1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Mundo nunca foi tão pacífico, diz cientista dos EUA

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 20 Out 2011.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Faz pelo menos 500 anos que o mundo está se tornando um lugar cada vez mais seguro para se viver, e a raça humana nunca foi tão pouco violenta. Ataques terroristas e guerras civis são meros soluços estatísticos numa paz que nossos ancestrais achariam quase impensável.

    Duro de engolir, certo? Pois os números reunidos por Steven Pinker, 57, psicólogo evolucionista da Universidade Harvard, são difíceis de refutar. Todas as formas de violência estão em declínio, das guerras à crueldade com animais, e em alguns casos a queda já dura séculos, diz ele.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Pinker, pop star científico que aprecia os temas polêmicos (ler abaixo), apresenta um resumo de seus argumentos em artigo de opinião na edição de hoje na revista científica "Nature". São ideias tiradas de seu novo livro, "The Better Angels of Our Nature" (ainda sem edição no Brasil).

    ANJO BOM


    Conforme o título do livro sugere, Pinker argumenta que os "anjos bons [literalmente, melhores] da nossa natureza" estão vencendo a disputa pela alma humana.

    brinca o cientista. E não se trata só da Antiguidade.

    O registro arqueológico e os estudos sobre povos indígenas atuais mostram que esse negócio de bom selvagem não existe, diz Pinker.

    Mais precisamente, esses povos cometem centenas de vezes mais homicídios do que os europeus do século 21, e cerca de 20% das pessoas nessas sociedades morrem em guerras, afirma ele.

    O bioantropólogo Walter Neves, especialista da USP que estuda os primeiros habitantes da América, concorda.
    afirma ele. No caso de povos pré-históricos,
    diz.

    BRAÇO FORTE

    A primeira queda na pancadaria teria vindo com o fortalecimento dos Estados, em especial as monarquias europeias, a partir do século 16.

    Com o rei abarcando o poder absoluto e os nobres (que costumavam guerrear entre si) na coleira, a violência desregrada saiu de cena, já que atrapalhava a centralização de poder e riqueza desejada pelo monarca.

    Segundo motivo de queda da violência, segundo Pinker: a invenção da imprensa, barateando a circulação de ideias, e o Iluminismo resultante desse processo.

    Os pensadores iluministas, com sua ênfase no debate racional e sua redescoberta das ideias democráticas, dominaram o universo intelectual europeu, debatendo todos os temas tabus e defendendo os direitos de plebeus, minorias, mulheres e até animais.

    O debate iluminista acabou levando ao lento porém crescente predomínio da democracia como regime de governo, o que também diminuiu guerras --é muito raro que uma democracia declare guerra contra outra. E o avanço do comércio internacional tornou os países cada vez menos interessados em guerrear por riquezas, diz ele.

    NÃO AO SENSO COMUM


    Steven Pinker tem uma predileção pelos debates politicamente incorretos. Seu livro mais polêmico antes da nova obra sobre a história da violência se chama "Tábula Rasa" e tem como meta mostrar que a natureza humana é algo relativamente difícil de mudar, independente dos esforços de pais, professores ou doutrinadores políticos e religiosos.

    A ideia de que existe uma natureza humana vai contra a corrente dominante nas ciências humanas e entre intelectuais de esquerda, para os quais seria possível "melhorar" a humanidade.

    Curiosamente, se o novo livro não é uma mea culpa, ao menos mostra certa fé de Pinker no progresso.

    "THE BETTER ANGELS OF OUR NATURE"

    AUTOR Steven Pinker
    EDITORA Viking
    QUANTO US$ 19,99 (como livro eletrônico no site Amazon)
    CLASSIFICAÇÃO ótimo
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  2. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Essa pesquisa é bem interessante e esse cientista deve ter feito um baita estudo pra chegar e esse resultado.

    Mas ainda fica aquela pergunta: A violência está mesmo reduzindo?
     
  3. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    O dado de a Idade Média ser mais violenta e o Iluminismo ter dado uma derrubada na violência é interessante. É lógico, faz sentido, mas para nós que temos muita informação, essa não parece ser a sensação que temos, mas apenas olhamos para os nossos dias e não analisamos nem comparamos com os dados do passado, o que ele fez, é interessante.
     
  4. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Eu só concordo com isso até a página 10 no máximo.

    Nos ultimos 100 anos nunca o ser humano foi tão violento contra o meio ambiente poluindo numa escala global como como nunca fez em milhares de anos antes o ar, água, dizimando vários hectares de florestas, colocando muitas espécies animais em risco elevado de extinção, etc Se isso pra mim não é uma forma de violência tão cruel quanto as guerras, então não sei o que é..

    Pode até ser que o ser humano não esteja tão violento contra sua própria espécie, mas contra os bens materiais e o meio ambiente do qual ele é DEPENDENTE continua impiedoso e violento como nunca..
     
    Última edição: 21 Out 2011
    • Gostei! Gostei! x 3
  5. Sem contar que, se por um lado a violência física diminuiu muito, por outro lado as violências psicológica, moral e social sobem exponencialmente.
     
  6. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Pois é! Depende do tipo de violência que ele usou para os dados da pesquisa. Foi somente física? Ou tem a variável "degradação moral e social?"
     
  7. Deriel

    Deriel Administrador

    ... baseado em que?

    "degradação moral e social?" ques dizer exatamente o que?
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  8. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Eu me referi a perda de valores.

    Perda de valores não seria uma forma de violência? Essa questão de valores sempre envolveu as sociedades ao longo de sua história. Mas na minha opinão acho que essa perda de valores dos dias de hoje é muito mais marcante (para mim) do que simplismente as agressões físicas.
     
    Última edição: 21 Out 2011
  9. Hamfast

    Hamfast Melodia e distorção

    Que tipo de valores? É natural e necessário que alguns valores mudem durante o tempo, muitos problemas sociais atuais como alguns tipos de preconceito são fruto de um certo apego a valores retrógrados.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  10. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri


    Sim, as transformações na sociedade humana são necessárias, faz parte da essência do homem.

    Entretanto, de forma simplista a minha eu fiz uma pergunta: Se perda de valores seria uma forma de violência.

    Pelo visto na reportagem, a pesquisa do estudioso é ligada a questão da porrada, pancadaria,não é mesmo? Da violência física (ou estou errado?).

    A medida que o um espaço "toma corpo" com a oficialização do status de Estado Nacional dá entender que a violência (pelo menos dentro deste territorio) tende a diminuir.

    Logo abaixo segue essa tendência com a invenção da imprensa e a vinda do Iluminismo como parâmetros em tese de agentes facilitadores do controle da violência.

    Agora, uma questão que pode até fugir do debate é com relação aos valores;algo realmente muito complexo de discutir onde várias pessoas possuem seus pontos de vista baseado em sua história de vida e dentro do contexto da sociedade onde vive.

    Bom, entendo também que os valores morais é algo importante para a manutenção da ordem entre as pessoas (isso vem da nossa convivência familiar - assim imagino eu e acho que não estou errado). Todos nós temos o direito de ter a liberdade de expressão e o livre arbítrio, porém tudo dentro de limites. Se não houve limites, possivelmente qualquer adversidade seria uma boa estrada a levar as pessoas ao estado primitivo e brutal.

    A questão dos bandidos é um exemplo claro de ignorarem os valores morais.

    Uma percepção minha é que há vinte anos, a minha cidade era uma lugar mais tranquilo de viver, conviver com as pessoas. Tive a oportunidade de ficar brincando na rua de bola, esconde-esconde, pega ladrão, jogo de botão,
    garrafão, carrinho e etc. Tive uma infância mais ligada as relações diretas com as pessoas. As crianças de hoje em dia podem ficar na sua sem a preocupação dos pais? Acho difícil né!

    Tinha a questão de maior respeito as pessoas mais velhas, aos professores e etc.

    Algo que hoje em dia não vejo mais é a instituição família, berço para os ensinamentos das práticas morais; são para poucos.

    Penso que essa questão de perda de valores (para alguns pode ser uma forma de ver os valores de outro ângulo) é uma forma de violência.

    Pode ser também que para muitas pessoas não existe perda de valores, mas sim uma tranformação, "evolução" ou "involução" desses valores. Mas no meu ponto de vista é uma forma agressiva e violenta.

    E também não quero dizer que todas as tranformações dos valores imbutidos na sociedade são formas de violência. Não sou radical chegando ao ponto de ser zero ou cem; a pensar dessa maneira.

    Não estou aqui afirmando que minhas ideias são certas, mas é a forma no qual vejo as coisas.

    E você Hamfast? Como vê essa questão da violência e também dessa discussão dos valores? É complexo isso rsrsrsrs.
     
    Última edição: 22 Out 2011
    • Ótimo Ótimo x 1
  11. Talira

    Talira Usuário

    O psicólogo canadense Steven Pinker é bem ”maluquinho mesmo”.
    Escreveu sobre “o estranho hábito universal de xingar e falar palavrões pra caramba...” :hihihi:
    :hihihi:


    1)O aumento da inteligência, 2) o desenvolvimento da empatia entre os seres humanos, 3)a alfabetização, 4) cosmopolitismo (favorecendo uma troca de idéias em nível global), proporcionaram um declive da barbárie nos últimos séculos.

    Não levamos mais nossos filhos para as arenas onde gladiadores se matavam, nem vamos ás praças ver guilhotinas decepando cabeças, nem imolamos jovens virgens à Maloch para ver se chove ou faz sol.

    Verniz social, normais morais mais eficientes.... seja lá o que for, não somos pacíficos ainda e estamos bem longe disso.
    Ainda temos um longo caminho para isso.
    Longo mesmo.
    :yep:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  12. Ivo Basay®

    Ivo Basay® Banned

    É um tanto polêmico.. de um lado não temos mais violências bárbaras como pessoas jogadas aos leões numa arena de gladiadores ou pessoas sendo decaptadas em praça pública.
    Guerras gigantescas que matavam milhões de pessoas não temos desde a 2a grande guerra mundial..
    Sem falar da escravidão também onde haviam muitos mal-tratos e execuções..
    mas por outro surgiram novas formas de violência como a que temos no nosso trânsito que chegam a matar tanto quanto em guerras
    e como comentaram lá o mundo só não tá mais seguro pra árvores e animais porque com o desmatamento e o crescimento das grandes cidades a existência deles ficou seriamente ameaçada... então não dá pra afirmar que o mundo como um todo está mesmo mais seguro.
     
  13. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Estamos mais pacificos porque temos mais a perder.

    No Brasil, até 1940, a longevidade dos brasileiros era de 40 anos.

    O que significa que uma pessoa com 20 anos teria já vivido metade de sua vida.

    Quantas pessoas de seu circulo mais próximo (familiares e amigos) morreram esta semana de forma violenta?

    Pois é.
     

Compartilhar