1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Morte do Yasser ou Israel X Palestina

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Bastian Hawkins, 11 Nov 2004.

  1. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    Sim e o que deram um jeito de fazer? De matar Rabin. Além de tudo elegem o seu opositor Sharon para governar Israel. Tal avanço que citas é nulo hoje em dia.

    Será que esse 1/3 é a massa mais rica, oligarquica? Acho que não... A classe média alta judaica tem interesses maiores que a paz. E como sempre, a classe mais baixa tende a ser suprimida, ainda mais sendo apenas 1/3 do total.

    A questão se resume que nao interessa a eles reverterem a situação. Não esqueça que perante a mídia e a comunidade internacional o terrorismo é um mal por sí só. As raízes deste passam desapercebidas, logo os mocinhos continuam sendo os judeus, o povo que foi dizimado na 2 Guerra e bla, bla, bla (com todo respeito). Mas só uma nota: 25 milhões de soviéticos morreram na Guerra e judeus foram 6 milhões. Mas qual povo teve maior repercução? Isso é uma questão a se pensar... Santificar o povo judeu no mundo contemporâneo se choca com a realidade burguesa destes e suas políticas internas, portanto a guerra (apesar de ser trágica e tudo mais) não deve servir de pretexto para usar o nome judeu como sinônimo de "mocinhos".

    Opa, opa... Em 2000 o que gerou a segunda intifada foi a entrada de Sharon na Esplanada das Mesquitas em Jerusalém. Tal gesto de prepotencia buscava afirmar a soberania sobre o local que é sagrado para o povo palestino.

    Adendo: os acordos de Oslo foram pro brejo por causa de nomes como Sharon que derrotaram Peres em 1996 nas eleições. (Além do assassinato de Rabin por um israelense de direita)

    Quanto ao acordo de Camp David de 00, Arafat foi categórico ao recusar que Jerusalém Oriental (área muçulmana), que era reinvidicada como Capital, ficasse para os israelenses. E pra completar ocorre o que já citei na Mesquita.

    A tal Mesquita é o terceiro maior lugar sagrado para o povo muçulmano. Era necessário que um general de ultra direita israelense fizesse isso?

    Por fim quero ressaltar que Arafat começa como terrorista pq naquele tempo era uma das únicas maneiras de dizer para o mundo "estou aqui", "me escutem"! Depois de divulgada a sua causa ele passa a intermediar os acordos, a unir a corrente de diferentes pensamentos palestinos em torno de sua autoridade.
     
  2. Coiote

    Coiote Fallin´

    Em nada no q eu disse nesse tópico,eu tentei defender os judeus.Pra mim,eles são os culpados por todo o problema.Além de assassinarem um de seus líderes + inteligentes,ainda elegeram Sharon.....

    Concordo totalmente :clap: :clap: :clap:

    Martin Luther King ,um contemporâneo de Arafat(se naum me engano,os 2 nasceram no msmo ano) e Gandhi,um quase-contemporâneo de Arafat,nunca usaram de violência e foram ouvidos.
     
  3. 655321

    655321 Usuário

    Arafat não disse não ao acordo. Ele ficou receoso em relação a Jerusalém. Jerusalém é o nervo do problema. É a terra sagrada dos dois povos. Se os israelenses podiam abdicar metade do controle de Jerusalém, porque os palestinos não poderiam só controlar a metade?
    Nenhum dos dois povos vão abrir mão de Jerusalém, só se os dois povos fizerem ao mesmo tempo.
    O acordo foi proposto antes de recomeçar a intifada, antes de Sharon chegar ao poder, antes dele "visitar" a esplanada das mesquitas.
    Poderia ter muito bem aprovado o acordo.

    Lordpass, terrorismo é justificável pra você?
     
  4. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    Não se trata de ser justificável ou não.

    Se trata de entender de onde vem o terrorismo, entender o porque ele se alastra com velocidade alarmante no mundo contemporâneo. E mais, observar que milhares morrem por dia através de um terrorismo maquiado, através da fome, através das intervenções.

    Mas isso tudo é óbvio, é tao óbvio que beira ao senso comum.

    Admiro homens como Luther King, Gandhi, etc. Mas não cabe aqui comparar situações, conjunturas e etceteras mais. O que eu quero afirmar é que a figura de Arafat representa o fruto do imperialismo do século XX, Arafat é o nome que pode representar o terrorismo, mas pode simplesmente representar a luta de um povo para ter a sua pátria.

    Eu falaria o mesmo dos Curdos se estes tivessem um nome forte como Arafat.

    Não acho justo rotularem Arafat como terrorista, ele foi mais que isso e eu tenho uma profunda admiração pela sua imagem.

    Talvez fosse o caso de olhar para nomes como Bin Ladem e se perguntar pq tntos o seguem. Quem semeou tudo isso são os que agora colhem os frutos, e eu estou sendo redundante pq já falei tudo isso antes...

    Eu me coloco de um lado que não é hipocrita a ponto de querer semear a democracia pelo mundo, "o big stick" parecendo "o american way". Sou contra a derrubada de soberanias em favor de um Imperialismo fruto de 3 Guerras que tomaram o "breve século XX".

    Enquanto isso acontecer, aguentem o terror e não sejam prepotentes a ponto de dizer que ele é simplesmente errado.
     
  5. Orion

    Orion Jonas

    eu estava falando de como a COBERTURA DA MÍDIA encara o conflito, negligenciando muitas vezes os civis palestinos.

    viva rabin e sharon. e viva o estado de sítio e a ditadura de estado "democrático".

    isso é politicagem, burocracia enlatada. israel nunca ia abdicar metade de jerusalém aos palestinos. é conversa pra americano ver.
     

Compartilhar