• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Na Mídia: Insector Sun na Folha (03/02/2009)

Administração Valinor

Administrador
Colaborador
Hoje, na sessão Ilustrada do jornal Folha de São Paulo, saiu uma matéria sobre o Insector Sun, um dos primeiros tokusatsu nacional e amadores do país. Confira a matéria.







O Jaspion de Ribeirão

Professor de kung fu e seus alunos fazem filminhos de super-herói japonês no interior de São Paulo; sem patrocínio, 12º episódio pode ser o último do seriado "Insector Sun, o Guardião da Terra"

IVAN FINOTTI
ENVIADO ESPECIAL A RIBEIRÃO PRETO


Estamos no ano de 2009. A Terra está sendo atacada pelas terríveis forças de Shaken. Mais especificamente, o Brasil sofre com a invasão. E Shaken escolheu Ribeirão Preto (310 km de São Paulo) como ponto de ataque central na sua batalha contra os terráqueos.
O comércio fecha as portas, os carros voam, os ribeirão-pretanos correm. E quando tudo parecia perdido, em um conjunto habitacional da zona norte da cidade, Kri Lee se transforma em Insector Sun, o Guardião da Terra.



Aos 30, Christiano Silva (ou Kri Lee) já começa a se cansar dessa história. É ele quem escreve, dirige e interpreta Insector Sun em 12 filminhos (o primeiro foi em 2000; o último está sendo editado). É ele também que não ganha nada por isso. "Estou ficando desanimado. Gasto uns R$ 1.000 por episódio só com material", diz.



É ele quem edita as imagens no computador de seu quarto, faz fantasias, modela máscaras e convence seus alunos da academia de kung fu a atuarem e darem uma força no que for preciso. De graça, é claro. "É um trabalho voluntário, mas a diversão é garantida."



Christiano ama os heróis japoneses desde criança. Aos 14, já aprendia kung fu para imitar Jaspion, Jiraiya, Spectreman e companhia. Inspirado neles, o rapaz criou o Insector Sun em 1999, inicialmente como um mangá (história em quadrinhos japonesa). O "insector" veio do louva-a-deus, um estilo de kung fu. Já o "sun" (sol, em inglês), se você não sabe, é porque não conhece Ribeirão Preto, onde até o asfalto derrete.



No ano seguinte, Christiano fez o primeiro episódio do tokusatsu (seriado de super-herói japonês). A exibição do filminho de meia hora foi um choque: "O pessoal começou a rir de cenas que não eram para ser engraçadas".



A partir daí, o diretor assumiu o lado comédia de Insector Sun. Colocou monstros de nomes bizarros, como Caveronóide e Macaco Louco, e personagens engraçados como Long Shin, que tem cabeça de bode, e Gato Maru, que usa uma máscara original do gato Frajola.

Franguinho
Com o tempo, os efeitos especiais foram melhorando. Raios de força e carros voando, por exemplo, foram conseguidos com programas de computador. Saltos e cambalhotas foram aperfeiçoados com a compra de um colchão para que as quedas não resultassem em membros quebrados. Mas a bizarrice se manteve: de vez em quando, aparecem uns personagens como o Menino Franguinho ou o Gafan, abreviatura carinhosa para Gafanhoto.



Após os primeiros anos, a série entrou num ritmo de um episódio por inverno. "Filmamos no meio do ano, que é menos quente para colocar as roupas e quando o céu de Ribeirão está azulão, sem nuvens."



Os ribeirão-pretanos, aliás, adoram quando a equipe de "Insector Sun" sai às ruas para filmar. "É uma festa, o pessoal amontoa em cima. Dá até um pouco de vergonha quando estou sem a máscara."



O bom humor é mesmo fundamental para Christiano manter sua arte viva, já que ele gasta quase todo seu tempo livre em função de Insector Sun. No site do personagem, que está sendo reformulado (www.insectorsun.com), pode-se comprar os episódios já lançados. Custam R$ 10 cada um.



Mas Christiano conta que muito poucos são vendidos, talvez 500 DVDs desde o início. Apesar disso, é uma das séries independentes mais respeitadas do Brasil: a equipe é sempre convidada para feiras e encontros de fãs de mangás em todo o país.



"Se não conseguir patrocínio ou apoio, este será o último episódio. O nome, ainda não tenho certeza, será algo como "Adeus, Insector Sun"."



Será nosso Jaspion de Ribeirão abandonado pela humanidade que sempre defendeu? Shaken estará livre para a conquista impiedosa da Terra? Será este o inglório fim de Insector Sun? É o que veremos, se houver um próximo capítulo.


More...
 

Valinor 2023

Total arrecadado
R$2.404,79
Termina em:
Back
Topo