• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Muito Além do Cidadão Kane

Arcanjo[SK]

Spartan Supersoldier
O filme, que conta a história da Rede Globo de Televisão, foi proibido no Brasil desde sua estréia em 1993 graças a uma ato judicial movida por Roberto Marinho. Atualmente existem poucas cópias em circulaτπo no Brasil. Foi produzido pela tv inglesa Channel Four. O documentário conta com a participação de alguns artistas, políticos, e especialistas como Luiz Inácio Lula da Silva, Chico Buarque, Leonel Brizola, Washington Olivetto, Armando Falcão, Antônio Carlos Magalhães, Walter Clark, Armando Nogueira, Gabriel Priolli e Maria Rita Kehl. Foi lançado em 1993. O documentário jamais esteve no circuito de cinemas brasileiros e a exibição que ocorreria no Museu de Arte Moderna - MAM, do Rio de Janeiro, foi proibida pelo, na época, presidente da República, Itamar Franco.

O título original é Beyond Citizen Kane. Ele teve origem no personagem de Orson Welles, Cidadão Kane ou Charles Foster Kane , criado em 1941, como protótipo do magnata dono de um império de comunicação. O personagem Cidadão Kane foi criado por Welles para o filme sobre William Randolph Hearst, magnata da comunicaτπo nos EUA.

Simon Hartog, ao focar Roberto Marinho como magnata, faz um paralelo no seu documentario com o filme de Welles onde o focado é o magnata Hearst .

O documentário é dividido em 4 partes:

* Na primeira parte ele mostra a relaτπo entre a Rede Globo de Televisão e o regime da ditadura militar, no qual se vê fatos sociais que ocorram no país em decorrência do regime ditatorial.

* Na segunda parte apresenta o acordo firmado entre a Rede Globo e o Grupo Time-life (empresa norte americana de mídia).

* Na terceira parte evidencia-se o poder do proprietário da Rede Globo, Roberto Marinho. Por outro lado, mostra também, o "apoio" da Rede Globo α redemocratização do país, na figura do candidato α presidência da República Tancredo Neves.

* Na quarta parte, tida como a mais importante e reveladora do filme, mostra-se αs claras os envolvimentos ilegais e mecanismos manipulativos utilizados pelas Organizações Globo em suas obscuras parcerias para com o poder em Brasília (incluindo fraudes em eleições, assassinatos encomendados por seus maiores figurões e outros).


Vi o documentário esses dias e gostaria saber de opiniões de quem viu.

Catei o resumo na internet para facilitar. O filme originalmente só podia ser encontrado em VHS, atualmente na era da internet, pode ser encontrado facilmente por aí, não sei se legalmente ou não (por isso não coloco links devido a política já conhecida do fórum).


Por eu já ter estudado um pouco da história do Brasil na época, além de alguns relatos, o documentário me parece válido em muitos pontos. Manipulação de informações existe, mesmo que não seja um assunto falado abertamente. As pessoas tem interesses e os meios de comunicação também, seja a Globo ou não.
 

[F*U*S*A*|KåMµ§]

Who will define me?
E em boa hora, agora com a guerra aberta entre Globo e Record.

Mas muito mudou desde 1993.
Armando Nogueira já voltou de fuxiquinhas com SporTV e a Globo depois da morte do Roberto Marinho.
 

Yohan-san

Jogando cartas com um
esse documentario eh bom mesmo...mas naum acredito q as coisas mudaram pra melhor, caro FUSA Kamus...na minha opniao as coisas soh pioraram. Desde q a ditadura começou no Brasil, mta coisa mudou....pra pior. Seja no campo ou na cidade...e a globo sempre estava por tras. Li um livro sobre a destruição da Amazônia. A devastação jah ocorria, soh q a ditadura deu um grande empurrão....e quem foi uma das ferramentas? A rede globo, claro.
A propria novela foi uma tatica pra endoçar a ditadura na cabeça das pessoas. E olha ela ae, hj em dia....com tudo.
O engraçado eh ver essa "batalha" entre Globo e Record...eu me raxo de rir, pq eh o sujo falando do mau lavado. Eh um ladrão falando de outro...
 

[F*U*S*A*|KåMµ§]

Who will define me?
Mas eu não quis dizer que mudou pra melhor.
Só que muitos dos que apareceram ali xiando, hoje já fuxiquinham de novo com a Globo.
Não são pessoas tão isentas assim também.
 
T

Tarik Khalil

Visitante
Pessoal, posso estar enganado, mas acredito que é legal sim o download desse documentário específico, lembro de ter lido algo sobre a BBC se manifestar positivamente a respeito, principalmente pelo dificíl acesso a ele.

Não é dificíl de achar, e pode ser visto por streaming no youtube e googlevideos por exemplo.

E concordo com a opinião geral de que é um excelente documentário, faz um ótimo trabalho em denuncinar algumas coisas sobre a Globo que população em geral não sabe. É uma pena que nunca tenha sido transmitido aqui. Uma pena...
 

Fingolfin

Feitiço de Áquila
Assim, é um bom documentário e mostra de fato o quase monopólio que a globo tinha da comunicação no final dos anos 80. Hoje já mudou muita coisa, embora o poder deles ainda seja grande. Mas naquela época a audiencia da globo era quase inatingivel e inabalável.

Também acho q é um documentario com tendencia petista e lulista oq não faz dele ruim, ainda mais q eu meio q sou ambos. Mas tb não dá pra ver como a voz da impacialidade não.
 

Fingolfin

Feitiço de Áquila
Pelo visto tem, não sei como mas tem.

A Record detem os direitos dele no Brasil hoje em dia, mas não consegue transmitir.
 
Eu só assiti porque consegui emprestado com um amigo que é professor de história, porque não encontrei em locadora nenhuma. É o tipo de informação que só existe em Universidades e sedes de partido político.

E a Globo deve conseguir mesmo...
A MTV não exibiu até hoje o acústico de Roberto Carlos e é a maior besteira isso, né? Que dirá de um documentário que mostra o monopólio que ela detém e as consequências da manipulação da mídia. Fora que agora ela tá conseguindo também censurar o Twitter.
 
Última edição:

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.495,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo