1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Musculação

Tópico em 'Esportes' iniciado por Eriadan, 26 Ago 2011.

  1. fcm

    fcm Visitante

    voltei essa semana pra academia. Agora no próprio condomínio que moro. Dores e mais dores nos braços/costas e peito.
     
  2. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Já sabemos que o exercício físico é uma das principais ferramentas para a promoção de saúde, ajuda na prevenção de doenças do coração e melhora o humor e a qualidade de vida.

    Porém, o que chama a atenção atualmente é que mais de 30% dos praticantes de atividades físicas apresentam um comportamento de excesso de treinamento ou vício pelo treinamento. Essa compulsão, apesar de associada a algo que traz benefícios, pode prejudicar a saúde.

    Uma pesquisa realizada no Brasil em 2009 (Mododo, V.M. et al) analisou o comportamento de atletas profissionais de diversas modalidades, incluindo jogadores de futebol, vôlei, judocas e ginastas, e os comparou com praticantes amadores de atividade física regular. Conclusão: 36% dos amadores e 33% dos profissionais apresentavam o que chamamos de dependência de exercícios e tinham uma piora na qualidade de vida e do humor por conta deste vício.

    Aumento da ansiedade e da depressão, insônia, agressividade, alterações no sistema imunológico, lesões e alterações hormonais são características de atletas que apresentam o sintoma de dependência
    .

    Nesses casos, quanto mais exercício a pessoa faz, mais ela precisa fazer, podendo chegar a um estágio de overtraining, síndrome neuro-endócrina que resulta em modificações fisiológicas e/ou psicológicas. Às vezes, o atleta treina mesmo impedido clinicamente, quando está com uma lesão ou fratura grave. O problema ainda pode estar diretamente associado a distúrbios alimentares (anorexia e bulimia) e a transtornos de imagem corporal (vigorexia).

    Outro elemento que impacta negativamente o viciado é a substituição de atividades do cotidiano pelo treinamento físico. Há casos de pessoas que perdem compromissos profissionais para treinar.

    Em 2012, foi lançada uma organização com intuito de ajudar profissionais a ficarem atentos aos sinais e sintomas da dependência de exercício. O nome é “
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    “. Criado pela ACE e certificado pela NASM, o projeto surgiu pensando em aumentar a conscientização na área fitness e de saúde mental, pois muitos profissionais não sabem detectar o vício pelo treinamento.

    Os estudiosos desse projeto acreditam que a dependência do exercício é uma doença e não um vício
    . O excesso de exercício é parte de um transtorno, sendo um desequilíbrio e um desvio de comportamento.

    Os sinais mais comuns são:

    • Realizar exercícios muitas vezes ao dia;
    • Ter necessidade de sempre chegar ao ponto de exaustão;
    • Preocupação rotineira e exacerbada com o exercício;
    • Sofrimento severo quando não consegue praticar um exercício ou movimento específico;
    • Praticar exercícios mesmo doente ou com lesões;
    • Mudança de comportamento diretamente proporcional ao desempenho.
    O que é importante ressaltar é que a dependência é causada pelo conflito entre os fatores biológicos, psicológicos, familiares e sociais.
    A sociedade ajuda muito no desenvolvimento desse distúrbio, principalmente por conta dos padrões estipulados pelo meio em que vivemos. O marketing da indústria fitness pode ajudar e motivar muitos, porém, é algo destrutivo para outros.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Como evitar o overtraining


    As pessoas com distúrbios e dependência realizam exercícios em excesso e podem desenvolver o overtraining. Para que isso não aconteça, é necessário descansar os músculos e aprender os sinais e avisos de limite do corpo. Ou seja, é superimportante ter conhecimento do organismo.
    O overtraining ocorre quando trabalhamos em excesso e sempre no limite, resultando em fadiga crônica e redução do desempenho. Esse quadro é comum em atletas e pessoas com dependência do exercício. Assim, ocorre uma falta de progresso no treino, resultando na necessidade aumentada da fase de recuperação.

    Os sinais mais comuns de que o corpo precisa de descanso são:
    • Oscilação da frequência cardíaca e pressão arterial em repouso;
    • Dor e fadiga crônicas. Mesmo dias após o exercício, a recuperação fica mais lenta;
    • Aumento da probabilidade de lesões, resfriados e infecções. Isso porque há uma queda de resposta do sistema de defesa, fazendo com que o organismo fique mais susceptível à agressão de agentes externos;
    • Oscilações no apetite e, consequentemente, no peso;
    • Modificações no padrão de sono.
    Para evitar o problema é necessário descansar de uma a duas vezes por semana, pois, na recuperação adequada, nosso corpo constrói músculos mais fortes e de mais rápido poder de contração.

    Outras dicas para evitar o overtraining:
    • Realize exercícios com moderação e respeite os limites do seu corpo. Fique atento a qualquer sinal de dependência;
    • Diminua a variedade de exercícios e, quando incluir um exercício novo, faça a fase de adaptação;
    • Aumente a intensidade do treino de forma progressiva;
    • Faça boas escolhas alimentares. Procure um nutricionista para elaborar o cardápio ideal para seu treino.
    Com o intuito de tornar a atividade física sempre saudável, podemos dizer que o exercício físico deve ser sempre realizado com o planejamento de um profissional habilitado (educador físico) e que devemos respeitar nosso corpo, dando-lhe o devido descanso para se recuperar de cada sessão de treinamento.


    REFERÊNCIAS:

    – Modolo, V.B.; Antunes, H.K.M.; Gimenez, P.R.B.; Santiago, M.L.M.; Tufik, S.; Mello, M.T. Negative addiction to exercise: are there differences between genders?. Clinics (USP. Impresso), v. 66, p. 255-260, 2011. Citações:21|40|34

    – Modolo, V.B.; Mello, M.T.; Gimenez, P.R.B.; Tufik, S.; Antunes, H.K.M. Dependência de exercício físico: humor, qualidade de vida em atletas amadores e profissionais. Revista Brasileira de Medicina do Esporte (Impresso), v. 15, p. 355-359, 2009. Citações:5|10|10.

    – Rosa, D.A.; Mello, M.T.; Negrao, A.B.; et al. Mood changes after maximal exercise testing in subjects with symptoms of exercise dependence. Percep Mot Skills. 2004;99:341-53.

    – Rosa, D.A; De Mello, M.T.; Souza-Formigoni, M.L.O. Dependência da prática de exercícios físicos: estudo com maratonistas brasileiros. Rev Bras Med Esporte. 2003;9:9-14.
     
  3. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)




    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Crédito: iStock

    O tamanho dos músculos esqueléticos acima da média, ou melhor, hipertrofiados demais, sempre foi a “marca registrada” das pessoas que treinam em excesso com cargas altas.

    Contudo, o aumento padronizado e normal do volume muscular é uma importante adaptação do organismo aos exercícios resistidos e atende a muitos objetivos: melhorar a estética corporal, aprimorar o desempenho esportivo, favorecer o conforto na vida diária e no trabalho físico, e ainda deixar as articulações protegidas.
    Embora muitas atividades físicas aumentem a massa muscular, o treinamento resistido (contra resistência, geralmente oferecida por pesos) é o estímulo mais eficiente para essa finalidade, justificando que seja conhecido na área esportiva como “musculação”. Nas academias, onde as pessoas costumam ter o objetivo de melhorar a forma do corpo, o aumento da massa muscular é fundamental. Mesmo as mulheres que não desejam ficar musculosas precisam aumentar o volume dos músculos para modelar o corpo.

    Qualquer pessoa pode conquistar esse objetivo com o treinamento resistido, embora alguns tenham mais dificuldades do que outros.
    Como acontece com todas as variáveis biológicas, a facilidade para aumento de massa muscular tem uma distribuição típica na população: poucas pessoas têm muita facilidade, outras poucas pessoas têm muita dificuldade, mas a maioria se situa em uma faixa intermediária em que o aumento de volume muscular ocorre, mas sem atingir valores excepcionais.
    Evidentemente que os campeões de musculação são pessoas que reagem melhor do que a maioria, com seus altos níveis de massa muscular sendo inatingíveis para muita gente. O desconhecimento dessa realidade da natureza faz com que muitas pessoas tenham sonhos impossíveis, principalmente no caso de jovens que acabaram de começar na musculação.

    MECANISMOS FISIOLÓGICOS


    A compreensão dos mecanismos fisiológicos envolvidos no aumento do volume muscular pode ajudar na hora de adotar condutas sensatas, evitando as que podem colocar em risco a saúde das pessoas. Para que os músculos aumentem de tamanho de forma proporcional e saudável, o processo mais importante é a hipertrofia.

    O treinamento contra resistências produz uma sobrecarga nos músculos que pode ser chamada de tensional. Isso ocorre nos músculos que se contraem contra resistências e o seu primeiro efeito é alterar a permeabilidade da membrana celular aos íons cálcio, que assim migram para dentro da fibra muscular.

    O aumento da concentração de cálcio ativa proteases miofibrilares, as enzimas que destroem as miofibrilas. Estas são os filamentos protéicos que compõem a maior parte da estrutura muscular. Portanto, durante os exercícios, ocorre a destruição de miofibrilas, o que significa a perda de massa muscular.

    No descanso que se segue, as miofibrilas são refeitas por síntese protéica e esse processo tende a ser de maior magnitude do que a destruição durante o treino. Assim sendo, após o período de recuperação, tende a ocorrer um aumento de massa muscular.

    Todavia, se a destruição de miofibrilas durante os exercícios for muito acentuada, a recuperação poderá ser suficiente apenas para a reposição da massa perdida, sem que possa ocorrer aumento do volume muscular.
    A síntese de proteínas após os exercícios é estimulada pelos chamados hormônios anabólicos do organismo: GH (hormônio do crescimento), TESTOSTERONA (hormônio sexual masculino) e INSULINA (hormônio que atua na absorção de glicose pelas células).

    O GH é formado por aminoácidos, e estimulado pelos exercícios intensos, pelo sono e pela hipoglicemia. A testosterona é sintetizada a partir do colesterol, e estimulada pelo treino pesado. A insulina também é formada por aminoácidos e é estimulada pela ingestão de carboidratos.

    Assim, o excesso de treinamento deprime a testosterona. Portanto, os estímulos anabólicos máximos ocorrem no treinamento com pesos quando:
    • a duração da sessão é em torno de uma hora;
    • as cargas são altas;
    • o descanso é otimizado e respeitado;
    • o sono noturno é suficiente para recuperar as energias;
    • e quando a ingestão de carboidratos, proteínas e gorduras ocorrer de forma adequada, como veremos posteriormente.
    A adequada ingestão de carboidratos e água também permite uma boa hidratação dos músculos, facilitando a síntese protéica e contribuindo diretamente para o volume muscular.

    Com a observação dos princípios especificados acima, todas as pessoas apresentarão aumento da massa muscular. Muitas pessoas conseguem aumentar vários quilos de músculos em poucos meses. Mulheres idosas chegam a aumentar 10 % do seu volume muscular em poucos meses de treinamento. Homens jovens aumentam muito mais, mas não todos.

    LIMITAÇÕES GENÉTICAS


    Algumas pessoas têm dificuldades genéticas, que podem ser agravadas pelo treinamento excessivo, pouco intenso ou muito irregular, pela má-alimentação, por falta de descanso físico e por excesso de tensões emocionais, que estimulam o hormônio catabolizante cortisol.
    A intimidade das limitações genéticas para aumento da massa muscular é desconhecida. Os mecanismos podem estar ligados à síntese protéica deficiente, receptores hormonais em menor número, níveis excessivos de substâncias inibidoras do crescimento celular, má absorção de nutrientes, e menor número de fibras na composição dos músculos esqueléticos.

    DROGAS ANABOLIZANTES


    A crescente utilização das drogas anabolizantes contribuiu para uma má compreensão do aumento de volume muscular induzido por exercícios. Atualmente, não existem dúvidas de que essas drogas favorecem a hipertrofia muscular, e talvez outros processos ainda pouco conhecidos como a hiperplasia, que vem a ser o aumento do número de fibras musculares.

    No entanto, muitos acham que o aumento de volume muscular não pode ocorrer sem o uso de drogas anabolizantes, o que não é correto. Com esta concepção, quando alguém aumenta rapidamente o volume muscular, o efeito é atribuido às drogas, e quando alguém aumenta pouco, a explicação dada é a ausência das mesmas.

    O alto nível de massa muscular dos campeões de musculação muitas vezes é relacionado ao uso de drogas, sem a lembrança dos fatores genéticos e da dedicação do atleta ao treinamento e a alimentação correta. Na realidade, as drogas não fazem campeões. Caso o fizessem, as academias estariam cheias deles. Muitas pessoas aumentam a massa muscular sem o uso de drogas, e algumas, felizmente poucas, têm tanta dificuldade que seus resultados são medíocres mesmo com a utilização dessas substâncias.
    O treinamento correto, com alimentação e descanso adequados, darão excelentes resultados para a maioria das pessoas. Quando alguém não reagir bem a esses estímulos naturais, dificilmente terá resultados muito diferentes com drogas. Muitos veteranos da musculação ficam desconcertados quando alguém pergunta o que ele “tomou” para ter o físico que apresenta.

    A maioria das pessoas que têm na musculação uma filosofia de vida, encaram a atividade como uma forma de auto-conhecimento, e sentem-se estimulados pelo desafio de tentar superar seus próprios limites com os recursos que a natureza lhes deu. Para muitos, o prazer está em tentar ter 50 centímetros na circunferência dos braços, não em consegui-los a qualquer preço.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Fúria, musculação pode até ser bom pra osteoartrite. :hanhan:
     
  5. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    O maior ganho que já tive com musculação foi nos aparelhos dedicados as pernas. Hoje faço corridas e caminhadas quilométricas com muito mais prazer.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  6. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    Afêêê...! :o :blah: Só me faltava essa...!!! :rofl:
     
    • LOL LOL x 2
  7. Eriadan

    Eriadan Usuário Usuário Premium

    Hehehehe bela lembrança. Hoje já cresci um bocado, principalmente na barriga.

    Manda as suas também, bb. Mas não as que a gente troca no private, lembra da sunga.
     
    • LOL LOL x 1
  8. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Passei por esse tópico tantas vezes e não tinha visto :lol:
     
    • LOL LOL x 1
  9. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Desde a sua épica exibição postada aqui, agora falando sério e trazendo pra cá um post do diário pergunto: fazer só academia não tá resolvendo mais?

    Pra mim caminhadas e/ou corridas ainda é o meio mais eficiente.
     
  10. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Furia, o que a natureza derrubou apos decadas de uso, soh a cirurgia plastica levanta.
     
  11. Eriadan

    Eriadan Usuário Usuário Premium

    Talvez resolvesse, se eu fizesse. :dente: Não segui na mesma "vibe". De tempos em tempos volto, mas não dura muito.
     
  12. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    Foda que barriga parece que é a última que vai embora né... Se é que vai. Eu já estou com um peso ok pra minha altura (71 kg, 1.80m), esperava que nesse ponto a barriga já estivesse bem reta.... O foco por enquanto é 65 kg, que é o limiar do IMC 20... Depois só academia mesmo, mas isso já é uma barreira que tenho que quebrar futuramente.... E caminhada acho que não adianta pra perder barriga, ajuda a perder peso como um todo né...
     
  13. Eriadan

    Eriadan Usuário Usuário Premium

    A primeira que aparece e a última que vai embora, sempre. Tipo o contrário de mim em festas.

    Eu acho que nas suas condições você não deveria focar em peso, mas no cálculo de massa magra. Todo esse peso que você está perdendo pode ser de massa magra - e isso é muito provável, já que não está se exercitando, e perder massa gorda é muito mais difícil. Isso não é saudável. Se não for se exercitar, acho que deveria ficar atento para pelo menos não emagrecer mais que isso.
     
  14. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    Mas como que calcula? Aí tem que ir no médico pra ver né?
     
  15. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    No outro post no diário você citou que estava com uns 90Kg. É isso? Perdeu quase 20kg em quanto tempo?
    Eu não sei o que é passar de 80kg e ter problema de barriga, só tive um sobrepeso de no máximo 4kg em 2015 em relação ao máximo peso que o calculador de IMC considera normal pra minha altura (1,74m) que é 75kg, mas o peso que eu me sinto melhor é 70kg. Eu sou 6 cm mais baixo que você e no meu caso até poderia baixar um pouco mais se quisesse, mas pra sua altura não vejo necessidade de querer baixar tanto assim.
     
  16. Eriadan

    Eriadan Usuário Usuário Premium

    Acho que só fazendo avaliação física (academia mesmo). O educador usa um aparelho pra medir seu índice de gordura na perna, braço, tórax etc e depois faz um cálculo.
     
  17. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    Desde janeiro... Sendo mais exato 89 kg de partida, e agora estou com 71 kg... 18 kg, menos de 3 kg por mês em média... E eu era 89 mais pra gordo do que pra musculoso... Quer dizer, não acho que boa parte seja massa magra ou que tenha sido tão repentino assim... Talvez a partir de agora comece a ameaçar a massa magra, até porque reparei que o ritmo de emagrecimento diminuiu a partir dos 74 kg, mais ou menos....

    Mas IMC considera um intervalo muito grande de pesos como "normal". No meu caso vai de 60 a 81 kg, e no seu 56 a 75 kg. O ideal é algum ponto no meio entre esses extremos.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    tem um site que tenta estimar esse ponto. Talvez no seu caso não funcione, mas para mim funcionou, só comecei a me sentir não-gordo quando comecei a adentrar naqueles números que ele dá como ideal (77 pra baixo para 180 cm)...

    A ideia que eu tinha em mente era emagrecer mais um pouco e ano que vem começar academia e ganhar peso só de músculos e não de gordura... Já esse ano não rola...
     
    Última edição: 1 Ago 2019
  18. fcm

    fcm Usuário

    faço academia, jogo futebol e tênis, caminho no parque e a barriga só cresce.
    A culpa é da cerveja pq não como muito também. Barriga é difícil de bater!
     
  19. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    :nopics:
     
  20. fcm

    fcm Usuário

    • LOL LOL x 4

Compartilhar