• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

NBA

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Teoricamente esses desfalques podem até fazer os Raptor ficar ligeiramente favoritos para o próximo jogo, mas acredito ainda em muita disputa e a série sendo fechada em pelo menos 6 jogos.
 

fcm

galináceo voador
Usuário Premium
Curry teve uma noite de Lebron no último jogo. Talvez tenha outra hoje.
teve uma noite de Lebron novamente. Mas do Lebron amarelão pré-título.
Hoje teremos o primeiro matchpoint do Toronto.
Será que Durant volta? Vi noticias que os jogadores do Golden State estão irritados com ele que não está se sacrificando como eles. Iguodala, Looney e Cousins jogam apesar de não estarem 100%. Veremos se Durant volta e se Golden State consegue levar pro jogo 6!
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Durant vem sendo poupado há muito tempo, mas agora com o GSW em desvantagem na série não há muito o que fazer. Final de campeonato é se entregar e sacrificar por qualquer lance.
 

fcm

galináceo voador
Usuário Premium
jogo maluco ontem. GSW liderou o jogo todo, tomou a virada nos ultimos minutos. Toronto deu aquela apagada e perdeu por 1 ponto.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Dessa vez quem fez um excelente primeiro quarto foi o GSW, pois os dois seguintes foram super equilibrados e deu empate.
Eu achava que essa decisão iria no mínimo pra 6 jogos, porque o GSW não iria facilitar fácil não, mas foi por pouco. O próximo jogo promete.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
E deu Raptors!
Foi uma bela campanha e que logicamente não dá pra negar que os Warriors lutaram muito e que os desfalques acabaram pesando. Mesmo perdendo, esse time tem seu lugar garantido entre os maiores times da liga, pois chegar em 5 finais seguidas não é pra qualquer um.

Fica a velha reflexão e discussão se as novas temporadas precisam ser um pouco mais enxutas como é defendido por vários especialistas para que os times possam chegar com força máxima na hora da decisão.
 

fcm

galináceo voador
Usuário Premium
Fodaaaaaaaaaa...... Toronto deu aquela pipocada final e deram a bola pro GSW matar o jogo mesmo sem Klay e Durant. Infelizmente o Curry errou uma bola que ele acerta 90% das vezes e no fim deu Raptors. Torci pro GSW mas em todo o caso é bom uma renovada.
Lamentável as lesões de Klay e Durant, que irão ficar bastante tempo parado.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Os últimos dois jogos foram emocionantes pelos momentos alternados de vacilo dando chance real ao adversário renascer totalmente no jogo, mas os Raptors no total cometeram menos erros e agora fincaram a bandeira do Canadá no topo da liga. Esse dia chegou!
 

ricardo campos

Debochado!
Jogão o sexto e último da série. A saída de Klay e a ausência de Durant definiu o título e/ou descomplicou as coisas para os Raptors, mas o Toronto fez por merecer demais com a melhor campanha na temporada regular e soube ganhar do GSW nos seus domínios (três vitórias). Para a NBA é ótimo ter um ganhador que não seja a dinastia GSW, o Toronto depois de fracassar algumas vezes na pós-temporada mostrou que é possível ter um time campeão espantando o fantasma do fracasso. Adeus zica! A grande dúvida é se Leonard ficará no Raptors ou seguirá para outra franquia.
 

Loveless

Well-Known Member
Usuário Premium
Em tempo: a temporada em geral foi bem boa e movimentada, especialmente os playoffs. Que continue assim.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Didi é escolhido pelos Pelicans no draft da NBA e encerra jejum do Brasil



Didi Louzada em jogo da final da NBB entre Franca e Flamengo Imagem: Thiago Calil/AGIF

O Brasil tem um novo jogador selecionado para jogar na NBA. Na madrugada de hoje (21), o ala Didi, do Sesi/Franca Basquete, foi escolhido pelo New Orleans Pelicans como 35º jogador do draft. O time, que foi o grande destaque do evento ao recrutar Zion Williamson como pick 1, fez uma troca com o Atlanta Hawks que cedeu entre outras coisas a 35ª escolha do draft, que acabou sendo ocupada pelo brasileiro.

Didi fez o Brasil interromper um jejum de cinco anos no draft da NBA. Desde Bruno Caboclo, que foi a 20ª escolha de 2014 pelo Toronto Raptors, o país não figurava com um nome sequer no evento que é a porta principal de entrada para a liga americana de basquete.

"Estou bastante emocionado, estava muito nervoso. Trabalhei muito tempo e consegui chegar na NBA. Era um sonho de criança. Dedico para a minha vó, que infelizmente partiu daqui. Tenho certeza que vou trazer muitos frutos para a minha família", declarou o jogador à ESPN Brasil, pouco depois de ser selecionado.

Didi carregava a expectativa de ser escolhido por uma franquia da NBA, depois de passar por testes e impressionar alguns times. Segundo projeções, o ala de Franca seria selecionado nas últimas posições do draft - ao todo são 60 nomes no recrutamento de novatos.

No entanto, o brasileiro acabou beneficiado por uma troca ocorrida antes do draft, quando o New Orleans Pelicans abriu mão da quarta escolha e a enviou ao Hawks em troca da oitava, 17ª e 35ª; esta, última, a posição na qual o brasileiro acabou selecionado para a liga.

"Estou bastante emocionado, é um sonho. Isso para mim não tem preço. Também dedico para a minha mãe e vó, sempre batalharam para ter o melhor para mim. Estou bem emocionado e sem palavras para descrever este momento que estou vivendo", acrescentou, em entrevista coletiva, antes de se apresentar para a mídia americana.

"Meu estilo de jogo é bem defensivo, sou um cara muito bom na defesa. Também gosto bastante de infiltração e venho aprimorando meu jogo na saída de bloqueio, então isso é um pouco do meu jogo. Tenho que melhorar muito mais. Procuro sempre contribuir no ataque de uma forma boa", encerrou.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Giannis Antetokounmpo é eleito o MVP da temporada da NBA



O ala-pivô grego Giannis Antetokoumpo não conseguiu completar uma temporada de sonhos ao ficar fora da final da NBA com o Milwaukee Bucks, mas na noite de segunda-feira ganhou o prêmio de Jogador Mais Valioso (MVP) da liga.

Antetokounmpo, 24, também se tornou o terceiro mais jovem da história da NBA a consegui-lo e o segundo dos Bucks, depois do lendário Kareem Abdul-Jabbar. O novo astro da liga norte-americana recebeu o prêmio durante cerimônia realizada em Los Angeles.

Com uma média de 27,7 pontos; 12,5 rebotes e 5,9 assistências por jogo nesta temporada, Antetokounmpo desbancou James Harden, do Houston Rockets, e Paul George, do Oklahoma City Thunder.

Ele se uniu a Derrick Rose e LeBron James como os três mais jovens a conquistarem o prêmio nos últimos 40 anos e se tornou o quinto jogador estrangeiro a ser contemplado.

"Eu sempre disse que a coisa mais importante para mim eram as vitórias da equipe, algo que eu mantenho, daí a frustração que senti quando fomos eliminados nos playoffs, mas ter o reconhecimento de ser o MVP da NBA também significa muito", afirmou Antetokounmpo.

A sua contribuição individual ajudou para que os Bucks acabassem a temporada com a melhor marca da liga e chegassem aos playoffs pela primeira vez desde 2001. A franquia chegou à decisão da Conferência Leste, mas foi derrotada pelo Toronto Raptors.

O novo MVP da NBA recebeu 78 dos 100 votos possíveis para ganhar o prêmio, que é dado pelo painel de jornalistas especializados que cobrem a liga tanto nos Estados Unidos como no Canadá.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Não é piada: Charlie Brown Jr. acaba de chegar à NBA

O Atlanta Hawks, da NBA, anunciou hoje (1º) a contratação de Charlie Brown Jr. por duas temporadas.



Mas não é esse. É esse aqui:



O jovem de 21 anos passou por dias de lutas no basquete universitário antes de chegar aos de glória com a camisa do Hawks.



Na nova equipe, ele jogará junto com a jovem estrela Trae Young.



Boatos de quando questionado sobre seu papel em quadra, Charlie respondeu: "às vezes faço o que quero, às vezes faço o que tenho que fazer".

 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.225,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo