Noite na Taverna" (Álvares de Azevedo)

Tópico em 'Literatura Brasileira' iniciado por Varda do Um Triângulo, 20 Nov 2002.

  1. Não sei se alguém já falou sobre este livro aqui. Mas em um resumo rápido é o seguinte: numa noite chuvosa 6 homens estão em uma taverna e começam a contar algumas histórias referentes às suas vidas. Quem já leu a história, pode deixar a sua opinião aqui. E para quem não leu, espero que este tópico se torne uma espécie de incentivo, porque eu recomendo o livro. Só não sei se vocês vão gostar do livro ou não, mas aí vai da cada um.
     
  2. Deriel

    Deriel Administrador

    Spleen total. Romantismo na veia. Tristeza, vinho, violência, vinho, amores impossíveis, vinho, necrofilia, vinho e sangue.

    Pra quem tem estômago ou quer saber o que é realmente o tal romantismo que aqueles professores chatos de literatura explicavam na escola ;)
     
  3. Elanor Ladeira

    Elanor Ladeira Apaixonada

    Perfeito moço... akilo eh romantismo puro! Eh legal pra galera q pensa q romantismo eh romeu e julieta, o vicio, a tristeza, a dor, a depressão... isso era romantismo... gostei muito qdo li o livro, aliás... me deu vontade de reler...
     
  4. "Momento Flood..."
    Só esqueci de dizer uma coisinha: o autor do livro é Álvares de Azevedo, um ícone da segunda geração do romantismo, que também é autor do livro de poemas "Lira dos Vinte Anos".
     
  5. McCartney

    McCartney Usuário

    Excelente livro. Já faz algum tempo que li, mas estou querendo ler novamente assim que sobrar um tempinho... O puro romantismo mal do século..
    Alvares de Azevedo é genial!
     
  6. Maglor

    Maglor Lacho calad! Drego morn!

    O que eu gosto mais no Alvares de Azevedo é imaginar o que ele seria se não tivesse morrido aos 21 anos. Dá nervoso pensar que com a minha idade ele já tinha muita coisa escrita, o suficiente pra estar se auto-parodiando quando estava próximo de morrer.
    Os poemas em geral são muito bonitos, apesar de eu considerar essa fase do romantismo muito imatura(não tem como não ser, eram todos tão adolescentes quanto eu). O Simbolismo retomou exatamente o mesmo tema com muito mais propriedade e valor. Isso está longe de tirar o mérito dos poetas ultra-românticos, justamente por não terem tido tempo de amadurecer. E eles sabiam disso. :(

    Sobre o Livro Específico, é mesmo spleen puro e destilado, como o Deriel disse. É o estereótipo de tudo que se ensina nas aulinhas teóricas do terceiro ano. Seria bem mais fácil ler um capítulo só da "Taverna" e poupar horas de decoreba.
    Com absinto é uma beleza. :mrgreen:
     
  7. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Vou anotar a sugestão :mrgreen:

    Eu não conheço o Noite na Taverna, só das aulas de Literatura Brasileira, mas isso não basta. Do Azevedo eu conheço só Lira dos Vinte Anos, aliás... adoro!! O bom dele é que ele não é tendencioso como os outros românticos, poemas como "É ela! É ela! É ela! É ela!" tratam de amor com uma ironia tão grande que nem parece que ele é um ultra-romântico.
     
  8. Lórien

    Lórien Última General de Nanto

    Como o meu porre de absinto já foi consumado e não poderei repeti-lo, leio sempre Noite na Taverna e fico feliz da vida em saber que alguém conseguiu escrever aquele livro.
     
  9. Avenger

    Avenger Usuário

    Simplesmente um dos melhores livros que já li, Alvarez de Azevedo era um gênio sem igual, realmente é uma pena que tenha morrido tão cedo.
    Além desse livro li também Lira dos Vinte Anos e vi uma adapção pra teatro dele, foi simplesmente incrível, outro livro do autor que também tive o privilégio de ler foi Macário, também excelente:

    "Quando não há o amor, há o vinho; quando não há o vinho, há o fumo; e quando não há amor, nem vinho, nem fumo, há o spleen... Gosto mais de uma garrafa de vinho que de um poema."

    Álvares de Azevedo - Macário
     

  10. Macário também é muito bom. para quem não sabe, o final de Macário é a ponte para o início de "Noite na Taverna". E dos poemas do Álvares de Azevedo, o meu favorito é o clássico "Lembrança de Morrer".
     
  11. É muito difícil eu gostar de ler livros de literatura, desses recomendados na escola e certa vez passaram um trabalho sobre este livro ao meu irmão e eu acabei lendo tb e gostei muito. As paixões doentias dos personagens acabam nos envolvendo em histórias de suspense, tristeza e morte. Bem legal. :wink:
     
  12. Lady Greenleaf

    Lady Greenleaf Usuário

    E quem diria... Álvares de Azevedo era apenas um garoto depressivo!
    Tb... mal do século, bayronismo...

    Aprecio as obras dele. Macário, Noite na Taverna e Lira dos Vinte Anos.
     
  13. Akira

    Akira Usuário

    Sim sim.. ótimo livro.. qualidade indiscutivel.. de uma forma um tanto complicada o desenrolar dos fatos fazem o leitor deliciar-se a cada nova descoberta.. intrigas.. a vida de cada personagem ganha alicerces ao desenrolar da historia de cada um.. ao passo que o vinho.. faz as mentes de cada um deles fraquejarem com seus segredos e verem mais nitidamente o q o outro conta..
    Bom livro, uma boa pedida para goticos.. ou aspirantes a um.. segunda geração do romantismo.. o chamado Mal do século.. escrito por ninguem menos q o Grando Alvares de azevedo.. é imprescindivel faltar numa boa biblioteca..
    Eu já imprestei para alguns amigos, eles não gostaram muito, talvez a mente deles não seja tão receptiva.. talvez apenas não tenham entendido a história.. anyway.. eu realmente gostei..
    Eu sou particularmente um fã do autor..
     
  14. Nerwen

    Nerwen Usuário

    Álvares é maravilhoso, me influenciou demais, principalmente na adolescência. Adoro Noites na Taverna, Lira dos Vinte Anos também é muito interessante, principalmente a segunda parte, quando ele revela seu outro lado "Caliban"...o oposto do inocente Ariel.

    Me interesso muito por sua biografia, só de pensar que morreu com quase a minha idade, imagino o que ele ainda poderia ter escrito. Pode parecer loucura, mas já fui à Faculdade do Largo de São Francisco (ele cursou Direito lá, hoje faz parte da Usp) para ver se podia pesquisar mais sobre seus textos... ainda hoje seus livros me atraem muito...
     
  15. Elfon

    Elfon Usuário

    Muuuito bom o livro! Vc nao acredita noq rola no livro! Quando eu li q o cara tinha se apaixonado por uma estatua de mulher no cemiterio ai come uma mina morta num caixao q na verdade nao estava morta (simplificando muito) eu nao consegui mais parar haeuaehuaehaue eh muito loco! :)
     
  16. Minas Ecthelion

    Minas Ecthelion Usuário

    Só uma curiosidade sobre o Álvarez de Azevedo, não sei se vcs sabem. Durante sua curta vida o mais perto que ele chegou de uma mulher foi um aperto de mão. Nunca teve nenhum caso. Provavelmente idealizou muito uma mulher, e esqueceu das reais.
     
  17. Eloredanna

    Eloredanna Usuário

    Nossa...eu to lendo esse livro para a escola, mas não sabia desse detalhe.
    O.O
     
  18. Elfon

    Elfon Usuário

    Nao eh tanto assim, um aperto de mao eaheuhaeua
    Especulam q ele era muito inexperiente com mulheres de acordo com as suas obras, entao dizem q ele nunca transou, mas essa de aperto de mao ja eh demais hein aehauehauehahuea

    Repito, o libro eh pirado! :D
     
  19. Ephemera

    Ephemera Usuário

    Eu so li alguns trechos na aula de literatura no colegio mais parece ser bem massa mesmo ... tenho até vontade de ler
     
  20. Minas Ecthelion

    Minas Ecthelion Usuário

    O aperto de mão eu exagerei :lol: . Mas o que ouvi é que contato mais próximo como, beijo na boca, etc, nunca teve.
     

Compartilhar